Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

"NOVOS" UNIDOS POR ALFENA - UMA MÃO CHEIA DE... NADA!

Chegou-me hoje (finalmente) à caixa de correio - não  à electrónica, mas à outra e portanto em suporte de papel - o primeiro trabalho autopromocional dos membros do "novo" "bureau" dos Unidos.

Em formato pouco "portátil" - bem que podiam ter tido em atenção que o tamanho da "coisa" às vezes conta e pode  mesmo ter implicações ecológicas e ambientais - limita-se (este primeiro número) quase exclusivamente ao "culto da personalidade" dos "queridos líderes" e pouco mais, para além de um conjunto de fotografias relacionadas com algum trabalho que tem vindo a ser feito desde 2005 - também era o que faltava que não tivessem feito nada!

Nada sobre os "grandes projectos" - e por maioria de razão, sobre os escândalos em que muitos apareceram envolvidos: 

História mal contada do mega projecto da Quinta do Bandeirinha, história por contar sobre o arranque à revelia do PDM, da gorada Zona Industrial II, expicação sobre as razões do completo silêncio sobre o "tal terreno" onde este ano iria arrancar a construção do novo Centro de Saúde, etc., etc.

Também não dizem nada sobre o autêntico divórcio entre a "liderança" da Junta e o povo de Alfena, o qual, para conhecer alguma coisa sobre o trabalho do Executivo ou dos Deputados da Assembleia, das duas uma: ou vai a todas as reuniões públicas, ou se está a espera de uma eventual consulta às Actas dessas reuniões - é suposto haver Actas das mesmas - bem pode esperar sentado, pois no Site da Junta, a mensagem habitual é "em construção" e quanto à consulta em papel, tem de fazer um requerimento a fundamentar(!) a sua pretenção, mencionando a data da reunião a que se refere! - informação ontem mesmo prestada pela Secretaria da Junta.

Mas pelo menos ficamos a saber

a) Que o Dr. Arnaldo sabe que os Alfenenses estão zangados com ele - embora isso não lhe cause muitos engulhos, face à honra de poder ajudar o Dr. Fernando Melo a cumprir o seu último mandato...

b) Que o "empresário ilustre" snr. Camilo Moreira, continuará - surpresa! - a ser o mandatário da Candidatura (embora toda a gente saiba que na "sombra" é  ele o verdadeiro líder). Neste caso concreto, ficamos muito mais descansados: vamos continuar a ter "agilização" de procedimentos a nível da Junta - e da Câmara - "soluções expeditas" para evitar que condomínios de grande dimensão paguem taxa de "rampas" enquanto proprietários individuais o têm de fazer, vamos ter seguramente de continuar a assistir às intervenções do camião da VEOLIA para resolver situações de "constrangimentos" em ligações de saneamento de prédios cujos projectos emanam do seu Gabinete, ou à intervenção de equipas técnicas da mesma empresa, para anular "by-pass's" ilegais para a rede de águas pluviais...

Mas tirando iso.. tudo bem!


publicado às 13:37

ALFENA - "EM CONSTRUÇÃO"...

Para quem se der à pachorra de uma esporádica "deambulação" pela página oficial da Junta de Freguesia de Alfena na Internet é seguro que sairá dessa "caminhada", no mínimo desiludido.

De facto, qualquer amador faria melhor em termos de apresentação, mas mesmo que deixemos a parte da apresentação de fora, não há desculpa para não se melhorar e manter o conteúdo actualizado.

Experimentem por exemplo consultar as Actas da Assembleia - "em construção"... - ou obter informações sobre datas de reuniões da mesma - nada!

Podem sempre "fazer um Requerimento" pedindo para consultar uma determinada Acta. Têm é de dizer a que reunião (que data) se refere... - informação prestada hoje mesmo pela Secretaria da Junta...

E por falar em reuniões, àmanhã dia 30 pelas 21,30 horas terá lugar uma sessão da Assembleia de Freguesia - no Auditório do Centro Cultural!

Passem palavra!

publicado às 15:05

"TUDO ISTO TE DAREI"...

Se alguém duvidava que o dom da Ubiquidade pudesse existir, a prova aí está: Em Alfena, terra de gente boa e também de OVNI's, de "Pinóquios" de carne e osso e de "Daltons" dos tempos modernos, vive um homem também de carne e osso - o presidente da Junta de Freguesia mais concretamente - que o pode comprovar por experiência própria...

Ele consegue estar nos outdoor da candidatura dos Unidos à Junta de Freguesia de Alfena, nos outdoor da candidatura de Fernando Melo à Câmara de Valongo, ele consegue ainda dividir-se (ou multiplicar-se) entre o trabalho da Junta, as "conspirações" do comité central dos Unidos - de que é presidente do respectivo "bureau político" - o "trabalho de campo" com os vários patrocinadores - sim, que ninguém acredita que o dinheirinho cai do céu... - o acompanhamento das acções de subversão do PDM, com vistas à satisfação dos compromissos assumidos junto daqueles - os patrocinadores - (*) enfim, a verdadeira demonstração do dom da Ubiquidade

Há até quem diga "à boca pequena" que a PT  (o MEO) - passe a publicidade - está a instalar um circuito privativo de fibra óptica entre a Câmara e a Junta de Alfena (a fibra óptica pode ser um bom instrumento para simular de forma quase perfeita o efeito da  ubiquidade) para o caso de no próximo dia 11 de Outubro, ocorrerem dois factos cumulativos: A candidatura de Fernando Melo (de que ele é o número quatro) ganhar a Câmara e a candidatura dos Unidos (o "Meteorito" à cabeça) ganhar a Junta.

Mais um mau investimento para a PT e para o MEO: vai ser mais um "curto-circuito"...


(*) ... O Diabo levou-O ainda a um monte  muito alto - o "MONTE 14" - mostrou-lhe todos os reinos do mundo com sua glória disse-Lhe: “Tudo isso te darei se, prostrando-te, me adorares”. Respondeu-lhe, então, Jesus: “Afasta-te, Satanás, pois está escrito: Adorarás o Senhor teu Deus e só a Ele servirás”. Então o Diabo deixou-O e aproximaram-se os anjos para O servir. (Mt 4, 1-11)


Mas isso passou-se com Jesus...

Quanto ao nosso ubíquo homem, consta-se que se terá mesmo prostrado.

 

publicado às 22:18

A "RODADA"...

Sagres - Rodada Sagres
 Até: 28-Feb (*)

A Sagres celebra o facto de ter sido eleita a cerveja número 1 oferecendo a todos os portugueses a
Rodada Sagres. É a tua oportunidade de beberes uma cerveja gratuita! Para beneficiares da Rodada Sagres só tens que ter mais de 18 anos e ter um telemóvel.
Com a Rodada Sagres é simples beber cerveja!

(*) Não vale a pena correr! Foi só até Fevereiro...


Pois é... Mas a Sagres é a Sagres e mesmo depois da "rodada" continuou a facturar para continuar a ser a número 1.

Já ele, depois da rodada que agora pagou - a modos que forçado - vai ter que fazer "muita ginástica" com os míseros trocos que lhe restaram (36,5%).  Vai ter de fazer uma gestão muito controlada, pois qualquer pequena distracção e cortamos-lhe o crédito!

Claro que a Mota Engil está numa fase de expansão e numa emergência dessas não ia deixar passar a oportunidade de matar mais um "Coelho" com a mesma cajadada - pagaria eventuais serviços prestados e reforçaria o quadro dos seus "engenheiros civis" com mais uma bela de uma aquisição!

publicado às 17:42

EX- "ANIMAL FEROZ"...

Pronto! Já podemos guardar o "açaime"!

Não há nada melhor que uns bons açoites e uma boa sessão de socialização intensiva para transformar o "animal feroz" num ronronante gatinho doméstico.

Agora, passada a fase em que nos tínhamos que preocupar com o seu primário instinto de predador, só precisamos de o manter sob vigilância discreta para evitar que vá ronronar para o colo errado!


PS: E agora que a fase "Bravo" terminou, entremos na fase "Charlie" - aquela em que casa a casa, rua a rua, bairro a bairro do nosso Concelho de Valongo, vamos ter de arrumar com a "brigada do reumático" que atravanca os corredores e gabinetes da nossa Câmara e com os "Dalton's" e "pinóquios" que colocaram a nossa querida Vila de Alfena no livro do "anedotário nacional"...

publicado às 10:40

ALFENA - 11 DE OUTUBRO DE 2009

SOLTAR A ALEGRIA

Bem que podia ser
Um domingo de lazer
Pois podia
Mas não! Esse será o dia
De começar a escrever
Ou melhor a erguer
A Obra adiada
Ou mal começada
Sem pedras de circunstância
Colocadas com jactância
Por gente palradora
Mas que até agora
Entre o almoço a jantarada
Não tem feito mais nada
Senão dar alento
À brigada do cimento
Do cimento privado

Com que têm engordado

Do "Futebol Total"

E da pseudo Industrial

Zona no nosso Monte

E aqui faço a "ponte"

Par'aquela infamiasinha

Da Quinta do Bandeirinha
D
e final mal contado

Acabou-se pois o "fado"!
Soltemos a alegria
Esse vai ser o dia
Daquele chuto bem dado
No sentido figurado
Em forma de cruzinha
Mas saltando a linha
Já chega de Unidos
Basta de sermos traídos
Já são traições a mais
Vezes demais!

publicado às 23:53

"TIME BREAK"...

Será que cai assim muito mal fazer um pouco de "auto promoção"?

Era só para poder dizer que as coisas aqui pela "Terra" têm andado mais animadas do que é habitual - o contador de visitas "disparou" literalmente em termos comparativos com as médias anteriores!

Bom sinal: os "bons" andam a ler o que escrevo e os "maus"... também, embora estes últimos, com uma única excepção, prefiram não deixar "vestígios" da sua passagem por cá...I'm back!

 

publicado às 00:26

ALFENA - "PORCOS & CHOURIÇOS, SA"

"Só dá um chouriço se receber um porco" é uma frase muito conhecida que costumamos utilizar para classificar aquele tipo de pessoas - e como há tantas por aí à nossa volta - que "não dão nada de mão beijada".

Vem isto a propósito de alguns "benfeitores" da nossa terra que enchem páginas de jornais ou gastam quilos de papel transformados em informação panfletária para se auto-exaltarem fazendo questão de ciclicamente - normalmente por altura dos actos eleitorais - nos recordarem os "feitos altruístas" praticados em favor da comunidade...

Vou recordar (apenas) dois dos mais paradigmáticos:

 

1. Hospital Privado de Alfena (Grupo Trofa): Toda a gente se recordará de ver o Dr. Arnaldo Soares e companheiros dos "Unidos" de "bandeira em punho" gritando aos quatro ventos "fomos nós!"

E foram!  - A dar todas as condições (e mais algumas) em nome do povo de Alfena, incluindo a atribuição do "interesse público" ao empreendimento, a fim de agilizar procedimentos e permitir uma excepção ao PDM que tornasse possível a construção de mais um piso!

Tudo facilidades! E já nem falo das dúvidas acerca da localização do empreendimento, que alguns especialistas começam a levantar, isto é, se não se estará a edificar em "leito de cheia"!

Até aqui, os "Unidos" e a própria Câmara que sempre esteve envolvida neste dúbio processo, têm-se limitado a "dar o porco" que não é deles mas sim do Povo (e do Erário Público) ao Grupo Trofa Saúde.

O "chouriço" que iremos ter de volta, serão alguns empregos para pessoas da terra - porque a esmagadora maioria, especializada e altamente qualificada, essa virá de fora ou quando muito, dormirá cá uns dias por semana, quando não puder deslocar-se para as respectivas residências em Municípios vizinhos.

Ainda parte do "chouriço", será o reforço da oferta em termos de cuidados de saúde. Mas para quem?

Alguém sabe como vai funcionar o novo Hospital em termos de custo dos serviços a prestar?

Para além daqueles que possam efectivamente pagar os preços que vão ser praticados, restará algum benefício para beneficiários de alguns subsistemas como ADSE e outros, mas que não são de forma alguma a parte significativa dos Alfenenses.

Em suma, o novo Hospital vem de facto para ganhar MUITO DINHEIRO, fundamentalmente com doentes vindos de fora, trazendo de fora também o grosso dos seus colaboradores, mas beneficiará em pleno da "insígnia" de Instituição de interesse público concedida pelos nossos insignes Autarcas.

Deveríamos recusar o investimento? Claro que não! Mas daí a que os membros do "Comité Central" dos Unidos quase que pretendam a sua "auto canonização", quando o que fizeram - e foi muito pouco, para além do papel de "angariadores de terrenos" que souberam desempenhar na perfeição - vai ainda uma certa distância!

 

2. Empreendimento da Quinta do Bandeirinha: Mais uma vez o "Comité Central" dos Unidos, começou a negociar (angariar) os terrenos como "força avançada" da empresa de construção civil e obras públicas Eusébios & filhos, SA. Sempre com base nas limitações do PDM em vigor e a partir de um projecto de loteamento que havia sido apresentado pelos herdeiros da Quinta - do qual obviamente tomaram conhecimento através de "fontes bem informadas" na Câmara - foram tentando fazer passar a ideia de que a Junta e a Câmara tinham para aquele local um projecto que visaria um grande empreendimento de interesse público, que incluiria uma nova Unidade de Saúde e uma nova sede para a Junta de Freguesia. Acresce que desde logo, sabendo que os herdeiros tinham a intenção - enquadrada no tal projecto de loteamento apresentado na Câmara - a intenção de separar um dos lotes para negociarem com o promotor do espaço comercial Mini Preço, condicionaram a eventual aprovação do respectivo licenciamento no caso de não haver acordo de cedência,  á dádiva da Casa da Quinta (para a Sede da Junta) e de um lote de terreno (para a Unidade de Saúde).

Depois de muitas pressões - eu disse pressões - e ameaças veladas, conseguiram finalmente fazer com que os herdeiros aceitassem negociar com o empreiteiro em causa as condições já apalavradas. Exigiram apenas os herdeiros, que em troca das ofertas a título gratuíto atrás mencionadas, fosse construído um pequeno monumento de tributo ao antigo dono, o que foi aceite.

Até aqui, os herdeiros estiveram apenas a "oferecer o porco" (à empresa Eusébios e talvez não só...). Mais tarde iriam receber o "chouriço...

Só que, surpresa das surpresas num passe de mágica magistralmente executado pelos "artistas" ao serviço dos "independentes", sai nos jornais a "notícia enternecedora" de que afinal as tais ofertas acordadas com os herdeiros, eram "ofertas" do Grupo Eusébios, como contrapartida para que lhes fosse concedida uma excepção ao PDM, no sentido de um aumento da "capacidade construtiva" para (se não falho) 10%.

Só por aqui, já se adivinha a dimensão do acto de espoliação feito aos herdeiros.

Mas a espoliação ganha ainda outra dimensão se falarmos numa via interior que a Câmara se responsabilizava por construir - coisa que não acontecia se o loteamento fosse feito pelos herdeiros.

Em conclusão: Quem "deu de facto o porco" e oferecido este, quem beneficiaria com a divisão do mesmo?

É claro que os herdeiros só poderiam recusar-se a comparecer na respectiva Escritura de venda - até porque a acrescer a tudo isso, parece que que a empresa entrou em falta de pagamento de uma segunda "tranche" respeitante ao "sinal"!

Não foi esta a história que os membros do "comité central" dos Unidos nos contaram, pois não?

publicado às 13:41

AUTÁRQUICAS DE ALFENA - "ESQUELETOS NO ARMÁRIO/Take 2"

No próximo dia 11 de Outubro, Alfena vai a votos - como todas as outras terras deste País.

O normal seria que - como acontece em quase todas as outras terras deste País onde concorre mais do que uma lista de candidatura - assistíssemos já neste momento a um certo frenesim por parte dos candidatos e respectivos apoiantes e a alguma saudável agitação de rua...

Não é assim em Alfena - ou melhor, não é assim com todas as candidaturas. Desde logo e principalmente, com aquela que é protagonizada pelas pessoas "do costume" e que tudo prometeram para nada cumprirem!

Talvez que este "silêncio ensurdecedor" tenha muito a ver com histórias mal contadas, ou sequer contadas - aquilo a que há algum tempo atrás eu chamei de "esqueletos no armário .

Recordo apenas algumas "nebulosas" que pairam sobre os céus de Alfena e que bem gostaríamos de "explorar" - e não me refiro a nenhum OVNI que o único "avistamento" de que há notícia, rumou a Valongo rumou a Valongo em alta velocidade.

- As Actas das reuniões do Executivo onde foram tomadas decisões relevantes para a nossa Terra.

- A verdadeira história do "mega projecto" da Quinta do Bandeirinha - sim porque EU SEI que existe uma outra história, com contornos escabrosos e verdadeiramente surreais que mais cedo que tarde há-de ser contada! - Não esquecendo, pela relevância que tem para que todos possamos ficar com um conhecimento mais "abrangente" relativamente a todo o projecto, o Memorando (ou Protocolo) assinado entre a Câmara e a empresa de construções Eusébios & filhos, SA.

- O mesmo - a verdadeira história - para a "falsa partida" da Zona Industrial II junto ao nó da A41/Senhora do Amparo".

- O número de viagens já efectuadas até agora pelo miniautocarro, ao serviço dos mais carenciados da nossa Terra.

- O local exacto onde se situa a nova Unidade de Saúde de Alfena - e digo propositadamente "situa", porque parto do princípio de que estando o terreno já "disponível" (embora resguuardado contra eventuais "sabotagens") por alturas das intercalares de Janeiro, o mais natural é que neste momento estejam pelo menos já executadas a respectivas fundações!

E já não falo de tantas e tantas outras promessas distribuídas ao quilo (porque "embrulhadas" no respectivos suportes de papel que nos dois actos eleitorais anteriores nos inundaram as caixas de correio!

Parafraseando o Juiz antes de decretar a sentença "têm alguma coisa a alegar em vossa defesa?"

Ou então aquela outra frase também muito conhecida "se alguém tem algo a dizer, fale agora ou cale-se para sempre"

 

publicado às 20:45

"ENCONTROS IMEDIATOS"...

Com a devida vénia, transcrevo o texto que me foi remetido por <alfenaforumdaverdade@gmail.com>, cuja actualidade e importância me perece ser desnecessário destacar.

De facto, parece que neste País e nesta Democracia "reciclada" que nos continuam a impingir, somos todos "mais ou menos iguais" - uns mais iguais que outros!

E isso vale obviamente também para o Poder Local.

Se por hipótese remota a candidatura do Dr. Fernando Melo viesse a triunfar no próximo dia 11 de Outubro, pelo menos já saberíamos com o que contar: "mais do mesmo"

Nesse caso o Dr. Fernando Melo poderia com toda a tranquilidade calçar as pantufas e partir para o conforto do lar, que a "continuidade da espécie" estaria mais do que garantida!

Em jeito de conclusão, diria que afinal não é um OVNI mas sim um OVI - "Objecto Voador Identificado" - e de que maneira!


Caro Amigo,
 
Agora que a história da "rampa" na vertente jurídica terminou, está na hora de fazer uma análise política às circunstâncias, comportamentos e declarações do Sr. Arnaldo.
 
Assim, pedia o favor de analisar o texto abaixo, onde se encontram, respectivamente:
 
1) transcrição da certidão emitida pela Câmara Municpal (conforme consta na página do acordão do Tribunal Constitucional, em:
http://www.tribunalconstitucional.pt/tc/acordaos/20090443.html
2) Perspectiva ético/política do comportamento do Sr. Arnaldo
3) Perspectiva da actuação da Câmara
 
1)
Certidão
 
Maria de Fátima de Melo Maia, Directora do Departamento de Finanças, do Município de Valongo, certifica o seguinte:
 
Arnaldo Pinto Soares não é devedor de quaisquer taxas devidas pela ocupação de rampa fixa. As taxas referentes aos anos de 2006, 2007, 2008 e 2009 foram liquidadas em 24/08/2009.
 
No dia 26/08/2009, o Sr. Arnaldo Pinto Soares apresentou requerimento a impugnar a liquidação e o pagamento, alegando não ter sido notificado para o seu pagamento.
 
Do teor do processo da liquidação não existe prova de que o Sr. Arnaldo Pinto Soares tenha sido notificado com carta registada e aviso de recepção, nos termos do disposto nos art. 66º e 70.º do CPA.
 
A impugnação irá ser apreciada oportunamente.
 
Em 22/12/2006 foi instaurado processo de contra ordenação, que não tem decisão.
 
Valongo, 26 de Agosto de 2009
 
Por delegação do Ex.mo Senhor Presidente,
A Directora do Departamento de Finanças,
 
2)
 
Sob a perspectiva ético/política, do comportamento candidato:
 
Ao contrário do que Arnaldo Soares sustenta em afirmações na comunicação social, o mesmo era efectivamente devedor de taxas à Câmara desde 2006 até 2009 (caso não o fosse não as tinha liquidado em 24/08/2009). De realçar que o pagamento das taxas ocorreu 3 dias após ter entrado o pedido de certidão apresentada pelo P.S. nos serviços da Câmara Municipal (!).
 
Por outro lado, NUNCA contestou ou impugnou o pagamento das mesmas desde 2006 até 26/08/2009. Apenas o fez no passado, dia 26 de Agosto (impugnando o seu pagamento) afirmando que só não havia pago as taxas antes porque não tinha recebido qualquer carta com aviso de recepção por parte da Autarquia (em que é que ficámos? afinal devia ou não devia?).
 
Depois de ter dito na Comunicação Social que não devia nada pois nem sequer tinha rampa.
 
Também e ao que consta na certidão da Câmara, nunca apresentou defesa no âmbito do processo de contra-ordenação que lhe foi movido em Dezembro de 2006 pela Autarquia e que estranhamente não teve desenvolvimentos com a aplicação de qualquer sanção, desde essa data (2006!).
 
Tão pouco pode invocar o facto de não ter sido notificado para pagamento da taxa em causa, porquanto, além de ter pago as referidas taxas entre 2002 e 2005 (logo sabia e tinha perfeita consciência da sua existência), a Câmara publica Editais (conforme consta do Regulamento em vigor no Município de Valongo), todos os inícios de cada ano (até ao dia 15 de Janeiro) nas Juntas de Freguesia informando que se encontram a pagamento as ditas taxas.
 
Ora, se o candidato é Presidente de uma Junta de Freguesia (Alfena) desde 2005 até à presente data, também não pode invocar o desconhecimento desse facto, pois compete-lhe a ele garantir e zelar pela afixação dos referidos Editais.
 
Ainda e na reacção à noticia da impugnação da sua candidatura, o candidato afirma que não possui rampa de acesso a sua casa.
Mais uma vez cumpre esclarecer que o regulamento em vigor da Câmara não tributa a existência da rampa em si, mas sim o acesso à residência (de veículos) de qualquer cidadão fazendo uso privativo do passeio que é do domínio público.
Assim, o candidato com estas declarações ou está a dizer a todos os cidadãos que devem tirar as suas rampas e assim deixarem de pagar a taxa usando de um expediente menos ético mas que não invalida a sua obrigação de efectuar o dito pagamento, ou então está a sustentar que não faz uso do passeio para passar e estacionar os seus veículos na sua residência, o que não corresponde à verdade, pois como é publico e notório, estaciona-os à vista de todos no seu pátio, passando como é óbvio pelo passeio.
 
Quanto mais não seja, este processo serviu pelo menos, para que Arnaldo Pinto Soares regularizasse de forma “voluntária” a sua situação de mora junto da Autarquia.
 
3)
 
Perspectiva da actuação da Câmara Municipal neste caso concreto
 
A Câmara afirma que não notificou o candidato de acordo com as regras do CPA, nem encontra prova da recepção (aviso de recepção) dessa mesma notificação no processo.
 
Ora, a ser assim, isto significa que todos os cidadãos do Concelho que têm vindo a pagar a referida taxa não foram alvo de tratamento igual, pois, a Câmara nesta matéria procede de acordo com os (seus) Regulamentos em vigor e avisa os cidadãos por Edital e/ou por carta simples.
 
E os Munícipes PAGAM a referida taxa!
 
Logo, é legítimo perguntar se existem cidadãos de 1ª e cidadãos de 2ª e ainda se os mesmos não deverão pedir a devolução dos montantes pagos à Autarquia face a este tipo de discriminação.
 
Por outro lado também é legítimo perguntar se alguns cidadãos têm tratamento preferencial nos processos de contra-ordenação que lhes são movidos porquanto, a que foi instaurada a este cidadão (Presidente da Junta de Freguesia de Alfena e candidato nas listas do PPD/PSD) não teve (qualquer) desenvolvimento em 3 anos.
 
EM SUMA:
 
Temos um candidato que não dá o exemplo!
Temos um candidato com um comportamento que politica e eticamente é, no mínimo questionável!
Temos um candidato que não apresenta um discurso coerente nas justificações!
 
Um candidato que, com esta postura, acaba por aconselhar (indirectamente) os Munícipes a adoptar o mesmo comportamento.
 
Temos uma Câmara com tratamento diferente para situações iguais, o que nos leva (a nós Munícipes) a pensar se valerá a pena continuar a pagar a referida taxa.

publicado às 18:32

Pág. 1/4

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D