Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

COISAS DE 'OUTROS TEMPOS' - #2

PS leva parcómetros de Valongo ao Tribunal de Contas

JN/Hermana Cruz - hoje

A Câmara de Valongo admite que a concessão de parcómetros cria uma situação "insustentável" e tem aspectos cuja "legalidade não está suficientemente esclarecida". Por isso, quer renegociar ou revogar a concessão. O PS vai expor o caso ao Tribunal de Contas.

Há anos que o contrato de concessão de estacionamento de duração limitada (parcómetros) está a criar polémica entre o Executivo de Valongo e a Oposição. No dia 6 de Abril, foi criada uma comissão municipal para apurar se o contrato é, de facto, lesivo para o município, como alega o PS e o movimento “Coragem de Mudar”. A comissão tem que fazer um relatório até Outubro. A Câmara, porém, não vai esperar pelas conclusões. Na reunião de hoje, o Executivo vai defender “uma renegociação dos contratos de concessão, sem excluir a hipótese de resgate (retirada da concessão à empresa)”. “Desde 2003 e 2004, que o estacionamento de duração limitada nas freguesias de Valongo e de Ermesinde se encontra concessionado. Os contratos fixavam em 20 anos a duração e em 429 e 322 o número de estacionamentos para cada uma das freguesias”, explica-se na proposta. No documento, o Executivo acrescenta:“Sucessivas alterações, cuja legalidade não está suficientemente esclarecida, deram aos contratos actualmente em vigor uma validade de 30 anos e aumentaram o número de lugares de estacionamento para 496, em Valongo, e 505, em Ermesinde”. O Executivo considera a actual situação “insustentável”, até porque a empresa concessionária tem lucros de 223 mil euros, enquanto a Autarquia tem gastos anuais superiores a 100 mil euros e recebe apenas 12 mil euros. Perante isso, o PS garante que vai expor o caso ao Tribunal de Contas e ao Ministério Público. “Esta intenção e pressa configuram uma situação muito grave e de duvidosa legalidade”, diz o deputado e líder do PS/Valongo, José Manuel Ribeiro, acusando o Executivo de estar a tentar “legalizar e branquear à pressa” um “processo vergonhoso”.


PS: Como era bonito o discurso do líder do PS (*) de Valongo em Junho de 2010!

Passaram mais de 4 anos desde essa episódica 'trovoada seca' e os interesses de Câmara continuaram a ser postos em causa. E os interesses dos munícipes também, porque continuaram a ser espoliados por uma empresa que ainda por cima recorre aos fiscais pagos pela Câmara para nos deixarem o papelinho no para-brisas se porventura nos esquecermos da moedinha - porque 'vamos só ali' por 5 minutos.
Alguém sabe qual é a posição do actual líder do PS (**) de Valongo sobre o assunto?
(*) - José Manuel Ribeiro
(**) - José Manuel Ribeiro (presidente da Câmara Municipal de Valongo)
publicado às 21:48

COISAS DE 'OUTROS TEMPOS' - #1

 

Vou iniciar a partir deste post uma secção inteiramente dedicada ao Zé Manel Ribeiro de tempos - de vereador da Câmara, de dirigente político e de deputado municipal - e que vou tentar 'alimentar' com algum acervo que fui formando ao longo dos últimos anos.

 

Acho que tenho material bastante para um bom início, mas agradeço a quem queira colaborar enviando coisas interessantes - nomeadamente por serem contraditórias com a sua prática actual ou com as suas omissões como presidente de Câmara ou então, por serem condizentes com as mesmas e nos terem passado despercebidas no momento de fazer a 'cruzinha' em Setembro passado.

 

O interessante da Internet é que nos permite seguir o rasto dos seus utilizadores, constatar as piruetas e os flic-flac que vão fazendo, compaginar as suas posturas do presente com as do passado recente e consolidar ou rever opiniões sobre os mesmos.

 

Não colocarei grandes comentários pois a ideia é permitir a quem me vai seguindo a 'fruição' dos conteúdos tirando daí as suas conclusões. Depois, podem sempre contar com o espaço dos comentários para dizerem da vossa justiça e opinarem sobre 'procecessos degenerativos a nível da coluna vertebral'.


 

Primeiro contributo:

ze ribeiro zemanelribeiro2008@gmail.com

11/09/13

 

 

para ‪mim

 

 

 

 

---------- Mensagem reencaminhada ----------

De: "ps valongo" <partidosocialistadevalongo@gmail.com>

Data: 03/09/2013 11:55

Assunto: Participação de caso de favorecimento em processo de licenciamento de construção

Para: <correio@penafiel.taf.mj.pt>

Cc:

 

Exmo. Senhor Procurador da República

junto do Tribunal Administrativo e Fiscal de Penafiel,

 

O Partido Socialista de Valongo tendo recebido na sua sede em Valongo um conjunto de provas documentais, que remete em anexo, vem por este meio e conforme sua obrigação participar ao Ministério Público junto do Tribunal Administrativo e Fiscal de Penafiel, uma situação muito grave de favorecimento em processo de licenciamento de construção, em que os autarcas e requerentes envolvidos lesam de forma grave os cofres da Câmara Municipal de Valongo.

 

Assim, a 18 de Dezembro de 2008, a Associação Grupo Dramático e Recreativo da Retorta, por intermédio do seu Presidente, João Paulo Pereira, atual candidato a Presidente da Junta de Freguesia da União das Freguesias de Campo e Sobrado, solicita à Câmara Municipal de Valongo um pedido de isenção do pagamento de taxas e licenças municipais de urbanização (em anexo pedido), com o fim último do edifício a construir se destinar à promoção do fim a que se destina a associação (conforme referido no ponto 6 do pedido).

 

As taxas e licenças municipais de urbanização a pagar caso não fosse concedida a isenção do pagamento seriam no valor total de 58 334,23 Euros (em anexo documentos municipais relativos aos respectivos cálculos).

 

Face às dúvidas levantadas pelos serviços, conforme se extrai da leitura dos referidos documentos, a Câmara Municipal de Valongo notifica a 20 de Janeiro de 2009 a associação requerente do pedido de isenção, para que esclareça o fim a dar à edificação em causa (em anexo notificação da Câmara).

 

A 2 de Março de 2009 a requerente do pedido de isenção do pagamento de taxas, responde à Câmara Municipal reafirmando que o fim da edificação é 

 "a elaboração e montagem de cenários, bem como para guardar material sua propriedade, ensaios de marchas populares, desfiles de carnaval, montagem de carros alegóricos ", conforme documento em anexo.

   

No entanto, a 4 de Maio de 2009, dois meses depois das garantias dadas pela associação à Câmara Municipal de Valongo para poder beneficiar de uma isenção de taxas e licenças no valor de 58 334,23 Euros, a associação Grupo Dramático e Recreativo da Retorta, vende esse mesmo imóvel a um privado, conforme Certidão Permanente em anexo.

 

Para além disso, a 11 de Março de 2011, a ARH-Norte por oficio comunica à Câmara Municipal um parecer desfavorável ao pedido de construção efetuado pela associação que beneficiou da isenção do pagamento de taxas e licenças municipais.

 

Finalmente, a 8 de Março de 2012, a actual proprietária do imóvel solicita à Câmara Municipal de Valongo um pedido de averbamento (em anexo), sem que a Câmara Municipal e o seu actual Presidente tenha salvaguardado a legalidade e dado ordens de requer o pagamento das respectivas taxas e licenças, como acontece com qualquer particular.

 

Assim, perante a documentação em anexo, parece-nos existir um claro favorecimento da Câmara num processo de licenciamento de uma edificação, com claro prejuízo para os cofres da autarquia, pelo que apelamos a Vossa Exa. para que actue em conformidade.

 

Com os nossos melhores cumprimentos,

Valongo, 3 de Setembro de 2013

A Comissão Politica Concelhia do PS Valongo

 

 

7 anexos


PS: Alguém conhece algum desenvolvimento deste caso? Alguém já perguntou ao JMR qual é a sua posição actual acerca do mesmo - como presidente de Câmara? 

publicado às 16:17

'TIM-TIM POR TIM-TIM'...

 

Exmo. senhor vice-presidente da Câmara - presidente em exercício,

 

Recebi no passado dia 26 de Agosto um e-mail assinado pela chefe de gabinete do senhor presidente, onde era informado de que o meu pedido de documentos sobre o qual tinha falado nesse mesmo dia consigo, tinha sido encaminhado para a CADA - para esclarecer dúvidas (?).


O referido e-mail começava assim e passo a citar: "Incumbiu-me o Senhor Presidente da Câmara Municipal, Dr. José Manuel Ribeiro (...)"


Venho pois junto de VExa. solicitar os seguintes esclarecimentos:

- O senhor vice-presidente ficou - ou não - como presidente em exercício, durante a ausência do senhor presidente?
- Se ficou, porque é que o e-mail refere o senhor presidente como autor da decisão?
- Dar-se-á o caso de o senhor presidente ter deixado a decisão proferida antes de ir de férias? E se foi assim, porque é que a sua chefe de gabinete deixou esgotar o prazo legal para a resposta para me enviar a informação?
- Por último, partilha VExa. das dúvidas que motivaram o envio do assunto para a CADA?

Com os melhores cumprimentos,


 

 

Ainda sobre a 'manhosisse' que relatei AQUI, enderecei há minutos atrás ao senhor vice-presidente (presidente em exercício) da Câmara de Valongo o pedido de esclarecimento que acabei de transcrever.

 

Gosto que me expliquem bem as coisas - porque afinal já não vou para novo e às vezes tenho receio de entender mal e ser injusto com alguém. Mas prefiro correr o risco de passar por estar a ficar com o raciocínio lento a que me tomem por ingénuo...

publicado às 14:31

CAMARA DE VALONGO - O 'TRIGO E O JOIO'...

Ainda sobre o 'case study' da Câmara de Valongo...

 

Antes que seja tarde para o fazer - e também porque é justo que o faça neste momento - quero deixar claro o seguinte:

 

99,99% das denúncias e críticas que tenho vindo a fazer sobre a actual situação na Câmara têm como destinatário um único 'agente infeccioso' - não tenho 'aspas' maiores... - chamado José Manuel Ribeiro!

Por acção ou simples omissão dele, a Câmara tem sido governada pela maçonaria, pelo 'gang do urbanismo mafioso' e pela 'holding' que gere a nível nacional a distribuição do financiamento partidário do partido da rosa - em partes iguais ou desiguais pouco interessa, que o que conta verdadeiramente é o conjunto e não as partes.

 

Tenho apenas uma pequena dúvida que não tem muita relevância e que é a de saber se o vice-presidente não sabe, não quer ou não o têm deixado fazer melhor do que tem feito na sua área e tem sido de facto muito pouco.

 

Quanto aos dois restantes vereadores do executivo, do pouco que têm podido fazer com os escassos meios que lhes têm sido disponibilizados e por aquilo que conheço do seu trabalho, só posso fazer uma apreciação positiva.

 

De qualquer forma e sem qualquer desprimor pelo que têm vindo a fazer - e estou a ser sincero ao dizê-lo, sobretudo em elação a dois deles - terão de admitir que a 'fotografia' da Câmara de Valongo é ocupada na quase totalidade pela 'mancha desértica' que dá pelo nome de José Manuel Ribeiro, sobrando uns escassos 'pixels' para os restantes.

 

Concluo esta espécie de desagravo expressando um desejo:

 

Que o PS de Valongo consiga arranjar um cargo nacional qualquer, de relevância à medida e para onde possa remeter sem direito a devolução o 'irmão' José Manuel Ribeiro. A 'Loja Passos Manuel' da maçonaria portuguesa nem lhe sentirá a falta e o Concelho ganhará com a transferência.

Com José Manuel Ribeiro não há 'fotografia' que se salve nem Valongo conseguirá deixar de ser 'o bobo da festa' na roda dos vizinhos mais próximos!

publicado às 09:57

A 'ANIMAL FARM' DE VALONGO: "TODOS OS ANIMAIS SÃO IGUAIS..."

 

E pronto, partilho aqui a queixa que acabo de remeter à CADA - Comissão para o Acesso aos Documentos Administrativos, contra o presidente da Câmara de Valongo.

 

Como dá para adivinhar, José Manuel Ribeiro teme que eu possa 'saber demais' no dia em que o PDM vier a ser discutido na Assembleia Municipal de Valongo e teme sobretudo, que do acréscimo de informação que poderia eventualmente resultar do acesso aos documentos que eu solicitei e que são públicos, resultasse algum prejuízo para o seu amigo Jaime Resende - o-tal-'garimpeiro'-dos-16-milhões-de-euros-num-só-dia

Por isso, num vergonhoso exercício de rasteirice política, deu - desde o local paradisíaco onde descansa da desgovernação de Valongo -  indicações à sua chefe de gabinete para me remeter a pérola de 'litigância de má-fé' que resolveu patrocinar.

 

Para que não restem dúvidas a ninguém, sobretudo aos mais distraídos, não foi preciso sequer esperar 1 ano para ver que nesta Orwelliana 'Animal Farm' valonguense, nada mudou, ou se mudou foi para pior.

 

Juntou-se a fome e a vontade de comer de uns quantos recem-chegados à vontade de comer e à fome de outros que já por ali andavam de "pulseira electrónica" a dar nas vistas e acabaram por ficar e o resultado não podia ser outro.

Até 29 de Setembro de 2013, o slogan mais forte era 'todos os animais são iguais'. Passado menos de um ano, já dá para ver que uns são mais iguais que outros...


 

A 'manhosisse':

 


 A queixa:

  

publicado às 21:08

OS "FORA DA LEI" - "A LEI SOU EU" - LUÍS XIV/JOSÉ MANUEL RIBEIRO DIXERUNT,,,

E se alguém tinha alguma dúvida de que a Câmara de Valongo é uma Câmara fora da lei - sem "aspas" - aqui fica o último exemplo acabadinho de chegar e que partilho já a seguir.

 

O assunto a que se refere o e-mail da chefe de gabinete é daqueles que 'queimam' e tem a ver com o 'garimpo de Alfena' e com o famigerado contrato de urbanização com a Novimovest e a Jerónimo Martins.

 

Apesar dos protestos do presidente da Câmara, de que apenas o move o interesse dos cidadãos e a criação de emprego, o simples facto de se colocar de forma ostensiva fora da Lei, negando documentos que são públicos, prova que isso não é verdade e que não basta dizer que nunca falou com ninguém do Banco Santander/Novimovest ou com o amigo Jaime Resende para que o seja

 

Editando ligeiramente o conhecido provérbio, "à mulher de César não basta parecer séria, é preciso sê-lo!"

 

O facto incontornável é que a Câmara tinha desde o dia 11 de Agosto 11 dias úteis para satisfazer o meu pedido. Terminaram ontem.

Fora de prazo - e fora da lei portanto - chegou-me há minutos por e-mail esta preciosidade...

 

Aqui vai ela então - pura litigância de má fé:

 

 

 

publicado às 18:05

ALFENA DO NOSSO DESCONTENTAMENTO - VERGONHAS (N.º 1)...

Em 9 de Maio de 2013 publiquei ISTO de que deixo o recorte que se segue:

 

É sempre assim - em Valongo, mas não só...

 

Vésperas de eleições e lá ressuscita o chamado 'fundo de reserva para a promoção de imagem' - a designação é fictícia e acabou de ser inventada agora mesmo por mim.

 

Em Alfena, aí estão as máquinas da Câmara, a promover 'cruzinhas' no boletim de voto, dando uma imagem enganadora de dinamismo da Câmara - e também da Junta - aparentemente a remarem contra a crise, promovendo desenvolvimento.

 

Mentira!

 

O que fazem agora, já há mito deveria estar executado: terraplanagens do terreno destinado à nova Unidade de Saúde e loteamento anexo do Sr. António das Neves Pereira, arranjo atamancado (previsto) do espaço sob o viaduto da A41, corredor ecológico, limpesa (prevista) do Leça...

 

Mas no meio desta 'azáfama' toda, há 'térmitas' a movimentar-se no 'subsolo' atentando como sempre contra a natureza, contra as leis vigentes, contra os direitos das pessoas, contra as boas práticas urbanísticas (...)"


Afinal, como diz o Povo, "vira o disco e toca o mesmo", ou seja, entre Fernando Melo/João Paulo Baltazar e José Manuel Ribeiro, "venha o diabo e escolha".

 

Corrijo! Entre as duas 'configurações', é hoje seguro dizer que a actual é bem pior!

 

E antes que os 'batedores de palmas' do costume saiam a terreiro em defesa do presidente, atirando-me com os (não)argumentos do costume eu antecipo-me para os poupar ao vexame: Nenhuma das minhas críticas tem a ver, nem de perto nem de longe, com ressabiamentos resultantes de alguma benesse não concedida, de algum lugarzito negado, de algum cargo político ou honorífico recusado

 

Esta Câmara "não ata nem desata" e isso salta aos olhos de qualquer um. Com esta Câmara e com José Manuel Ribeiro, "nem o pai morre nem a gente almoça".

 

Citando a propósito uma frase do grande intelectual e revolucionário alemão que foi Karl Marx, "Os filósofos limitaram-se a interpretar o mundo de diversas maneiras; o que importa é modificá-lo".

 

No meu modesto entendimento e descendo à pequenina escala do nosso Concelho, já 'filosofamos' o suficiente sobre ele. Agora o que verdadeiramente urge fazer é modificá-lo!

 

Porque no meu artigo de Maio de 2013 - há mais de um ano portanto - falava do início das obras da nova USF de Alfena que se ficaram exactamente por aí, pelo início e a única mais-valia que delas resultou, foi o aumento da capacidade de estacionamento para quem trabalha na zona dos bancos, mais à frente, porque não tentarmos um destes dias promover um 'cordão humano da vergonha' entre a velha USF e este local?

 

Pensem nisso...

publicado às 14:52

PRESIDENTE DA CÂMARA DE VALONGO - 'A LEI SOU EU'...

Lamento ter de o dizer desta forma, mas a Câmara de Valongo esta definitivamente fora da Lei.

 

Até mesmo os mais ingénuos do 'sonho de Setembro de 2013' entre os quais me incluo já perceberam que a governação do nosso Concelho não se decide na Avenida 5 de Outubro, mas sim 'num-local-secreto-algures-não-sei-onde' e com 'homens de avental' irmanados no mesmo ideal, apesar de 'nas-suas-vidas-não-secretas' aparentarem ser adversários ou até mesmo inimigos.

No caso de Valongo, conhecemos a extensa lista da 'Loja Passos Manuel' - mas podia ser '8 de Maio', 'Revolta', 'Acácia', 'Alberto Sampaio', 'Arcádia' ou outra qualquer designação entre as muitas conhecidas onde entre muitos nomes existe um José Manuel...

 

E esse 'irmão de avental' que na vida real se senta na presidencial cadeira da Avenida 5 de Outubro quando transpõe a entrada do 'local de culto', despe as vestes partidárias e o compromisso eleitoral que imaginávamos que teria connosco desde Setembro passado, para se tornar livre-sem-ser-pedreiro, sendo que 'livre' neste caso, significa que se esteja literalmente a marimbar para os interesses 'pequeninos' daqueles a quem prometeu servir - porque mais forte era já o compromisso que o amarrava antes de se 'comprometer' com Valongo.

 

Não nos surpreendemos pois com o facto de nestes cerca de 11 meses de governação quase tudo esteja igual ou pior ao que estava antes de acreditarmos que MUDAR VALONGO ia ser possível.

 

Por hoje vou apenas indicar um exemplo - entre as muitas dezenas de que poderei falar noutra altura - do desrespeito desta Câmara de Valongo que se diz socialista, pelo cumprimento das Leis do País.

 

Em 3 de Julho de 2014 requeri um conjunto de informações relacionadas com o lamentável processo de corrupção a que se refere a Unidade Operacional de Planeamento e Gestão - a UOPG 06 de Alfena.

 

Parêntesis para relembrar: 

 

(A UOPG 06 é nada mais nada menos que o famoso 'garimpo de Alfena' detido pelo Banco Santander através do fundo de investimento imobiliário NOVIMOVEST e onde o ex-vereador de Fernando Melo, José Luís Pinto, ajudou a lançar à terra em 2007 4 milhões de 'Euro-sementes'.

Como entretanto as 'condições climatériacas' se complicaram, só agora é que com a ajuda preciosa do 'irmão de avental'/presidente da Câmara a reprodução se vai consumar. E não será pequena, uma vez que descontadas as sementes iniciais, se espera um saldo positivo de 16 milhões de 'Euro-sementes').

 

Pois bem, a Câmara 'fora da Lei' - da Lei 46/2007 -  tinha um prazo de 10 dias úteis para responder ao meu pedido (ver recortes seguintes) -  mas apenas em 25 de Julho recebi a 'resposta manhosa' que me abstenho de reproduzir.

 

Resposta? Não brinquem comigo!

 

É claro que voltei ao assunto, requerendo os elementos detalhados que constam do pedido que coloco abaixo (em 11 de Agosto) com os tais 10 dias da Lei atrás referida para uma resposta.

Hoje são 26 e... nada! Como dizia António Guterres, "é só fazer as contas", para concluir que mais uma vez a Câmara se está a borrifar para o cumprimento das Leis do País e para os direitos de um cidadão que por acaso, até é deputado municipal e que vai ter de votar o PDM na Assembleia Municipal!

 

Termino no mesmo registo com que comecei:

 

A Câmara de Valongo continua 'fora da Lei' como esteve nos últimos 20 anos, mas por muito que me custe admiti-lo - porque isso torna ainda mais lamentável o embuste em que me deixei cair - está pior do que estava no último mandato de Fernando Melo/João Paulo Baltazar!

De facto, nem Fernando Melo nem João Paulo Baltazar ousaram ir tão longe na displicência e no desrespeito pela Lei!

 

Nestes anos todos em que de algum modo tenho procurado 'incomodar' - no bom sentido - requerendo informações ou pedindo o acesso a processos que são públicos, tinha de vir uma Câmara socialista' para me obrigar a ter de recorrer à CADA - Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos para obter informações que são de consulta aberta!

 

Os recortes:

 

 

(...)

 

 

(...)

 

 

 

 

 

publicado às 00:50

AS 'PRIMÁRIAS' DE QUE O PAÍS FALA E OS TRÊS 'PS's'...

 

Eu bem não queria falar do PS! - aliás, corrijo a forma singular do acrónimo, porque a bem dizer existem três PS's...

 

E passo a explicar, não sem antes colocar pela enésima vez a minha 'declaração de interesses': não sou militante, mas apoiei o PS na qualidade de independente nas últimas eleições autárquicas, no meu Concelho que é Valongo e sou deputado municipal - eleito pelo PS, mas de cujo grupo municipal me desvinculei há pouco por razões que não vêm agora ao caso. Não vêm porque já vieram... 

 

Existem os 'dois PS's - não não me enganei - institucionais de António José José Seguro e António Costa que eu respeito - da mesma forma que respeito institucionalmente todos os partidos de matriz democrática, mesmo que possa não concordar com as ideias que defendem - e depois existe um terceiro PS feito de rapazitos - não, não me refiro ´JOTAS', que desses eu gosto e respeito - alguns já entradotes e até com barbas.

 

Se eu respeito de igual modo os 'dois' primeiros, no que toca a este último já não tenho pachorra!

Não sei se é defeito meu - e até hesitei em fazer este reparo - mas alguns dos comentários mais lamentáveis em torno da disputa Seguro/Costa em que 'tropecei' por aqui no Facebook, têm sido produzidos por alguns recentes companheiros de percurso na última campanha autárquica em Valongo e 'que por acaso' são apoiantes de Seguro.

 

Há pouco, deixei um comentário numa publicação, comentário esse que não era dirigido especificamente a ninguém, porque vinha na sequência de comentários anteriores e que dizia mais ou menos isto: "com 'inimigos' desta qualidade o PSD bem pode manter-se descansado mais um tempito lá pelo Pontal".

 

Um dos tais rapazitos - volto a lembrar que não me refiro aos 'JOTAS'! - não gostou e vai daí, ele que ainda terminou a escola há pouco, sacou da mochila o lápis azul e vai de se armar em censor, ele que nesse tempo  julgo que nem de cueiros andaria!

 

Que fique claro: Eu ainda não decidi se vou participar - como 'simpatizante' - nas primárias do PS e muito menos ainda, qual dos dois candidatos apoiaria se me viesse a decidir.

 

'Parêntesis':

(Não sei porquê, mas há 'um-desabafo-da-minha-avozinha-que-Deus tem' que nos últimos tempos não me sai da cabeça e que ela deixava escapar quando tinha que decidir sobre duas coisas de que não gostava: "(...) que venha o diabo e escolha").

 

Mas já agora, meu caro António José Seguro, se finalmente me decidir a votar nas primárias do teu partido e me fugir a cruzinha para 'aquele-de-quem-não-se-deve-dizer-o-nome', não será apenas por causa do rapazito de hoje no Facebook.

 

'Não-será-só-mas-também'!

 

Já agora, coloco aqui alguns recortes da 'história-do-lápis-azul-do-Facebook':


 

 

 

publicado às 18:38

CÂMARA DE VALONGO - A OMISSÃO É 'PRIMA' DA MENTIRA...

 

Ainda a propósito do meu post de ontem...

 

Das duas uma, ou o meu amigo Zé Manel Ribeiro, presidente da Câmara de Valongo tem uma grande 'cara de pau' e andou a rir-se nas minhas costas quando eu, ingenuamente me referia ao caso do arquitecto Vítor Sá como se estivesse ainda em recurso, ou então, estava também ele mal informado sobre o assunto e desconhecia que já tivesse sido proferida sentença condenatória com trânsito em julgado.

 

Não acredito na segunda hipótese, até porque o novo gabinete jurídico da Câmara tinha obrigação de acompanhar ao detalhe a evolução deste caso, para além de que as minhas constantes referências ao mesmo em conversas com o presidente, inevitavelmente o deveriam ter motivado a pedir informação ao Dr. Ricardo Bexiga. Se este eventualmente se tivesse esquecido de 'monitorizar ao dia' o assunto, esse seria o sinal para fazer uma pequena corrida até ao Tribunal a fim de se informar. 

Restar-me-á portanto a primeira hipótese, o que desde logo me forçará a uma 'revisão em baixa' da expressão 'meu amigo'.

 

Se há coisa que me irrita solenemente, ela é a mentira, sendo que a omissão da verdade é apenas uma forma mais rebuscada de mentira!

 

Para que conste, vou avisando que não costumo 'levar desaforo para casa'!

Quando um qualquer amigo mais ou menos recente se arma em 'manhoso e deliberadamente me 'troca alhos por bugalhos', isso costuma provocar-me uma reacção semelhante à que teria se por exemplo, um antigo colega de escola ou amigo de infância me tentasse vender o gato escanzelado lá de casa, como sendo uma gorda lebre para aquele famoso arroz da dita... 

 

De qualquer forma, o centro da questão que aqui me trouxe de novo é a condenação com trânsito em julgado do arquitecto Vítor Sá a 3 anos e meio de prisão (com pena suspensa) por corrupção passiva e a ausência de qualquer atitude consequente por parte do actual executivo da CâmaraCorrijo, pior que a ausência de atitude, foi o reforço de protagonismo do dito funcionário superior, que curiosamente, costuma aparecer até como uma espécie de 'assessor técnico' do presidente.

Sobre isto, José Manuel Ribeiro fica a dever aos valonguenses honestos - e isso inclui todos aqueles que o apoiaram de forma muito empenhada e lhe garantiram a sua vitória eleitoral - uma explicação muito clara e urgente!

 

publicado às 21:03

Pág. 1/3

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D