Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO E A "TANGA" DE FERNANDO MELO

 

O discurso da "tanga" foi durante algum tempo como todos sabemos, o recurso in extremis dos políticos ineptos e incompetentes.

Mas de tanto que recorreram a ele para justificar as próprias incapacidades, foi "chão que deu uvas" tendo caído claramente em desuso.

Pelo que hoje se viu na reunião pública de Câmara, parece que o Dr. Fernando Melo ainda não fez o necessário upgrade e continua a utilizá-lo como "meio de trabalho" para tentar justificar o injustificável e explicar o inexplicável:

Para ele, a situação de rotura da Câmara não tem nada ver, ou tem pouco a ver com erros próprios e resulta sobretudo - segundo ele obviamente - da enorme dívida que a Câmara herdou há 17 anos atrás (quando ele se sentou pela primeira vez no cadeirão almofadado da Domus Municipalis)...

Como disse o Dr. Pedro Panzina da Coragem de Mudar, só falta o Dr. Fernando Melo tentar convencer-nos de que a culpa foi dos Romanos que nos levaram o ouro da Serra de Santa Justa...

A verdade, é que os argumentos para explicar a gravíssima situação das finanças Municipais não abundam pelo lado do Executivo Municipal - tanta incompetência, tanto esbanjamento e tanto desperdício não podiam passar despercebidos a ninguém - nem passaram aos valonguenses! Escamoteá-los nesta altura de aperto seria tarefa impossível, pelo que recorrer à "tanga" legada por antecessores longínquos virou de novo "cortina de fumo" para camuflar os estragos.

Mesmo assim, o Executivo da Câmara está - contra o que é o seu hábito - a "fazer das tripas coração" para tentar assumir uma postura de humildade e diálogo com a oposição que lhe permita salvar um Plano de saneamento financeiro que evite, ou pelo menos, adie até ao fim do mandato o afogamento eminente. Só que de tanto que nos habituaram à "farpela" aperaltada e arrogante do "quero posso e mando" com que os temos visto nos últimos anos a esta parte, vê-los agora vestidos neste estilo casual de homens comuns resulta um pouco forçado...

De qualquer forma, se em última instância a oposição concluir que é melhor para a população do Concelho que o tal Plano de saneamento financeiro da Câmara seja viabilizado, ao menos que vincule este Executivo de forma clara e incontornável, relativamente a todas as alterações que têm de ser feitas - e são mesmo muitas - corrigindo comportamentos, cortando vícios, eliminando mordomias, reduzindo o número de "afilhados" do Dr. Fernando Melo ao serviço da Autarquia...

E pode começar desde já por perguntar ao Dr. Fernando Melo com que dinheiro é que procedeu à compra de 4 carros eléctricos, como refere o JN de hoje - ver recorte.

O argumento é interessante, mas remete-nos inevitavelmente para aquelas compras induzidas pela publicidade agressiva desta sociedade consumista em que vivemos, género "compre um aspirador xpto e oferecemos-lhe outro de graça". Primeiro, há que verificar se precisamos de dois aspiradores xpto - ou mesmo de um só - e depois, mesmo que necessitemos deles ou dele, se temos dinheiro para a compra, por mais vantajosa para o ambiente que ela seja ou nos digam que é!

Mas ainda a propósito do tal Plano de que iremos ainda ouvir falar bastante nos próximos tempos, mesmo que como dissemos, se considere incontornável a sua viabilização, já não bastam as habituais garantias que este Executivo sempre "dá" nestas circunstâncias. A única forma de garantirmos que as medidas que venham a ser acordadas sejam efectivamente aplicadas, é criar uma "comissão de acompanhamento" que controle a sua efectiva implementação.

Para não acontecer o mesmo que sucedeu com o chamado "fundo de emergência" aprovado aquando da alteração de taxas - portanto já há longos meses - por proposta do PS (estima-se que ronde os 500 mil Euros) e sobre o qual nada se sabe neste momento!

A Drª. Trindade prometeu para breve alguns "detalhes" sobre a forma como o dinheiro tem vindo a ser gasto, isto é, o "fundo" (ainda) não foi regulamentado, mas já "funciona" - pelos vistos...

publicado às 19:14

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D