Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

2013: A FORMA COMO CAMINHEI - BREVE RETROSPECTIVA...

Na sequência do que escrevi anteriormente – sobre balanços – acho que não consigo mesmo escapar a um ligeiro olhar retrospectivo e autocrítico sobre o areal imenso onde fui deixando as pegadas que assinalam a minha caminhada – já algo longa por sinal...

 

Se me abstrair da desgraça que nos caiu a todos em cima por via da criminosa governação do País, se por momentos esquecer os sucessivos assaltos à mão desarmada praticados pela ‘quadrilha de S. Bento’, se momentaneamente também, me abstrair da fome e do sofrimento dos meus semelhantes em Portugal e no mundo – por breves momentos apenas, que este tipo de males deve exigir de todos nós uma atenção permanente - em tudo o resto e ainda foi bastante, 2013 até nem foi mau...

 

Olhando a areia por onde tem seguido o meu caminhar reparo num pormenor: em 2013 as minhas pegadas são mais profundas e definidas, o que significa – para quem esteja habituado a interpretar este tipo de detalhes – que não caminhei sozinho, isto é, que procurei sempre e na medida das minhas capacidades, ajudar a ‘carregar’ causas.

Isso explica a definição mais vincada da marca dos meus passos.

 

Corrupção na Câmara de Valongo de Fernando Melo e João Paulo Baltazar, denúncia constante das prepotências no ‘reinado’ dos Unidos por Alfena, que aparentemente continuam iguais a si mesmos, denúncia de inúmeros abusos cometidos por alguns privilegiados das negociatas de 20 anos de governação do PSD em Valongo, denúncia de actos ‘criminosos’ e socialmente irresponsáveis de empresários como Almerindo e Artur Carneiro, administradores da SEC – Sociedade de Empreitadas e Construções, o resgate da Câmara de Valongo das garras dos abutres do PSD e a minha eleição como deputado independente para a Assembleia Municipal de Valongo no grupo do Partido Socialista e por último, a vitória da Lista B nos Bombeiros de Ermesinde, foram algumas das causas em que me envolvi - de alma e coração...

 

Dizem-me alguns amigos na sua imensa bondade, que foi relevante o meu contributo.

Sinceramente, eu acho que foi o melhor que pude dar, mas não foi assim tão significativo e só a bondade dos olhos que me analisam, permite constatação tão lisonjeira.

 

 

 

De uma coisa eu tenho a certeza ao fazer este balanço: consegui incomodar muita gente poderosa do nosso burgo e a prova disso pode ser confirmada pelo medidor de visitas deste Blog - recorte aqui ao lado...

 


Acreditem todos aqueles que se remetem à posição confortável da ‘crítica de sofá’ que nada nos realiza mais, nada nos dá maior satisfação, do que sentirmo-nos socialmente úteis!  

 

Em jeito de sublinhado, destaco a amizade com o Dr. José Manuel Ribeiro, cimentada na cumplicidade dos últimos meses - um bom ano caro Zé Manel, perdão, senhor presidente da Câmara Municipal de Valongo - para si, para a sua família e para todos os valonguenses a quem devolveu a dignidade e a esperança num futuro melhor.

Conseguimos!

publicado às 19:58

EX-DIRECÇÃO DOS BOMBEIROS DE ERMESINDE E A FALTA DE VERGONHA!

 

Parece que o desespero se instalou no reduto dos contrafeitos(1) bombeiros de Ermesinde, conduzindo-os e ao seu comandante, a um estado de quase insanidade - ou pura idiotice, que entre os dois, venha o diabo e escolha...

 

Falhada a 'panelinha' do costume, em que virava o disco e tocava (sempre) o mesmo, desta vez a maléfica estratégia eleitoral resultou numa mudança, pelo que na falta de melhor(?) só lhes restava incomodar a Justiça - no caso vertente, o TAF - Tribunal Administrativo e Fiscal de Penafiel - alegando duas eventuais irregularidades no processo eleitoral.

 

É espantosa a falta de vergonha desta gente!

 

Senão vejamos:

 

Organizam um acto eleitoral à sua medida, para ganharem como de costume.

Entretanto, as coisas complicam-se com o aparecimento de uma lista de homens sérios, prontos a limpar o reduto e a devolver a honra à Instituição, pelo que rapidamente entram em desespero, começando a afixar propaganda em torno do local eleitoral e a colar cartazes/comunicados em tudo o que era parede e zonas envidraçadas da entrada para o Salão Nobre, 'avisando' os associados de que 'independentemente de quem ganhasse, o comandante não se iria embora antes de 2016'.

 

Enquanto isso, o comandante passeava-se no dia das eleições pelo meio da fila de votantes, na companhia dos seus 'homens (e mulheres) de mão' conversando, influenciando, condicionando, tentando convencer, enquanto que os elementos da Lista A faziam o mesmo, pavoneando-se pelo pelo local de voto, desfazendo-se em sorrisos condicionadores do mesmo.

 

E como se tudo isto não bastasse - e não bastou - eis que partem agora para esta tentativa de contestação de um acto que eles próprios organizaram, à medida da sua ignóbil ambição.

 

Talvez isto vise apenas ganhar tempo para praticar mais umas manigâncias, como aquela de admitirem em pleno período de gestão, dois motoristas bombeiros, em que um deles é simplesmente filho do comandante!

 

Falta de vergonha é a única coisa que abunda no seio do ignóbil reduto.

 

Bom Ano de 2014, caros Bombeiros sem "aspas" e acreditem na Justiça - na do TAF de Penafiel e também na outra que um dia há-de ser feita...

 

(1) Contrafeito - (adj.): Imitado por contrafação; falsificado.

publicado às 15:14

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE ERMESINDE - UM PASSO EM FRENTE!

Sexta feira passada, já depois de encerrada a sessão da Assembleia Municipal de Valongo, cumprimentos entre amigos do mesmo lado da 'barricada' ou amigos igualmente, mas adversários no combate político, reforço dos votos de boas festas já formulados pelo Natal e formulação de mútuos desejos de um bom 2014.

 

Um pouco à margem das conversas cruzadas, eu e um ilustre colega e por sinal relevante adversário, tentávamos esgrimir argumentos sobre um dos episódios da sessão, quando de repente ele me atira literalmente com uns inesperados "parabéns pela vitória dos Bombeiros Voluntários de Ermesinde"...

 

Simpático - e inesperado - exagero dele obviamente, ao atribuir-me tamanho relevo na vitória alcançada pela Lista B no último acto eleitoral para a eleição dos novos Corpos Sociais da nobre Instituição Humanitária, pondo fim a uma era de compadrio, de gestão menos transparente, de prepotências várias, de falta de respeito por muitos que dentro daquele quartel, têm apesar de tudo isso, tentado fazer o seu melhor para servir a população do nosso Concelho e não só.

 

Conto este episódio verídico, apenas para tentar dizer que todas as vitórias têm um lado oficial, aquele que é explicado pelo resultado da contagem dos votos, sendo estes e no caso em apreço, o somatório da vontade individual que cada associado pretendeu demonstrar, no sentido de manter inalterado o deprimente 'status quo', ou pelo contrário, virar a última página do 'livro negro' e começar a escrever a primeira do 'livro branco' que é aquele que melhor serve os interesses dos Bombeiros Voluntários de Ermesinde.

 

E depois, têm todas também, todos o sabemos, o outro lado, o do cerrar fileiras, o da união de esforços, o dos e-mails, dos twits, das SMS, das redes sociais, do Facebook, da conversa de café, da conquista de apoios esgrimindo ideias e que por ser a mais difícil, é de todas as conquistas a mais gratificante.

 

Claro que tudo o que foi feito para restituir aos Bombeiros de Ermesinde a dignidade que lhes tem sido negada ao longo dos últimos anos, não poderia ser obra de qualquer pessoa individual.

Não foi portanto, nem de perto nem de longe, obra minha e se de alguma forma pude ajudar - e acho que pude - isso só se tornou possível por existir um grupo de Soldados da Paz com coragem e valor suficientes para arcarem com a difícil tarefa de tentarem repor a 'lei e a ordem' nesta nobre Instituição.

 

Obrigado pois, caros amigos Bombeiros integrantes e apoiantes da Lista B, por me deixarem ajudá-los, eu que uniforme não uso, mas que sou um de vós de alma e coração.

 

Neste dia em que um ano termina e outro começa, o meu mais profundo desejo de que restituída a honra que já mereciam há muito, consigam concretizar o vosso programa de trabalho, consigam 'arrumar a casa' e consigam acima de tudo garantir-nos a certeza de que bastará que alguém grite 'socorro' para que vocês saltem para uma qualquer viatura sem o risco de serem travados por um qualquer 'pedregulho'.

 

publicado às 02:34

NEM TODAS AS CURVAS TÊM DE SER PERIGOSAS...

 

Antecipo-te todas as curvas, todos os sentidos proibidos, percorro-te com todo o cuidado que me ensinaram a ter e que eu procuro seguir à letra, moderando o meu fulgor interpretando todos os teus avisos - preveniram-me que eras perigosa e eu levei muito a sério quem me avisou, mas agora que nos conhecemos melhor e começamos a interagir, acho que exageraram na recomendação.

Momentos há até, em que me pareces demasiado fácil - ou estarei eu a ser demasiado temerário sem o perceber?

 

Saboreio a beleza com que te adornas – dito em linguagem popular, ‘como-te com os olhos’ -  e sorvo o teu hálito matinal, onde se misturam os perfumes de flores silvestres, de frutos maduros e da terra húmida em que te deitas e espreguiças...

 

E nesta quase tântrica caminhada ao longo de ti, neste pára-arranca intercalado com acelerações bem doseadas, dou por mim - damos por nós - e já a manhã é quase tarde e a fome de ti já começa a ter a companhia de outras fomes.

 

Insidiosos no início, outros desejos se interpuseram entre nós, sendo agora quase incontornáveis e condicionadores do pleno prazer com que te fruía – com que nos fruíamos.

 

Sempre atenta, percebes a minha previdente redução de potência e avisas-me do próximo posto de combustíveis - "a um quilómetro de distância"...

 

Um quilómetro de ti que percorro em terceira, enquanto tento abstrair-me dos apelos vindos das profundezas de mim para que tenha em atenção e por esta mesma ordem, um certo nível de fluidos e um outro reabastecimento não menos importante.

 

Fiquemos portanto por aqui.

 

Foi um prazer – é sempre um prazer viajar em estradas nacionais bonitas, ladeadas de terrenos verdejantes enfeitados de flores e árvores de frutos  – e se me permitires, depois de me retemperar e descansar um pouco, faço-me de novo ao piso...

publicado às 01:12

"...E NO ENTANTO ELA MOVE-SE!" - O CIDADÃO ACIMA DE TODOS OS INTERESSES!

 

Ainda sobre a intervenção do cidadão alfenense no ponto destinado ao Público na Assembleia Municipal de Valongo de ontem, expondo as preocupações de muitos cidadãos da nossa cidade acerca do atravessamento da mesma pelo verdadeiro estendal de linhas de alta tensão, no caso concreto, no lugar do Lombelho, assunto sobre o qual já escrevi neste Blog em 8 de Março de 2012, trago aqui o título deste artigo do Jornal Público que vale a pena ser lido:

Estudo associa linhas de alta tensão a risco

de desenvolver Alzheimer

publicado às 14:27

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE VALONGO E A DEMOCRACIA (MAIS OU MENOS) REPRESENTATIVA...

 

Hoje (ontem) foi dia de Assembleia Municipal em Valongo.

Agenda parca, mas apesar de tudo, a justificar a convocação do Órgão, dada a premência de dois ou três assuntos que teriam de ser apreciados ainda este ano que está prestes a terminar.

O registo de duas ausências de peso: os ex-presidente e a sua vice, que terão optado certamente por ambientes mais confortáveis em noite pouco amigável, climatericamente falando.

 

Já é quase uma regra as sessões pouco carregadas em termos de agenda serem mais ricas em termos de ponto de 'antes da Ordem do Dia' e a de hoje não foi excepção.

Antes mesmo de ter início, houve lugar a uma intervenção de um cidadão de Alfena (período destinado às intervenções do Público) sobre o problema da (quase) duplicação de potência - de 220 kV para 400 kV - das linhas de alta tensão que atravessam Alfena, mais concretamente e no caso apresentado, a zona do Lombelho.

 

Foi feito um apelo à Câmara para que se inteirasse do assunto, nomeadamente, que inquirisse a REN sobre o facto da consulta pública como conceito, ter passado quase à margem da consulta pública como obrigação concreta.

Nada a que a majestática REN já não nos tenha habituado...

 

Devo recordar que já em 8 de Março de 2012 me referi a este assunto aqui neste espaço, a propósito de uma reunião pública de Câmara em que o problema foi abordado.

 

No período de 'antes da Ordem do Dia', foram apresentadas pelo Bloco de Esquerda e aprovadas, moções sobre a famigerada avaliação dos professores, sobre a retenção via Orçamento do Estado, de verbas dos Municípios e ainda da CDU, sobre a ameaça de encerramento das Finanças de Ermesinde, um voto de pesar sobre a morte de Nelson Mandela e ainda uma recomendação para a constituição de um grupo de trabalho para apreciar a questão da habitação social e sobre o trabalho da Vallis Habita, EM.

O Partido Socialista apresentou também uma questão que se prende com as escolas com crianças que necessitem de acompanhamento especial e também uma moção sobre as Finanças de Ermesinde e que acabou por ser consensualizada e fundida com a da CDU.

 

Uma pequena curiosidade: parece que sempre que a nossa colega Dr.ª Rosa Maria, ex-líder do grupo do PSD no mandato anterior, se faz substituir as coisas fluem melhor.

Mera constatação que faço, sem daqui retirar nenhuma conclusão...

 

Um assunto que mais tarde ou mais cedo vai ter de ser esclarecido pelo PSD, tem a ver com a verdade - ou falta dela - do processo de candidatura da 'coligação' PSD/PPM nas últimas eleições e sobre a qual a Assembleia Municipal tem todo o direito a ser informada.

 

Pelos vistos o líder do grupo municipal laranja não tinha mandato para falar sobre o assunto e o seu deputado Daniel Torres, que no fundo era quem tinha a obrigação de responder ao desafio que lhe fiz - ver intervenção a seguir - remeteu-se ao silêncio.

 

De facto, não tivesse o parceiro monárquico vindo a terreiro denunciar o lado 'manhoso' desta coligação e tudo estaria bem: segundo consta nas folhas 408 e 414 do 3º. volume do processo de candidatura depositado no 2º. Juizo do Tribunal de Valongo, Daniel Torres é candidato em representação do PPM enquanto que Paulo Basto - folha 415 - é candidato em representação do PSD.

 

A montante portanto, tudo legal e conforme com as 'boas práticas'...

 

Já a juzante, a coisa azeda quando o verdadeiro representante do PPM (Paulo Basto) surge a reclamar o incumprimento do acordo e o próprio Daniel Torres vem também a público rejeitar publicamente a sua representação monárquica!

 

Ficamos então em que ponto?

Houve ou não acordo de coligação com o PPM com este a ter direito a um lugar elegível na Assembleia Municipal?

Se houve, porque rejeita Daniel Gonçalves representar o PPM?

 

Concluindo e ao contrário do que disse o líder do grupo, Daniel Felgueiras, este não é um assunto encerrado e muito menos um 'não assunto'

 

A intervenção que apresentei:


 

                                                                                  

Intervenção

 

 

     Senhor presidente da Assembleia Municipal

     Senhores membros da Mesa

     Senhor presidente da Câmara e restantes vereadores

     Caros colegas

     Caros cidadãos de Valongo

 

 

(Permitam-me um pequeníssimo parêntesis inicial para fazer um inusitado agradecimento pessoal ao Dr. João Paulo Baltazar, que naquela longinqua reunião pública de Câmara, sendo se não me engano, ainda vice-presidente me cortou a palavra de forma pouco simpática e me lançou um repto que me fez vacilar, cito: “dou-lhe um conselho, candidate-se, ganhe eleições e depois, já pode falar à vontade”, fim de citação.

 

Coincidência ou não, o seu repto cruzou-se num dado momento do processo, com o convite que me fez o Dr. José Manuel Ribeiro e conjugados os dois com a minha disponibilidade para servir os meus concidadãos, aqui estou finalmente eleito, a fazer esta intervenção e este agradecimento.

 

Obrigado pois senhor vereador. Foi útil o seu conselho, o qual não vou seguir, apenas no que toca ao “falar à vontade”, pois aqui fica-nos bem usar de alguma parcimónia).

 

Fecho o parêntesis...

 

Sendo esta a primeira sessão ordinária deste Órgão, julgo caros colegas, que não seria justo da nossa parte não assinalarmos aqui e agora, um importante ‘upgrade’ - permitam-me o anglicismo - que nos aconchegará o ego nos tempos mais próximos: a requalificação do nosso colega Daniel Torres Gonçalves como representante do Partido Popular Monárquico de Valongo.

 

Sem ironia, entendo que não é de todo irrelevante este acontecimento, o qual dará a partir de hoje um indelével toque de azul ao vulgaríssimo vermelho da nossa municipal corrente sanguínea.

 

Bem vindo pois caro Dr. Daniel Torres Gonçalves, desta vez ‘ao serviço da Coroa’.

 

E para que ninguém seja levado a pensar que o colega representante do PPM se terá apropriado indevidamente do lugar mais nobre desta Assembleia, quero aqui informar que o processo da sua designação está depositado no 2º. Juízo do Tribunal de Valongo – 3º. Volume, folhas 408 e 414, sendo que Paulo Basto, que liderou a representação do PPM que negociou a coligação eleitoral com o PSD, consta na folha 415 como representante do PSD.

Aqui, confesso humildemente que fiquei um pouquinho baralhado...

 

Termino expondo uma pequena dúvida que seria interessante que nos esclarecesse, caro colega: Porque não se constituíu em ‘Representante Único’ nos termos artigo 14º. do Regimento desta Assembleia?

 

 

Valongo, 27 de Dezembro de 2013

 

 

O Grupo Municipal do Partido Socialista

 

 

(Celestino Neves)

 

 

 

 

 

publicado às 02:32

CÂMARA MUNICIPAL DE VALONGO - MOMENTO DE 'CONVÍVIO FAMILIAR'...

Hoje estive no almoço de Natal da 'grande família' que é o conjunto dos funcionários e colaboradores da Câmara Municipal de Valongo.

Quem conhece um pouco as características da nossa 'máquina' municipal, sabe que ela se divide por vários pólos espalhados por todo o Concelho, pelo que iniciativas como esta, são para muitos a única oportunidade de em cada ano confraternizarem um pouco, falarem de interesses mais ou menos comuns, cumprimentarem colegas que não viam 'há que séculos'.

 

(Este ano, o almoço revestia-se de um interesse acrescido, dada a recente mudança de 'gerência')...

 

Como em todas as famílias, em que uns são do Benfica, outros do Porto e outros ainda de coisa nenhuma, o que interessa é que ao menos uma vez em cada ano todos tenham oportunidade de ser apenas valonguenses envergando a mesma camisola, ainda que naturalmente uns a apresentem mais usada que outros.

Nada no entanto, que uma boa  brunidura não consiga disfarçar - e hoje todos a apresentavam impecavelmente brunida.

 

Momento especial que era, fazia todo o sentido que se alargasse o convívio à 'família alargada', ou seja, membros da Assembleia Municipal, vereadores, presidentes de Junta, todos num ambiente informal e acolhedor proporcionado pela 'Fábrica', onde não faltou um arzinho de Fado a cargo de uma ilustre representante da 'prata da casa'.

 

Não que eu atribua especial significado à 'marca' Natal, mas quando ele contribui para reforçar laços, estabelecer pontes, valorizar o que de mais valioso as Instituições possuem - o 'património imaterial' do seu potencial humano - eu só posso saudar.

 

A todos aqueles com quem não pude falar - como podia, se eram tantos? - o desejo de bom Natal e um novo ano com a 'luz ao fundo do túnel' que nos liberte desta penumbra desmotivadora com que terminamos este.

publicado às 18:53

UM 'VITINHO' COM ALGUNS EX-'ISTA' NO CURRÍCULO...


A 'manada' começa a alargar: João César das Neves, Medina Carreira, Miguel Beleza, agora o Vitinho Moreira, são a prova provada de que nem o governo, nem sequer a direita no sentido mais abrangente do termo, detêm o exclusivo da crassa estupidez.

 

Há quem se costume curvar de forma quase reverente  perante o termo 'constitucionalista'. Vital Moreira, sem o pretender obviamente, só vem demonstrar que este 'ista' como tantos outros pomposamente invocados ou atribuídos, não passa de pechisbeque, não merecendo por isso qualquer reverência.

 

Vital Moreira podia até, contestar as regras de formação das pensões de reforma, podia achar que fazia mais sentido um escalonamento diferente, acrescido de eventuais tectos máximos a partir dos quais, eventuais reforços teriam de ser feitos por iniciativa de cada um, sendo certo que essa decisão acarretaria  obviamente enormes prejuízos na arrecadação das contribuições durante o período de formação das pensões.

 

Agora o que não faz sentido, nem faz juz ao 'ista' que pomposamente alguns lhe atribuem e ele agradece, para classificar os seus conhecimentos relativamente à Lei Fundamental, é achar que se pode fazer impunemente aquilo que ontem foi classificado pelo Tribunal Constitucional - e por UNANIMIDADE - como um ROUBO!

Pegar num CONTRATO com regras definidas, com valores calculados de acordo com uma fórmula que nem de perto nem de longe se pode considerar como sendo demasiado solidária e que está presente na altura em que o CONTRATO é executado - o momento da reforma - e manipulá-lo de forma grosseira como o governo o pretendia fazer só podia ter este fim inglório.

 

Vital Moreira é aliás, portador de vários 'istas', todos eles com muitas 'aspas' e sempre antecedidos de um bem visível 'ex': ex-comunista, ex-socialista, ex-constitucionalista - sim, depois desta tirada, só pode ser! - para que lhe atribuamos demasiada importância. Ele não passa de um produto 'adulterado' ou 'contrafeito' independentemente do brilho da etiqueta que ostenta. É mais um elemento a somar ao bando dos 'puxa-saco' do governo, para usar uma expressão brasileira, que por aí pululam quais infestantes renitentes, a incomodar, a poluir e a pedir uma boa desinfestação!

publicado às 16:21

EU E A NOBRE INSTITUIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE ERMESINDE...

 

Tenho vindo a registar, profundamente sensibilizado diga-se, inúmeras manifestações de agradecimento, umas mais em privado, outras nem por isso, por parte de muitos dos participantes, apoiantes e simpatizantes da Lista B, acerca da eventual ajuda que este Blog e a minha página do Facebook terão dado à causa dos Bombeiros de Ermesinde e que ontem culminou com a vitória da Lista B, pondo fim a 16 anos de sistema e, sobretudo nos últimos, de prepotência e abuso.

 

Em primeiro lugar, o exercício da cidadania não se agradece e depois, se alguém devia estar agradecido, esse alguém seria eu, pela honra de ter sido útil e de alguma forma e na justa medida das minhas capacidades, ter servido A VOSSA CAUSA!

 

Devo até acrescentar, que não sei se no vosso lugar o teria conseguido fazer com tanta elevação...


Assisti nos últimos dias e confirmei ontem no local de voto,  até que ponto se pode descer em termos de abuso, desde o enorme cartaz afixado no outro lado da rua apelando ao voto na Lista A, à profusão de "ESCLARECIMENTOS/INFORMAÇÕES" afixados em tudo que era espaço livre junto à entrada condicionando mentalmente os votantes a terem em conta que, independentemente de quem ganhasse as eleições, 'teriam que levar com o comandante' até finais de 2016!


Testemunhei com incredulidade a descarada e directa intervenção dos membros dos corpos sociais cessantes e da Lista A na recepção aos votantes, quais mordomos numa qualquer festa de angariação de fundos, desdobrando-se em teatrais simpatias de circunstância e exibindo sorrisos de plástico onde se lia claramente o "votem em mim"!


Perante tudo isto, eu provavelmente não teria ontem conseguido ser tão digno merecedor do voto como vocês o foram.

 

Fica pois aqui registado, que ninguém deve agradecimentos a ninguém!

 

Da minha parte, espero sinceramente nunca vir a precisar dos vossos serviços, mas se por acaso tal vier a acontecer, a única coisa que me 'devem', é um tratamento igual àquele que eu sei que dispensam a todos aqueles que recorrem à vossa ajuda.

 

Bem hajam e mais uma vez, PARABÉNS!


PS: Espero que o comandante, que desde há muito deixou de ser digno da designação que ostenta no blusão vermelho da sua farda, tenha ao menos agora um fugaz rasgo de dignidade, colocando o seu lugar à disposição, evitando assim a necessidade da adopção de medidas mais drásticas...

 

 

publicado às 11:22

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE ERMESINDE - O DIA DA HONRA!

(Esta era a fila - permanentemente 'alimentada' - já muito próximo das 17 horas (hora do encerramento).


Hoje foi um Dia com 'D' grande para a nobre Instituição Bombeiros Voluntários de Ermesinde!

 

A sua história, o seu património - humano e material - o relevante papel que desempenha no nosso Concelho, já não eram compatíveis com a falta de dignidade que se vivia dentro de portas, promovida e alimentada por um comandante que se excedia nas suas competências, perante a estranha imobilidade dos detentores da fatia maior do poder estatutariamente atribuído.


Impotentes? Manietados por 'invisíveis' laços? Coniventes?

Provavelmente, um pouco de tudo isto...

 

Valeu (quase) tudo para evitar o volte-face que hoje ocorreu, desde o enorme cartaz afixado no prédio em frente ao quartel apelando ao voto na Lista 'A', aos comunicados ofensivos metidos nas caixas de correio, à profusão de comunicados afixados em tudo que era espaço livre junto à entrada, 'informando' - tentando condicionar psicologicamente, digo eu - os sócios de que ao contrário do que poderiam pensar, "o comandante tem contrato até final de 2016, independentemente de ganhar uma ou outra lista"!

 

Quase não acredito, que alguns amigos, pessoas que conheço de 'outras lutas', tenham aceitado participar nesta "quase fraude" em que se transformaria este acto eleitoral, caso ganhasse a lista A!

 

Ainda bem que a "quase fraude" foi travada!

E foi-o com a melhor resposta que os sócios poderiam ter dado, isto é, com uma participação que excedeu todas as expectativas mais optimistas!

 

Parabéns aos dignos e tão vilipendiados vencedores, mas parabéns sobretudo a nós todos, que tanto precisamos de um Corpo de Bombeiros Voluntários estabilizado, respeitado e também respeitador dos direitos de todos os seus colaboradores, que são no fundo, o seu mais importante património.

 

Nota final: Obviamente que a partir de agora, tudo aquilo que legalmente possa ser feito no sentido de destituir o comandante que tanta instabilidade e tanto descrédito tem promovido no interior desta Instituição, deverá sê-lo - com a maior brevidade que seja possível! 

Carlos Teixeira já tem muito pouco (ou quase nada) a ver com o espírito de Bombeiro!

Ele é já há muito, um 'corpo estranho' nos Bombeiros Voluntários de Ermesinde - e hoje, isso ficou claramente provado!


Contrato até 2016? Essa é boa!

publicado às 22:44

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D