Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO - 'PAGADOR DE PROMESSAS' PROCURA-SE...

Eu não sei se o Município de Valongo tem especificidades que os outros não têm, mas que o tempo por aqui vai pingando dos ponteiros dos relógios a uma velocidade diferente - menor, evidentemente - daquela que se verifica ao nosso redor isso é um facto que ninguém consegue negar.

 

(É claro que o que estou a dizer não se aplica à maioria dos valonguenses comuns, porque esses andam da perna com a mesma genica dos seus vizinhos maiatos, gondomarenses, penafidelenses, portuenses)...

 

Falo daqueles que prometeram com o mesmo entusiasmo e igualmente 'à boca-cheia' dos seus colegas em redor e agora não conseguem ter 'pedalada' para honrar as promessas.

Na ânsia de álibis, falam da Troika, do PAEL, do Fundo de Apoio Municipal, da chuva que é demais ou da chuva que faz falta e quando esgotarem os ditos álibis não hesitarão em culpar os ucranianos, o exército islâmico, a NATO, o Pacto de Varsóvia, o Putim, ou até mesmo o Sadam que já morreu, por todas as dificuldades que não são capazes de vencer...

 

Não quero ser maçador e por isso não vou repescar todas as promessas eleitorais que em Setembro de 2013 andamos a promover pelas ruas do nosso Burgo e em que nos comprometíamos a MUDAR VALONGO, mas faço um convite a todos os que tiverem um pouco de pachorra, para umas horas de 'lazer de sofá' na quentura da lareira e da acha crepitante na sala ou na cozinha, agora que se adivinham os dias frios e a chuva, para que façam um pequeno balanço deste 'ano e meses' de governação municipal, acompanhando com aquele programa eleitoral bonitinho que vos foi distribuído e onde a MUDANÇA estava prometida.

 

Ah! E já agora, façam também a equivalência entre a VERDADE e aquilo que é dito ao Povo por quem o governa em Valongo:

 

- Por exemplo, quando vos disserem que Valongo é a Câmara nº. 1 a nível da transparência, devem ler - segundo o Relatório da TIAC de Paulo Morais - 123ª. (115ª. em 2013!) - ver recorte a seguir:

Captura de ecrã 2014-11-30, às 17.31.26.png

- Quando ouvirem o presidente garantir ao vereador da CDU numa reunião pública de Câmara - sobre o Relatório de Ponderação da Consulta Pública do PDM - que "já enviamos respostas a todos os reclamantes ou quem apresentou sugestões", devem 'traduzir' para: "(...)e porque carga de água é que me está a perguntar isso? Se enviei ou não enviei, isso é comigo! E 'off the record', digo já que não enviei nem conto enviar!" .

 

- Se algum alfenense gravou porventura na memória a promessa de que o espaço multiusos sob a A 41 "irá ser inaugurado em Abril de 2014 - mais tarde corrigido 'em baixa' para "até final do ano" (de 2014)" - deve ter em atenção que Abril 'já era' e o final do ano 'já é agora'.

O melhor pois, é editar o texto para "(...)eventualmente durante o ano de 2015".

 

E poderia ir por aí adiante mas acho que estes exemplos já dão para ver que em Valongo "estamos na mesma como a lesma" e que o nosso Concelho é um 'caso à parte' entre os Municípios do grande Porto.

 

(Já agora, as Associações Coragem de Mudar, Al Henna e 'Clube 9 de Paus' apresentaram duas reclamações sobre o PDM, na sequência daquela sessão pública no Centro Cultural em que esteve o Dr. Paulo Morais e continuamos todos - tal como outros alfenenses - sentados à espera das ditas respostas).

 

publicado às 16:10

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE VALONGO - A INDEPENDÊNCIA TEM CUSTOS...

 

Apontamentos sobre a sessão de ontem da Assembleia Municipal de Valongo:

________________________________

 

1)

 

Porque não são de vidro os meus telhados - entre o granito e o aço, optei pela cerâmica...

 

Declaração/petição

 

            “Deputado da Assembleia Municipal de Valongo com obras ilegais em sua casa!”

 

Com o título acima e foto apensa, os valonguenses e também alguns munícipes de concelhos vizinhos – particulares e empresas - foram brindados há dias com centenas de ‘flayers’ impressos numa gráfica e distribuídos em correio azul de forma anónima e cobarde.

 

Em devido tempo, solicitei ao senhor Presidente desta Assembleia que me proporcionasse um encontro com os líderes de todos os grupos e consigo próprio, para falar sobre este assunto.

Fui informado a meio da tarde de hoje pelo senhor Presidente que após colocar o assunto aos restantes membros da Mesa, foi considerado que, por se tratar de um ataque anónimo, o assunto era meramente do foro pessoal não havendo razões para convocar uma reunião com os líderes dos grupos para me ouvir.

Não quero fazer quaisquer considerações relativamente à opção tomada pela Mesa.

 

Se fosse qualquer outro deputado desta Assembleia a ser alvo de um ataque cobarde do tipo do que me foi dirigido e envolvendo o tipo de meios que este envolveu sei a iniciativa que eu mesmo tomaria e que proposta estaria aqui a apresentar hoje mesmo.

 

O conteúdo do folheto vale o que vale e vale nada no meu entender, mas não tomar nenhuma atitude pode alimentar a dúvida e esta é incompatível com aquilo que eu entendo que deve ser o mandato de um deputado municipal.

 

Por isso gostaria de completar esta curta declaração, endereçando ao Senhor Presidente o seguinte pedido:

 

  1. Que a admitir alguma consistência nas acusações contidas no dito ‘flyer’ isso poderia ser susceptível de conduzir à perda do meu mandato como deputado municipal;
  2. Que independentemente das muitas manifestações de solidariedade que me têm chegado me sensibilizarem muito, isso não deve dispensar o cabal apuramento do que está em causa – se é que está algo em causa;

 

O Senhor Presidente promova da forma que achar conveniente a constituição de um grupo formal ou informal com a mais ampla representatividade nesta Assembleia, no sentido de proceder a um rápido esclarecimento de todos os alegados factos que a serem verdadeiros seriam susceptíveis de conduzir ao resultado acima sugerido, ouvindo quem deva ser ouvido, nomeadamente os serviços de fiscalização da Câmara, membros do executivo, a mim próprio e quem mais acharem por conveniente.

 

Que desde já disponibilizo – se isso for considerado adequado - uma visita ao local da minha residência a que se referem as acusações anónimas.

__________________________________________

 

2)

 

Não me agrada ver uma empresa que presta um serviço público relevante como é o do fornecimento de energia, comportar-se como um 'Estado' dentro do Estado. Os cidadãos não podem prescindir dos seus serviços -  a energia infelizmente ainda não pode chegar às nossas casas por via 'wireless' - nem é isso que está em causa, mas se temos que levar com as linhas em cima e várias 'Torre Eifel' nos pátios das nossas casas ou nos nossos quintais, ao menos demonstrem-nos sem grandes margens para dúvidas, que isso não nos faz morrer mais cedo do que devemos...

 

Moção

 

            “Exigir dos prestadores de serviços públicos o respeito pela saúde e o bem estar dos cidadãos e a salvaguarda da qualidade de vida e do ambiente”

 

Por mais de uma vez foi aqui trazido – e também às reuniões de Câmara – por um cidadão de Alfena (zona do Lombelho) o assunto relacionado com o aumento de potência das linhas de muito alta tensão que cruzam o nosso Concelho, no caso concreto a cidade de Alfena.

 

Em todas as ocasiões foram produzidas pelos membros do executivo afirmações e avançadas explicações perfeitamente inócuas invocando as dificuldades que se prendem com o ‘poder majestático’ da REN e apelando subliminarmente à desistência por parte dos cidadãos no que toca à defesa dos seus direitos.

Não é esse – não deve ser – o papel do poder local e por isso a Assembleia Municipal de Valongo manifesta:

 

  1. A sua profunda preocupação relativamente a este assunto e à falta de resultados visíveis no que toca à promoção do diálogo/esclarecimento por parte dos responsáveis da REN junto dos interessados mais directos, apesar da permanente insistência destes;
  2. O pedido para que tão rápido quanto possível o senhor vice presidente da Câmara - que detém o pelouro relacionado com este assunto – diligencie junto daqueles responsáveis no sentido de que recebam uma delegação encabeçada por si e que inclua os técnicos que considere útil incluir, dois representantes dos cidadãos e um representante desta Assembleia, preferencialmente e se existir, alguém com formação técnica na área das engenharias relativamente ao assunto controvertido das radiações electromagnéticas e aspectos associados.

_________

 

PS: A REN começou hoje - na sessão de esclarecimento que levou a efeito na Subestação de Ermesinde - a tentar demonstrar que quer construir uma relação mais amigável com os cidadãos, explicando como desenvolve a sua actividade, demonstrando o cuidado e a atenção que dedica às preocupações dos cidadãos, nomeadamente com a questão das radiações electromagnéticas e ambientais ligadas às linhas de muito alta tensão.

Esperemos que seja para continuar e que as garantias que nos foram dadas hoje tenham correspondência a nível dos resultados concretos.

________________________________________

 

3)

 

Porque sou (mesmo) independente e apenas devo fidelidade àqueles que em 30 de Setembro do ano passado me deram o seu voto, abstive-me ontem de forma crítica relativamente ao Orçamento do Município - por razões objectivas e expressas...

 

Ponto 2.3 (ORÇAMENTO, GRANDES OPÇÕES DO PLANO, MAPA DE PESSOAL E PLANO DE ACTIVIDADES E ORÇAMENTO, PARA O ANO 2015)

 

Declaração de voto de abstenção:

 

O meu voto de abstenção baseia-se no óbvio e que é o facto de por um lado considerar que só razões muito fortes me forçariam votar contra um instrumento fundamental para a vida do Município mas por outro, não conseguir perceber no meio de alguma opacidade de certas rubricas, pouca solidariedade relativamente a partes muito importantes do nosso Município, nomeadamente a Freguesia onde vivo e já aqui referida pelo seu presidente de Junta, a que acresce o facto de não se me aplicarem obviamente os pressupostos do EDO (Estatuto do Direito da Oposição), não se me aplicando também o direito de audição prévia. Esta minha posição pode vir a alterar-se no futuro, se como deputado independente não vir alterada a forma como me é dirigida toda a informação relevante sobre estas matérias.

Por último, a minha abstenção acolhe também as críticas relativas à despesa com obras no edifício Faria Sampaio, embora aqui até devesse ser mais um voto contra por motivos óbvios.

publicado às 19:32

O CASO SÓCRATES, A 'CABALA' E O SENHOR IDOSO ENTREGUE A SI PRÓPRIO...

Captura de ecrã 2014-11-26, às 17.02.53.png

O pior contributo que alguém que não se sinta bem  com o tipo de País em que vivemos pode dar para a implantação de um Estado de Direito em Portugal - eu disse implantação, porque Portugal não é um Estado de Direito - é continuar a comportar-se como se comportam as 'famílias' do futebol quando o seu presidente é acusado de oferecer 'fruta' aos árbitros, de fugir aos impostos, de violar as leis do País, ou até mesmo de burlar o próprio clube.

 

Vem isto a propósito do 'assunto da semana, do mês e quiçá do ano' que é o caso de José Sócrates...

 

Deixemos a Justiça funcionar e exijamos dela, independentemente de gostarmos ou não da personagem em questão, que lhe proporcione todas as garantias de defesa e que o trate nem pior nem melhor que qualquer outro preso preventivo.

Transformar a prisão de Sócrates num caso político é lamentável e além do mais, é o pior apoio que aqueles que por razões pessoais, sentimentais ou políticas se sentem solidários com ele, lhe podem dar.

É igualmente quase idiota transformar os meios de comunicação - TV's, Jornais, Rádios - nos maus da fita. Bem ou mal - muitas vezes mal - eles fazem apenas o seu trabalho e nunca é uma boa ideia optar pela solução mais fácil e mais à mão que é  'matar o mensageiro'.

Reduzir ainda o caso de José Sócrates - apenas um entre vários que, ao que dizem, pendem ou já penderam sobre ele  - à tese da 'cabala' também não anda longe da idiotice mais básica.

 

Por último, condicionar qualquer acção mais 'musculada' da Justiça, como é este caso, a igual procedimento relativamente a 'todos aqueles que nós sabemos e que continuam por aí a dizer que os políticos não são todos iguais ou de submarino a tiracolo', é fazer o jogo deles, permitindo-lhes que continuem a 'ver as vistas' do lado de fora do calabouço.

O coro de algumas 'carpideiras' de vestes cor de rosa que disputam os microfones da comunicação social - aquela que tanto criticam - com a narrativa da vitimização e do discurso idiota sobre o 'estadista-filósofo', não vai de forma alguma amenizar o seu cativeiro nem tampouco apressar o daqueles que suportam a actual desgovernação e que é a mais corrupta, a mais antipatriótica e a mais condenável dos últimos 40 anos de Democracia.

 

Em jeito de nota de rodapé, eu acho que Mário Soares deve ter 'rectaguarda familiar'...

Se tem, vejam lá se não largam o homem da mão! Foi constrangedor ver hoje o antigo presidente da República à porta da penitenciária de Évora a ser massacrado pelos 'média', à beira de uma apoplexia e sem ninguém por perto que o tirasse dali e o levasse para o conforto do sofá.

Tive pena do motorista que ali o levou no Mercedes topo de gama e do seu ar aflito - deu para ver que não tinha à-vontade suficiente para lhe dizer "já chega! vamos p'ra casa!"...

 

 

publicado às 11:26

"NÃO SOMOS TODOS IGUAIS" - PASSOS COELHO DIXIT...

Se há pessoas relativamente às quais me sinto à vontade para dizer o que se segue, uma delas é José Sócrates.

Durante muito tempo andei por aqui a escrever coisas pouco agradáveis sobre a personagem, ou melhor, sobre as suas inúmeras malfeitorias, sobre a sua personalidade truculenta, sobre os vários contornos da sua desgovernação...

 

Durante algum tempo fui um seguidor atento e um apoiante quase incondicional do Blog 'Do Portugal Profundo' e do dono do mesmo, o professor António Balbino Caldeira, que o transformou em 'personagem principal' dos seus post, ou seja, numa espécie de 'inimigo de estimação' que mantém até hoje e por via disso, teve de enfrentar nos tribunais várias queixas interpostas pelo 'engenheiro ora filósofo e ora também, escritor para consumo próprio' - ao que dizem...

 

Mas esta quase consensual forma de 'bem querer' à personagem, partilhada aliás por um elevadíssimo número de portugueses, não me tolda a capacidade de avaliação relativamente àqueles que se lhe seguiram e só fizeram pior que ele - bem pior, infelizmente!

 

O Povo costuma dizer a propósito, que "atrás de mim virá quem bom de mim fará"...

 

Pela parte que me cabe, não faço uma leitura demasiado simplista e literal deste ditado popular, pois tenho a certeza de que neste caso concreto,  o que ele significa é que desprezamos as outras opções - e elas sempre existiram e continuarão a existir! - "entre o desastre e a catástrofe" e optamos pela última. E temo-nos dado tão mal! 

 

Mas calma aí! Antes que alguém comece a retirar ilações abusivas desta afirmação, digo já que a parte em que estivemos muito mal não foi aquela em que nos esforçamos para correr com o  engenheiro/filósofo através das muitas manifestações, greves, lutas das mais diversas, escrita contundente - António Balbino Caldeira, eu próprio e tantos e tantos outros, fizemos o melhor que pudemos - mas aquela em que elegemos "a catástrofe"!

 

Aqui chegado, é tempo de fazer uma incontornável referência à detenção de José Sócrates...

 

Apesar de estar livre de queimar as minhas mãos por ele - antes pelo contrário - não gosto do que tenho visto ao longo destes quase 3 dias de 'folclore' mediático e quase pornográfico.

 

Se José Sócrates estivesse a ser julgado pelos seus (eventuais) crimes eu até transigiria, mas não é isso que está a ocorrer: o que o Juiz Carlos Alexandre está a fazer é simplesmente um interrogatório exaustivo e uma avaliação de eventuais indícios recolhidos ao longo de - ao que dizem - um ano de investigações do Ministério Público, no sentido de decidir se, em que moldes e com que medidas de coacção associadas acusa José Sócrates - e demais detidos.

 

Será que para alcançar este desiderato a Justiça não podia optar por outros procedimentos?

Será que José Sócrates não poderia ter sido seguido discretamente até casa ou ao hotel e aí ser formalmente intimado a comparecer no DIAP em dia e hora indicados?

Será que não havia forma - neste e noutros casos semelhantes - de trocar as voltas aos abutres da imprensa e das TV's de sarjeta e dos paparazzi que sempre lhes andam associados? 

 

Por último, é estranho, mesmo muito estranho, á que seja necessário ser 'ex-qualquer coisa' para poder ser detido e eventualmente acusado de qualquer coisa - ex-primeiro ministro ex-presidente da República, ex-presidente do clube da águia ou do 'alguidares de baixo'...

 

A terminar, aquela que eu considero a 'frase do século', proferida por Passos Coelho a propósito da detenção de José Sócrates:

 

"Hoje, eu acho que vale a pena dizer, que não somos todos iguais(...)"

 

Oh! Pedro! É claro que nós sabemos: comparando o desastre e a catástrofe, a última é 'menos igual'...

 

Ocorre-me a propósito, a resposta daquela prostituta ao cliente deputado da Nação e alegadamente honesto: "(...) e eu também sou virgem"...

publicado às 18:45

VALONGO "NÍVEL ZERO"...

IMG_20141120_152033.jpg

Hoje foi dia de reunião de Câmara...

 

Nada de excepcionalmente relevante a registar e não fossem as intervenções de alguns vereadores da oposição e a Câmara de Valongo estaria irremediavelmente confinada ao 'nível zero' no que à qualidade diz respeito.

 

Dois ou três apontamentos:

 

Um

 

"Celestino, acabo de ser informado de que o marido da Drª. Helena Oliveira, da Câmara, o Dr. Rui Cunha, tem estado a apagar informação crítica! Preciso que faça um apelo muito forte a todos os funcionários, para que defendam a Câmara (...)" - José Manuel Ribeiro - 1 de Outubro de 2013.

 

Não tinha razões para duvidar do meu presidente - nessa altura, era ainda o meu presidente - e se ele mo pedia...

 

Publiquei portanto o 'Alerta' no Facebbok...

 

Resultado: queixa do Dr. Rui Cunha por difamação, constituição de arguido, etc., etc., - o habitual...

 

Em data que não posso precisar - teria que recorrer aos documentos arquivados - fui convocado (pela segunda vez) pelo Ministério Público para me ser proposto um acordo extrajudicial com o Dr. Rui Cunha que envolvia um desmentido no Facebook e no Blog e ainda, uma contribuição pecuniária (não tenho a certeza do valor) de 500€ para a ADICE.

Na altura confesso que considerei a proposta uma espécie de provocação, dado ter pendentes no Ministério Público - na qualidade de reclamante - duas queixas envolvendo a presidente desta IPSS...

Portanto, no que toca à 'contribuição pecuniária' disse imediatamente que não aceitava, ficando de pensar relativamente à outra parte da proposta.

No regresso a casa, passei pela Câmara e coloquei a questão ao presidente na presença do seu adjunto:

- Zé Manel, isto tem pernas para andar ou não? Preciso de saber! - eu

- (...) É claro que tem e as pessoas na altura devida confirmarão! Deixe andar... - José Manuel Ribeiro

 

A verdade é que o assunto foi despachado pelo MP e "seguiu para bingo", isto é, foi deduzida acusação particular com pedido de uma indemnização de 1.500€...

 

(Nessa altura - há dias atrás - a 'jovem promessa' já andava aborrecida comigo e com a maior parte dos valonguenses e quando eu supunha que ele apesar disso saberia 'separar as águas', assumindo o que tinha dito há tempos - "é claro que tem (...) deixe andar" - deixei de lhe conseguir ligar, bem como ao seu adjunto).

 

Tentei em vão chegar à fala com quem me usou para promover uma mentira - se não é, por se cala José Manuel Ribeiro? - mas reconheço à partida que nunca tive grande habilidade para pescar enguias e confesso até que sinto uma certa repulsa por certos 'seres invertebrados' parecidos com as mesmas...

Tomei por isso a iniciativa cautelar de conversar com o Dr. Rui Cunha, com quem acabei por fazer o tal acordo - desta vez sem a contribuição para a ADICE. Tenho no entanto de suportar o custo da queixa e também o da sua retirada.

 

Um dia destes mando a conta ao senhor presidente, para ele pagar quando achar que esse é o seu dever - até porque a minha reforma é seguramente muito inferior ao seu vencimento!

 

Dois:

 

"(...) das duas uma: ou o que esse deputado diz é verdade e portante o senhor presidente transmitiu-lhe essa informação, ou então (...)" - João Paulo Baltazar - hoje

 

"(...) são conversas particulares, mas eu não fujo à questão. Se eu enquanto presidente eleito recebi nesse dia preocupações de muita gente sobre informação da Câmara, saída de documentos da Câmara, recebi. Se a partilhei com muita gente, partilhei (...)" - José Manuel Ribeiro - hoje.

 

"(...) Já vi que o senhor não nega (...) para difundir informação, tem que lhe atribuir credibilidade (...) o senhor disse ou não disse a um deputado que tinha sido eleito na sua lista - já vi que o senhor tem sempre dificuldade em responder 'sim' ou 'não' (...)" - João Paulo Baltazar - hoje.

 

Silêncio - (muito ruidoso) - José Manuel Ribeiro - hoje

_____________________________

 

Post-scriptum:

 

Faltou-me referir uma frase que ficará para a história das reuniões de Câmara em Valongo:

José Manuel Ribeiro, a propósito da minha quebra de sigilo - e porque haveria eu de proteger quem não tem dignidade para merecer tamanha atenção? - saiu-se com esta pérola digna de antologia:

- Aqui há uns anos, resolvia-se com um par de estalos, mas agora não pode ser..." - está gravada para a posteridade...

 

Recorrendo à terminologia dos meus tempos da primária, "quem vai à guerra dá e leva"...

 

E para aqueles 'fivelinhas' que se armavam em valentes costumávamos ter esta guardada: "não tens físico para ter razão", o que se aplica na perfeição ao senhor 'alcaide': também ele não tem físico - "físico"  moral evidentemente - para ganhar qualquer contenda em que o "prémio" seja a razão!

_____________________________________________

 

Mudando de assunto...

 

Três:

 

A uma pergunta do vereador Adriano Ribeiro da CDU, relacionada com o Relatório de Ponderação do PDM e sobre o facto de muitos munícipes que tinham enviado reclamações durante o período de discussão pública ainda não terem recebido resposta à mesmas, o presidente mais uma vez faltou à verdade, ao afirmar que o referido Relatório já estava publicado na Imprensa e disponível também na página da Câmara na Internet - o que é verdade - e que "já todos receberam respostas às reclamações ou propostas" - o que é mentira!

Posso dar-lhe algumas dezenas de exemplos do que afirmo, começando desde logo por Alfena, onde a Al Henna, Associação Coragem de Mudar, 'Clube 9 de Paus' bem como outros reclamantes individuais não receberam até ao momento qualquer tipo de resposta - ainda que fosse só a fingir, isto é, com 'respostas' tipo 'chapa 5' embrulhadas em 'pareceres jurídicos' estilo 'naif'...

publicado às 22:56

CÂMARA DE VALONGO - AO QUE ISTO CHEGOU...

E se é que alguém ainda tinha alguma dúvida acerca da 'mãozinha' de José Manuel Ribeiro e dos seus apaniguados no ataque anónimo(?) que me foi feito a semana passada, aqui ficam algumas 'provas' de que o assunto foi tratado na Câmara ao mais 'alto nível':

 

1. Há dias estive presente em duas 'audiências das segundas-feiras' acompanhando duas reclamações de dois munícipes - um de Valongo e outro de Ermesinde. Um deles foi aquele em que José Manuel Ribeiro deixou a esposa do munícipe que titula a reclamação, literalmente de olhos no chão ao atirar-me aquele "você não tem tomates para me acusar de nada".

 

2. Na última reunião de Câmara, houve um munícipe que falou no ponto destinado ao público na última reunião de Câmara, para denunciar a falta de vontade do executivo - pior do que isso, a protecção ilícita que é dada a elementos da administração de um condomínio onde os serviços da Câmara impuseram a realização de obras urgentes de conservação e segurança, elementos que são amigos do adjunto do presidente. Referiu ainda o adiamento sucessivo de acções legais e a recusa em tomar decisões que implicariam a aplicação de coimas - sugeridas aliás nos autos elaborados pelos próprios Serviços nas várias deslocações ao local.

Numa conversa em privado já depois da reunião, o presidente disse a esse munícipe e à sua irmã também presente: "vocês andam a ser manipulados" - tradução livre: "vocês andam a ser influenciados pelo Celestino".

 

(Sobre este caso, registo aqui para que conste - e para que melhor se perceba que o meu caso não é uma provocação isolada levada a cabo por algum inimigo de estimação:

Este munícipe recebeu hoje na sua caixa de correio uma carta com o panfleto que andou a ser distribuído sobre o 'meu caso', com um acrescento feito à mão, algo - cito de memória - "e a ti (se não te calas) vai-te acontecer o mesmo"!).

 

3. Ainda sobre este caso e para que se perceba como funciona a rede de conluios dentro da Câmara:

Numa fase em que eu ainda falava com o adjunto do presidente nos intervalos em que o 'chefe' não me atendia ou se escusava a falar comigo, fiz-lhe uma vez um comentário por SMS relacionado com a não comparência numa reunião de mediação, de uma senhora que é funcionária pública, que pertence ao 'lado litigante' do dito condomínio, para além de ser ainda amiga dele e não sei se também do presidente:  "como vês, a Paula não está tão de boa-fé como tu dizes" - citei de memória o meu SMS.

 

Um SMS privado, que ele replicou e enviou à própria, a qual foi 'tirar satisfações comigo' no início de uma Assembleia Municipal que se realizou em Alfena.

Ela mostrou-me no seu telemóvel a cópia desse SMS privado, Paulo Ferreira!

 

Portanto, meus caros amigos - todos aqueles cujos casos pendentes eu tenho vindo a acompanhar de uma forma ou outra na Câmara: não estranhem se receberem por estes dias mensagens iguais à que foi enviada ao Nelson (o reclamante do tal condomínio).

 

 

Não as considerem no entanto uma ameaça. Elas visam - apenas - pressionar-me a mim.

 

O Zé Manel até me avisou, numa daquelas últimas reuniões que correram mal, no seu gabinete: "quem semeia ventos colhe tempestades" - as tempestades semeia-as ele, claro!

 

O azar dele é que eu convivo relativamente bem com contextos estilo 'olho do furacão' - de forma controlada e tomando as minhas precauções, como é óbvio!

 

publicado às 22:03

E JÁ QUE ESTÃO COM AS MÃOS NA MASSA, QUE TAL ALFENA?

garimpo_DN-Jaime.png

 

E pronto...

 

Sabemos que a primeira queda efectiva resultante do escândalo dos 'vistos gold' de Paulo Portas e que dá pelo nome de "operação labirinto" foi a de Albertina Gonçalves, secretária-geral do Ambiente.

 

Por falar em Ambiente...

 

Como já disse, era bom que o Juiz Carlos Alexandre, esse exemplo de magistrado que a todos nos orgulha - bem sei que não está só nesta tarefa de 'caçar tubarões', mas ele destaca-se - já que está com as mãos na massa, literalmente falando, desse uma olhada a uma interessante decisão que envolve o Ministério do Ambiente aqui em Alfena.

 

(Acho até que vou remeter ao ilustre Magistrado e também ao Ministério Público o link para o meu Blog - para que venham até aqui, dar uma olhada ao que tenho escrito sobre o 'garimpo').

 

Sobre este caso concreto, já propus alguns tópicos para a investigação, mas repito-os:

 

- Evolução da posição da CCDR-N e da CNREN sobre o "Caso Novimovest" e sobre aquela mancha que era REN/RAN e foi desclassificada "a pedido" para que o grupo Santander e mais uns autarcas corruptos de Valongo pudessem embolsar 16 milhões de Euros de mais-valias;

 

- Rigoroso levantamento de toda a documentação existente na Câmara - e que me foi recentemente recusada por José Manuel Ribeiro - para ver que diligências foram feitas pela Câmara relacionadas com o ilícito, que contra-ordenações deixaram de ser aplicadas, que autos do SEPNA da GNR de Santo Tirso foram mantidos 'na gaveta' pela CCDR-N e relacionados com o 'garimpo';

 

- Ligações entre o gabinete de arquitectura mais conhecido de Alfena, autarcas e ex-autarcas do burgo, o ex-vereador do Urbanismo de Fernando Melo em 2007, José Luís Pinto, o actual presidente da Câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro e o grupo Santander/Novimovest e respectivo 'testa de ferro', Jaime Resende, para que a Carta REN de Valongo e o novo PDM se proponham agora consumar o enriquecimento que já havia sido tentado sem êxito aqui há uns anos atrás.

 

Vamos ver se entre as centenas de visitas diárias ao meu Blog - sim, não me enganei, centenas foi o que disse - detecto as do ilustre magistrado e de alguém do Ministério Público...

 

 

 

publicado às 13:30

ALFENA E VALONGO - TAMBÉM QUEREMOS UMA MEGA-INVESTIGAÇÃO!

corrup.jpgTal como a maioria dos portugueses vou acompanhando - sem surpresa especial, devo confessar - a mega-operação que envolve altos quadros do governo, nomeadamente do Ministério da Administração Interna, alguns mesmo,  amigos do ministro Miguel Macedo.

 

Já agora, quando isso estiver mais ou menos encarreirado, fica aqui uma sugestão para uma 'mega-operação' do género a ter lugar em Alfena - a nossa querida cidade...

 

Tópicos para uma 'mega-operação' sobre corrupção e delitos conexos em Alfena e Valongo:

 

1. Processo de alteração da Carta REN de Valongo;

1.1 - Progressão temporal e qualitativa das posições das várias entidades envolvidas, nomeadamente CNREN, IGAMAOT, CCDR-N, Câmara de Valongo, acerca da actualmente designada UOPG 06 de Alfena;

1.2 - Processo de compra e venda dos terrenos envolvidos na referida UOPG 06, bem como o seu registo na CMVM - Relatórios de contas desde 2007.

 

2. Processo urbanístico, incluindo a 'excepção ao PDM' relativo ao Hospital Privado de Alfena;

2.1 - Acções do grupo Trofa Saúde tituladas por figuras conhecidas de Alfena e Valongo e de algum modo relacionadas com este processo urbanístico.

 

3. Processo do 'Nó' da A 41 de Alfena;

3.1 - Expropriações;

3.2 - Detalhe da titularização à altura, de todos os terrenos envolvidos na construção deste 'nó';

3.3 - Processo da Zona Industrial do Barreiro e titularização à altura de todos os terrenos envolvidos;

3.4 - Processo do projectado "Alfena Trade Center" e do previsto Hotel, nunca construídos.

 

4. Processo relacionado com a Urbanização onde se localizam - para melhor identificação - o Restaurante O Teles, Bibó Porto, etc.. 

 

5. Processo onde se localizam - para melhor identificação - a Coribérica, Senhor Churrasco, etc..

 

6. Processos urbanísticos aprovados pela Câmara e sobre os quais existam reclamações pendentes há pelo menos 5 anos.

 

7. Processo da ZIC - Zona Industrial de Campo. Evolução temporal e qualitativa das construções, da titularidade dos lotes e da respectiva evolução em termos de PDM.

 

8. Processo do Hospital de S. Martinho em Valongo.

 

Sugestão sobre destinatários da investigação:

 

- IGF - Inspecção Geral de Finanças

- DGT - Direcção Geral do Território

- CNREN - Comissão Nacional da Reserva Ecológica Nacional

- CCDR-N - Comissão de coordenação e desenvolvimento Regional do Norte

- Ministério Público

 

Nota: Evidentemente, algumas destas entidades podem e devem investigar mas simultaneamente, devem ser também investigadas - se é que me fiz entender...

 

publicado às 13:25

ALFENA - À ESQUINA DO BURGO...

À esquina do burgo costumam realizar-se produtivas congeminações. Eu que o diga que já por ali me sentei algumas vezes - naquela esplanada voltada para o 'cais turístico do projecto do Leça navegável até Montecórdova'.


A esquina do burgo proporciona entre outras coisas, um óptimo ponto de encontro para projectos conspirativos ou negociações encobertas que têm por base ecléticas teorias sobre o 'desenvimento insustentado' de Alfena.


É neste contexto que deve ser visto um certo encontro ali ocorrido entre 'homens de negócios' mais ou menos escuros e foi seguramente nesse encontro que foram acertados os últimos pormenores sobre o torpe ataque ao deputado municipal independente, mas que foi eleito pelo grupo municipal do PS com o qual rompeu por imperativo de consciência em resultado do comportamento verdadeiramente lamentável do presidente da Câmara e líder concelhio deste Partido que optou desde início por uma postura pouco saudável relativamente ao grupo que o sustenta na Assembleia Municipal e sobretudo, relativamente a quem se atreva a ter voz difernte da sua.

 

Eu que não sou propriamente um desnutrido, posso felizmente dar-me ao pequeno luxo de 'comer' apenas aquilo de que gosto, neste contexto evidentemente e por isso mandei o 'prato' de volta para a cozinha!


O 'perfil genético' do ataque que foi desencadeado contra mim corresponde rigorosamente ao de outras acções que conheço bem e das quais provavelmente um dia destes falarei com maior detalhe.


O interesse dos três comparsas que se encontraram à esquina do burgo - ou no gaveto, se preferirem - era pois coincidente e cada um deles trazia no bolso o contributo especializado para completar o puzzle que, imaginavam eles, conseguiria remover-me do seu caminho.

 

Puro engano, como terão oportunidade de comprovar...

 

Entre a esquina do burgo e o Bibó Porto se vai pois repartindo o esforço destes e mais alguns figurões da nossa praça que dão agora o tudo por tudo nesta recta final – imaginam eles - para ‘mudar’ Valongo, Alfena e arredores e de caminho, reactivar o garimpo de Alfena – ou de Sobrado...

publicado às 23:24

...NUMA DE 'CAÇAR' HELICÓPTEROS...

Captura de ecrã 2014-11-13, às 12.32.09.png

 

E se eu conseguisse seguir o 'rasto' do transponder do helicóptero manhoso?

E se existisse o registo de um determinado voo em território alfenense, para uma tarefa concreta e autorizada, mas com um biscate privado para vir à vertical da Rua 1º. de Maio em Alfena tirar-me uma fotografia não autorizada?

E se por mero acaso e por achar curioso aquele planar criminoso a baixa altitude - as normas impõem uma altitude mínima seguramente superior a mais do triplo da que foi utilizada - e se, dizia, alguém tivesse registado o evento em fotografia, mesmo que de um telemóvel?

 

E se, e se?...

 

Obrigado, Comandante Lourenço, pela simpatia - e pelas dicas...

 

Vamos lá ver se apanhamos 'os Dalton voadores'...

 

publicado às 15:04

Pág. 1/3

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D