Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

PÁSSAROS E MOSCAS...

...Porque o meu ódio

te há-de tirar do pódio

e  no chão que é o teu lugar

haverás de rastejar...

E os nobres soldados

por ti tão aviltados

cravos não vão trazer

para as armas guarnecer...

Nem a azinheira mirrada

por ti tão desprezada

te dará mais abrigo

Desta vez terás o castigo!

 


Escrevi este texto rimado em 29 de Novembro de 2008 num contexto diferente, mas que apesar da distância de quase um ano, pode ser aplicado ao actual - infelizmente...

Assisti ontem e hoje - privilégio de reformado, dirão alguns - ao debate do programa de governo na Assembleia da República e a parte mais deprimente de todo o ping-pong entre o governo e os deputados, foi confirmar aquilo que eu já sabia: Nem Sócrates mudou, nem algumas caras novas sentadas nas cadeiras da oposição (sentados os donos das caras, obviamente!) trouxeram valor acrescentado ao Parlamento. Caso para dizer que mudaram apenas as moscas e mesmo assim, muito poucas...

O desejo implícito no pequeno poema ao cimo do post-  um novo 25 de Abril que nos lave a cara e a alma de toda esta "poluição" falante de contornos vagamente humanóides que nos tem tolhido ao longo destes anos e faça renascer esquecidos cravos (vermelhos de preferência) - mantém-se perfeitamente actual.


Numa das suas habituais "não respostas" a uma série de questões colocadas por Pacheco Pereira da bancada laranja, Sócrates tentou fazer humor (apesar de se sair sempre mal nesse "registo",  o homem persiste apesar de tudo) com o passado político de "educador da classe operária" do mediático Deputado do PSD. Ora bem, todos nós temos sempre algo no nosso passado com por vezes não convivemos muito bem... Mas Sócrates tem demasiados "esqueletos no armário" para se poder dar ao luxo de andar a mexer nos "armários" dos outros - sobretudo, se for apenas para os acusar de umas quantas "peúgas sujas" esquecidas no fundo dos mesmos...


Sócrates, profícuo como sempre em promessas e boas intenções, garantiu que uma das suas prioridades irá ser o combate à corrupção.

Faz-me lembrar muitos educadores (se calhar muitos de nós) repetindo até à exaustão para as suas crianças "lavem as mãos, lavem as mãos" sem se darem conta da sujidade que as próprias apresentam...

Como diz o Povo "olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço"...


E termino no mesmo "registo" com que comecei: Quem (eventualmente) possa ser levado a atribuir uma excessiva importância ao número de cadeiras ocupadas por cada força política e ao que isso possa ter a ver com a qualidade (ou falta dela) do trabalho do próximo Parlamento, desiluda-se: Os acordos - tácitos ou explícitos - vão ser a regra. É que ninguém vai querer arriscar, pelo menos para já, carregar no comando para "baralhar e dar de novo".

As mordomias que resultam do estatuto de Deputado da Nação, são demasiado importantes para que alguém resolva abrir mão das mesmas de ânimo leve:  "Mais vale um pássaro na mão que dois a voar"!

publicado às 15:39

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D