Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

ATÉ QUANDO?

  

 

PORTO
Petrogal deixa libertar
mancha de crude na praia

Uma descarga de derivados de hidrocarbonetos, ocorrida anteontem, na praia da Aldeia Nova, em frente à Petrogal, em Leça da Palmeira, Matosinhos, provocou a indignação entre os banhistas e trouxe à memória anteriores focos de poluição provocados pela refinaria.

(JORNAL DE NOTÍCIAS - 10 de Agosto) 


O lucro da Galp Energia aumentou 71 por cento no primeiro semestre deste ano, face a igual período do ano passado, para 285 milhões de euros, superando a expectativa dos analistas, segundo os resultados ontem divulgados pela petrolífera portuguesa.
(CORREIO DA MANHÃ - 9 de Agosto)


Pois é...

Não bate a bota com a perdigota!

Como é que uma empresa de topo no panorama empresarial português - e mesmo mundial - pode arrogar-se o direito de continuar a reger-se por parâmetros autenticamente terceiro-mundistas na área ambiental?

(Isto para não falarmos nas questões ligadas à segurança, onde têm ocorrido também acidentes/incidentes indiciadores do mesmo tipo de cultura empresarial...)

É a pergunta que seguramente, todos os portugueses farão, começando obviamente pelos que têm a má sorte de viver nas proximidades das instalações da empresa - no caso da notícia, os portugueses de Leça da Palmeira ou que tenham decidido aproveitar as praias ali existentes...

Enquanto o Estado (ou um regulador em seu nome, se existir) não fizerem cumprir o que está legislado, ficará sempre no ar a suspeita, de que as Leis não são para todos.

Porque será que soa a puro folclore mediático a atitude do Regulador para a área das Telecomunicações, ao aplicar uma coima de valor astronómico à Portugal Telecom por abuso de posição dominante?

E mesmo assim, será que tomaria a mesma atitude, se  do lado dos queixosos, estivessem cidadãos comuns em vez de empresas igualmente poderosas?

Por causa da total ausência de escrúpulos, da ambição sem limites dos grandes tubarões do mundo empresarial e da completa subserviência dos Estados perante o poder económico que deles (tubarões) emana é que o nosso planeta se encontra à beira do colapso!

 

 

   

publicado às 13:53

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D