Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO - SERVIÇO PÚBLICO...

E amanhã, reúne em Assembleia ordinária, o Órgão Deliberativo de Valongo.

É às 21 horas, no sítio do costume - o Salão Nobre da Câmara.

 

A ter em conta as possíveis 'ondas de choque' resultantes da 'tomada de Valongo' - pelos 'exércitos da aristocracia de Lisboa' (!)

 

publicado às 14:12

VALONGO E A 'ARISTOCRACIA LISBOETA'...

 

Dizia (escrevia) um rapazinho facebookiano aqui de Valongo, que 'por acaso' é irmão daquele que foi o apoiante mais destacado de António José Seguro no Concelho - o presidente da Câmara, José Manuel Ribeiro - que "esta batalha é entre o Povo e a aristocracia lisboeta"...

 

Ora bem...

 

Se tivesse sido outra pessoa a dizê-lo e não o tal rapazinho - que ainda 'é novo e não pensa' - depois dos resultados das primárias de ontem no PS e que 'resulram nos resultados' que todos conhecemos, eu teria ficado confuso:

 

"Queres tu ver que a 'aristocracia lisboeta' se aliou à moirama' e terão iniciado às escondidas o caminho inverso àquele que foi percorrido pelas hostes de  D. Afonso Henriques e vieram à conquista de Valongo - de Valongo e do resto do País, com excepção da 'invicta' Guarda...".

 

É claro que não se trata de nada disso, porque o que ontem ocorreu foi uma luta entre o 'zero absoluto' de Seguro e o 'talvez qualquer coisa' de António Costa.

 

Para facilitar o entendimento, o que ontem se passou, foi que a esmagadora maioria dos militantes e simpatizantes do PS - os de Valongo incluídos - fez uma opção clara e inequívoca entre 'o mau e o péssimo' e quando se chega a este limite mínimo nas opções, não há como hesitar.

 

 

De facto eu não sei se António Costa terá vontade ou capacidade para fazer muito melhor do que fizeram Guterres ou Sócrates no passado, mas ainda que tenha, Bruxelas que é o 'DDT'(*) que nos vai exterminando a todos de forma lenta mas inexorável não lhe permitirá seguramente alimentar grandes veleidades de o vir a conseguir. 

(*) 'DDT': 'dono disto tudo'.

 

Logo, A SOLUÇÃO, pelo menos qualquer solução digna desse nome, terá mais cedo ou mais tarde, de passar pelo corte radical com o 'ocupante estrangeiro' - que por acaso nem é aristocrata nem mouro - e implantar uma nova República popular, a IV pelas minhas contas, onde o Povo mande efectivamente nos seus destinos e onde 'os rapazinhos, os irmãos dos rapazinhos e os boys e amigos de todos eles' - os de Valongo também - passem a ter garantida apenas, como todos os outros, a oportunidade e não a certeza no acesso aos empregos, aos negócios e aos centros do poder que os geram.

 

O Povo - os valonguenses incluídos - deixou de se limitar ao 'ler escrever e contar' e portanto, pode deve e é urgente que o faça, libertar-se das 'elites' ditas mais instruídas e tomar o seu destino nas próprias mãos!

 

Mas nem sempre as mudanças têm de resultar de um qualquer 'PREC'(*)

Às vezes a vida também pode ser feita de etapas e ontem ter-se-à cumprido apenas uma delas.

(*)'PREC': 'processo revolucionário em curso'.

 

publicado às 10:38

CÂMARA DE VALONGO - 60 MINUTOS DE ERROS...


 

Ontem foi dia de reunião pública de Câmara.

 

Registamos - uma vez mais - a prestação a todos os títulos lamentável do presidente de Câmara e a sua impreparação em relação ao principal assunto em presença - os chamados acordos de execução da delegação de competências nas Juntas de Freguesia. 

Desta vez terá alguma justificação no seu intenso envolvimento na campanha de António José Seguro, mas convém que tenha presente que os valonguenses o elegeram para presidente da Câmara!

 

Mais uma vez também e pelo que foi dito pela oposição e não foi rebatido pelo presidente, a documentação relevante foi enviada em cima da hora e pior do que isso, o processo apareceu em cima da mesa cheio de imprecisões e lacunas.

 

Não adiantou o murro na mesa dado por José Manuel Ribeiro - não, não é uma figura de estilo, ele deu mesmo o tal murro! - o PSD e desta vez com razão, exigiu a interrupção dos trabalhos por 5 minutos para tentar rectificar à porta fechada algumas das anomalias.

 

Lá tivemos todos - o público - de sair do Salão Nobre -  e aguardar cá fora, não 5 mas 60 minutos!

 

Reiniciada a reunião, já com a presença de apenas cerca de um terço do público inicial, verificamos que o PSD e a CDU tinham razão nas questões que tinham colocado, face ao número e densidade das alterações introduzidas!

 

Mas o mais lamentável mesmo nesta parte final - em que o tal documento profundamente corrigido acabou até por ser aprovado por unanimidade - foi o presidente não nos ter 'brindado' sequer com um ténue sinal de humildade, admitindo que tinha estudado mal o dossier dos acordos e reconhecendo a forma atamancada como o levou a reunião de Câmara.

 

Pedir desculpa, caro Zé Manel, ao contrário do que você pensa, não é sinal de fraqueza e ontem você podia tê-lo feito - porque afinal, 60 minutos de erros são muitos erros!

 

E a oposição ontem até foi magnânima consigo, não lhe cobrando no final a sua 'entrada de leão saída de sendeiro'!

 

 

publicado às 12:11

ALGUMAS RAZÕES PARA OS VALONGUENSES NÃO VOTAREM EM SEGURO...

Tinha decidido no recato da minha própria consciência, que não me envolveria nesta guerra entre 'bons' e 'maus' no seio do PS - julgo que não preciso colocar asteriscos nos termos para dizer quem é quem, no dizer dos próprios e dos respectivos apoiantes, obviamente...

 

No entanto, a capacidade humana para encaixar desaforos sem reagir varia muito de pessoa para pessoa e a minha, confesso-o,  já teve melhores dias.

 

Ontem recebi em minha casa nove cartas endereçadas - 3 para mim e as restantes 6 para os restantes 2 membros do meu agregado (em partes iguais). 'Passei-me dos carretos'...

 

Relativamente a duas delas não comento. Apesar de tudo, consigo transigir relativamente ao 'direito' dos dois remetentes a incomodar-me e à minha família: quando nos inscrevemos como simpatizantes não nos salvaguardamos - nem sei se o poderíamos ter feito - relativamente a este previsível incómodo, partilhado solidariamente com o compostor onde costumo colocar o papel a reciclar - este tem alguma tinta e não sei se o deveria ter feito,  porque afinal sempre eram 9 cartas e respectivos envelopes...

 

Mas o que verdadeiramente me incomodou, ou melhor, aquilo que me incomodou mais, foram 3 delas, com remetente de Valongo.

 

Estava há pouco a ouvir na RTPN o Seguro a repetir pela milionésima centésima quinta vez - pelas minhas contas - que "temos de separar a política dos negócios e evitar a promiscuidade entre os dois interesses". Assino por baixo!

 

Como dizia a minha avozinha sempre que eu tentava extorquir-lhe um tostão para comprar rebuçados, desfazendo-me em gentilezas e ofertas de ajuda pouco usuais, "cantas bem mas não me encantas"...

 

Seguro não tem interesses ocultos, nem imagino o seu tapete lá de casa com aparência de esconder das nossas vistas qualquer inconveniente esqueleto. Mas no seu grupo de 'acólitos' há quem use o tapete e tudo o que seja recanto para disfarçar os ditos - desde logo, o remetente das referidas 3 cartas com endereço valonguense!

 

Sobre este assunto, quero dizer a António José Seguro o seguinte:

 

Não vou votar em si no Domingo, não porque o considere corrupto, desonesto ou sequer substancialmente diferente do outro candidato - talvez 'agrida' apenas um pouco mais que a conta a minha inteligência, mas também não seria por isso. E até lamento - estou a ser sincero, lamento mesmo - que se encaminhe para a derrota eleitoral não pelas suas incapacidades ou defeitos mas sobretudo pelas daqueles que o apoiam na linha da frente, nomeadamente aqui em Valongo, que é o caso que melhor conheço. Aliás, se estivessem de boa fé os seus destacados apoiante valonguenses, o melhor serviço que poderiam prestar-lhe teria sido ficarem em silêncio, 'caladinhos que nem ratos' para que não o associassem ao mau trabalho que por aqui vão levando a cabo.

 

António José Seguro, caro amigo,

 

Promiscuidade entre política e negócios é um problema sobre o qual os valonguenses ouvem falar há cerca de 20 anos.

E quando em Setembro do ano passado imaginaram que iria ocorrer pelo menos um pequeno intervalo de 4 anos, eis que os mais ingénuos de entre os muitos que derrotaram os anteriores 'guardadores de esqueletos' rapidamente descobrem que na sua autarquia - aquela onde você meu caro amigo ainda há pouco foi recebido - tudo continua na mesma, ou pior!

 

Você promete coisas para o País que não iria cumprir se um dia fosse primeiro ministro, mas acredito que as promete de boa fé. Aqui em Valongo, o seu mais destacado apoiante prometeu coisas aos valonguenses com uma inicial e muito condenável reserva mental de quem 'já a tinha fisgada'. 

 

E não falo de ânimo leve: 

 

O seu apoiante mais conhecido aqui no burgo, apresentou candidaturas à Câmara e a todas as freguesias, mas por exemplo naquela onde eu resido, Alfena, apresentou um candidato que todos os alfenenses respeitam, um homem sem 'reservas mentais' nem esqueletos escondidos e relativamente ao qual alimentaram muitas expectativas, para em paralelo e de uma forma verdadeiramente lamentável,  estabelecer um 'pacto secreto' com o candidato independente à Junta - que acabou por ser eleito - em troca da 'garantia' deste de o apoiar para a Câmara - se ele fizesse duas coisas: não colocasse 'demasiado vigor' no apoio ao socialista de Alfena e tão importante como isso ou mais, garantisse uma certa 'neutralidade' do Blog mais incómodo do Concelho durante a campanha eleitoral.

 

Não é uma insinuação o que eu estou a fazer, é uma afirmação!

 

Ingenuamente e sem conhecer - ou sequer imaginar - os contornos do miserável 'negócio', embarquei nos apelos a uma 'certa moderação' e como infelizmente para os valonguenses, o que menos me faltava eram motivos para escrever, virei as minhas 'baterias' para o candidato João Paulo Baltazar e para a 'guerra' pela conquista da Câmara.

 

Pois é...

 

A verdade, mau caro amigo António José Seguro, é que a corrupção florescente de Valongo não ficou para trás depois da vitória do seu apoiante mais ilustre por estas bandas. Quando muito, refinou-se um pouco, ficou menos ostensiva:

 

- O arquitecto do Urbanismo condenado no mandato anterior a 3 anos e meio de prisão por corrupção no âmbito da sua actividade na Câmara, por ali continua, como assessor informal do presidente, liderando informalmente também todo o processo de revisão do PDM, onde aliás e ao que dizem, tem trabalhado em 'causa própria' no sentido de obter algumas relevantes capacidades construtivas em terrenos anteriormente 'reservados'.

 

- O fiscal com 'licença de porta aberta' para projectos e que foi também ele condenado num processo disciplinar por corrupção e aguarda como arguido a pronúncia da Justiça relativamente ao mesmo assunto, continua 'na mó de cima' e a fazer autos de contra-ordenação.

 

- A prometida auditoria a toda a actividade da Câmara, afinal ao fim de um ano "não se justifica, porque é cara e provavelmente não iríamos descobrir nada que não saibamos" - José Manuel Ribeiro dixit, in reunião pública de Câmara.

 

- O 'faroeste' urbanístico do nosso Concelho,  tão criticado pelo ex-deputado da Nação e membro da Assembleia Municipal de Valongo e que inspirou tantas e tantas páginas de texto e motivou inúmeras declarações públicas produzidas ao longo dos últimos anos, prossegue de vento em popa, agora com uma boa perspectiva de obtenção de resultados 'palpáveis' através de um contrato de urbanização com o 'merceeiro-mor' de Portugal e arredores. Por via dele, o presidente da Câmara garantirá um encaixe líquido' de pelo menos 16 milhões de Euros - garantirá ao fundo imobiliário NOVIMOVEST/SANTANDER, entenda-se!

O NEGÓCIO situa-se em Alfena, dá pelo nome de 'garimpo' e envolve um testa de ferro que por acaso também é socialista - ou foi - em Matosinhos, familiar de um 'ex-soberano' do referido burgo - e que ao que dizem, também apoia o meu caro amigo. Iniciou-se com a compra de uns 'terrenitos' de área florestal pela módica quantia de 4 milhões de Euros - "isto aqui nem isso vale, pois não dá para construir" - e registados no mesmo dia e no mesmo Cartório Notarial por 20 milhões.

Afinal, vendo melhor a coisa - "olha aqui uma declaraçãozinha da Câmara, que linda..." - isto até pode ser uma Zona Industrial!

 

Pois é, meu caro António José Seguro...

 

Podia relatar-lhe aqui muitos outros e igualmente tristes exemplos protagonizados pelo seu mais ilustre apoiante de Valongo, mas porque já me fartei de escrever sobre eles, vou quedar-me por aqui.

Dá no entanto para perceber porque é que fico intrigado por não o ver rejeitar estes apoios que 'chamuscam'.

 

Como também dizia a minha avozinha, "diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és".

 

E se você 'não é', deveria há muito ter-se demarcado dos que o são!

 

publicado às 10:24

CÂMARA DE VALONGO - DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS...

Não está em causa o apoio que todos deveremos dispensar ao Ermesinde Sport Clube 1936, na difícil situação que atravessa e no seu litígio com a IMOSÁ e 'um senhor bem conhecido' chamado Abílio de Sá.

Erros passados de muitos que já 'se foram' e de muitos outros que ainda por aí andam, nomeadamente pela Câmara e arredores, conduziram-nos - e ao Ermesinde - até este ponto, que esperamos que não seja ainda de 'não retorno'...

 

Mas a contradição que eu queria registar tem a ver com a postura de José Manuel Ribeiro, presidente da Câmara relativamente ao problema - ver recorte da notícia do Jornal Verdadeiro Olhar e que transcrevo com a devida vénia a seguir:


 


Pois...

 

Os terrenos do 'garimpo de Alfena' também foram comprados em 2007 por um 'testa de ferro' da Novimovest/Santander por 4 milhões de Euros - por estarem classificados como REN/RAN, tendo sido registados na CMVM por mais de 20 milhões, depois de uma escritura efectuada meia hora depois da compra inicial e graças a uma garantia escrita em papel timbrado da Câmara, assinada por José Luís Pinto, assegurando a desclassificação dos referidos terrenos em sede de alteração do PDM

 

José Luís Pinto saíu antes de cumprir a promessa, mas nem por isso a Novimovest - e também 'alguns que nós sabemos quem são' sairão a perder neste negócio ilícito e pornográfico, porque neste caso, José Manuel Ribeiro não é tão corajoso ao ponto de ameaçar a Novimovest com uma expropriação por interesse público...

 

Porque será que não o faz?

 

Ele sabe que nós sabemos porquê...

 

Mas porque o assunto inicial era o problema do Estádio dos Sonhos, FORÇA ERMESINDE SPORT CLUBE 1936! Estamos convosco e com a razão que vos assiste e que seguramente triunfará!

 

publicado às 14:59

CORRUPÇÃO EM VALONGO - O PASSADO E O PRESENTE...

 

Dinheiro público é como água benta: todos põem a mão. (provérbio italiano)

 

Em Valongo não é diferente...


 

Para que não subsistam mais dúvidas a ninguém sobre as mais-valias que resultaram da compra dos terrenos do 'garimpo de Alfena' também conhecidos por 'Aeroporto de Alfena' por 4 milhões - enquanto classificados como REN/RAM - pelo 'testa de ferro' da NOVIMOVEST/SANTANDER, o amigo do actual presidente da Câmara, de seu nome Jaime Resende, familiar do conhecido 'homem de estado' de Matosinhos Narciso Miranda.

Eu disse 'resultaram' e não me enganei na forma verbal porque esse valor só não se 'consolidou' porque pressupunha que a garantia dada pelo então vereador do Urbanismo José Luís Pinto de que o PDM seria alterado, retirando-lhes a classificação de reserva REN/RAN se cumprisse também. Como tal não ocorreu, em 2009 este valor 'regressou provisoriamente' aos actuais cerca de 8 milhões.

 

Pelos recortes abaixo, podemos constatar exactamente o que está em causa se o PDM agora em vias de ser aprovado levar por diante a alteração da classificação dos referidos terrenos - na UOPG 06 de Alfena - isto é, os 20 e tal milhões de 2007 (1.º recorte) depois 'corrigidos em baixa' por causa do 'encravanço' do PDM e que no balanço de 2013 (3.º recorte) valem 8 milhões e tal, passarão novamente para os 20 e tal milhões depois da assinaturazinha de José Manuel Ribeiro.

 

Tudo isto claro, se entretanto não entrar uma providência cautelar e uma queixa-crime contra todos aqueles que de alguma forma e no uso dos seus poderes validarem com o seu voto este vergonhoso processo de corrupção e enriquecimento ilícito que lesa gravemente o interesse público, para além de validar um verdadeiro atentado ambiental cometido naquela zona, como se não houvesse Lei, como se valesse tudo - para a NOVIMOVEST, claro!

 

A promiscuidade entre o poder político e os negócios, em Valongo e ao contrário do que alguns mais ingénuos ou menos atentos possam pensar, não é uma coisa do passado mais ou menos recente, ela é uma situação verdadeiramente lamentável do nosso presente e isso tem de ser denunciado!

 

Ao meu amigo e presidente da Assembleia Municipal de Valongo que tem todo o interesse em estar bem informado sobre este 'POLVO' - onde é que eu já ouvi falar deste molusco? - eu vou remeter o link para este post.

 

Sei que fiquei de lhe enviar as provas da tal 'compra' pela NOVIMOVEST ao Jaime Resende pelos tais 20 milhões (as segunas escrituras, dado que as primeiras já lhas entreguei)...

Em vez de estar a digitalizar uma data de documentos, que tal caro Dr. Abílio Vilas Boas, uma consulta aos balanços da NOVIMOVEST publicados pela  CMVM - o link referidos abaixo. Lá, encontra tudo de forma rápida e simples...

 

Quem aprovar o PDM tal como José Manuel Ribeiro pretende que o seja - não hesitando em recorrer à tal 'disciplina de voto' com que me 'ameaçou' e que me forçou a abandonar o grupo do PS - quem com o seu voto permitir este lamentável processo de corrupção que tanta tinta tem feito correr e que ainda fará correr muita mais, será responsabilizado civil e criminalmente por isso! 


Relatórios da NOVIMOVEST na CMVM - AQUI

 

A seguir, os recortes...

 

2007:

 

  

2008:

 

 

2009:

 

 

2013:

 

 

publicado às 22:15

PARQUE VERDE DE ERMESINDE, AS 'CINQUENTA SOMBRAS' E UM ESCALDÃO NA CARECA...

Antes tivesse ficado à janela, tal como os autarcas do PS - no dizer de António José Seguro...

 

Porém em Alfena-a-bela 'a manhã amanheceu' amena hoje, de sol envergonhado e temperatura outonal e por isso, depois do 'café da manhã' - como dizem os brasileiros - resolvi alapar os 90 quilos de mim numa cadeira do terraço a respirar o odor intenso das uvas americanas da ramada por cima da minha cabeça e avançar um pouco na leitura do terceiro da trilogia 'As Cinquenta Sombras' de E L James.

Abri-o no sítio onde tinha 'aquele marcador de página' da última campanha do PS em Valongo - a página 285, aquela que começa assim:

 

- Mexo-me debaixo dele e, pouco depois, ele esboça um sorriso lento e carnal.

- Mrs. Grey tem carências - murmura ".

 

(...)

 

... e caminho tranquilamente por aquelas aprazíveis veredas do Parque Verde na cidade irmã aqui ao lado, junto ao nosso Leça - que a partir da Bela passa a ser de Ermesinde-a-cosmopolita - e apetece-me gritar para quem me quiser ouvir - os peixes imaginários talvez, que se existem não os vislumbro:

 

 - Estão a ver, cambada de detractores? Afinal não é só o Rui Moreira que cumpre as promessas eleitorais! Aqui em Valongo também se segue esse salutar costume. Ainda faltam uns dias para se completar um ano de mandato e tanta obra já executada! Parabéns José Manuel Ribeiro, por não nos deixar ficar mal perante o Povo que nos elegeu, ao contrário de tantos exemplos pouco edificantes que por aí se vêm...

 

(Coloco aqui o recorte que se segue, só para que possam conferir, da notícia publicada em 2013 no Jornal Verdadeiro Olhar):

 

 

- Queria e construiu, como se pode ver por esta bucólica beleza a perder de vista - comento eu com os meus botões, para não incomodar outra vez os peixes inexistentes...

 

Mas... algo não bate certo!

 

- ... toma lá o 'sombrero' que ainda assas ao sol - era a minha cara-metade de chapéu de palha na mão, que preocupada com o meu prolongado silêncio resolveu subir até ao terraço e deu comigo a cochilar com o sol das 11 a bronzear-me a careca, as 'Cinquenta Sombras' caídas no chão ao meu lado, já sem marcador nem nada...

 

 

(E agora, como é que vou lembrar-me da página?).

 

OOOPS!

 

- Queres tu ver que o Parque Verde não existe?

 

- Mas afinal acordaste ou ainda estás a sonhar? Sei lá de que Parque Verde é que estás a falar! Eu verde só vejo ali o quintal, cheio de ervas daninhas para arrancar e tu para aqui a falar de Parques Verdes...

 

E foi assim que terminou mais um 'sonho de uma manhã de Verão' - por sinal, mais-Outono-que-Verão...

 

 

 

 

publicado às 20:02

ALFENA-A-BELA - MAS NÃO ADORMECIDA...

 

Aproveitei esta tarde de 'Outono-que-ainda-não-é-Outono-porque-ainda-é-Verão-mas-não-parece', para elaborar um roteiro para a manhã de amanhã, um pequeno passeio por esta cidade linda que é 'Alfena-a-Bela' - pela 'parte-imaginária-de-há-uns-tempos-atrás-mas-agora-uma-feliz-realidade' - ooops!.

 

Então vai ser assim:

 

Para começar, vou tomar o pequeno-almoço naquele novo café-esplanada da nova zona de lazer do 'Vale do Leça' recentemente inaugurada com a pompa e circunstância do costume pelo presidente da Câmara. Vou gastar pelo menos uma hora a contemplar o espreguiçar um pouco mais vigoroso do que é normal para a época, do nosso querido Rio Leça.

Foi uma obra prometida pelo presidente anterior, transformada até em 'sineta' eleitoral, mas que acabou por ser concretizada em tempo recorde e de acordo com as melhores práticas, já neste mandato. 

Depois, e porque é sábado, vou fazer o que faz a maioria dos alfenenses nas manhãs de sábado: uma caminhada ao longo das margens do nosso Rio, que como todos sabemos, beneficiaram nos últimos meses de uma grande operação de limpeza, desassoreamento e recuperação, desde o parque de S. Lázaro até à fronteira com a cidade irmã de Ermesinde e onde foi instalado - também em tempo recorde - o há muito prometido passeio pedestre, construído em deck - para fazer pandã com as 'varandas do Camelo' junto à ponte do Pentieiro.

 

Tal como se vê por estes três exemplos - Vale do Leça, limpeza e desassoreamento do Rio e passeio pedestre - a nossa Câmara promete o que cumpre, o que prova aos detractores do costume que não têm nenhuma razão quando dizem que apenas o Rui Moreira o está a fazer na Câmara do Porto.

Ao contrário do que diz António José Seguro, ainda há autarcas que não ficam 'à janela da Câmara' e José Manuel Ribeiro é um deles.

 

Mas há mais:

 

Sensivelmente a meio do percurso pedestre e para sul do 'Vale do Leça', fica a zona multiusos/feiras temáticas instalada sob o viaduto da A 41, um espaço essencialmente funcional, mas também dotado de todas as condições para uma pequena pausa de descontracção e alívio de fluidos ou equiparados para os caminheiros de circunstância, agora que finalmente foram concluídas as prometidas instalações sanitárias. Como estamos recordados, a sua falta atrasou um pouco a inauguração do equipamento que chegou a estar prevista para Abril passado, mas finalmente tudo acabou em bem... 

De caminho, não deixarei de conferir o estado avançado das obras de recuperação dos velhos moinhos e também da levada do Cabo, tudo obras reivindicadas há anos pelos alfenenses e que finalmente estão aí, em velocidade de cruzeiro.

 

Ah! Não me vou esquecer de fazer um pequeno desvio no caminho de regresso, para ver em que ponto estão as obras de adaptação da casa da Quinta do Bandeirinha, a fim de instalar o prometido pólo de Serviços municipais/sede da Junta/loja do cidadão.

Já há uns dias que não passo por ali, mas pelo que vi da última vez, a obra deve estar muito próxima da sua conclusão.

O início dos trabalhos sofreu um ligeiro atraso dada a necessidade de a candidatar a uma linha de fundos comunitários, mas com um esforço suplementar de todos os envolvidos, o cronograma que previa a inauguração do espaço durante o primeiro ano de mandato do nosso presidente, deve ser cumprido à tangente...

 

E pronto. Julgo que tenho aqui programa para a manhã toda. Com jeitinho até corro o risco de ouvir o sermão habitual "já estamos p'raí há dois minutos à tua espera e assim a sopa fica fria e o bacalhau com natas perde a graça" e as reprimendas do costume - das manhãs de sábado do costume nesta 'Alfena-a-Bela' que nos distrai com tanta beleza e tantas tentações...


'Disclaimer' (que é como quem diz 'limitação de responsabilidade'):

Não garanto total rigor ou inteira veracidade (aqui para nós que ningém nos ouve, não garanto nenhum rigor nem nenhuma veracidade) na descrição dos locais. Estou no entanto convencido que se algum não estiver (ainda) tal como descrito, não tardará muito em estar...

 

publicado às 00:01

MALES MENORES - A DIFÍL OPÇÃO...

Caros amigos 'costistas' - sobretudo alguns bons amigos de Alfena e arredores:

 

Quero ser intelectualmente honesto convosco e por isso, não vou sequer omitir o facto - aliás já referido por mim em vários outros momentos - de que não acredito em nenhum dos partidos actualmente representados no actual quadro parlamentar - PS incluído, portanto...

As razões do meu descrédito são variadas e são comuns a todos eles, embora como é evidente, sejam mais carregadas relativamente àqueles que ao longo dos últimos 40 anos puderam ajudar a fazer diferente e não fizeram.

 

Também já disse várias vezes que para mim a verdadeira solução para o País passará sempre por 'enterrar' de uma vez por todas esta podre III República e 'partir para outra',  e nessa 'outra' nunca caberia nem António Costa nem António José Seguro.

Desculpem-me, mas seriedade intelectual pressupõe franqueza e vocês merecem-me esse respeito.

 

Mas eu e muitos outros portugueses estamos ainda na tal 'III' que muitos chamam 'das bananas' e temos um dilema pela frente nestas primárias do PS:

Ou aproveitamos a novidade da abertura aos simpatizantes e atrevemo-nos a ajudar a influenciar o resultado final das mesmas ou simplesmente, porque 'não é nada connosco', deixamos que sejam apenas aqueles que pagam quotas - ou que as encontram pagas por desconhecidos mecenas - a resolver a contenda.

 

Não ocorrendo no espaço de tempo que medeia até às eleições legislativas de 2015 a queda do regime caduco que eu gostaria de testemunhar, é quase certo que o próximo primeiro ministro de Portugal sairá do Partido Socialista.

 

E aqui chegado, é tempo de dizer ao que venho:

 

"Que Deus nos livre" - e é apenas uma frase feita bem portuguesa, porque não creio em nenhum ente superior embora respeite todos aqueles que crêem e também não sou de invocar em em vão o nome de qualquer divindade, seja ela cristã, hindu, muçulmana ou qualquer outra sem nela acreditar - que "Deus nos livre", dizia eu, de virmos a ter António José Seguro como primeiro ministro de Portugal!  

 

Por isso, caros amigos 'costistas' agrade-vos ou não a minha franqueza, resolvi hoje inscrever-me - e também à gente cá de casa - como simpatizante, para podermos ajudar a escolher 'o mal menor' - incomensuravelmente menor mesmo - dos dois 'males' em presença.

 

(Foi à pouco mais de 1 hora, na calma pacatez da minha casa, com a ajuda do meu MacBook e das ferramentas que o vosso Partido me disponibilizou).

 

É claro que se a III República não desabar nos próximos anos, vocês e o nosso primeiro ministro António Costa podem sempre surpreender-me pela positiva a partir de 2015, mas nisso eu creio tanto como creio em qualquer divindade...

publicado às 20:45

GOSTO DO CALIMERO - DA CRIAÇÃO DE NINO E TONI PAGOT, EVIDENTEMENTE...

 

O meu olhar sobre o "assunto do momento" - as primárias do PS...

 

Apesar de algumas insistências para que eu me envolva um pouco mais nesta luta desigual entre o discurso estruturado e com 'inteligência dentro' de António Costa e a ausência de qualquer discurso e o choradinho estilo Calimero de António José Seguro, não é ainda desta que me convencem.

 

No entanto...

 

Se eu fosse militante do Partido Socialista, não teria qualquer dúvida nem nenhuma hesitação sobre qual dos lados apoiar - às vezes até fico estarrecido com os 'argumentos' de alguns 'calimeristas', de Valongo sobretudo, em que tropeço por aí... 

Acontece que eu já não acredito na possibilidade de auto regeneração desta 'III República' e mesmo que alguma ténue possibilidade pudesse ainda subsistir, ela é à partida completamente inviabilizada pelo 'alfobre' de actores disponíveis e com capacidade para liderar a hercúlea tarefa - no meu entender.

 

É claro que posso estar a ser demasiado pessimista - e neste caso até gostava que isso fosse verdade...

 

Mas pronto, admitamos em tese que estou errado e que virá aí um 'forte rei para fazer forte a fraca gente' - fraca de debilitada, de desnutrida, porque demasiado tempo espoliada, entenda-se! - quem é que com dois dedos de testa admitiria colocar à frente dos destinos do País um 'homem bom' como Seguro?

E não digo 'bom' com ironia, digo-o mesmo a sério, mas isso é pouco, mesmo muito pouco, para  alguém com pretensões a ser o primeiro ministro de Portugal!

 

Porém, pior do que a dicotomia entre um discurso estruturado e com 'ideias dentro' de Costa e o choradinho do estilo 'cônjuge traído' de Seguro, importa estar atento às qualidades - ou falta delas - dos respectivos rebanhos.

 

E é aí então que ficamos completamente esclarecidos!

 

António José Seguro não soube ou não conseguiu resistir à contaminação dos apoios vindos do exército de alapados no poder local e todos os boys com este conexos, como é o caso de Valongo, aquele que eu conheço melhor!

 

A Câmara de Valongo - a maioria relativa que a governa, evidentemente - representa um desses apoios mais visíveis e por via dele, presta um mau serviço ao 'candidato-Calimero', sobretudo por lhe acrescentar o idêntico choradinho em versão local com o qual o seu presidente procura justificar em cada momento o total vazio de ideias e a absoluta ausência de políticas alternativas à miserável governação dos últimos 20 anos em Valongo!

 

O único cartão de visita que o presidente da autarquia consegue exibir para promover o apoio a Seguro, é o do incumprimento das leis, o do desrespeito pelo seu programa eleitoral sufragado em Setembro de 2013,  o da total inacção face aos graves e variados problemas do seu Concelho! 

Depois, acrescenta-lhe algumas 'bacoradas' e dislates de alguns arruaceiros virtuais, junta-lhe uns pozinhos de perlimpimpim, uma pitada de banha da cobra e... 'voilà'! Saia mais uma 'dose de José Manuel Ribeiro' para o País"!...

 

Só para que se veja o desespero de alguns rapazitos que gerem a 'informação facebukiana' de Seguro em Valongo, atiraram-me há dias com aquele caso lamentável da recusa de Costa em entregar - desde 2011 - informação relevante ao Jornal Público - AQUI.

Verdadeiramente lamentável a atitude de Costa e ainda bem que o Jornal PÚBLICO e o meu amigo António Cerejo venceram esta relevante batalha pelo direito ao acesso à informação  e aos documentos administrativos!

 

Mas sem se darem conta da 'gafe' os rapazinhos de Valongo cuspiram para o ar: é que há dias, o nosso Zé Manel recusou-me também um conjunto de documentos sobre o 'garimpo de Alfena' e sobre a corrupção a ele associada, enviando para a CADA - para 'queimar tempo' - um pedido de parecer sobre o meu direito (!)

'Nhaac'! caí-lhes o cuspo em cima!

 

Risível se não fosse dramática, a mera hipótese de se concretizar a vitória de António José Seguro e do seu 'exército de indigentes'...

 

 

 

 

 

 

publicado às 11:11

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D