Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

PRAZERES...

O homem é um animal de hábitos e eu pelos vistos, não consigo fugir à regra...

Olho para ti, e não consigo resistir à doce rotina do meu início de todos os dias!

Posso ter outras hipóteses de escolha - e hoje, até está disponível uma escolha múltipla - mas não! É para ti, que como sempre, se voltam os meus olhos, ávidos de desejo!

Com as minhas mãos algo rugosas (tenho que passar a dar-lhes mais atenção...) agarro-te, acaricio-te, sinto a tua textura macia mas firme (como eu gosto) e sobretudo, cheiro-te!

Por momentos, numa espécie de flash, consigo visualizar a cena Bíblica, ocorrida milhões de anos atrás, com o nosso Bíblico progenitor  em idêntica situação...

Tal como acontece comigo  todos os dias, também ele não conseguiu evitar-te!

Foi dramática essa  sua incapacidade de te resistir e por via disso, deixamos de ter garantido logo à nascença o doce Paraíso - e todas as inerentes mordomias... - mas como eu o compreendo (e desculpo) ao olhar para ti!

Apesar de tudo e a acreditarmos no que nos é contado nos textos Bíblicos, Adão ainda opôs alguma resistência, enquanto eu, já nem tento...

E como é saborosa a primeira dentada que te dou, apesar de repetida todos os dias!

(Como eu gosto de comer uma boa e suculenta maçã todas as manhãs! (e dizem que faz bem à saúde...)

 


 

PS:   Um conselho a quem me quiser ouvir: não deitem o caroço para o chão. Ponham-no no saquinho dos resíduos, ou melhor ainda, reservem-no juntamente com as aparas de legumes e hortaliça, para reciclar.

Ah! e já agora, quando vos contarem uma história, deixem-se de imaginar coisas e construir cenários antes da narração chegar ao fim...

Este - o fim da história - pode não corresponder às vossas expectativas!

 

publicado às 21:48

OS VIOLADORES DE CONSCIÊNCIAS...

CENA I

Por alguns momentos, interrompi a minha caminhada terapêutica para presenciar o mais elementar acto de criar vida, milhões de milhões de vezes repetido ao longo dos séculos:

homem-arado, que em investidas sucessivas  e consentidas, ia rasgando a terra -  ainda e apenas os preliminares do supremo acto de fecundar, que virá a seguir.

CENA II

E veio a seguir o homem-semeador, abrir sulcos sucessivos e simétricos, onde lançava as sementes precursoras de novas vidas, propiciadoras de uma desejada - e às vezes conseguida - abundância capaz de alimentar, ou  simplesmente mitigar a fome de  todos os que , não tendo terra nem arado nem sementes, estarão sempre inteiramente dependentes deste processo.

E durante os breves momentos em que fiquei a observar este processo milenar e aparentemente tão básico, pareceu-me - pura ilusão seguramente - ouvir os suspiros orgâsmicos da terra lavrada, como que a apregoar o seu orgulho-prazer por se sentir parte activa nesse acto tão nobre de gerar vida

CENA III

Algures, quiçá a poucos metros daquele lugar,  fruto da minha imaginação - ou da notícia escutada num dos últimos noticiários? - visualizo um outro acto criador (no pior sentido do termo)uma mulher amordaçada, manietada, imobilizada - por cordas bem atadas , pela bebida ou pela droga ingeridas contra a sua vontade, ou simplesmente pelo desconhecimento ou  falta de informação, que a sociedade criminosamente lhe sonegou - vai sendo penetrada-trespassada pela dor-semente infligida pelo homem-mau que nunca desejou, a que tentou resistir, que tentou denunciar com os seus gritos não escutados - do corpo e da alma...

E porque vazio de prazer, porque recusado, porque não consentido ou simplesmente não desejado, tal acto não passou do primeiro de muitos sofrimentos que a vítima terá que carregar ao longo da vida em consequência do mesmo.

E por isso, não houve aurora boreal nem suspiros orgâsmicos , nem a terra tremeu enquanto tudo se passava... 

 

 

 

 

CENA IV

E veio depois o homem-legislador-confessor-amigo , às vezes amigo-confessor do próprio homem-mau, por vezes ainda, em corpo de mulher, mas com ideias de homem-mau, dizer-lhe que o que ficou dentro dela, é uma vida, quando todo o seu ser lhe grita que é lixo, porcaria - ou na versão mais soft da sua tragédia - algo que resultou de um momento que não podia ter acontecido e para o qual não estava minimamente preparada. Em qualquer dos casos, uma gravidez incompleta, porque o seu coração não foi fecundado, logo, se incompleta não pode ser mantida!

E neste coro de conselhos-ordens, arrogam-se o papel de Deus, esquecendo-se que Ele deu à mulher (e ao homem) uma consciência e uma alma, que são emanação da própria Natureza Divina e lhes facultou por outro lado o direito inalienável ao livre-arbítrio .

E são os mesmos homens que falando em nome de Deus, lhe roubaram  o seu lugar junto Dele ao longo dos séculos, impedindo-a de pregar em Seu nome, de consagrar em Seu nome o Pão que comem e lhe dão a comer,  que continuam a negar-lhe o direito a usar também o lado de dentro do confessionário...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

MORAL DA HISTÓRIA:

A NENHUM HOMEM foi concedido o poder de ser o guardião  do bem e do mal! NENHUM HOMEM  possui o exclusivo da verdade! NENHUM HOMEM  é dono da tua consciência  - essa é uma parte de ti, que JAMAIS alguém conseguirá violar!  Porque, MULHER é aí que tudo acontece e é aí que TUDO tem de ser decidido!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado às 10:08

FORA COM OS DIAS "DE QUALQUER COISA"...

Pelo tipo de spots publicitários com que as televisões e as rádios nos bombardeiam diariamente , conseguimos adivinhar que data "especial"  se aproxima...

No momento actual e para os que porventura possam andar menos atentos ao avançar implacável do calendário, as "máquinas" promocionais do consumismo, centram o grosso dos seus ataques nos nossos filhos, como forma privilegiada de melhor chegar ao nosso porta-moedas ou à nossa conta bancária. 

E pelo conteúdo e densidade das promoções - as bonecas que falam, que andam, que fazem xixi, que tomam o biberão, os jogos de estratégia, as super consolas e por vezes  (o que ainda torna o consumismo mais repugnante pela sua falta de escrúpulos) o lança-mísseis, a super-metralhadora o futurista carro de combate (obviamente nas suas versões de brincar...) - somos alertados para a aproximação do Natal...

É por tudo isto, que não consigo ficar indiferente (no pior sentido do termo):  ODEIO AS DATAS ESPECIAIS!

Como seria bom voltarmos a ter dias do pai, da mãe, de Páscoa, de Natal, dos namorados, disto e daquilo, sem a chantagem constante e repetitiva: "não se esqueça de oferecer isto, aquilo e aqueloutro"...

Mas é no Natal, que o pior acontece, com as nossas doces criancinhas a juntarem-se ao coro consumista das famigeradas máquinas publicitárias: "Papá (mamá, padrinho,madrinha, avô, avó...) eu este Natal quero que me compres o não sei quê, o não sei quantos, ta-ta-ta, ta-ta-ta!

Decididamente, BASTA!!!

Este Natal, apetece-me oferecer prendas virtuais, encaminhando o valor das mesmas para quem mais precisa - AMI, UNICEF, Banco Alimentar contra a Fome, a Obra Social da minha Igreja local, tantas hipóteses de escolha, infelizmente...

E que tal, se os nossos filhos, afilhados, sobrinhos, familiares e amigos em geral, recebessem APENAS  a fotografia do leitor mp3 , do telemóvel topo de gama, do brinquedo "último grito", enfim, da prenda repetidamente sinalizada  através de várias indirectas às vezes mal disfarçadas,  acompanhada do comprovativo do envio do respectivo valor a uma das muitas entidades que levam a ajuda a quem mais precisa por esse mundo fora?

Por favor, ALIMENTEM ESSA IDEIA!!!

publicado às 18:32

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D