Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

ALFENA E OS MAPAS QUE "NÃO FALAM"...

 

Retomando ainda o assunto da surreal Assembleia de ontem abordado no meu post anterior...

 

O nosso Advocatus/Presidente, voltou às suas já famosas verdades de "la Palisse" para dizer - a propósito da questão dos limites geográficos de Alfena - aquilo que antes de o dizer já todos sabíamos:

1) Que não existe qualquer dúvida àcerca da razão histórica que sobre este assunto assiste a Alfena;

2) Que para além disso - que é o mais importante - não existe (de facto) nenhum memorando de entendimento entre os Presidentes de Junta a propósito deste assunto. A única referência a esse pretenso entendimento, é uma espécie de declaração escrita do número dois da Câmara, o Dr. João Paulo Baltazar, onde refere as tais posições consensuais;

3) Que a ratificação dos mapas feita na anterior Assembleia de Freguesia e enviada à CAOP não teve quaisquer outras consequências práticas que não as que sempre foram avançadas por nós, isto é: absolutamente nenhumas!

4) Que o passo seguinte - se não for conseguido de facto o tal acordo entre as várias Freguesias - é fazermos um pedido à CAOP para a abertura de um Processo de Delimitação Administrativa, que implicará na deslocação ao terreno de um grupo de técnicos o qual envolve custos financeiros significativos a suportar por quem solicita esse procedimento e cujo resultado final, se continuar a não existir consenso entre as Freguesias - será uma "delimitação provisória" apenas para fins administrativos, sem qualquer implicação a nível das transferências vindas da DGAL;

5) Que a única entidade que pode decidir em última instância sobre limites definitivos, é a Assembleia da República e ao ritmo que o poder legislativo deste País funciona, se formos por aí, daqui a 10 anos ainda andaremos a falar deste assunto;

Mas voltando ao tal "acordo" referido pelo Advocatus/Presidente e "garantido" pelo vice Presidente da Câmara, parece que ele se resume - disse-o o Dr. Rogério - aos mapas consensualizados!

Ora bem... quando duas ou mais partes se juntam para fazer um acordo, normalmente trocam palavras, que regra geral, podem ser registadas sob a forma de áudio ou texto, dando lugar a um documento vulgarmente designado por Acta e esse sim com valor documental.

Ora não foi isso que aconteceu. Os tais mapas "consensualizados" não falam, nem descrevem o que se passou e como o assunto tem a ver com dinheiro (as transferências de verbas para as Freguesias) bem poderá o Dr. João Paulo Baltazar confirmar, garantir, declarar, que no final, ficaremos exactamente no mesmo ponto.

Portanto, o que importa verdadeiramente - e era isso que o Grupo "Coragem de Mudar" propunha - é compilar rapidamente o muito que existe para provar a nossa razão e avançar rapidamente para a consertação entre freguesias, sendo que em termos históricos não existe aqui nenhum litígio fronteiriço entre as mesmas que à partida possa fragilizar a nossa posição.

publicado às 10:16

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D