Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO SEM TAXAS EM 2010...

Câmara impedida de cobrar taxas por irresponsabilidade do PS e da coligação PSD/PP

2009-11-28

 


A Câmara Municipal de Valongo está impedida de cobrar taxas pelos serviços que venha a prestar aos munícipes em 2010. A decisão, tomada na reunião desta manhã da Assembleia Municipal, é altamente penalizadora para as necessidades financeiras do Concelho e decorre do comportamento irresponsável dos eleitos do PS e da “distracção” do presidente da Junta de Alfena, um “independente” eleito com o apoio da coligação PSD/CDS-PP.

A legislação obriga à aprovação de um novo regulamento de taxas municipais. Não havendo essa aprovação, cessam, em 1 de Janeiro, todas as taxas municipais – excepto as de urbanismo, votadas à parte. Tendo em conta as exigências legais, a Coragem de Mudar prescindiu de votar contra o documento, apesar de este merecer a rejeição. Em contrapartida, o presidente da Câmara e os vereadores que o acompanham comprometeram-se, em reunião de Câmara, a constituir uma comissão que analise o regulamento e que proceda a todas as alterações necessárias no prazo máximo de seis meses. Em sede de executivo municipal, o PS aceitou este processo e também se absteve na votação do documento.
Só que na reunião da Assembleia Municipal falou mais alto a luta pelo protagonismo dentro do PS. Se na Câmara o vereador Afonso Lobão diz “mata”, o deputado municipal José Manuel Ribeiro tem de dizer “esfola”, de modo a ter maior protagonismo. Com esta luta de egos perdeu, para já, o Concelho. No afã de se mostrar mais activo do que Afonso Lobão, o líder dos deputados municipais do PS levou a sua bancada a votar em contradição com o que tinham feito os vereadores do mesmo partido. Enquanto na Câmara o PS viabilizou o documento, para que a Câmara possa continuar a cobrar taxas – instrumento indispensável à gestão -, na Assembleia Municipal, o mesmo PS votou contra. Alegadamente por estar distraído e por não saber o que estava em votação, o presidente da Junta de Alfena, Rogério Palhau, absteve-se. Com isso, a proposta foi rejeitada, da mesma forma que havia sido “chumbada” uma proposta do PS, que mereceu o voto contra da Coragem de Mudar por ser extemporânea e não respeitar o consenso obtido em sede de executivo, quando todas as forças representadas concordaram em viabilizar o regulamento com a contrapartida de ele ser alvo de uma revisão profunda por uma comissão alargada.


Ai, ai! Dr. Palhau! O Dr. Melo vai dar "tautau"!

E foi assim, no decurso de uma Assembleia Extraordinária que hoje teve lugar, num fugaz momento de lucidez (ou loucura?) que o Dr. Palhau, presidente da Junta de Alfena e Deputado independente com assento por  inerência, na Assembleia Municipal de Valongo, arranjou um verdadeiro 31 à maioria relativa do Dr. Fernando Melo.

Mas não foi só ele, porque o PS também distraído, votou contra a proposta viabilizada na Câmara por todos os Vereadores!

Fico dividido neste sentimento de comiseração relativamente ao "sofrimento" alheio: entre o ar aflito do Dr. Palhau que ainda tentou que o presidente da Assembleia repetisse a votação (!) ou lhe permitisse alterar o sentido do seu voto alegando que não tinha percebido e o ar embasbacado dos Deputados do PS, quando (finalmente) perceberam - irra! que são lentos! - o que tinham acabado de fazer...

Valonguenses, preparem-se - sobretudo aqueles que ainda têm vindo a beneficiar de alguns dos escassos apoios da Câmara nesta altura de crise e carências de toda a ordem - para assistir em 2010 ao maior "fechar de torneira" de que teremos memória na maioria dos apoios sociais que ainda íamos tendo!

É que agora, vão sobrar álibis...

 

 

 

publicado às 16:32

3 comentários

  • Imagem de perfil

    cneves 30.11.2009 11:00

    Começo pelo pormenor menos relevante do seu comentário - aliás tão relevante como me parece ser a sua dimensão como pessoa, que ao contrário do que eu faço precisa de se ESCONDER por detrás do anonimato - o pormenor do "asterisco": Abutres, serão pessoas como você e o seu grupo, que na ânsia de protagonismo - político ou outro - se esquecem dos compromissos de uma outra parte do grupo, assumidos na Câmara e depois vêm para a Assembleia "estraçalhar" tudo para a seguir, cirandarem entre a cadeira e o microfone a debicar os bocados que espalharam por todo o lado!
    É que ao contrário dos abutres - os de verdade e sem penas na cabeça - cuja espécie devemos preservar, existem os outros, espécie híbrida como a sua, produtos de uma irresponsável "manipulação politico-genética " que deu lugar a algo que se situa entre o (tal) abutre e a hiena, mas que sendo autênticas "aberrações" devemos fazer tudo para extirpar do seio da sociedade.
    Primeiro assunto relevante: A proposta da Câmara não passou, com todos os votos que você diz, menos na parte que se refere ao Dr.Palhau : Apesar da cretinice que o caracteriza, você não é ingénuo ao ponto de acreditar que não existia um acordo prévio para que ele votasse a favor. A Coragem de Mudar, muito antes do "golpe de rins" do seu grupo, já tinha decidido Abster-se! Quem baralhou as contas do Executivo, foram em primeiro lugar vocês e depois o Dr.Palhau !
    Segundo assunto relevante: A taxa do IMI que você invoca, faz-me rir e lembra-me um outro cretino - o Paulo Portas - que quando esteve "do lado de dentro" como ministro, fez o que nós sabemos e agora que a manjedoura é de outros, põe-se em bicos de pé para ver ser consegue (nalguns aspectos) ultrapassar o Bloco de esquerda.
    O IMI representa o que representa para as finanças da Câmara - e é muito! - pelo que uma redução abrupta, SÓ IRIA FAVORECER OS PROPRIETÁRIOS DOS IMÓVEIS COMO EU E VOCÊ, em desfavor de uma parte muito grande da população que teria seguramente de ser prejudicada na redistribuição dos impostos - nas ajudas, nos apoios, em tudo aquilo que os nossos impostos podem fazer!
    Portanto, independentemente do alívio que a baixa do IMI representaria para si e para mim, não devemos proceder de forma abrupta a cortes que ponham em risco a subsistência de muitos Valonguenses.
    Questão diferente, é já a forma como esses impostos são geridos pela nossa Câmara, onde impera a corrupção e a promiscuidade entre poder autárquico e o mundo tentacular (ou será face oculta?) das empresas amigas. Mas isso não me parece que o preocupe muito...
    Terceiro assunto relevante: Você sabe (e não sei porque o coloca aqui em dúvida) que eu sou de Valongo - ou melhor, moro em Valongo há 21 anos - e que por isso, pago os meus impostos em Valongo - INCLUINDO UMA TAXA DE RAMPA, apesar de ter cedido gratuitamente à Câmara uma faixa de terreno aquando do alargamento da Rua da Várzea! Você sabe, porque eu, ao contrário de si, NÃO ME ESCONDO por detrás de um "OK Valongo"!
    E pronto. Colocados os pontos nos "ii", veja lá se areja as ideias e sobretudo homem! deixe de usar essa Burka " do OK Valongo! a Burka " é para as mulheres!
  • Imagem de perfil

    cneves 30.11.2009 11:13

    Em aditamento ao comentário anterior, reparei que para além da identificação OK Valongo" aparece meio escondido um nome:Paulo Vale Neves. Na forma como os comentários que me chegam ficam visíveis no meu Blog, não me apercebi de imediato do nome.
    Reformulo pois o meu texto em tudo onde é referido o anonimato do autor do comentário, mas mantenho obviamente tudo o resto.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Mais sobre mim

    imagem de perfil

    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2006
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D