Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

O INFERNO EXISTE - EM FORMATO DIGITAL...

20170227_181337.jpg

 

Pronto já posso 'mergulhar' de novo no outro Inferno (o do Dan Brown) depois de quase um mês de padecimentos extremos no mais infernal de todos os purgatórios...

13 horas 39 minutos 7 segundos de transcrição integral de um áudio muitas vezes pouco 'amigável', a exigir muitas revisitações e com infindáveis marcações de tempo ao segundo, lá consegui enfiar tudo - versão final após alguns arranjos nos espaços e nas margens - em 332 páginas de um calhamaço bem capaz de fazer mossa se fosse atirado a fachada de 'alguém que eu cá sei'...

Antes que interpretem isto no sentido literal, declaro desde já que estava a brincar, porque eu sou de Paz - além do mais, não ia agora estragar aquilo que me deu tanto trabalho a fazer.

Quase um mês depois, vou finalmente pôr de parte o dia de 26 horas mais as nocturnas e regressar ao modo 'normal'...

publicado às 18:21

ESTA ÂNSIA INCONTIDA DE LIBERDADE...

Captura de ecrã 2017-02-23, às 22.38.13.png

 

Acabei de fazer uma actualização dos valores referentes à minha maratona e que são os seguintes:

- 287 páginas Word escritas em 'american typewriter' corpo 12, margens corrigidas para L2,5xR2,0 e acho que se justifica aqui um pequeníssimo intervalo para fazer esta 'prova de vida'...

 

O verdadeiro massacre a que tenho estado submetido, sem algemas e apenas imposto pela vontade imensa que continuo a ter, de permanecer livre e insubmisso e me recusar  a capitular perante quem, seguramente e no caso da situação inversa, não teria a mínima necessidade de (quase) deixar de dormir e (quase) deixar de viver durante dias seguidos - para que a Relação do Porto não seja uma miragem...

 

Uma coisa boa resulta desta parte final da transcrição do Julgamento e que faz com que o meu cansaço se resuma apenas à 'parte física da coisa': quem revive depoimentos como os dos Jornalistas José António Cerejo (Público) Miguel Carvalho (Revista Visão) e o Professor Paulo Morais (ex-candidato à Presidência da República - desculpem-me todos os restantes, mas eu tinha de destacar estes - quem revive isto, só pode meter a velocidade seguinte e dar gás a fundo no trabalho que falta.

 

Se por hipótese absurda eu algum dia tivesse que pensar em arranjar 20 mil euros para dar a José Manuel Ribeiro e à Câmara de Valongo, acho que nesta transcrição e na sua envolvente próxima - e apenas quando a Justiça me permitisse libertá-la - existe matéria suficiente para uma edição de 'financiamento solidário'.

 

 

'Esta ânsia incontida de Liberdade' pode ser uma boa sugestão para os meus amigos da Imprensa e da Comunicação Social mas sinceramente, espero mesmo nunca vir a ter de lhes pedir isso.

 

E agora desculpem, mas 'fui' - outra vez e por mais uns breves dias...

publicado às 21:57

COMPORTAMENTOS DESVIANTES...

.

Captura de ecrã 2017-02-11, às 12.08.43.png

 

.. E para encerrar definitivamente o assunto sobre a parte idiota da sessão de ontem (hoje) da Assembleia Municipal de Valongo...

 

O Dr. Arnaldo Soares, presidente da Junta de Freguesia de Alfena, tem sido - no passado recente - muito criticado neste Blog.

Nunca foi impedido de aqui chegar com um qualquer comentário sobre aquilo que eu ia escrevendo, mas pelo menos numa coisa se distingue do edil municipal: nunca chegou ao desplante de usar o dinheiro do Povo e os meios públicos pagos por todos nós, para colocar em causa a liberdade de expressão em Tribunal.

Isso conta evidentemente a seu "crédito".

Tinha e tem todo o direito de dizer publicamente, de viva voz ou escrevendo, que não gosta do que eu escrevo e que aquilo que escrevo, seja sobre amigos dele seja sobre ele próprio, não faz qualquer sentido e é até - na sua opinião - idiota. 

(O termo "idiota" e o significado que lhe é atribuído, depende (também) muitas vezes do grau de idiotice de que sobre ele discorre...).

 

Sabe que apesar de 'guerras' recentes, eu tenho estado sempre disponível para o apoiar na sua luta contra a discriminação negativa de que Alfena tem sido vítima por parte da Câmara madrasta. Eu não misturo os meus gostos pessoais sobre a sua pessoa política, com o bem maior daquela que é minha terra há muitos anos.

Eu, tal como você, não éramos daqui e gostamos ambos imenso dela. Eu gosto e você pelo menos também o afirma...

 

Agora o que você não tinha o direito era de, a propósito da minha condenação provisória a ter que pagar 18 mil euros à Câmara e ao seu presidente, transformar-se NO ÚNICO IDIOTA DE SERVIÇO a dar os parabéns ao presidente da Câmara na sessão de ontem.

Nem os correligionários dele desceram a tanto, ou seja, até esses, apesar da sua maior ou menor proximidade relativamente ao seu presidente e líder político local, conseguiram evitar fazer FIGURAS TRISTES.

 

Os actos ficam com quem os pratica e a minha polémica consigo relativamente a este assunto acaba aqui. 

 

Sobre Alfena, Valongo também, continuo disponível para continuar a colaborar com todos os de boa vontade - nem podia aliás ser de outra forma - e consigo também, se for esse o seu caso - portador de boa vontade.

publicado às 11:43

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE VALONGO - A 'PREGAR AOS PEIXES'...

20170210_225650.jpg

 

"Sermão de Santo António aos Peixes ou no... deserto"

 

Estou a chegar a casa - são exactamente 01:53:33, 34, 35, 36.... horas da madrugada, vindo da Assembleia Municipal de Valongo e encontrei na minha página do Facebook esta partilha do meu amigo Ricardo Ribeiro, cujo link coloco aqui - Sermão de Santo António aos Peixes, do nosso ilustre Padre António Vieira.

 

Nem de propósito, caro Ricardo!

 

Infelizmente e ao longo destes anos que já passaram do actual mandato do actual presidente da Câmara de Valongo, tem sido a imitar o querido Santo António, que a parte dos deputados que não 'vestem de cor de rosa' tem andado: a pregar aos peixes - ou no deserto, o que ainda me parece pior!

 

Mas o caso de Valongo deveria passar a ser um caso de estudo para todos aqueles - muitos - que realçam o papel que o Poder Local desempenhou e ainda desempenha na consolidação da nossa Democracia:

É que apesar do número de deputados que têm vindo a reclamar sobre a falta de transparência da nossa autarquia e sobre a displicência do executivo minoritário e do seu presidente relativamente ao Poder Deliberativo de Valongo, a verdade é que José Manuel Ribeiro se tem estado nas tintas para a oposição -  maioritária na Câmara e inúmeras vezes maioritária também na Assembleia.

 

Encara o papel deste Órgão com displicência quanto baste e pese embora o facto de se ter confrontado vezes sem conta com críticas acesas e numerosas por causa deste lamentável desrespeito, a verdade é que tem conseguido sempre escapar a quaisquer consequências.

 

É claro que este lamentável desiderato só tem sido conseguido por força da "omissão de auxílio" da primeira figura do Município e que é o Presidente da Assembleia, em relação aos seus deputados.

 

Mais uma vez se falou de pedidos de informação que são alvo descarado do chamado 'veto de gaveta' durante meses, sem que sequer se vislumbre um pestanejar de incómodo ou um franzir de sobrolho por parte do nosso presidente.

Mas é claro que a Câmara continua a encher espaços pagos de jornais locais, regionais e nacionais,  para 'badalar' a recente conquista do 8.º lugar no ranking da transparência Municipal e hoje chegou mesmo a ensaiar um exaustivo 'voto de louvor' por esse feito.

 

Verificada a olho a previsível derrota do mesmo, lá teve de ser a CDU a dar uma mãozinha - e isto não é mesmo uma crítica à CDU - para ajudar a Câmara a salvar a face:

As creio que duas páginas encomiásticas lá tiveram de ser reduzidas a um pequeno parágrafo que acabou mais ou menos assim:

"A Assembleia Municipal de Valongo, aprovou um voto de louvor ao executivo pelo 8.º lugar no ranking da transparência municipal" - citei de memória. Mesmo assim, passou por uma pequena margem.

Um voto de louvor com um pequeno parágrafo diz (quase) tudo sobre o grau de transparência do nosso Município. 

 

Tal como eu tive oportuniddade de dizer a propósito, nesta coisa dos 'índices de transparência municipal' ela parece ser inversamente proporcional ao tamanho e ao tipo de letra das parangonas com que é badalada e em Valongo, o tamanho e a quantidade de títulos é enorme....

 

Eu por exemplo, apresentei mais um requerimento com vários itens, a maioria dos quais respeitantes ao tal 'veto de gaveta'.

 

E para terminar, a parte idiota da sessão: os parabéns de Arnaldo Soares, presidente da Junta de Freguesia de Alfena ao presidente da Câmara - "por lhe ter sido feita justiça, porque não vale tudo e quem de forma covarde, atrás do teclado de um computador, calunia e difama deve ser condenado" - citei-o de memória...

 

Evidentemente que usei de imediato a figura da 'defesa da honra' para dizer ao Dr. Arnaldo que ele não me dá lições - de espécie nenhuma - nem lhe dou o direito de transformar esta sessão da Assembleia numa espécie de 'Tribunal de segunda instância' para me julgar. A segunda instância está à distância de 1 mês e não será seguramente ele a julgar o meu recurso quando chegar o momento para isso.

 

E foi neste momento que me lembrei de uma frase atribuída a MarkTwain: "Nunca discutas com um idiota. Ele arrasta-te até ao nível dele, e depois vence-te em experiência".

 

O incidente ficou portanto por  ali, mas deu pelo menos para ver o grau de fiabilidade de um presidente de Junta que tão injustiçado tem sido por parte de José Manuel Ribeiro - ele não, Alfena - e a quem eu nunca tenho negado colaboração e solidariedade neste seu batalhar contra esse tratamento desrespeitoso.

 

Fica a seu 'débito', Dr. Arnaldo,  o "covarde" e "por trás de um teclado"... 

publicado às 01:51

'DESCODIFICADOR' PARA O INDICE DE TRANSPARÊNCIA MUNICIPAL DE VALONGO:

Um pequeno interregno no meu outro trabalho, só para dizer o seguinte - relativamente à divulgação à divulgação do índice de transparência municipal divulgado hoje e 'promovido' na página do Facebook do Município de Valongo:

 

A TIAC (Transparência e Integridade, Associação Cívica) é uma Associação séria da qual faço parte e por isso não podia sequer colocar a mínima hipótese de esta avaliação não ser séria - de contrário, porque faria eu parte dela?

 

Isso não me impede no entanto de - relativamente a Valongo que é o caso que eu infelizmente conheço bem -  eu achar que  há parâmetros de avaliação que têm que ser mais afinados e se calhar introduzidos para o caso de não terem sido devidamente apreciados.

 

Nada melhor do que dar alguns exemplos concretos - para que na próxima avaliação da TIAC a malha seja apertada. Tenho um pressentimento que o 8.º lugar de Valongo que agora está a ser promovido pelo presidente da Câmara, era bem capaz de saltar aí para o 80.º ...

 

- Resposta a pedidos de informação apresentados pelos deputados municipais demoram longos meses - quando não são alvo de "recusa de gaveta" por parte do executivo - basta que a TIAC requeira acesso às actas da Assembleia Municipal onde esta questão é recorrente;

 

- Reclamações fundamentadas sobre vários assuntos concretos e enviadas nos termos da Lei por munícipes, não obtêm resposta e os assuntos que estão na base da sua apresentação avançam mesmo, à margem de tudo - e também da Lei, evidentemente.

 

Exemplo n.º 1 - Reclamação fundamentada de moradores de uma urbanização, relativa à cedência de um terreno municipal resultante de uma operação urbanística e que se destinava a instalar equipamentos sociais ou áreas de lazer, é cedido para instalar uma Associação de 'motards'... - sem resposta até agora, sendo que a Câmara já deliberou sobre a cedência;

 

Exemplo n.º 2 - Sobre o mesmo assunto, abaixo-assinado com dezenas de assinaturas de moradores, solicitando uma reunião urgente com a Câmara - sem resposta até ao momento;

 

Exemplo n.º 3 - Requerimento de um deputado municipal pedido um conjunto de documentos que têm tudo a ver com transparência - uso de viaturas da Câmara, detalhes sobre a utilização da viatura de função do presidente, sem resposta até ao momento...

 

Exemplo n.º 1

 

re_2.png

 

Exemplo n.º 2

rec_2.png

 

Exemplo n.º 3

REC_3.png

 

 

 

 

 

 

 

 

-  

publicado às 15:19

A LIBERDADE VESTE DE LUTO - POR ENQUANTO...

A causa da Justiça em Valongo, hoje veste- se  de luto.

Este é por agora o comentário que se me oferece fazer sobre a sentença hoje proferida relativamente ao meu julgamento - até porque estamos ainda no tempo da justiça, uma vez que felizmente os cidadãos só são condenados depois do trânsito em julgado.

 

Portanto...

 

Captura de ecrã 2017-02-8, às 14.21.05.png

 

HOJE FUI CONDENADO 'provisóriamente' no seguinte - o Tribunal da Relação do Porto está a 30 dias de distância e com muito trabalho pelo meio até lá chegar...

 

- Duzentos e tal (?) dias de prisão substituídos por multa mum total de mil oitocentos e tal euros;

- 10 mil euros de indemnização à Câmara;

- 8 mil e quinhentos (?) ao presidente;

- 6 UC de custas... 

 

Captura de ecrã 2017-02-8, às 14.23.16.png

 

HOJE -  E DESDE SEMPRE - FUI ABSOLVIDO PELA MINHA CONSCIÊNCIA E A PELA SOLIDARIEDADE DE TODOS AQUELES QUE SENTEM COMO SUA ESTA LUTA EM PROLE DA LIBERDADE DE EXPRESSÃO.

E  esta ABSOLVIÇÃO já transitou em julgado no tribunal da opinião pública que para o efeito é o melhor de todos os tribunais...

 

A renovação do meu pedido de desculpa, por ter que prolongar por mais algum tempo este relativo apagão do Blog, mas transcrições áudio de um julgamento como este não são obra fácil. Tenho por isso que trabalhar 24 horas por dia e se puder, trabalhar também algumas à noite - risos...

 

(Vou abrir uma excepção para precisar melhor os números em relação à sentença, mal a tenha disponível).

 

Estejam atentos aos jornais de amanhã - A LUSA e o JN estiveram lá...

 

 

 

publicado às 13:49

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D