Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO - NOTAS SOBRE O NAUFRÁGIO DE UMA 'BARCAÇA DE LARANJAS'...

De um tal 'lobo marinho', alguém que conhece o meu e-mail e a quem agradeço esta partilha, recebi o texto que se segue e que coloco online - com a devida vénia - sem qualquer edição.

Ele retrata de forma acutilante e perspicaz o desnorte que campeia no 'laranjal' valonguense, 'claque dos júniores' incluída.


 

 

 


O naufrágio do Vitória de Todos

 

O mais belo paquete do nosso concelho, o Vitória de Todos, naufragou no passado dia 29 de Setembro algures entre Valongo e Alfena, numa noite que indiciava em termos climatéricos ser de bonança, mas que, por variações súbitas e repentinas se veio a revelar fatal para a já histórica embarcação.

O vento começou subitamente a soprar mais forte, o mar ficou revolto, encrespado e a jovem tripulação, mal preparada, não conseguiu manter à tona a velhinha e desgastada embarcação e deu-se o desastre. O navio foi ao fundo!

Afundou-se o navio e com isso também o respectivo capitão, que se transformou no mais recente náufrago político de Valongo. Surpreendido e aturdido pelas circunstâncias, desnorteado e desorientado, procurou desenfreadamente uma qualquer bóia ou pedaço da embarcação a que se pudesse agarrar para assim flutuar e manter-se à tona. E eis que encontra, na confusão do naufrágio, perdido no porão do navio prestes a submergir, um velhinho bote salva vidas, onde ele, mais os seus três Imediatos se conseguem, a custo e apertadinhos, albergar.

Agora, perdido no meio do oceano, dependente dos ventos e marés, sem rumo ou destino e sem conhecimentos na arte ancestral de marear, fica à mercê das forças da natureza… Enquanto não encontra o caminho para casa, vai tentando contar com a ajuda do resto da sua tripulação que ficou em terra… jovens marinheiros, aspirantes de qualquer coisa e que, tal como o capitão, viram os seus sonhos e planos desfeitos pela crueldade fortuita das forças da natureza.

Impulsionar o resgate daquele bote salva vidas não vai ser tarefa fácil, pois estes jovens marinheiros não completaram a sua formação na matéria. Ainda não sabem diferenciar uma nau de uma caravela, não sabem o que é navegar à bolina, o que é um astrolábio, onde fica o bombordo e o estibordo do navio…

Os meninos que aspiravam a qualquer coisa, que já sonhavam com a descoberta de novas terras e com a conquista de muitas riquezas vão ter de perceber que o sonho poderá ter ficado fatalmente adiado e que, ou se dedicam ao estudo das técnicas de navegação, tarefa que obriga a muito trabalho, esforço e dedicação, ou terão de mudar de actividade… (As novas oportunidades ainda não têm cursos nestas matérias...)

Tentar agradar ao timoneiro de outrora, nas condições actuais, não é fácil!

As restantes barcaças que ficaram ancoradas, têm muitos buracos e remendos que os ainda jovens maçaricos não conhecem, e é vê-los agora, no ancoradouro, que nem perdidos, a tentar meter os barcos na água, içar velas, ler os mapas, pegar nos remos...

A confusão é total, mas ainda são os primeiros dias do desnorte, temos de os compreender, afinal são jovens….

Seguramente que assim vai ser muito difícil promover o resgate dos preciosos náufragos…

Mas a verdadeira questão consiste em saber, se daqui por uns tempos, ainda haverá alguém disposto a tentar resgatar aqueles náufragos.

 

publicado às 15:22

PSD DE VALONGO - 'CUSPINDO PARA O AR'...


 

Ele há coisas...

 

A página do Facebook da JSD de Valongo iniciou hoje (ontem) uma curiosa campanha de mistificação em torno da contratação por dois meses e por um valor de 13 mil EUR, do jurista Dr. Ricardo Bexiga para coordenar o gabinete jurídico da Câmara - a parte restante do ano após o fim da avença do Dr. Bolota Belchior (31 de Outubro).

 

Com esta campanha de mistificação, A JSD (O PSD, obviamente) visou apenas e só, explorar a boa fé dos valonguenses menos informados sobre a vida da Câmara, tentando escandalizá-los com o referido valor atirado de chofre e sem explicações.

Isto até podia ser simplesmente levado à conta da luta política pura e dura, não fosse o caso de quem está por detrás deste embuste esconder sub-repticiamente um facto, esse sim bem grave:

 

Em Janeiro deste ano, foi estabelecida com o Dr. Bolota Belchior uma avença no valor de 65.000 EUR para coordenar o gabinete até 31 de Outubro, como vimos atrás - publicada em 4 de Março de 2013 na BASE dos contratos públicos.


Ora como bem diria António Guterres, "65.000 a dividir por 10... é só fazer as contas"...

 

Se o meu modesto 12º. ano não me atraiçoa, dá exactamente o mesmo valor mensal, sendo que no caso do Dr. Ricardo Bexiga, cuja competência profissional não comento porque não conheço, se trata de gerir um 'berbicacho' de alto risco para as finanças da autarquia consubstanciado no número alarmante de mais de 100 processos judiciais envolvendo um risco da ordem dos 15 milhões de EUR, enquanto que no caso do Dr. Bolota Belchior, se tratou de 'administrar o problema' que ele próprio juntamente com Fernando Melo ajudaram a criar.

 

Seriedade intelectual é coisa que pelos vistos não abunda lá pelos lados das 'laranjinhas' de Valongo, o que é pena...


 

PS: O nível de... seriedade intelectual atingiu um patamar tão modesto que alguém se atreveu mesmo a sugerir que "uma vez que vai ser aberto um concurso para o preenchimento da função, o melhor era ter mantido no lugar o Dr. Bolota pelos tais dois meses, uma vez que já conhecia os processos".

Ai conhecia conhecia! E bem...

publicado às 00:16

ESCUTARÁ OBAMA OS PASSOS DE PASSOS?

Passos Coelho: “Não tenho nenhuma indicação de que tenha sido” alvo de escutas...


 

Agora ficou claro!

 

Obama e os voyeurs do polémico PRISM já sabem tanto como os portugueses sobre os 'vícios privados e públicas virtudes' de Pedro Passos Coelho, primeiro ministro de Portugal.

A 'caverna dos 40' deixou de justificar o tempo de gravação ou o desgaste do material e o trabalho dos voyeurs da NSA de Obama, não porque tenha sido essa a intenção do seu inquilino mas apenas porque os '40' se tornaram tão óbvios e previsíveis e o seu padrão de delinquência demasiado evidente e explícito, .

 

Passos Coelho tem um passado de violência doméstica? Grande novidade! os portugueses já sabiam e eles agora também!


Passos Coelho tem um passado de ilícitos fiscais e profissionais, gestão danosa de empresas? Puff! Grande novidade!


Passos Coelho terá um passado ligado ao consumo de drogas? Só por piada é que algém tentará 'vender' isso como uma 'cacha'!

 

Fica claro portanto, que Portugal, esta espécie de sucursal de 'vão de escada' de Bruxelas sob administração directa da senhora Merckel, a qual delega por sua vez no moço de recados Pedro Passos Coelho, pode ficar sossegado em relação ao PRISM.

O moço de recados pode também retirar a tira de adesivo que mandou colocar no buraço da fechadura da 'caverna dos 40' para impedir que Obama pudesse espreitar o que se passa no seu interior.

 

Ah! E já agora, caro moço de recados, deixe de fazer aquelas figurinhas tristes ao telemóvel - com a mão em pala como quem não quer ser espiado - porque ninguém está interessado em ouvir o que você diz.

Apenas a germânica administradora, que decide em última instância sobre os racionamentos no 'Rectângulo' e sobre a dose letal a prodigalizar aos candidatos a gaseados, terá (eventualmente) 'direito' a ser escutada!

 

Mas também Holande e Cameron - entre outros - deverão cuidar-se, porque agora todos os 'prismáticos' meios passarão a estar alocados em pleno ao registo das suas 'públicas virtudes'!

publicado às 12:03

MUDAR VALONGO - PRIMEIRO DE MUITOS DIAS...

 


Sobre a primeira reunião pública da Câmara, realizada hoje às 15 horas, já tive oportunidade de o dizer numa conversa à margem da mesma, acho que correu bem...



E passo a explicar porquê:

 

Manteve-se inalterada a posição da CDU e do vereador Adriano Ribeiro, de não querer fazer nenhum acordo com o PS em relação à governação da Câmara.

É pena para Valongo, mas percebe-se que com os bons resultados eleitorais obtidos no Concelho - e também a nível nacional - a CDU prefira trilhar o caminho sozinha, porque se não o fizesse, correria o risco de ver parte do seu eleitorado a sedimentar-se ao longo do percurso de quatro anos, no partido principal que lideraria o tal acordo - com riscos aliás, não apenas para 2017, mas também para os actos eleitorais que até lá terão lugar.

E por isso mesmo se percebe também, que não tendo Adriano Ribeiro nenhum pelouro atribuído, se tenha batido acerrimamente pela manutenção das reuniões semanais de Câmara, tal como constam do respectivo Regimento - é o formato mais próximo do 'a tempo inteiro'...


Não tem em conta no entanto três aspectos importantes:

 

- Esta periodicidade tem custos.

- Nos últimos meses do mandato anterior as mesmas reuniões já tinham (tacitamente) passado para a periodicidade quinzenal.

- Mesmo assim, não raras vezes aconteceu iniciarem-se já depois das 10 horas e menos de uma hora decorrida, já estarem terminadas.

 

Outra coisa que o vereador Adriano irá perceber - na reunião deu aliás para entender que estavam quase todos à procura do seu melhor registo, uns para a 'configuração inicial', outros simplesmente para se 'reformatarem' - é que os votos dos valonguenses exigirão (muito) mais dele do que ser vereador do movimento associativo.

Sabemos que esse é o perfil em que se sente melhor, mas  havia seguramente muitos outros assuntos de maior premência para uma primeira reunião de Câmara do que a cedência de instalações para o Rancho de Santo André de Sobrado, ou a melhor solução para os recintos desportivos dos clubes de futebol de Sobrado e de Campo - sem retirar a importância que estes assuntos possam ter para as respectivas associações.

 

Já quanto à oposição à direita, pela voz do seu porta voz, passe o pleonasmo, ficou-se no 'tem-te não caias', entre uma posição construtiva que registamos com agrado e uma outra menos bem conseguida que se traduziu no bloqueio - aqui com a CDU a alinhar no mesmo registo - de manter na Câmara todas aquelas competências que o PS em 2009 concordou delegar no presidente Fernando Melo.


A posição de João Paulo Baltazar é no mínimo curiosa, pois se em 2009, no início de um novo mandato em que relativamente à pessoa de Fernando Melo havia já um vasto acervo de críticas e mesmo assim entendeu a oposição - a própria Coragem de Mudar votou favoravelmente algumas - delegar as mesmas, maior sentido faria que hoje se tivesse optado por idêntica solução.

Aliás, essa delegação, que pode a todo o tempo ser revogada, é a meu ver o corolário lógico da própria expressão da vontade dos cidadãos ao terem optado pela mudança de rumo do dia 29 de Setembro.

 

Prevaleceu no entanto no final, uma certa abertura para uma reunião de concertação prévia sobre as concretas competências a delegar, pelo que o ponto foi retirado até à próxima reunião pública.

 

Registo positivo para um salão nobre bem composto de público, situação que se espera venha a consolidar-se nas reuniões futuras.


Já agora, coloco a seguir a Ordem de Trabalhos que foi presente:



 

 

 

publicado às 22:40

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE ERMESINDE - 'OPERAÇÃO DE RESGATE'...

 

 

Tenho pena, tenho mesmo muita pena!

 

Lamento profundamente que a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ermesinde que tão relevantes serviços presta à comunidade, esteja neste momento a passar por uma situação tão constrangedora e de cujos contornos já aqui falei há algum tempo atrás.

 

"As Instituições estão sempre acima dos seus circunstanciais dirigentes...

 

É uma frase mais ou menos feita que não deixando de ser verdadeira, nem por isso anula o problema com que o Corpo de Bombeiros - e também a comunidade - se debatem.


As acusações de assédio sexual do comandante sobre uma jovem bombeira, deveriam ter merecido desde logo e em circunstâncias normais - em que não houvesse nada a esconder - uma rigorosa investigação interna, retirando-se de seguida, caso fosse apurada matéria de facto, as devidas consequências.

 

E porque o crime em questão é gravíssimo, é evidente que nada poderia obstar a que o mesmo fosse alvo de participação ao ministério público.

 

Nada disto porém aconteceu, antes pelo contrário!

 

Abafou-se o caso, promoveu-se por todas as formas um outro 'assédio' à jovem bombeira, forçando-a 'no superior interesse da Corporação' (!) a aceitar uma pequena indemnização com a garantia de que o assunto daria origem a um rigoroso processo interno de averiguações.

 

Mas como o assunto já havia extravasado os muros do quartel, tomaram-se medidas de excepção para garantir o silêncio alguns 'facebookianos' mais afoitos.

O caso mais visível, foi o do despedimento de um bombeiro de muitos anos, apenas porque 'teve a ousadia' de partilhar na sua página desta rede social uma carta de um grupo de bombeiros dirigida ao presidente da Assembleia Municipal de Valongo denunciando a situação.


(Também neste Órgão municipal - e pese embora o facto de formalmente o assunto não ter a ver com a sua competência, uma vez que os Bombeiros não são um corpo municipal - o assunto deveria ter merecido mais atenção e até talvez o seu envio ao ministério público.

Sabemos e compreendemos - mas não aceitamos! - o incómodo que isso provocou nessa altura a um de dos membros da Mesa da AM no anterior mandato, pelo facto de ser também membro dos Corpos Sociais dos Bombeiros). 

 

Tudo isto já é mau demais para que a população servida pelos Bombeiros Voluntários de Ermesinde, os associados e de uma forma geral toda a comunidade em que esta prestimosa Corporação se insere aceitem ficar inactivos e sem nada fazerem.

 

Porém, há mais...


À frente da Direcção, está o Sr. Artur Carneiro, que se tivesse um verdadeiro sentido de responsabilidade e o devido respeito pelo cargo que exerce, tendo em conta os lamentáveis contornos do processo de insolvência que envolve a SEC - Sociedade de Empreitadas e Construções de que é sócio gerente, já deveria ter pedido a sua substituição no cargo de presidente da Direcção.


A SEC colocou-se à margem da lei no processo de despedimento selvagem praticado sobre um grupo de trabalhadores, tratando-os de forma indigna como se fossem simples 'objectos descartáveis', não lhes pagando salários e demais direitos e remetendo-os para a fila do desemprego com uma mão à frente e outra atrás.


E aqui importa ter em conta que a SEC chegou ao lamentável processo de insolvência, não pelos mesmos motivos de tantas outras pequenas e médias empresas de construção - a crise ou as dívidas dos clientes (no caso, a Câmara Municipal de Valongo) - mas sobretudo, porque os seus gestores, Artur e Almerindo Carneiro resolveram dar o passo maior que a perna, gastando 'à tripa forra', esbanjando em mordomias, em viaturas de luxo, em camarotes VIP no estádio do Dragão, em 'mecenatos' oportunistas destinados a 'vender' uma imagem de gente solidária e benemerente que não corresponde de todo à verdade!

 

Tudo isto está também e por arrastamento, a tornar mais penosa a conturbada situação da Corporação dos Bombeiros Voluntários de Ermesinde de que sou sócio, da qual gosto muito, em cujas instalações dei há já muitos anos atrás os meus 'primeiros passos' na informática, através de um muito participado curso de formação e que não merece - nem o seu corpo de dedicados voluntários e outros profissionais - passar pelo aviltante processo atrás referido.

 

Sabemos que as pessoas de boa fé conseguirão seguramente fazer a destrinça entre o eventual crime imputado ao comandante e o mau comportamento social do presidente da Direcção e o bom nome da Instituição, mas também sabemos como funciona o nosso subconsciente face a situações deste tipo:

 

- "Então vocês já ouviram falar no caso de assédio sexual nos Bombeiros de Ermesinde?"


Ou ainda:

 

- "Já sabiam que o presidente dos Bombeiros de Ermesinde despediu um grupo de trabalhadores na sua empresa sem lhes pagar salários nem direitos?"

 

É esta incómoda e injusta associação dos maus comportamentos individuais ao nome  da Corporação, que não se pode aceitar.

Na próxima Assembleia Geral, este é um assunto que não pode deixar de ser discutido retirando-se dessa discussão as convenientes consequências!  

 

publicado às 19:21

BOMBEIROS DE ERMESINDE - NADA PIOR DO QUE SUSPEITAS VARRIDAS PARA DEBAIXO DO TAPETE...

Hoje, já depois de concluídos os procedimentos relacionados com o acto de posse dos órgãos municipais e da primeira reunião da Assembleia (em que a Mesa foi eleita por unanimidade!) fui confrontado à saída com uma situação triste e profundamente lamentável que envolve alguns bombeiros da corporação de Ermesinde:
Uma bombeira que foi alvo de assédio por parte do comandante Carlos Teixeira, o pai da mesma, profundamente revoltado com a situação, um grupo de bombeiros da mesma corporação que subscreveram uma denúncia anónima (para se protegerem) enviada à Assembleia Municipal (no mandato anterior) e por último, um bombeiro que foi alvo de um processo disciplinar e seguidamente despedido, só porque divulgou este assunto na sua página do Facebook.


Estavam todos à saída, para falar com o novo presidente de Câmara.


Falaram, disseram o que lhes ia na alma. Ele ouviu-os, embora no que ao executivo se refere não exista muito que possa fazer-se em relação a este assunto - os bombeiros não são um corpo municipal - a não ser 'magistratura de influência', dado que a Câmara é um parceiro importante das corporações e também um contribuinte líquido das mesmas.


No meu caso, depois de os ouvir e porque estou numa dupla qualidade de deputado municipal e de sócio dos bombeiros, prometi-lhes fazer duas coisas:


1) Exercer os meus direitos como sócio, na próxima Assembleia Geral dos Bombeiros, tudo fazendo para ser escrarecido sobre este nebuloso e lamentável processo;

2) Intervir na próxima sessão da Assembleia Municipal (Novembro ou Dezembro) solicitando ao senhor presidente deste Órgão que peça com carácter de urgência à direcção dos Bombeiros de Ermesinde para esclarecer porque é que foi dada aos deputados municipais do mandato anterior (salvo erro, na penúltima sessão) uma informação errada, referindo que estava a decorrer um processo de averiguação interno no sentido de apurar responsabilidades. Parece que apuraram tudo, menos responsabilidades!

Deverá ser ainda pedida uma informação sobre a situação actual do problema em causa;

3) Mesmo sendo anónima (agora até já não o é assim tanto) a carta dos bombeiros pode - e deve se não houver outra saída - ser remetida pela actual Mesa da AM ao Ministério Público, no sentido de ser investigada. Solicitarei isso mesmo ao senhor presidente da AM.


Isto é o que eu penso que pode ser feito e é nesse sentido que procurarei dirigir os meus esforços no futuro próximo.


Continuo a ser uma pessoa de causas e esta, parece-me ser uma causa justa - até porque a tentativa de tratar o assunto como se não existisse, não serve os interesses desta importante Instituição, que tão relevantes serviços presta à comunidade.

Como associado, tenho todo o interesse nisso e quero uma Instituição digna e dirigida por homens acima de todas as suspeitas - sobretudo suspeitas deste tipo!

publicado às 00:46

VALONGO E A OPINIÃO PUBLICADA - O MEU (VERDADEIRO) OLHAR...

Há coisas na vida que são difíceis de perceber e quando percebemos que jamais as perceberemos, o melhor é 'partir para outra'...


O Jornal Verdadeiro Olhar, onde publiquei até agora 35 artigos de opinião, solicitou-me essa colaboração em nome da Associação Coragem de Mudar - a cuja Direcção continuo a pertencer.

Desde o início da minha colaboração que o seu director, o Dr. Francisco Coelho da Rocha, sabia que nada de 'orgânico' me ligava à artificial representação da Coragem de Mudar na Câmara, falta de ligação aliás recíproca, como todos pudemos comprovar ao assistirmos à colagem dos dois 'solitários' eleitos pela nossa Associação, à candidatura perdedora de João Paulo Baltazar para a Câmara.


Ora, a Coragem de Mudar continua a existir e continuará também a (não) ter representação da Câmara!


Logo, o que verdadeiramente se alterou, foi o facto do PS - e o Dr. José Manuel Ribeiro - terem ganho a Câmara, contrariando pelos vistos uma sondagem que não correu bem ao Verdadeiro Olhar.


E provavelmente, terão também contribuído para a alteração a que me refiro e que detalho mais abaixo, algumas críticas que fiz sobre a
 postura do VO relativamente à candidatura do PS e a uma abusiva extrapolação da já referida sondagem consubstanciada no título verdadeiramente espantoso - eu diria mesmo, desnecessariamente provocatório e insensato:

 


 

 Sondagem da G.Triplo - Estudos e Sondagens de Opinião para o Jornal VERDADEIRO OLHAR 


João Paulo Baltazar será o próximo presidente da Câmara de Valongo

 

E como se um título provocatório já não fosse suficiente, o VO ainda acrescentava um gráfico e um legenda:



 

João Paulo Baltazar está a 0,4% de eleger o quinto vereador e alcançar a maioria absoluta.


Passemos à frente...


Tinha, segundo um cronograma que me era remetido no início de cada ano, a obrigação de entregar até hoje (segunda feira) um artigo de opinião. 
A prática seguida até aqui relativamente a todos os colaboradores, tem sido o envio de um e-mail na quinta feira imediatamente anterior, a lembrar essa 'obrigação'. Como não o recebi e na dúvida sobre se teria havido algum esquecimento, enviei à mesma a referida colaboração tendo recebido na volta e já ao final da manhã de hoje, de forma impessoal e parco em explicações, o 'esclarecimento' que reproduzo a seguir.


Percebi muito bem o que está escrito nas 'entrelinhas' caro Francisco e não tem nada que agradecer...



 

PS: Este post mereceu da parte do director do Jornal Verdadeiro Olhar este impagável comentário deixado na minha página do Facebook:


"Não tenho por prática contrariar as críticas que me fazem, pois retractam a liberdade de expressão de cada um. No entanto, porque existe a tentativa de vitimização de uma situação da qual não é padecente, escrevo este breve comentário:
1 – Na secção Olhar (Im)Parcial escrevem colunistas em representação dos partidos ou movimentos com representação nos executivos municipais dos concelhos de Lousada, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel e Valongo;
2 – Era em representação da Coragem de Mudar que este senhor escrevia nesta secção, que até ao passado dia 29 tinha dois vereadores no executivo municipal de Valongo;
3 – Este senhor nunca escreveu em nome de uma qualquer associação recreativa ou filarmónica, escreveu sempre em nome da Coragem de Mudar, associação que tinha vereadores eleitos;
4 – Com a realização das eleições do passado dia 29 de Setembro a configuração dos executivos municipais alterou-se, alterando-se também (como já havia acontecido em 2009) os colunistas da secção Olhar (Im)Parcial;
5 – Os colunistas para o concelho de Valongo passaram a ser Adriano Ribeiro, o vereador eleito pela CDU; Hélio Rebelo, vereador eleito pela coligação PSD/PPM; e José Manuel Ribeiro, o novo presidente da Câmara Municipal de Valongo;

O email que enviei a este senhor era pessoal, tendo como objectivo informa-lo disto mesmo e agradecer-lhe a colaboração prestada até aqui. Fazer outra leitura que não seja esta é pura má-fé."

 

Como é óvio, qualquer resposta 'à letra' só iria estragar o efeito desta 'pérola', pelo que a minha resposta se limitou a isto:

 

"Por uma questão de respeito para com os meus amigos, não vou responder ao Francisco, perdão, a 'este senhor', no mesmo registo em que ele o fez. Só um pequeno esclarecimento: tudo aquilo que me enviam de forma institucional - e neste caso até, impessoal - ainda que utilizando um qualquer e-mail que pode ser pessoal mas eu não adivinho que o seja, para mim é formal. A comunicação FORA DE HORAS do senhor director do VO sobre a alteração de linha editorial do Jornal era um assunto formal e não pessoal. Tudo o resto, é supérfluo e talvez, aqui sim, pura má-fé."

publicado às 01:00

CÂMARA DE VALONGO - FIM DE REGIME...

Próximo dia 15 de Outubro, terça feira, pelas 10:00 horas, reunião pública de Câmara.


Este é o momento...

 

Para 'lamberem as feridas' - confesso que não gosto muito da expressão, mas na falta de outra melhor... - de se reconfortarem mutuamente (4+2+1) de dizerem as últimas palavras ao Povo - mesmo que ausente esteja - antes de se irem, ao Povo mal governado durante 20 anos, ao Povo que, cansado de ser enganado, soltou finalmente no passado dia 29 de Setembro o seu 'Grito do Ipiranga'.


'Falem agora ou calem-se para sempre', mas não se esqueçam:


'Tudo aquilo que disserem, pode ser usado contra vós'!


publicado às 21:06

VOCÊ E O FACEBOOK - NÃO OFENDA NINGUÉM, SOBRETUDO OS AMIGOS...

Na era das redes sociais, começa a ser uma questão recorrente a de se saber por onde passa a fronteira diáfana que delimita o espaço privado, aquele onde podemos dizer tudo sem temermos que alguém do lado de fora do nosso portão possa escutar e daí extrair alguma consequência e o outro, equivalente ao passeio da rua, ao largo ou à praça, onde 'tudo o que dissermos pode ser usado contra nós'...


Todos já lemos algum dia alguma notícia sobre uma qualquer empresa que despediu um qualquer trabalhador, só porque ele publicou no Facebook um comentário considerado ofensivo por um qualquer chefe ou mesmo pelo seu patrão.

 

Tomando o exemplo da já referida rede social, importa desde logo ter em conta que tudo começa quando definimos as condições de privacidade da nossa página, isto é, quem tem acesso àquilo que publicamos.


O nível de privacidade mais comum, será talvez o dos 'AMIGOS'. Logo, só estes é que conseguem acompanhar o que vamos publicando, funcionando a nossa página como uma espécie de 'diário', fechado com uma daquelas chavinhas minúsculas que os miúdos conhecem bem e da qual mandamos fazer tantas cópias quanto for o número daqueles a quem concedemos o título de 'amigo', os quais podem sempre que queiram entrar, comentar, partilhar as nossas publicações.

Portanto, conteúdos eventualmente ofensivos só podem ser vistos por eles e só implicarão alguma consequência se se referirem a alguém deste nosso círculo.

 

Coisa diferente seria por exemplo, se eu neste Blog escrevesse que o nosso primeiro ministro é um FdP ou um ladrão - e que fique claro que não vou escrever nada disso! - porque este Blog tem perfil público, logo, como bem diria monsieur de la Palice tudo o que eu digo já não é de âmbito privado.


Tomando o exemplo anterior, seria a mesma coisa que gritar os mesmos epítetos em plena rua, para quem me quisesse ouvir: teria seguramente a polícia à perna ou alguém a apresentar uma queixa contra mim no Ministério Público.

 

Ainda confinado ao mesmo exemplo, escrever isso na minha página do Facebook, equivaleria (apenas) a dizê-lo numa amena cavaqueira no jardim da minha casa e para a qual tivesse convidado os meus 'amigos' desta rede social. 

Desde que não 'falasse' demasiado alto para me fazer ouvir do outro lado do muro, nada do que dissesse poderia configurar qualquer tipo de crime.

 

Mas é claro que não foi sempre assim!

 

Nos tempos da 'outra senhora' correria o risco de entre os ditos 'amigos' poder estar presente um 'bufo' que fosse a correr delatar-me e isso seria o suficiente para uma estadia em Caxias.

 

Resumindo:

 

Por todas as razões e mais alguma, evite escrever coisas que possam ser consideradas ofensivas para quem quer que seja, mas sobretudo, que não o sejam para os membros da sua roda de 'amigos'.

Porque esses sim, podem usar isso contra si.

 

(Relembro que me confinei apenas ao exemplo do nível de privacidade 'AMIGOS').

 

publicado às 17:58

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D