Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

ANTÓNIO BORGES - EM RISCO DE EXTINÇÃO?

Nestes tempos de duras dificuldades que vivemos, é natural, é inevitável, é quase humanamente impossível não recorrer ao vernáculo como única reacção possível perante um governo de imbecis, que se faz rodear de imbecis, que por sua vez só podem ter na sua linha de sucessão outros imbecis. No fim, o resultado só pode ser o somatório de todas as imbecilidades - o primeiro imbecil, que não percebe patavina relativamente ao que o País precisa, encarrega o imbecil seguinte de apresentar uma proposta de solução. Este por sua vez, não está para muita canseira e passa a bola ao imbecil que se perfila na 'cadeia de produção' de imbecilidades e assim sucessivamente.

É como naquela história contada pela minha avozinha: "a minha senhora tem moça e a moça moça tem e a moça da moça, agora moça quer também". Mas pelo menos nesta história, teríamos algum trabalho concreto, ainda que inflacionado pela sucessão de moças.

Já no caso do governo, da sucessão de imbecis desde o topo até ao secretário do secretário do secretário de Estado, só pode resultar a monumental imbecilidade que a todos nos atormenta.

E para mal dos nossos pecados, já não chegavam os imbecis saídos da boca das urnas e ainda temos que levar com cooptados como António Borges, que hoje desencadeou a mais monumental reacção de indignação por parte dos empresários deste País ao proferir o chorrilho de asneiras relatadas AQUI.

Desta vez, o homem superou todas as nossas piores expectativas e debitou imbecilidades tais, que há quem diga - para lhe tentar diminuir a culpa -  que terá sido afectado por uma crise aguda de diarreia cerebral. Eu acho que os sintomas não batem certo e que tudo terá a ver com a sua actividade profissional, que como todos sabemos, é tentar aprender alguma coisa com os alunos da faculdade onde finge que ensina, obrigando os alunos a fingir que acreditam que ele sabe do que fala, mas onde na verdade não sabe mesmo nada mas aproveita para ir aprendendo com eles, fingindo que ensina, só que ainda não assimilou grande coisa...

Assim vai Portugal, um País onde os burros afinal, ao contrário do que nos têm andado a dizer, não estão em risco de extinção coisa nenhuma!

publicado às 22:05

ARNALDO SOARES - A DESILUSÃO...

Esta entrevista  ao jornal VERDADEIRO OLHAR, só vem confirmar que as nossas expectativas - que sempre foram muito baixas - se confirmaram completamente.

Surpreendido pelo insucesso, pelos visto só o próprio, o que não deixa de ser caricato.

publicado às 18:03

SERVIÇO PÚBLICO - REUNIÃO DE CÂMARA

Desta vez em dia não habitual - sexta feira - 28 de Setembro de 2012 às 10.00 horas, tem lugar a reunião pública de Câmara com a Ordem de trabalhos - extensa mas não 'assustadora' em termos de conteúdo, como no dia se verá - e  que se segue:

publicado às 14:33

SERVIÇO PÚBLICO - ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE VALONGO

À hora habitual - 21, 00 horas do dia 3 de Outubro (quarta feira) - e no local habitual, terá lugar a sessão Ordinária da Assembleia Municipal de Valongo.

A agenda, é a que consta abaixo, mas adivinham-se alguns 'extras', dada a actual situação relacionada com o estado de insanidade que impera em Valongo, nomeadamente esta última situação relacionada com o PDM.

 

publicado às 11:19

DA PRAIA AO BALCÃO, COM DINHEIRO OU CARTÃO ...

Outono.

Até ontem - grande chuvada aquela que me surpreendeu no silêncio da noite - foi tempo de absorvermos com mais ou menos discrição, a beleza dos femininos corpos seminus – claro que admito a preferência delas pelos que ostentam menos redondezas - fruindo os prazeres do sol, as carícias das ondas nos nossos pés naquele ‘toca e foge’ que nos delicia e nos mantém na linha imaginária que guia os nossos passos entre a parte transitável da praia e a superfície navegável que lhe determina o limite.


A partir de agora, esse tipo de beleza, grande parte da qual deveria ser considerada ‘património estético da humanidade’, vai ser substituída – escondida seria talvez o termo mais adequado - por aquela outra ‘beleza’ vendida num balcão perto de nós: marcas como Ralph Laurent, Diesel, Levis, Calvim Klein e tantas outras - passe a publicidade que ninguém me encomendou - vão assumir o 'papel principal', valorizadas é claro, pela diferença entra o cabide da loja e o suporte onde passarão a ser publicamente exibidas...


Mas já agora e para que não me chamem de tendencioso, deixem-me dizer que em tempos de crise e de negócios fáceis, podem também ser encontradas sobre uma simples tábua da feira mais próxima - que a contrafacção não exige balcões luxuosos nem atendimento personalizado - ou ainda numa loja do chinês perto de si.


Apesar de tudo, gosto mais da época estival, não apenas porque é mais do tipo de nos ‘encher o olho’ mas sobretudo, porque na loja de marca, na feira ou na loja do chinês, a beleza do Outono/Inverno que agora se começa a vender, nos pesa sempre muito mais na carteira e contém em si mesma uma insanável contradição: pagamos para não ver aquilo que ela vai esconder!

publicado às 00:27

ÚLTIMA HORA!

Alguns alfenenses mais excêntricos e que costumam por hábito ou distracção andar 'de cabeça no ar' juram a pés juntos terem visto no dia 21 (hoje exactamente) um OVNI vindo dos lados de Valongo a alta velocidade, como aliás é suposto deslocarem-se os OVNI.


A princípio, as opiniões dos 'cabeças no ar' dividiram-se: "Ná! eu cá acho que se trata do protótipo da primeira nave espacial a construir de raiz na fábrica da Embraer inaugurada hoje em Évora pelo Presidente do Conselho de Estado Sua Excelência Aníbal Silva", opinava um. "Nada disso!", dizia outro aparentemente mais atento aos problemas locais "cá p'ra mim, é o homem da Régua que regressa à casa de segunda habitação em Alfena". Havia ainda outras opiniões aparentemente disparatadas do género "é um pirilampo gigante" ou "eu acho que é um daqueles famosos gambozinos de que costumamos andar à procura".


Fui investigar e eis o que descobri e que aqui partilho:

publicado às 22:15

CÂMARA DE VALONGO - UM CASO DE FLAGRANTE FALTA DE VERGONHA!

No passado dia 18 foi convocada para o Museu de Valongo uma reunião de eleitos da Assembleia Municipal:


Ora bem...

 

Até aqui, tudo (aparentemente) normal, não fosse o facto, ou melhor, vários factos claramente não normais.

 




A saber:

Facto 1: Foi remetido aos participantes um documento de cinquenta e tal páginas, incompleto, porque incluindo cartas de leitura quase impossível,  comprometeu logo à partida uma apreciação rigorosa e informada por parte dos participantes;


Facto 2: Como se esperava e apesar dos processos que decorrem no Ministério Público, nem o Prof. Paulo Pinho nem os restantes 'pais da criança' foram sensíveis às várias incongruências do documento, que apesar de anos de gestação, vai nascer obviamente mais parecido com o 'corcunda de Notre Dame' do que com o  'príncipe encantado' da história, nomeadamente naquilo que se refere ao processo de enriquecimento ilícito que resultou da tentativa de implantação de uma zona industrial em Alfena.

Pudera! os investidores continuam a controlar quem manda na Câmara e não é por acaso que um dos envolvidos em tudo que cheira a corrupção no nosso Concelho tem viajado muito entre a Rua da Várzea em Alfena e o edifício da Câmara e tem igualmente circulado muito nos últimos dias pelos seus corredores.


Facto 3: Vergonha das vergonhas - João Paulo Baltazar continua pelos vistos apostado em fazer pontaria aos respectivos pés - foi a inclusão no grupo de pessoas presentes, do arqº Vitor Sá, (ainda) chefe de Departamento de Urbanismo da Câmara!

Não vale a pena repetirem a conversa do costume de que "até à condenação final e trânsito em julgado, etc., etc.". Perante a Lei sabemos que o homem é inocente mas perante os valonguenses - e alguns conhecem-no bem - ele é corrupto e foi condenado em primeira instância, a mais de 3 anos de prisão com pena suspensa!

Se isso não foi suficientemente relevante para impedir João Paulo Baltazar de lhe renovar as competências a seguir à saída de Melo - "até porque a câmara não foi informada pelo Tribunal, relativamente a essa condenação" (João Paulo Baltazar dixit...) -  devê-lo-ia ser para que não estivesse presente na reunião do dia 18!


Mas em Valongo, já muito pouco é capaz de nos surpreender. Acho mesmo que só arregalarei os olhos de espanto quando vir o novo presidente tomar as várias atitudes corajosas que prometeu que iria tomar "para Setembro"


Perdão, mil desculpas! tomou algumas:

Fechou as piscinas de Campo e Valongo e alterou os critérios para os trasportes escolares deixando centenas de crianças na contingência de irem a pé e mal alimentados para a escola nestes tempos de duras dificuldades.

A isto sim, chama-se 'coragem'!

 

Em jeito de conclusão e sobre o Plano Director, se  é este 'apurado e cuidadoso documento' que nos querem impingir ao fim de tantos anos de regabofe com os dinheiros públicos, gastos no 'intenso trabalho' da sua preparação, então talvez seja altura de a oposição acordar e se preparar para  consensualizar entre si o chumbo puro e simples desta coisa disforme - porque a oposição tem a maioria em Valongo!

 

publicado às 19:47

A "TEIA": ESCRITÓRIOS/SOCIEDADES DE ADVOGADOS - O 'GOVERNO SOMBRA' DO PAÍS...

Enviado por um amigo, recebi o trabalho que reproduzo a seguir e que explica em grande medida, porque é que Portugal chegou ao estado actual - estado que motivou um dos seus principais responsáveis a convocar o conselho de Estado. Vai descobrir o óbvio: que o actual estado do Estado se deve à sua postura de chefe de Estado e também ao estado em que deixou o Estado, quando por ele passou como governante irresponsável...


 

 



publicado às 13:49

SEXTA FEIRA - REUNIÃO DE 'RESERVISTAS'

Já quase não tenho pachorra para assistir aos múltiplos e longos debates sobre a crise e sobretudo, sobre as várias formas para sairmos dela.


Um dos pais da mesma (há quem lhe chame o 'pai do monstro') até já se esqueceu de que o foi e partindo do princípio de que todos os portugueses têm memória curta, finge que está interessado em ajudar a encontrar uma saída. Vai daí, convocou o Conselho de Es
tado.


Eu chamar-lhe-ia mais a convocação dos reservistas e por isso, de forma avisada e prudente, andaria bem o supremo magistrado, se garantisse para o local o máximo de meios de suporte básico de vida e já agora, também um reforço de 'canadianas' que percorrer aquele Palácio não é muito fácil.


Mas 'qual Estado qual carapuça'! O pilar fundamental de qualquer Estado a sério, é a Justiça, que deve ter meios, ser isenta e actuar quando o deve fazer - sejam quais forem aqueles que caiam nas suas malhas.

Portanto, não temos Justiça, ou tendo-a parcial e ineficaz - não temos Estado e como já o disse noutra ocasião, se não temos Estado, não precisamos do 'monarca emproado' que se assume como o seu supremo magistrado.

Assim sendo, para quê reunir à volta de uma mesa todas aquelas figuras, fora de prazo que já deram o que tinham a dar, isto é, quase nada de positivo e muitíssimo de negativo, como resulta do registo da história recente da nossa Democracia! Deixem-nos pois lá por casa, regalados no conforto adquirido pelo exercício mais ou menos longo das suas funções não relevantes para o País e não nos obriguem a suportar as despesas com a sua deslocação, com o alojamento de muitos que vêm de 'regiões longínquas', isto é, que não têm casa no centro de Lisboa e por isso vão ter de aterrar no cinco estrelas mais próximo do Palácio e mais tudo o resto que vem por acréscimo e tudo isto para no fim nos dizerem o que já sabemos e que será seguramente algo do género:

"caros portugueses, a possibilidade avançada por alguns de que sairia desta reunião algum contributo relevante era manifestamente exagerada. A única deliberação que se aproxima dessa definição, foi a de reconhecer que a crise continuará nos próximos capítulos".

Na Sexta Feira à hora dos telejornais, mais uma vez ficaremos a saber que 'a montanha não nos desiludiu, parindo como de costume o habitual rato'.
publicado às 00:01

Pág. 1/3

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D