Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

O HOMEM - ESSE PREDADOR...

Ao contrário dos seres irracionais, que preservam o seu habitat, o Homem - ser racional - parece sentir uma especial queda para o pôr em risco,  ou mesmo destruir!

Qual serviçal doméstica batoteira que limpa o corredor varrendo para debaixo do tapete,  o homem varre os problemas que cria, para as gerações vindouras - em vez de os evitar ou resolver:

Recebeu dos seus ancestrais, densas florestas (de árvores) e deixa aos que vêm a  seguir, densas florestas (de cimento) onde até o ar que se respira já tem que ser criado artificialmente...

Recebeu rios plenos de vida, onde - vejam só! - até existiam peixes e em  cujas margens frondosas nidificavam aves de todas as espécies e deixa para quem vier a seguir, torrentes de esgotos cheios de detritos, que produz em quantidades inimagináveis e cujo tratamento adequado é possível ,  mas muito caro!

Se eu contar aos mais jovens, que tomei banho  e fui muito feliz - parafraseando um conhecido apresentador de televisão - em Rios como o Leça e o Ave (os mais próximos do meu local de origem), seguramente não acreditarão, tal o estado actual dos mesmos...

Se lhes falar de espécies como a águia, o gaio, a poupa, o cuco, o milhafre, quase vulgares na maior parte do nosso território há muitos anos atrás, não acreditarão, tal é a sua raridade actual...

Bem e se lhes falar de fruta com sabor (embora às  vezes com um bichito ou outro...) ficarão a olhar sem perceber, habituados que estão aos sucedâneos da mesma - algo entre o natural e o plástico, com um aspecto muito asseado, lavada e calibrada por máquinas inteligentes, transportada  em contentores frigoríficos, em viagens intercontinentais por terra mar e ar e onde a única vantagem (será?) é termos cerejas, maçãs e outras frutas, fora das épocas habituais...

Claro que a dita fruta, bem como os legumes e outros alimentos, vêm acondicionados em práticas e higiénicas embalagens de plástico cuja reciclagem nunca será suficiente ou de cartão ou madeira obtidos à custa do abate das árvores que outros nos deixaram...

Depois, há os novos meios de transporte, sem os quais a  máquina do progresso jamais funcionaria - o automóvel, o avião, os super paquetes o jatinho pessoal, quiçá a viagem de recreio interplanetária...

E resta-nos o buraco do Ozono, o cancro da pele em franca ascensão , as doenças respiratórias, os acidentes vasculares cada vez mais frequentes, o stress...

E resta-nos por último a vaga esperança que o HOMEM ainda consiga reconsiderar e MUDAR O SEU ESTILO DE VIDA!

P.S.: Para dizer que apesar de tudo, há ainda quem acredite que conseguiremos dar a volta por cima - eu, a minha sobrinha Cláudia, que ao  sugerir-me este tema mostra desde logo o seu empenho e preocupação e muito mais gente... 

 

 

publicado às 22:37

QUE FUTURO?

Os jovens, são o nosso maior investimento para o futuro...

Apesar de ser uma de muitas frases feitas sobre a importância da nossa juventude, nem por isso deixa de fazer sentido.

Só que, como em todos os investimentos, nem tudo são bons negócios, não por culpa do capital investido, que esse, intrinsecamente é muito semelhante, mas sobretudo porque a habilidade dos investidores para obter bons resultados, deixa em muitos casos - diria que em casos demais... - muito a desejar!

E isto vale para todas as classes de  investidores, desde logo os políticos que estabelecem a maior parte das regras do investimento, depois os pais e educadores, que manipulam directamente os valores a investir, passando pelos fazedores de notícias que dissertam, opinam, informam (e às vezes fazem o contrário de tudo isto...) sobre a evolução do investimento...

Propositadamente, não incluo no êxito ou inêxito dos resultados obtidos, nenhuma Entidade Superior, ou Deus se quisermos, porque deles obtivemos o direito ao livre arbítrio, o que desde logo nos retira qualquer hipótese de nos resguardarmos em caso de insucesso!

Quanto às regras (e aos políticos) vê-se à vista desarmada, que nem todos os percursos para que nos remetem, são autoestradas , ou sequer vias rápidas e mesmo os muitos caminhos que nos indicam, estão por incompetência, desleixo ou pura maldade, pejados de escolhos - e se tropeçamos, a culpa é sempre nossa!

Relativamente aos que manipulam directamente o investimento, esses alegam quase sempre, quando o resultado não é o melhor, que a culpa é  dos outros - sejam eles a rádio a televisão ou os jornais, seja em última instância, a tal Entidade Superior!

E é deste ciclo vicioso em que todos tentam sacudir a água do capote - o que seguramente não conseguem, de tão encharcado que está - que qual pião das nicas ,  emerge a parte mais válida do negócio a JUVENTUDE!  -  O FUTURO

publicado às 21:37

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D