Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE ERMESINDE SEM DIRECÇÃO, MAS COM 'GESTORES-ARQUITECTOS'...

E assim vão os (adiados) Bombeiros Voluntários de Ermesinde...

 

Com ex-dirigentes como Artur Carneiro - 'ex' infelizmente não assumidos e em desrespeito flagrante pela vontade maioritária expressa em Dezembro pelos associados - só nos resta apelar à Justiça para que funcione em tempo oportuno para que os Bombeiros Voluntários de Ermesinde - todos e sem excepção - possam dedicar todas as suas energias ao relevante serviço que prestam à comunidade.

 

Tal só acontecerá quando a Nobre Instituição puder estabilizar os seus Órgãos directivos e os associados - os do presente e os muitos que podem e devem ser angariados - puderem contar com  uma Direcção empenhada e um Comando prestigiado e que não envergonhe os Bombeiros.

 

Não é infelizmente o que se passa agora!

 

A título de lamentável curiosidade, o recorte que coloco abaixo prova que não foi por falta de doutores (e 'arquitectos') que os corpos sociais anteriores dos BVE foram derrotados em Dezembro!

Se calhar foi porque os sócios deixaram de gostar de 'produtos contrafeitos' e ainda por cima, já 'fora de prazo'


publicado às 11:36

A SEC E AS 'ARRUMAÇÕES' ENCOMENDADAS À EGEO...

E a SEC - Sociedade de Empreitadas e Construções, SA de Almerindo Carneiro, uma empresa em processo de insolvência socialmente irresponsável, incumpridora e lamentavelmente desrespeitadora daquele que era o seu 'património' mas valioso - os seus trabalhadores  a que tratou como simples utensílios - parece contraditoriamente muito empenhada em termos 'ambientais'.

 

Hoje lá assisti a mais uma operação de 'remoção de não sei o quê, para não sei onde" a ser efectuada pela EGEO.

Nas 3 fotos que se seguem vemos um camião com um contententor e mais um atrelado com outro contentor.

 

Não vi ninguém que se assemelhasse ao Dr. António Dias Seabra, Administrador Judicial - aliás não vi mais ninguém para além do motorista, porque os "RESÍDUOS" já estavam devidamente acondicionados e protegidos.

 

Também não vi ninguém da Brigada Fiscal e Aduaneira da GNR por perto para ver se as guias estavam em ordem...

 

Claro que podem sempre transferir a fiscalização para os colegas do SEPNA (a fiscalização ambiental) para 'à posteriori' e após a descarga, verificarem se os contentores ficaram devidamente limpos dos seguramente "MUITO PERIGOSOS RESÍDUOS"...


publicado às 18:18

ALFENA - UMA RELEVANTE EFEMÉRIDE...

Há coisas tão triviais que quando as assinalamos corremos sempre o risco de nos tornarmos algo ridículos e ouvir mesmo algum "mas que é que isso tem assim de tão especial que mereça ser destacado?"

 

Pois é...

 

Em Alfena e no caso de que falo a seguir, o trivial adquire especial relevância.

Refiro-me obviamente à 'velha luta' em que desde há muito me empenhei, com Arnaldo Soares inclusive, mas na qual o 'não saudoso' - politicamente falando - 'Rei Sol' se destacou de forma especial, conseguindo sempre levar a melhor e chegando ao fim do seu reinado sem abdicar da sua não muito abonatória imagem de marca: "A Lei sou eu"...

 

Existem vitórias que devem envergonhar quem as obtém e Rogério Palhau deveria sentir-se de facto envergonhado desta. Não sei no entanto se se sentirá de facto...

 

Arnaldo Soares chegou ao poder, avaliou a situação e concluiu que não seria mais possível manter um relacionamento institucional por um lado, mas também de alguma proximidade informal com o actual presidente de Câmara, sem fazer do acesso à informação em Alfena algo que se assemelhasse pelo menos àquilo que se faz na Câmara e nas restantes Juntas irmãs de Valongo - sítio da Junta AQUI.

 

Não se lhe agradece a decisão agora tomada - que já tardava aliás - mas também é justo que se registe como uma espécie de efeméride pelas piores razões - para o seu antecessor obviamente, mas também para ele próprio num passado não muito distante.


publicado às 20:28

LITIGÂNCIAS DE MÁ FÉ...

Os mais atentos não se surpreenderão muito com a litigância de má fé que está em curso nos Bombeiros Voluntários de Ermesinde.

Surpreendidos ficaram seguramente os anteriores dirigentes da Associação Humanitária, quando contra o que 'era hábito' viram a maioria dos sócios votarem na lista 'B' pondo fim a um ciclo de nepotismo e má gestão que em nada tem contribuído nos últimos anos para reforçar o prestígio de uma Instituição como a dos BVE - antes pelo contrário!

 

Lamentável neste processo é o mau funcionamento da nossa Justiça (TAF de Penafiel e Tribunal de Valongo que trata estes casos como se estivesse apenas a derimir um conflito entre facções adversárias de um qualquer 'grupo da bisca lambida', andando às voltas com o mesmo há mais de um mês, nomeadamente com a da providência cautelar que visou impedir a tomada de posse dos corpos sociais eleitos.

 

À cabeça da Direcção, esteve até Dezembro - e está ainda, graças à tal litigância - Artur Carneiro.

 

É impossível não estabelecer aqui um paralelo entre esta litigância e aqueloutra relacionada com a insolvência da SEC - Sociedade de Empreitadas e Construções, SA.

 

Foi em determinado momento remetido para o Administrador Judicial Provisório, um Requerimento do advogado da SEC, no sentido de avançar com o pedido de insolvência porque "apesar de toda a boa vontade e empenho demonstrados quer pela devedora, quer pela maioria dos seus credores no curso do presente Processo Especial de Revitalização(?!) e blábláblá" a situação financeira da devedora não tem melhorado".

 

Se tal acção tivesse prosseguido sem má fé, os trabalhadores despedidos sem qualquer indemnização, com salários e subsídios em dívida e sem qualquer respeito pela sua dignidade e em muitos casos, pela dedicação de muitos anos de trabalho exemplar ao serviço da empresa, teriam ao menos conseguido aceder ao fundo de garantia salarial, decretada que fosse a falência que eles próprios solicitaram também através do seu advogado.

 

Mas eis que surge também aqui a figura de Artur Carneiro que de forma inexplicável e aparentemente imbuído de um espírito de vingança cujas fundamentações me escapam, resolve dar o dito por não dito e contestar a insolvência!

 

Nem mais!

 

Artur Carneiro, o mesmo rosto para as duas faces desta miserável moeda - Bombeiros de Ermesinde e SEC.

Nas duas situações ele e quem o assessora sabem que a justiça é lenta e essa lentidão funciona sempre contra os lesados, no caso dos Bombeiros e contra os mais frágeis, aqueles que contam os tostões para a sopa e a bucha diárias, no caso dos trabalhadores roubados da SEC.

 

Dois casos lamentáveis de total ausência de sentido de responsabilidade e de sentido cívico que registamos 'para memória futura' e que esperamos que mais tarde ou mais cedo - neste caso mais tarde - a Justiça saiba punir devidamente.

 

(A propósito deste caso da SEC estou ainda a aguardar uma explicação da empresa EGEO que há dias levou a cabo uma estranha operação de "limpesa" nas antigas instalações em Alfena e a que já fiz referência há dias.

Fui contactado por um responsável de Lisboa que me disse que a operação tinha sido tratada pela sucursal da Trofa e "que iria averiguar e logo que possível me ligaria". Tenho estado a aguardar 'sentado'...).

 

O Requerimento acima referido:

 

 

publicado às 13:49

'HAPPY DAY' - DUPLAMENTE FELIZ, MAIS PROPRIAMENTE...

No ano em que supostamente entro na chamada 'terceira idade' - que fique registado que não sou eu que o suponho e muito menos o admito - hoje seria a última vez que eu iria dar sangue: daqui até Abril - a 'tal' data - já faltam menos de 3 meses.

 

(vesti hoje a minha camisola de dador porque infelizmente estão a ocorrer problemas com as reservas do 'produto insubstituível', com especial incidência no grupo 'O-' que é o meu e o Centro de Sangue e da Transplantação do Porto (na Rua de Bolama, 133) resolveu manter as colheitas a funcionar neste fim de semana).

 

Saber que um acto tão simples como é este de a cada três meses poder dispor de 450 ml do meu sangue pode ajudar a salvar vidas já constituiria suficiente compensação (pela primeira vez no meu percurso de dador e pelas razões que têm vindo a ser anunciadas na comunicação social, fi-lo a um domingo), mas fiquei duplamente feliz porque soube - já podia ter perguntado há mais tempo... - que afinal posso manter as dádivas até à altura em que perfaça os 66 anos.

 

Só mesmo um dador 'compulsivo' é que poderá entender o quanto esta informação me deixou profundamente feliz - poder ir (ainda) um pouco além das 39 dádivas até aqui registadas.

 

Um desafio aos adultos saudáveis: entrem nesta 'onda'. Não dói nada e podem crer que farão muita gente feliz.

 

E façam-no (ainda) hoje se possível!

publicado às 11:41

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE ERMESINDE - OS SEQUESTRADORES...

Lamentavelmente - tenho de o recordar uma vez mais - a nobre Associação dos Bombeiros Voluntários de Ermesinde continua a saque!

 

Face à lamentável situação que se instalou a partir do assalto para recuperar pela via da força a 'cadeira do poder' perdida em Dezembro, há já muitos sócios que defendem abertamente o abandono puro e simples, passando com 'armas e bagagens' para a corporação irmã de Valongo!

 

Sinceramente, acho que a solução não passa por aí - para que não se beneficie o infractor nem se agrave a possibilidade de desagregação desta Instituição.

 

Por isso, tudo deve ser feito para desalojar os 'salteadores' que graças a artifícios legais espúrios mantêm sequestrados os Bombeiros Voluntários de Ermesinde - porque salteadores e sequestradores não são apenas aqueles que chegam de arma em riste e tomam de assalto um qualquer espaço, fazendo reféns todos os que nele permanecem. Sequestradores podem também ser aqueles que por força da lei tinham que devolver a Instituição do BVE aos novos responsáveis eleitos  e não o fizeram.

 

Vem isto a propósito da verdadeira insanidade que se instalou no seio da direcção fora da lei que se mantém 'trancada' na sede dos BVE e que já perdeu a noção no decoro, do respeito pela Instituição e pela salvaguarda dos seus interesses, tomando decisões para as quais não tem competência, esbanjando meios com litigância de má fé e com iniciativas que apenas visam a tentativa patética e desesperada de se agarrarem ao lugar e que hoje me enviou uma carta registada com aviso de recepção - mais 2,61 €! - para me dizer simplesmente que vai enviar a um advogado o meu pedido da acta certificada da reunião de direcção em que foi 'deliberada por unanimidade' a minha suspensão de sócio por um período de 6 meses! - ver recorte abaixo.

 

Ou seja, a direcção fora da lei dos Bombeiros, além de contribuir de forma perfeitamente desnecessária para o equilíbrio de resultados por parte dos CTT, ainda  gasta dinheiro para recorrer a serviços jurídicos a fim de saber se eu como sócio e no sentido de contestar uma suspensão ilegal decidida numa reunião tenho ou não direito a obter uma cópia da respectiva acta - pagando-a, obviamente!

 

É espantosa a desigualdade com que o Divino Criador distribuiu a inteligência aos seus 'súbditos'...



 

Post-scriptum: É apenas um detalhe, mas pode ser indício de uma situação mais grave, o facto de em duas cartas registadas que recebi em nome da 'direcção', as assinaturas serem diferentes  e não coincidentes com a assinatura do ex-presidente Artur Carneiro.

Se mal pergunto, dar-se-á o caso de parte dos 'ratos' já terem abandonado o navio e a Instituição estar de facto a ser liderada por algum pequeno directório clandestino?

É que eu também tenho uma assinatura ilegível e por isso mesmo, é que costumo colocar entre parêntesis o meu nome em letra de forma...

A título de curiosidade, junto um recorte com a assinatura de Artur Carneiro:

 

publicado às 14:00

UNIDOS por ALFENA E A LAMENTÁVEL GEOMETRIA VARIÁVEL DE ARNALDO SOARES...

 

É verdadeiramente extraordinária esta 'geometria variável' do 'bipolar' presidente da Junta de Freguesia de Alfena, Arnaldo Soares.

 

Por um lado, hostiliza a oposição dentro do seu reduto, atenta contra os seus direitos e os dos alfenenses em geral, bloqueando qualquer acesso a informação relevante no sítio da Junta na Internet relacionada com a actividade do executivo - neste momento 'retirou' a obrigatoriedade do REGISTO PRÉVIO mas deixou tudo na mesma, isto é, não colocou acessível qualquer tipo de informação, nem mesmo aquela que está identificada nos separadores da página - por outro e porque de repente classifica como prioritário um qualquer conflito, no caso concreto o da Rua do Viveiro, lança mão das ferramentas e os meios que a democracia coloca ao seu dispor - mas que ele nega aos seus fregueses - para vir 'pedir batatinhas' ao Presidente da Assembleia Municipal.

 

Em Alfena ele não promoveu qualquer debate aberto sobre este ou qualquer outro assunto - a não ser umas reuniões com os líderes do grupos políticos na Assembleia de Freguesia - e vai tentar discuti-lo em Valongo? 

 

(Ver recorte abaixo)

 

Espero bem que não tenha a infeliz ideia de tentar introduzir qualquer debate relacionado com este problema da Rua do Viveiro na próxima Assembleia Municipal a ter lugar no próximo dia 28 de Fevereiro, porque senão terá de ouvir alguma coisa de que não gosta - ou então aproveitar bem o tempo daqui até ao dia da mesma para adaptar a geometria a uma configuração mais amigável e consequente com as regras da democracia e da transparência


publicado às 13:21

UNIDOS por ALFENA - A 'RELEVANTE' DIFERENÇA ENTRE UM PEQUENO PASSO E PASSO NENHUM...

E parece que agora é oficial:

 

O sítio da Junta de Freguesia de Alfena na Internet já está com o acesso inteiramente livre, isto é, sem aquele 'pequenino' constrangimento - "Ainda não tem acesso/Registe-se".

 

Mal comparado, o referido sítio continua a ser aquela fachada granítica de sempre, com várias portas identificadas pelo nome dos assuntos aos quais dão acesso e até aqui lamentavelmente trancadas com aqueles pequenos cadeados que só quem tinha aquela bendita combinação de não sei quantos dígitos é que conseguia abrir, mas agora, 'graças a Deus', já sem qualquer impedimento na passagem(?).

 

 

Agora as mesmas abrem-se livremente ao primeiro clique, mas... ATENÇÃO! Não tente avançar, porque a verdade é que dão para... coisa nenhuma, o que pode ser verdadeiramente constrangedor para quem chegue mais apressado e cheio de expectativas demasiado elevadas.

 

Isso mesmo. Coisa nenhuma é o que nós encontramos quando tentamos por exemplo "JUNTA - Informação escrita/JUNTA - Plano e Orçamento/JUNTA - Actas/JUNTA - Estatuto do direito da oposição.

O mesmo se passa para ASSEMBLEIA - Actas.

 

Caso para dizer que por estas bandas e com os UpA no poder, a democracia, a transparência, o direito à informação, são conceitos ainda muito incipientes e por isso mesmo, para serem usados com muita 'moderação'.

Tal como sucede com as alterações bruscas nos hábitos alimentares, também neste caso podem ocorrer reacções desagradáveis e indesejadas.

 

Parabéns Dr. Arnaldo Soares por esta relevante abertura para coisa nenhuma!


 

 

Antes era assim:

 

 

 

Agora felizmente(?) é assim:

 

 

 

 

publicado às 22:16

BREVE 'ZAPING' SOBRE CASSOS AQUI ABORDADOS...

Já perdi a conta às vezes que me têm tentado condicionar, umas vezes de forma mais 'elaborada' e sub-reptícia, outras 'a bruta' - para que deixe de abordar aqui assuntos mais ou menos polémicos e incómodos.

 

Quem procede dessa forma, fá-lo quase sempre no pressuposto de que, porque escrevo sobre uma determinada empresa, entidade, instituição ou pessoa individual, então é porque tenho algum problema pessoal com eles.

As pessoas que me enviam esse tipo de 'recados' pessoais deliberadamente ostensivos ainda não perceberam que eu nunca me coloco nesse registo pessoal. Eu exerço cidadania.

 

Fernando Melo tentou condicionar-me e deu-se mal. Chegamos ainda a ir a Tribunal, mas não passamos do hall, onde nos quedamos pelo 'protocolar' aperto de mão testemunhado pela senhora magistrada e pelos respectivos advogados.

Rogério Palhau em Alfena também o tentou, neste caso, de uma forma mais truculenta e directa no decurso de uma reunião pública de Junta. Desistiu igualmente e até acabou o mandato 'numa relação aberta' comigo - nada de confusões com idêntica expressão muito usada nas redes sociais...

 

Resumindo e concluindo:

 

O que escrevo desagrada a uns e agrada a outros, o que é normal e não deveria surpreender ninguém.

Nunca faço ataques de carácter. Critico comportamentos, denuncio situações que na minha perspectiva - e também na de muitos daqueles que me seguem e têm alimentado a longevidade deste Blog - são incorrectas, criticáveis ou mesmo ilegais, mas que tendo naturalmente 'pessoas dentro', são sempre susceptíveis de visões diferentes e de reacções por vezes adversas, o que também é natural. Sempre aqui estará assegurado no entanto o direito ao contraditório por parte dos visados, desde que o seu exercício se faça num registo consentâneo com o respeito pela diversidade de opiniões e sem colocar nunca em causa o bom nome das  pessoas - de quem critica e de quem é criticado.

 

Ao contrário da crítica que alguns preferem, sobre comportamentos individuais de políticos ou figuras públicas nacionais ou locais e que os 'amarra' eternamente aos assuntos - porque as pessoas não mudam assim com muita facilidade ou fazem-no de forma muito lenta -  o meu interesse, centrando-se em situações e problemas concretos termina de forma fácil, isto é, com a resolução ou correcção dos mesmos.

Tão simples quanto isto. 

 

Não tenho por isso nenhum caso pessoal com ninguém e isso é ponto assente e incontestável. Mas também não me centro neste momento em nenhuma situação ou problema que me diga pessoalmente respeito. Todos aqueles sobre os quais tenho escrito ultimamente e que envolvem litígios com particulares, com Instituições e/ou a Câmara, têm a ver única e exclusivamente com o exercício de cidadania de que não abdico, com a minha solidariedade para com alguns cidadãos ou grupos de cidadãos mais vulneráveis, no fundo, com CAUSAS.

 

Desiluda-se pois quem quer que seja que alimente a vaga esperança de que enviando-me AMEAÇAS veladas ou mensagens subliminares me vai fazer desistir da minha linha. Por uma razão muito simples: eu não tenho nada a ver com eles mas sim e eventualmente, com situações que os  envolvem.

 

Casos como o da empresa Avelino Marques de Sousa, Marcelo, Peixoto & Irmão, SEC, moradia na Rua do Viveiro, o enriquecimento ilícito com a venda de terrenos REN na zona onde se instalou a CHRONOPOST, isto em Alfena, ou ainda o caso dos Bombeiros de Ermesinde, o caso da Associação da Retorta em Campo, a promiscuidade entre algumas IPSS do Concelho como a ADICE ou a AVA, entre outros, são apenas alguns exemplos.

 

Incomodo? Temos pena! Como já disse, não havendo aqui NADA de pessoal, o meu interesse termina no momento em que os problemas ou as situações se resolvam.

 

 

publicado às 11:00

A SEC (EM PROCESSO DE INSOLVÊNCIA) A ESCONDER PATRIMÓNIO?

As fotos que se seguem, referem-se a uma operação que tem estado a decorrer nos últimos dias a partir das antigas instalações da SEC em Alfena, a cargo da empresa EGEO - uma empresa ligada à 'gestão global de resíduos'.

 

Ninguém viu no local António Dias Seabra, o administrador da insolvência e isso é estranho, porque tanto movimento de camiões não pode ter a ver com 'recolha de resíduos' - a não ser que a SEC antes de encerrar estivesse atafulhada em lixo -  antes permite pensar que se trata de mais uma operação de 'saque' para esconder património.

 

Não estou a afirmar que o seja de facto, mas que é uma das hipóteses que surge logo à cabeça de quem passando pelo local, conhecendo o famigerado processo e assiste àquele movimento todo, é um facto.

 

Os alfenenses vão estar atentos e a EGEO que se cuide com as guias de transporte para apresentar a quem de direito, pois as saídas dos camiões têm sido registadas.


 

 

publicado às 13:23

Pág. 1/3

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D