Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

GUERRAS DE ADULTOS - COM CRIANÇAS A AJUDAR...

Captura de ecrã 2016-05-28, às 09.54.18.png

Se esta e outras imagens idênticas sobre a utilização de crianças para fazer a guerra que os adultos sozinhos já não conseguem o revoltam, pois então comece a reparar um pouco mais no que vai acontecendo de forma lamentável e preocupante em contextos bem mais próximos.

Pode até parecer que as imagens seguintes não têm nada a ver com a primeira, mas de facto até têm!

Captura de ecrã 2016-05-28, às 10.35.33.png

(Uma - entre muitas outras - manifestações 'espontâneas', com cartazes 'improvizados' e t-shirts encntradas à pressa lá em casa, 'por acaso e só por acaso', todas iguais...). 

 

Captura de ecrã 2016-05-28, às 10.42.17.png

(Esta carta ternurenta 'escrita' por um menino muito triste, é um verdadeiro atentado à inteligência dos portugueses)

 

Captura de ecrã 2016-05-28, às 11.04.25.png

(Excerto de uma publicação do AVENTAR)

 

Captura de ecrã 2016-05-28, às 11.06.53.png

(D. Manuel Clemente agora muito preocupado com alguns colégios privados, mas muito silencioso com os cortes e o desinvestimento dos últimos anos na escola Pública).

 

Captura de ecrã 2016-05-28, às 11.26.45.png

 (Excerto de uma publicação do AVENTAR).

 

publicado às 09:53

O'PAI' DA CIDADE DE ALFENA (*) DE FACTO É APENAS UM PADRASTO (DOS MAUS)...

Captura de ecrã 2016-05-26, às 11.18.49.png

 

Ainda sobre o 'grau zero' da gestão do 'presidente-da-Câmara-de-Valongo-que-dizia-que-era-socialista-mas-que-na-verdade-não-é-socialista-coisíssima-nenhuma'...

 

(Alguns) factos preocupantes relativos a Alfena que merecerão o devido castigo das urnas nas próximas autárquicas em 2017 e que seguramente tornarão muito difícil qualquer iniciativa de campanha que pense vir a desenvolver na nossa Cidade - isto se o Partido Socialista de Valongo cometer o erro de o levar de novo a jogo:

 

* Apoio às Instituições locais - de carácter social (IPSS), desportivas, culturais, de defesa do Ambiente e outras, zero!

Até o recente apoio (100 mil euros) ao Atlético Clube Alfenense para que pudesse aproveitar devidamente o facto de a sua candidatura a fundos comunitários ter sido seleccionada foi 'tirado a ferros' e só foi possível por imposição da maioria (oposição) na Câmara e da maioria dos deputados da Assembleia Municipal;

 

* Da sua promessa de avançar com a requalificação das margens do Leça no troço que se espraia pelos campos da nossa Cidade, dessa nunca mais tivemos notícias.

(Quem não se lembra do seu mirífico 'Vale do Leça', da recuperação da 'Levada do Cabo', da recuperação da casa da Quinta do Bandeirinha para a transformar num espaço multiserviços e cultural ao serviço da população, do circuito pedonal ao longo do nosso Rio desde S. Lazaro até (o mais possível) à 'fronteira' com Ermesinde?).

 

* Quem não se lembra do candidato José Manuel Ribeiro até Setembro de 2013 a barafustar contra o 'faroest urbanístico' do nosso Concelho, para depois 'engolir sem espinhas' o mega-processo de corrupção levado a cabo pelo grupo Novimovest/Santander na zona da Senhora do Amparo envolvendo mais-valias de mais de 16 milhões de euros resultantes da especulação com terrenos REN e RAN, com a estafada desculpa da criação de postos de trabalho?

 

* Quem é que manteve até ao fim à frente da equipe que geriu a conclusão do processo de alteração do PDM e que consolidou este atentado económico/ambiental/urbanístico, um arquitecto condenado a dois anos e meio de prisão por corrupção no exercício das suas funções como Director do Urbanismo da Câmara?

 

* Quem é que se prepara para permitir que o troço urbano da Rua Nossa Senhora do Amparo (desde o largo da Codiceira até ao local da plataforma logística da Jerónimo Martins) seja esventrado pelo investidor a fim de instalar um adutor de água para a plataforma não impondo que a reconstituição do referido troço se faça em moldes consentâneos com a segurança de pessoas e bens - passeios, sistemas limitadores de velocidade, passadeiras, condicionamento a pesados da plataforma, etc. ?

 

* Quem é que se esqueceu das promessas que andou a fazer durante a campanha - e porque  Alfena não tem um polidesportivo ou multiusos municipal - de negociar com o CSPA (Centro Social e Paroquial de Alfena) a recuperação do antigo cinema da Paróquia para o colocar ao serviço da população?

 

* Quem é que se esqueceu de que o CSPA também desenvolve vasta actividade desportiva, merecendo por isso ser apoiado em moldes proporcionalmente idênticos, aos dos Clubes de Ermesinde, Valongo, Sobrado e Campo?

 

Podia continuar a desfilar exemplos de quão mau e negligente tem sido este 'padrasto' para com uma 'enteada' de quem persiste em se apresentar como pai... Porém, acho que estes chegam para tornar bem claro que ele deixará de ser benquisto por estas bandas - a não ser que resolva 'dar corda aos sapatos' e até Outubro de 2017 começar a corrigir as injustiças e a fazer aquilo com que se comprometeu!

 

(*) José Manuel Ribeiro, então deputado da República, foi o autor da proposta de elevação de Alfena a Cidade e faz questão de se vangloriar deste facto...

publicado às 10:00

CÂMARA DE VALONGO - 'GRAU ZERO'...

Captura de ecrã 2016-05-26, às 01.36.12.png

 

Meus amigos socialistas de Valongo, companheiros de um percurso feito de esforços conjugados em 2013 e que nos conduziu - pensávamos todos - a um novo paradigma para o nosso Concelho, até quando permitireis que o Município de Valongo continue a ser uma anedota de mau gosto entre os suas congéneres do Grande Porto?

 

A maioria tangencial conseguida em 2013, como todas as maiorias 'escassas' pressagiava alguns problemas de governação, mas como estamos a constatar com a famosa 'geringonça' do País, também aqui, estivesse o líder dessa maioria e presidente da Câmara disponível para executar o seu programa eleitoral e colocar acima dos seus interesses e da sua agenda pessoal o interesse dos valonguenses e tudo seria bem  diferente!

(Aliás, se ele se quedasse pelos legítimos e respeitáveis interesses do Partido Socialista em Valongo já não seria mau...).

 

Valongo caminha pois para o próximo acto eleitoral com um presidente de Câmara que gasta o tempo todo a falar com o 'espelho seu' e que faz - perdoem-me o galicismo - 'pandã' com a anedota em que transformou a sua Câmara...

 

'Quero posso e mando' é a sua matriz.

O respeito pelas Leis e pelos direitos dos seus concidadãos é coisa em que não pensa.

A transparência com que enche a boca, de tanto a repetir nem por isso se transforma em realidade.

Aos 'esqueletos' de Fernando Melo de que tanto falou como candidato, para além de os ter 'perfilhado' a quase todos ele ainda lhes acrescentou mais uns quantos companheiros para atravancar o armário.

José Manuel Ribeiro faz jus ao conhecido ditado "diz-me com quem andas e dir-te-ei quem és".

Rodeando-se desde o início de colaboradores  e braços direitos que ele próprio tinha identificado antes de ser eleito como sendo desaconselháveis para uma governação que deveria cortar com os 20 anos de corrupção que o antecederam, o resultado obtido está pois em linha com o que o que seria de esperar.

 

(Para ele eu tenho mais um ditado: "quem se deita com gatos acorda cheio de pêlos" e o  presidente da Câmara já nem com paletes daqueles rolos aderentes se livra dos sinais comprometedores).

 

José Manuel Ribeiro...

 

Mas porque é que eu volto a 'bater no ceguinho' - salvo seja - elegendo uma vez mais o presidente da Câmara como 'personagem' para mais um artigo do 'incómodo Blog'?

 

Um único caso (irei voltar à 'antena' mais vezes e igualmente com um assunto de cada vez):

____________________________________________________________________________________

 

Captura de ecrã 2016-05-26, às 01.25.05.png

 

Anda o presidente da Junta de Freguesia de Alfena e eu próprio a interrogar sua excelência sobre o que é que a sua mente brilhante pensa fazer para dotar o perfil da Rua Nossa Senhora do Amparo (entre a Codiceira e a plataforma logística da Jerónimo Martins) de condições compatíveis com o volume de tráfego pesado que passou a ter desde a implantação da Chronopost e que se agravará significativamente após o início de laboração da plataforma. Porém em vão, porque sua excelência é exímio em fingir de morto e os mortos não ouvem, nem mesmo quando os vivos lhes gritam....

 

Nem o direito previsto na LADA (Lei do Acesso as Documentos Administrativos) que eu invoquei para que a Câmara me facultasse a informação relevante sobre o assunto nem os pedidos do presidente de Alfena e dos moradores da referida Rua e zonas limítrofes o demoveram da sua posição inabalável de só responder quando quer - e quase nunca quer...

 

Agora terá também de responder se quiser - será que quer? - aos referidos moradores que lhe enviaram um 'abaixo-assinado' com muitas assinaturas e onde pedem uma reunião no Cento Cultural de Alfena (ou na Escola da Codiceira) com ele, com representantes da oposição e com a Junta de Freguesia - para que lhes sejam dadas as informações a que têm direito.

 

Tentando retirar alguma pressão à panela que já há muito ameaça explodir, foi distribuída aos membros da Câmara uma 'resposta' à mesma questão colocada por um munícipe na reunião de Câmara do dia 19 de Maio e de que transcrevo a seguir um pequeno recorte. 

(Eu acho que sua excelência se enganou nos 'botões' e em vez de reduzir aumentou ainda mais o risco de 'explosão')

 

"· Na Rua Nossa Senhora do Amparo o perfil será mantido, não estando prevista a beneficiação dos passeios, apenas a sua construção frente ao empreendimento.
· Frente ao empreendimento o perfil da via será 2,4+2,25+2,5+7+0,5 (ciclovia + passeio + baia de estacionamento + via + berma, respectivamente).
· Não está prevista a instalação de novos limitadores de velocidade, apenas a manutenção dos já existentes (passadeiras sobreelevadas junto à EN105 e frente à Escola Básica da Codiceira).
· Não está prevista a consolidação da ponte, sem prejuízo da Câmara Municipal vir a analisar o estado de conservação desta obra de arte".

 

Foi este o presidente (socialista) - que elegemos em 2013?

 

Qualquer semelhança entre a postura do candidato José Manuel Ribeiro e a do actual presidente é improvável mas se existir é mera coincidência - ou então o candidato já era igual ao presidente mas não nos avisou...
 

 

publicado às 23:37

PUCCA (PLANO DE URBANIZAÇÃO DO CENTRO CÍVICO DE ALFENA) DE NOVO - JÁ CHEIRA A ELEIÇÕES...

Citando o Jornal Verdadeiro Olhar

 

Um projecto (aparentemente) relevante para Alfena e para o Concelho, mas que, tendo em conta o perfil da nossa governação municipal, deve ser cuidadosamente escrutinado...

________________________________________________________________________________________

 

Autarquia retoma Plano de Urbanização do Centro Cívico de Alfena

Captura de ecrã 2016-05-21, às 14.09.46.png

Depois de ter caducado em 2007, a Câmara Municipal de Valongo decidiu retomar o Plano de Urbanização do Centro Cívico de Alfena (PUCCA). Foi aprovada, em reunião pública realizada esta quinta-feira, por unanimidade, a proposta para a elaboração do designado “Plano de Urbanização do Centro Cívico de Alfena”, que contempla uma extensão de 102 hectares. O prazo de elaboração do plano será de 18 meses. Segue-se agora um período de participação pública de 20 dias.

Captura de ecrã 2016-05-21, às 14.10.45.png

Segundo explicou Luís Monteiro, chefe de divisão da Divisão de Ordenamento do Território e Ambiente, esta é uma das áreas que, no âmbito do Plano Director Municipal, em vigor desde meados de 2015, está classificada como Unidade Operativa de Planeamento e Gestão (UOPG), ou seja uma área que terá de ser programada, estudando-se o seu ordenamento. O PUCCA abrangerá uma área aproximada de 102 hectares, com incidência territorial nos lugares de S. Lázaro, Várzea, Igreja, Barreiro de Baixo e Barreiro de Cima, da freguesia de Alfena, que de acordo com a revisão do PDM de Valongo, se insere parcialmente em solo rural e em solo urbano, e que segundo a carta de qualificação de solo, da respectiva planta de ordenamento, abrange categorias de solo tão diversas como “espaços agrícolas”, “espaços de equipamentos e outras estruturas”, “espaços residenciais”, “espaços de actividades económicas” e “espaços de uso especial”.

Promover a criação de uma centralidade na freguesia e requalificar margens do Rio Leça

São três os objectivos que servirão de fio condutor à equipa multidisciplinar que terá a responsabilidade desenhar o PUCCA e que inclui engenheiros do Ambiente, arquitectos, juristas e engenheiros agrónomos. Segundo Eduardo Leite, coordenador dessa equipa, os objectivos programáticos passam por “promover a criação de uma centralidade na freguesia de Alfena; assegurar a consolidação das malhas e dos tecidos urbanos existentes; e promover a requalificação das margens do rio Leça e a sua articulação com as áreas urbanas”. Objectivos que visam fundamentalmente “reforçar a identidade local através da definição formal (“desenho”) e programática (“processo”) de um “Centro Cívico” a criar no local, tendo em conta a concentração e unificação espacial e funcional entre equipamentos, serviços e espaços públicos existentes, previstos e a programar, e a multiplicidade de agentes e actores a envolver; bem como proteger, dinamizar e articular as áreas actuais de protecção ambiental das margens e do Rio Leça com a envolvente urbana local, e finalmente a consolidação do sistema e tecido urbano local, incluindo a qualificação do ambiente urbano local, e a sua integração na envolvente existente.

Participação pública terá 20 dias

Na discussão da proposta em reunião de câmara, o vice-presidente da Câmara de Valongo, explicou que a elaboração do plano teve até agora constrangimentos, uma vez que não existia a cartografia à escala necessária. Sobral Pires explicou que o constrangimento será ultrapassado com o trabalho que será agora realizado, recorrendo a fotografias que serão feitas no espaço aéreo e que permitirá ter a cartografia à escala e poderá arrancar o projecto. João Paulo Baltazar, vereador do PSD, solicitou o alargamento do prazo do período de participação pública preventiva que se fixava em 15 dias. Acedendo ao repto foi aprovado que este período destinado à formulação de sugestões e à apresentação de informações sobre quaisquer questões que possam ser consideradas no âmbito do processo de elaboração do Plano será de 20 dias. Depois de elaborado o plano, haverá um período de 30 dias de discussão pública, que deverá decorrer no primeiro semestre de 2017, sendo depois a versão final da proposta de PUCCA submetido à Assembleia Municipal de Valongo para aprovação.

publicado às 14:09

A 'EXCELÊNCIA AUTÁRQUICA' ESCRUTINA-SE - SOBRETUDO EM VALONGO...

Captura de ecrã 2016-05-21, às 13.22.53.png

Correndo o risco - já me vou habituando - de ser apelidado de 'anti-valonguense' vou uma vez mais 'bater no ceguinho' e malhar na péssima excelência(!) autárquica' da gestão do nosso 'subúrbio'.

 

('Bater no ceguinho' não é uma frase bonita mas é a que me ocorre na circunstância, para classificar a postura do presidente socialista da Câmara de Valongo, embora a 'expressão idiomática' não seja neste caso muito rigorosa: o 'ceguinho' até se sabe defender mas pensa que se fingir de morto os valonguenses desistem de o criticar e param de lhe 'bater'). 

 

Aproxima-se mais uma 'época de incêndios' e mais uma vez o Concelho de Valongo vai entrar nela completamente impreparado. 

Há quem diga que temos um excelente comandante da Protecção Civil Municipal...

Dizem, mas entre o que se diz e o que nós constatamos que ele faz pelo nosso Concelho a troco do que lhe pagamos, a mim que sou 'da arte' parece-me que existe um fosso imenso a separar-nos.

A 'excelência' do nosso Concelho - neste caso a sua Protecção Civil - tem de ir além do 'dogma' e continua a ter de fazer 'uma inequívoca prova de vida'!

 

Estamos quase no final de Maio e à Câmara continuam a chegar queixas e reparos sobre a falta de limpeza de matos e vegetação em zonas urbanas, mas também ao longo das estradas e nos montes e serras que nós nos gabamos de colocar à disposição do Porto.

 

Em Alfena, que é a parte do território municipal que eu conheço melhor, basta dar uma volta pela periferia - e até mesmo pelo miolo urbano - para ver que eu tenho razão.

Vários cidadãos têm reclamado junto da Câmara - e existem casos em que os terrenos cheios de mato, vegetação e lixo diverso são da própria autarquia - e a resposta 'chapa 5' que recebem é que "foi limpo há um ano e ainda não se justifica nova intervenção"!

 

Porra, engenheiro Delfim! - desculpe o quase vernáculo - mas porque não levanta o cu da cadeira e vai dar uma volta ali para os lados do Lombelho, da Ferraria, ou junto ao Hospital Privado de Alfena - entre muitos outros locais?

 

É claro que em última instância, a culpa é sempre do Presidente que esse sim não precisa de ir para o terreno mas apenas de obrigar os 'homens do terreno' a irem em força para o dito.

De preferência, 'antes que lhes chegue o fogo ao rabo'...

publicado às 11:09

PARÁBOLAS DE VALONGO: "O TROLHA BADALHOCO" E "O VARREDOR DE RUAS DESBOCADO"...

Take 1:

Captura de ecrã 2016-05-20, às 15.53.19.png

Captura de ecrã 2016-05-20, às 15.48.03.png

Captura de ecrã 2016-05-20, às 16.00.06.png

Naquele dia completadas que foram duas jornadas de um simples e básico trabalho de 'trolhice' - a parte final já em 'câmara lenta' para durar até às 17 - o 'especialista em rebocos, impermeabilizações e afins' acabado de lavar as mãos, refrescar a cara e a zona sovacal e fazer um afago de pente na vasta cabeleira. Deixei-o soprar os piolhos imaginários do pente e dar o toque final à 'cinta descaída' das calças e só então me aproximei para lhe perguntar "quanto era"...

Laconicamente e enquanto digitava um SMS no telemóvel - talvez a avisar a garina de que a espararia à saída do emprego daí a minutos - estendeu-me um fragmento de saco de cimento-cola onde se podia ler - 'em letra de trolha' - o seguinte: "2 dias de 'travalho' x 60 'érios' = 120 'érios'.

Estendi-lhe a mão com 5 notas de 20 euros e mantive-a estendida para o cumprimento de despedida - na verdade já esperava o que veio a seguir:

- "Ó chefe! só me deu 100 'érios' !

- " Ah! Desculpe... - respondi, enquanto lhe estendia um pequeno 'post-it' com o seguinte texto: 'Executar a triagem de diversos inertes (cacos de tijolo, pedaços de cimento, garrafas de cerveja e respectivas caricas, maços de tabaco amarrotados, embalagens de batatas fritas num total de +/- 20 Kg) = 15 euros; transportar tudo até ao ecoponto = 5 euros; Total: 20 euros'.

- "Pode ser neste neste 'post-it' meu caro - interroguei com um sorriso maroto? 

Soprou mas nem respondeu enquanto dava a meia volta da praxe.

 

Em verdade em verdade vos digo, aquele que não lava o prato onde come, quando o voltar a usar, ainda que prepare a mais apurada das iguarias acabará sempre por comer merda à mistura...

 

Take 2:

 

Naquela manhã fresca de Outono, andava o modesto varredor de ruas atarefado na sua habitual labuta diária de varrer a porcaria dos animais do burgo - dos irracionais e também dos outros - à mistura com as primeiras  folhas das árvores que já pressagiavam dias bem piores, quando de repente vê aquele engravatadinho de pasta a tiracolo e ar de 'agente de cobranças difíceis' a amarrotar o pacote de sumos e respectiva palhinha e a jogá-los para o chão, mesmo nas suas 'barbas'...

"Ei! Ó amigo! Então é assim?"

- "Que é que queres ó bacano? Se não fosse eu a ajudar nem terias trabalho!"

Apeteceu-me responder-lhe à letra mas disse-o apenas para mim próprio, enquanto engolia em seco:

( - "Se não precisasse tanto do emprego, partia-te a boca toda só para ajudar o meu primo que é dentista!").

 

Em verdade em verdade vos digo, aquele que semeia pedras no caminho do seu semelhante, mais tarde ou mais cedo vai encontrar um pedregulho na sua auto-estrada...

______________________________________________________________________________________________

 

Vem isto a propósito dos comportamentos pouco responsáveis da Câmara mais badalhoca das redondezas - infelizmente a nossa - onde os promotores das 'Vilas pró-diabéticas' das 'Zen Natura' do burgo com as suas palestras e workshops, terapias e outros serviços a preços reduzidos (tarot, leitura de mãos, runas, reiki, massagens, astrologia, medicina chinesa) e outros eventos que tais, só preocupam com o caminho de 'ida' e (quase) nunca com o de 'volta'...

 

E de repente, ainda vêem umas 'tias queque' barafustar quando os cidadãos reclamam contra as faixas e os 'nagalhos' pendurados nos postes ou colocados nas esquinas dos passeios semanas a fio à espera que o tempo ou uma oportuna intempérie faça o trabalho por eles.

 

 

 

publicado às 14:22

VALONGO - "O ESTADO (OU A LEI) SOU EU"...

Captura de ecrã 2016-05-19, às 23.27.43.png

Já lá vão 15 dias úteis - feitos hoje - que requeri ao excelentíssimo senhor presidente da Câmara Municipal de Valongo, senhor doutor José Manuel Ribeiro - com conhecimento ao Presidente da Assembleia Municipal e ao abrigo da LADA (Lei do Acesso aos Documentos Administrativos) o acesso à informação detalhada sobre aquilo que está negociado com a Jerónimo Martins relativamente ao perfil da Rua Senhora do Amparo em Alfena.

 

A LADA estabelece 10 dias úteis para que este tipo de informação/acesso seja facultada, mas pelos vistos aqui pelo 'subúrbio' a unidade-tempo 'dia' (**) conta-se de maneira diferente...

 

Também já me disseram que Luis XIV (*) terá sido reencarnado pela 'jovem promessa do nosso descontentamento' - 'aquele cuja fotografia costuma aparecer 20 vezes no Boletim Municipal' mas isso eu já não posso garantir que seja verdade...

 

Agora o que eu sei é que talvez tenha de ir incomodar de novo a CADA (Comissão Para o Acesso aos Documentos Administrativos) - para que mais uma vez faça com que "a Lei deixe de ser ele"...

 

(*)   - Luís, o Grande ou O Rei Sol, foi o Rei da França e Navarra de 1643 até sua morte - Wikipédia

(**) - Um dia é uma unidade de tempo geralmente definida como um intervalo igual a 24 horas - Wikipédia

publicado às 23:28

JERÓNIMO MARTINS - DE ALFENA PARA O MUNDO VIA... SOBRADO!

Captura de ecrã 2016-05-18, às 10.06.02.png

Cruzei-me um dia destes aqui pelo 'subúrbio' com um ex-presidente da Junta de Alfena e numa daquelas conversas que se têm enquanto assistimos ao evoluir lento e sonoro dos números do painel electrónico até sermos atendidos num balcão de serviço público, falamos da Plataforma Logística da Jerónimo Martins em Alfena - e também da beneficiação da M606 até Sobrado.

A certa altura da conversa, ele deu conta da sua estranheza quando na altura da aprovação do tal contrato de urbanização celebrado entre aquele Grupo e a Câmara constatou (apenas) o arranjo do troço daquela via municipal entre a plataforma e Sobrado.

 

(Como nos recordaremos - já aqui escrevi sobre isso por mais que uma vez - só muito recentemente é que o presidente da Câmara nos informou ter garantido a 'boa-vontade' (!) do investidor para estender a beneficiação da referida via (Senhora do Amparo)  até ao largo da Codiceira...).

 

Talvez por isso e por todos estes 'detalhes' nebulosos em torno do empreendimento, nomeadamente à volta da beneficiação da M606 é que José Manuel Ribeiro tem fugido sistematicamente a dar as explicações,  que quer eu quer o actual presidente da Junta de Alfena lhe temos pedido, acerca do perfil previsto para a beneficiação da referida via municipal nomeadamente no troço Codiceira - zona da Plataforma.

 

Portanto...

 

Sobrado terá assegurada uma "auto-estrada dos pequeninos" até Alfena - ou vice-versa - e ainda uma ETAR (Estação de Tratamento de Águas Residuais) que como é sabido, é uma espécie de entreposto de porcarias, porque nem mesmo as empresas de topo podem evitar a 'produção' das mesmas.

 

Por sua vez, Alfena ganhará uma nova 'pista de velocidades' onde os moradores da Rua da Senhora do Amparo poderão assistir deliciados, a uma saudável competição entre os modernos camiões do Pingo Doce e as não menos modernas carrinhas - e também camiões - da Chronopost.

Entre ruidosos 'avisos' dos escapes e das buzinas dos bólides, os alfenenses lá continuarão a treinar a sua capacidade de reacção rápida ao perigo e a atirarem-se - quando o consigam - para a valeta, sempre que alguma anca mais saliente ultrapasse inadvertidamente a linha contínua que separa aquela da faixa de rodagem.

 

E assim vai o 'subúrbio' do nosso descontentamento...

 

publicado às 09:31

AGORA SIM...

 

Captura de ecrã 2016-05-16, às 17.24.30.png_______________________________________________________________________________________________

 

Nada como as coisas bem claras, estilo "pão pão, queijo queijo", para que todos nos entendamos bem melhor...

 

O que é que esta notícia do JN tem a ver com Alfena e Valongo e com o famoso "garimpo de Alfena", ou com a cirúrgica e apropriada Carta REN de Valongo que lhe preparou o espúrio caminho e que deu origem ao volumoso processo de denúncia que apresentei em Dezembro passado no Ministério Píblico?

 

Tem tudo!

 

Já tínhamos percebido que a corrupção não tem cor e é muitas vezes transversal ao espectro partidário tal como o conhecemos mas assim fica mais claro: Fernando Melo, José Luís Pinto, Vítor Sá, entre outros, não são - é injusto que assim continuemos a considerá-los - os únicos "alegados corruptos" associados ao contexto da gestão municipal do 'subúrbio'.

 

Recordo aqui o entusiasmo de José Manuel Ribeiro aquando da finalização do processo de revisão do PDM  e o 'entusiasmo vezes dois' a propósito da negociação com a Jerónimo Martins para a instalação da plataforma logística na zona do 'garimpo de Alfena'.

Ele foi de tal de tal forma 'transparente' e foi tão escandaloso o seu estranho(?) 'fechar de olhos' relativamente ao tenebroso negócio promovido pelo 'testa de ferro' do Santander/Novimovest, Jaime Resende, ex-membro da Assembleia Municipal de Matosinhos e familiar de Narciso Miranda - o tal que gerou um lucro de 16 milhões no espaço de 1 hora - que tudo isto tinha de trazer água no bico.

 

Afinal, a subida de António Vitorino de um cargo simbólico que ocupava no Santander, para um lugar na Administração, são a prova de que 'eventuais bons serviços' prestados à 'causa comum' não estavam esquecidos, chegando agora o momento de serem devidamente 'retribuídos'.

 

Caso para dizer a José Manuel Ribeiro que nada terá a temer no caso de os valonguenses resolverem em 2017 'acariciar-lhe-o-fundo-das-costas-com-a-biqueira-do-sapato-do-pé-em-riste':

Está provado que o grupo Santander não é de esquecer os bons amigos...

publicado às 17:25

NÃO APLAUSOS - QUASE APUPOS - PARA D. MANUEL CLEMENTE...

Unknown.jpg

 

D. Manuel Clemente disse AQUI, a propósito do 'assunto do momento' envolvendo os colégios privados com contrato de associação com o Estado e financiados por todos nós, o seguinte:

 

 

  Igreja pede “justo financiamento"

 

Muitos dos cCaptura de ecrã 2016-05-09, às 20.45.25.pngolégios privados que vêem ameaçado o seu funcionamento são católicos e já este domingo o cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, apelou ao “justo financiamento" das escolas do ensino particular e cooperativo e ao respeito pelas "escolhas" dos pais. “O Estado é subsidiário dos pais e das respectivas escolhas e iniciativas educativas, num quadro geral de direitos humanos efectivamente respeitados”, considerou, lembrando que aqueles que optam pelas escolas não estatais “são tão contribuintes” como os outros. Na intervenção, enviada à agência Ecclesia, o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa sustentou ainda que as escolas estatais “deverão atender ao que os pais pretendem para os seus filhos, em termos de valores a transmitir”.

 

D. Manuel Clemente é o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, é o Cardeal Patriarca de Lisboa e é além do mais, um intelectual sério e respeitado.

Não pode por isso envolver-se neste assunto nada sério sem que a sua seriedade corra o risco de sair beliscada, sobretudo se tivermos em conta que está a intervir em causa própria - não na causa da Igreja católica porque isso não seria criticável, mas na causa dos mesmos interesses mesquinhos daquela gente manipuladora de crianças que não hesitou em interromper as aulas por várias horas para industriar professores e alunos a escreverem aquelas carradas (folclóricos carrinhos de mão) de cartas de protesto para entregar ao governo e treinarem respostas a eventuais perguntas da comunicação social.

 

 

Sim D. Manuel Clemente, muitos desses colégios pertencem à Igreja!

 

Ainda bem que não desceu ao ridículo de integrar o folclórico cortejo de idiotas chapados empurrando um desses carrinhos de mão amolgados e ferrugentos .

Os meninos (e meninas) dos colégios privados têm direito a preferi-los às escolas públicas? Têm sim senhor! Mas nesse caso, os  paizinhos que paguem a factura!

Diz D. Manuel que esses paizinhos também pagam impostos, logo, também financiam o ensino público...

Pois pagam e se calhar até deviam pagar mais, para ver se muitas das condições da Escola Pública melhoram para que se tornem suficientemente dignas para acolher os seus 'meninos (e meninas) queque'.

 

Haja paciência, D. Manuel Clemente!

 

Vossa Excelência Reverendíssima nunca ouviu falar nos negócios espúrios em torno do ensino privado que envolvem gente gananciosa e corrupta da 'direita à esquerda cor de rosa' e que faz com que dentro do próprio PS se oiçam críticas ao ministro?

Encontre outros alvos para a sua intervenção em nome da CEP e sobretudo, pense melhor antes de integrar o 'grupo-folclórico-de-empurradores-de-carrinhos-de-mão-ferrugentos-carregando-centenas-de-quilos-de-cartas-manipuladas-contra-o-ministro-da-educação'!

publicado às 20:34

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D