Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO - 'MELECA NO VENTILADÔ'?


 

Chegam-me rumores sobre o incómodo que este Blog constitui para o Sr. Almerindo Carneiro, administrador da empresa 'Construções Almerindo Carneiro, SA', actual e única detentora da marca 'SEC - Sociedade de Empreitadas e Construções, SA' ...

Algumas alusões aqui feitas em relação à actual situação social da empresa que tinha a sua sede em Alfena e sobre alguma 'engenharia financeira' à volta do pagamento das dívidas da Câmara de Valongo relacionadas com o PAEL terão mesmo levado o ilustre empresário e conhecido filantropo valonguense a equacionar um processo judicial contra o dono deste espaço privado.

O dito senhor, que soube construir à sua volta uma imagem diáfana de mecenato social, não gosta portanto do que por aqui vou escrevendo, o que é bom, porque se gostasse, eu teria algumas razões para me preocupar!

 

Talvez convenha aqui recordar-lhe, que Fernando Melo também não gostava e já incomodou os Tribunais por razões idênticas e passados alguns meses, lá apertamos a mão na frente da senhora magistrada do Ministério Público, com a presença dos respectivos advogados...

 

(Um Blog é uma espécie de diário e neste, escrevo o que vai na alma, sobre (quase) tudo, sobretudo, sobre a corrupção e actividades afins que minou e ainda mina e destrói por dentro este País e também o nosso Concelho. 

Depois, limito-me a deixá-lo - ao diário - aberto sobre a minha secretária virtual e fico até contente, se muitos amigos e alguns que o não são seguramente, passam por aqui para bisbilhotar e até me dão a honra de citar alguns dos meus post) . 

 

Feito este parêntesis, devo dizer que me incomoda solenemente um certo tipo de 'mecenato' que por aí prolifera, ao bom estilo de alguns países da América Latina, adoptado por certos empresários do nosso País como forma de camuflar actividades menos dignas, mas nunca associei obviamente o senhor Almerindo a esta faceta, porque em boa verdade, não tenho elementos que me permitam por enquanto fazê-lo.

Está evidentemente no seu direito - porque estamos num Estado de Direito - em ajudar a emtupir ainda mais os Tribunais, se isso o realiza como cidadão deste País, mas lançando mão de uma engraçada frase usada pelos nossos irmãos da América do Sul que falam 'portugueis', se quiser 'jogá meleca no ventiladô' esteja à vontade! Afinal, grande parte do paradigma dos ajustes directos de Fernando Melo ainda não 'prescreveu'...

 

Acrescento, aparentemente a 'despropósito', que conheço as razões pelas quais a Coragem de Mudar foi substituída pelo Partido Socialista aquando do famoso acordo para a viabilização do Plano de Saneamento Financeiro (que depois foi pelo cano, quando os bancos deixaram de ter dinheiro para emprestar, dando lugar ao actual PAEL) e elas não tiveram nada a ver com a famosa exigência da 'crucificção' pública de Melo: o sr. consultor eclesiástico e vereador menor de Valongo, agora ex-dono da Coragem de Mudar, até tinha preparada um versão bem mitigada para o papel de Egas Moniz que o senhor idoso teria de assumir publicamente, versão essa que originou mesmo algumas críticas acesas no seio do grupo de apoio aos eleitos, do qual eu faço parte.

 

O cerne da questão que me levou a abordar aqui, muito pela rama a imensa lista dos pagamentos em atrazo da Câmara de Valongo, para dar cumprimento à Lei que regulamenta o PAEL - num PDF 'convenientemente' pouco legível - e publicada AQUI tem a ver com comportamentos menos dignos de alguns empresários em abstracto e não com a SEC especificamente e que a Câmara, não sei se por obrigação legal ou não, mas pelo menos por responsabilidade social deve estar atenta também à salvaguarda dos direitos de muitos trabalhadores a quem aqueles devem dinheiro. Muitos preparam-se para jogar borda fora a sua carga mais preciosa, a força de trabalho - ou já o terão mesmo feito nalguns casos.


Sabemos que naquela altura difícil em que algumas empresas reconhecem que já não têm mais caminho para percorrer, a melhor e mais digna forma de proteger os direitos de todos os credores, incluindo obviamente os trabalhadores, é o processo de falência - antes de qualquer alienação subreptícia de património ou da transferência de créditos para terceiros, mas também sabemos que muito poucos o fazem - infelizmente!

 

Concluindo:

 

A actual situação da empresa Construções Almerindo Carneiro, SA (ou SEC - Sociedade de Empreitadas e Construções, SA) é a que pode ser consultada AQUI


Alguns dos pagamentos constantes da tal imensa lista cujo link coloquei acima, indiciam uma prévia (e talvez muito conveniente) transferência de créditos para o sector bancário, pelo que, quem consultar a lista, apenas encontrará a referência à empresa SEC (ou Construções Almerindo Carneiro) na coluna de Observações.

 

Eu não percebo muito de engenharia financeira nem das múltiplas formas que existem, de contornar a forma demasiado escrutinada dos processos de falência. Não sei bem se é sobre isso que os indícios falam, mas que desconfio, lá isso desconfio...

 

 

 

 

 

 

publicado às 08:51

18 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D