Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A VIDA NUMA SAQUETA...

Ontem fui dar sangue (o meu é o O-)

Já lá vão cerca de

trinta dádivas, por isso é um acto que já entrou na minha rotina...

Mas há rotinas e rotinas e esta que salvo algum imprevisto, acontece todos os 3 meses, dá-me especial prazer e alegria.

Aqueles minutos que fico ali deitado, a olhar para a balança oscilante e para o saco onde se vai acumulando a quantidade de vida de que posso dispor naquele momento em favor dos outros, longe de me fragilizar, dão-me força.

Desta vez, não encontrei a enfermeira Gabriela - trabalhamos os dois há alguns anos atrás no maior Hospital de crianças do País (o Hospital Maria Pia) - e fico sempre muito feliz quando vejo amigos que me recordam esse período da minha vida profissional! Encontramo-nos daqui a 3 meses enfermeira Gabriela...

Ao contrário do habitual, ontem  espetaram-me a agulha  no braço direito e apesar de ter vindo a conduzir no regresso a casa, o penso não descolou, nem sujei a camisa - também, na auto-estrada , não usamos muito a alavanca de velocidades...

Acreditem sinceramente, que este pequeno gesto solidário não nos custa nada e representa muito para os outros!

Recomendo vivamente que pensem nisso...    


publicado às 13:31

O BENEFÍCIO DA DÚVIDA...

(A fotografia é anterior à aprovação da Lei antitabagista. Actualmente já podem ser vistos cinzeiros nas varandas, estando também em fase de concurso internacional a aquisição de agasalhos para usar durante os minutos de exposição às intempéries...)


Quando sofremos o primeiro impacto do novo Código do Processo Penal, a nossa primeira reacção foi de revolta contra os políticos que o pariram.

Houve até muito boa gente a considerar o (nalguns aspectos) famigerado documento, como tendo sido feito à medida para casos mediáticos como o do Processo Casa Pia entre outros.

Revoltamo-nos com razão por ver que os nossos ilustres Deputados mantinham um  silêncio comprometido quando questionados sobre quem teria deixado passar  pormenores como aquele do crime continuado em que um violador (os do dito Processo Casa Pia incluídos...) apesar de reincidir  sobre a mesma vítima, ser apenas acusado de um único crime!

Quem foi? Quem foi? (que viabilizou pormenores como este) perguntavam as pessoas...

E nada! Ficavam todos a assobiar para o ar e a fingir que não ouviam a pergunta...

Mas agora, com com a publicação da Lei antitabagista, apetece-me conceder-lhes o benefício da dúvida...

A minha mudança de atitude começou a aconter no dia em que as televisões nos mostraram imagens dos coitaditos, nas varandas do nosso Palácio maior, a aguentar o vento e o frio durante os muitos minutos do dia em que o vício do cigarrito os importunava!

Por este exemplo de estoicidade - eles fizeram a Lei, mas foram dos primeiros a sofrer-lhes as consequências - começo a acreditar que os famigerados artigos do Código do Processo Penal sobre o crime continuado e outros, passaram mesmo por distracção e não porque os nossos ilustres representantes estivessem a agir em causa própria (ou de amigos próximos...)

E agora que percebemos que se tratou apenas de uma lamentável distracção - como somos às vezes injustos nos nossos juízos!.. - ficamos à espera que num futuro próximo suscitem a necessária correcção dos ditos artigos!

Ah! E já agora de passagem, atendam também às queixas do PGR, relativamente a alguns outros aspectos do Diploma...

 


 

 

publicado às 15:17

BAÚ DE RECORDAÇÕES - PRIMEIRA VISITA...

 

Na estrada imaterial

Ciber via lácteo espaço

De novo te encontro real

E aos sonhos que enlaço

E ao amor rápido e frugal

Que fizemos, ao cansaço

Ao doloroso ponto final

Ao último e sofrido abraço

Ou ao parêntesis aberto

Alguns séculos após

Onde já nada deu certo

Porque entre nós

Havia apenas o deserto

(E mais contra do que prós)

À rejeição do incerto

Que nos deixou de novo sós

E à viagem segura

Pela segura estrada

Que preferimos à verdura

Da bucólica azinhaga

Rejeitamos

Preferimos

À força escolhemos

E vivendo, morremos!

 

 

 

 

 

 

 

publicado às 20:32

BAÚ DE RECORDAÇÕES...

Ontem fez mau tempo e como sempre que tal acontece, o ciberespaço foi a alternativa mais a jeito para passar as horas...

Numa das muitas voltas à galáxia, entrou-me escotilha adentro - como as braguilhas, também as escotilhas devem andar sempre fechadas - um objecto contundente que passado o efeito do primeiro impacto, eu reconheci como sendo o meu velho baú de recordações!

Tinha-lhe perdido o rasto faz já muito tempo e não é que o venho encontrar da forma menos verosímil e no local menos esperado?

Fiquei a olhar para ele sem saber muito bem o que fazer:  Estava como eu o tinha deixado há muitos anos, fechado a sete chaves e o pior é que eu as tinha deitado fora (às chaves) juntamente com ele...

Enquanto tentava pensar numa solução para o abrir iniciei mais uma voltinha pelo ciberespaço - nunca gostei de ficar a olhar para coisas fechadas: ou me despertam a curiosidade e as abro de imediato, ou então deito-as simplesmente para o lixo. Faço isso com o correio - o electrónico e o de papel - com a publicidade e com muitas outras coisas...

Não era a segunda hipótese, a que se aplicava ao meu baú!

De repente, tal como acontecera com este, entra-me igualmente pela escotilha - que continuava aberta... -  a chave-mestra para o abrir: Um simples e vulgar endereço -  http://poesiamgd.blogspot.com / que no entanto, vá-se lá saber porquê, fez acender uma luzinha no meu cockpit ...  Rodei-a na fechadura e... voilla .. Abriu-se! Do meio da poeira dos tempos, saiu o titulo de um blog, um nome, a letra de um poema...Fiquei por aqui a flutuar esquecido do tempo - do que se mede em horas ou do que tem a ver com o n.º de litros por metro quadrado de chuva caída das nuvens -  saboreando as palavras eprocurando descodificar o seu sentido...

Como seria expectável, irei dedicar mais algum do meu tempo futuro a uma visita mais minuciosa e revivalista ao conteúdo do baú...

publicado às 11:44

aperitivos...#4

 

Continuemos... (os aperitivos também alimentam!)

"O Último Homem na Terra" (não, não  sou eu porque continuo a ouvir o barulho do trânsito...)

Havemos de ir ver (brevemente...) 

publicado às 17:58

aperitivos...#3

Bem... Este tem picante!

Mas como é só o trailer , não ponho bolinha (lol )

Talvez qualquer dia me junte à onda (quando não tiver mais nada importante para fazer) e vá ver a versão integral...

Com quem?

publicado às 17:53

aperitivos...#1

Chuva, vento, vontade de não fazer nada...

Vamos lá entreabrir o sapo e dar uma espreitadela...

Este aperitivo vai especialmente para a minha afilhada Ana Luísa .

 

 

 

publicado às 17:42

NATALIDADE

 
Política

2007-11-25 - 00:00:00

Belém: Presidente terminou visita à Guarda

Cavaco manda fazer mais bebés

___________

O Presidente da República, Cavaco Silva, está preocupado com a desertificação do Interior do País, preocupação que registou numa visita de dois dias ao distrito da Guarda. Para o efeito, deslocou-se aos concelhos da Guarda e Gouveia. No fim da iniciativa, questionou-se: “Por que é que nascem tão poucas crianças? O que é preciso fazer para que nasçam mais crianças em Portugal?” Em jeito de desabafo, o Chefe de Estado frisou: “Eu não acredito que tenha desaparecido nos portugueses o entusiasmo por trazer novas vidas ao Mundo”.



 

 

Ora então, vamos lá tentar de forma mais ou menos esquemática (e procurando não ferir demasiadas susceptibilidades) lançar algumas interrogações com vistas à identificação do problema:

 

A opção gay em crescimento?

- A falta de tempo? Há cada vez mais gente (homens e mulheres) a trabalhar horas demais, para que ordenado e contas a pagar se aproximem o mais possível... 

-O elevado custo de alguns medicamentos? Parece que contrariamente ao que acontecia com os nossos pais e avós, o processo depende cada vez mais do uso de anti-depressivos , Viagras e afins...

- A explosão das novas tecnologias? Está bom de ver que sexo virtual, cibersexo ou sexo a pilhas não fazem nascer bebés...

A Falta de informação?  Hoje - sobretudo entre os mais jovens - a frase fazer sexo, pode ter várias conotações... Tenho duvidas de que lhes tenham explicado que só uma tem efeitos práticos sobre a natalidade...

O tamanho das casas?  A venda de T0 (e mesmo de T1 ) só deveria ser permitida a pessoas fora da idade fértil...

- A publicidade cada vez mais apelativa dos carros de 2 lugares? Embora permitam fazê-los (aos bebés...) não servem para os transportar logo, não incrementam o processo...

- O Desrespeito pelas orientações  da Igreja, que proíbe o uso do preservativo?  Existem relatos de alguns casos de sucesso (?) baseados exactamente em acidentes (rupturas) com o uso do mesmo...

A Ausência de figuras de referência? Os nossos governantes (incluindo o ministro da solidariedade...) deveriam ser sempre chefes de famílias numerosas...

 _________

Nota final: Porque, por opção própria, não recorro à bolinha no canto superior direito dos meus post , remeto os meus leitores para os inúmeros sites - uns mais sugestivos do que outros - onde podem ser encontrados alguns contributos para a solução deste problema, recorrendo essencialmente à imagem - cada uma vale mais que mil palavras...

 

 

 

publicado às 12:17

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D