Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

AZUL É O SACO (MAS NÃO DE ESPERANÇA...)

Azul (e quase tão fundo) como o mar

Nas suas profundezas o País se perde

Porque na ausência de luz e de verde

A  esperança não consegue medrar...

 

Parece que para o Partido Socialista, a criação de uma Comissão Parlamentar de inquérito para espreitar o fundo do "saco azul", perdão, da Fundação para as Comunicações Móveis (FCM) - eu disse FCM e não FPS, a do Vara, que essa foi-se à nascença - não passa de uma manobra de diversão do PSD para disfarçar o processo auto-fágico que o conduz - no dizer de alguns "diagnosticadores" apressados e pouco atentos às inesperadas energias com que as bases  por vezes surpreendem os analistas de sofá - à sua inevitável extinção(!)

Quem o disse, foi Afonso Candal, que "por acaso", é membro da Comissão Parlamentar de Economia e Finanças e que obviamente, deve saber bem a falta que a FCM fará às outras finanças - as do PS. Aliás, sempre que alguém começa a espreitar para o interior sem fundo dos muitos "sacos azuis" que proliferam por aí, nos mais variados níveis das mais diversas instâncias de Poder, alguém fica a perder e pelo nervosismo de alguns "faladores oficiais" do PS, já se vislumbra quem neste caso vai ficar sem mesada...

Que a Manuela Ferreira Leite não esteja isenta de pecado nesta "pequena" maldade até se percebe (mas ela também não é a "virgem Maria..."). Que o PSD tenha todo o interesse em "atirar uns chumbinhos" aos holofotes que se assestam sobre as suas hostes meio desorganizadas (onde já se fala de "suicídio colectivo") afim de garantir uma penumbra mais discreta que lhe permita "enterrar os mortos e cuidar dos feridos", também não andará longe da verdade.

Mas o que é que tudo isso tem a ver com o "fundo" da FCM, perdão outra vez, da questão -  o facto indesmentível de que a FCM é uma vergonha, que o negócio do Magalhães é outra vergonha, que a empresa J.P.Sá Couto é "apenas" mais uma das muitas empresas do Regime que se podem dar ao luxo de ganhar dinheiro sem terem de se preocupar com a maçada da concorrência, desde que naturalmente aceitem reservar uma parte do respectivo lucro para engordar os "manipuladores de cordelinhos" nas instância de Poder?

Como se costuma fazer em criminologia, a primeira e fulcral pergunta para a investigação deste eventual "crime", não deve ser "quem ganha com esta investigação", mas sim, "quem perde com esta investigação" e pelo que se vai vendo, é na resposta a esta última questão que se encontrará uma das muitas "alíneas" do cancro que grassa no País - a CORRUPÇÃO! 

publicado às 21:06

A "BURKA" DE SÓCRATES...

Não sei se o tentaram (*)

mas se o fizeram falharam

Também, como podiam

assassinar se o não viam -

(que de tão minúsculo

qual ínfimo corpúsculo

na versão original

virou mero residual

apenas para enfeitar 

o registo curricular)

 -ao carácter da "pessoa"?

Ainda que isso doa

a muito boa gente

em Sócrates está ausente

e para ser "assassinado"

teria de ser implantado

Quem desta forma estulta

mantém a face oculta

sem que seja carnaval

ou esconde feio mal

ou então

aderiu ao Islão

sendo mulher

Sem ninguém saber...


 (*) O PS diz que sim, que tentaram fazer um "homicídio de carácter" a José Sócrates. Mas quem o fez (se é que alguém o fez)  deu com os "burros na água" e perdeu o seu tempo.

publicado às 14:32

JUNTA DE ALFENA - CIDADANIA PLENA...

Conforme combinado previamente pelo telefone com a funcionária da Junta, lá me dirigi hoje à "casa de pedra" para consultar a Acta da penúltima reunião do Executivo - requeri há algum tempo atrás a consulta das duas primeiras reuniões deste mandato, mas esta estava ainda por assinar e ficou para hoje.

Surpresa das surpresas, o Dr. Palhau deixou indicações à referida funcionária para formular um novo pedido por escrito...

Era o que faltava! O homem deve sofrer de algum síndrome da "burocracite" crónica!

É óbvio que me vai ter à perna - passe a expressão - porque se há coisas que não suporto é que um autarca eleito segundo as regras da Democracia - ainda que no caso concreto não o tenha sido com o meu voto -  se "arme em carapau de corrida"  e se comporte como um pequeno ditador de trazer por casa.

Esperemos que não demore a acertar o passo e corrija a postura com que se apresenta perante os cidadãos - que deverá obviamente ser idêntica, quer se trate de correligionários, quer de adversários.

Mas para não perder totalmente o tempo gasto no caminho, aproveitei para entregar o seguinte Requerimento, cujo conteúdo julgo não necessitar de explicações.

(Como prometido - mais a mim próprio do que a qualquer outra pessoa - continuo a procurar exercer os meus direitos de cidadania de forma plena, por muito que isso possa desagradar a qualquer granítico autarca).


Exmo. Senhor

Presidente da Junta de Freguesia de Alfena,

 (...)

Nos Termos da Lei nº. 46/2007, de 24 de Agosto  (LADA-Lei de Acesso aos Documentos da Administração) – artºs. 1º, 5º e 12º - venho pelo presente requerer o seguinte:

1. Cópia do “quadro de bordo” do miniautocarro onde constem as deslocações do mesmo durante os meses de Outubro e Novembro – horas parciais, totais e descrição sumária dos motivos das  referidas deslocações.

2. Cópia do protocolo conjunto de cedência à Junta de Freguesia, do espaço (sob o viaduto da A 41) destinado às “feiras temáticas”.

3. Cópia do protocolo (a existir) da cedência ao Ministério da Saúde, do terreno destinado à nova Unidade de Saúde – em PIDDAC para 2009 - ou não existindo o referido protocolo, informação sobre o estado actual do assunto.

(...)


 

publicado às 15:56

ESPAÇO SOLIDÁRIO - 3

Encontrei aqui o texto que reproduzo abaixo, em que se relata mais um dos assaltos praticados pela Caixa Geral de Depósitos.

E porque denunciar qualquer ROUBO de que se tenha  conhecimento, é dever de todos, aqui vai o meu contributo.

OBS.: Quero dizer que (ainda) sou cliente da CGD, mas prometo rever rapidamente a situação...

Ocorre-me na circunstância a canção do Zeca Afonso:

 

No céu cinzento sob o astro mudo
Batendo as asas pela noite calada
Vêm embandos com pés veludo
Chupar o sangue fresco da manada
Se alguém se engana com seu ar sisudo
E lhes franqueia as portas à chegada
Eles comem tudo eles comem tudo
Eles comem tudo e não deixam nada

(...)


A Caixa Geral de Depósitos (CGD) está a enviar aos seus clientes mais modestos uma circular que deveria fazer corar de vergonha os administradores - principescamente pagos - daquela instituição bancária.
A carta da CGD começa, como mandam as boas regras de marketing, por reafirmar o empenho do Banco em oferecer aos seus clientes as melhores condições de preço qualidade em toda a gama de prestação de serviços, incluindo no que respeita a despesas de manutenção nas contas à ordem..
As palavras de circunstância não chegam sequer a suscitar qualquer tipo de ilusões, dado que após novo parágrafo sobre racionalização e eficiência da gestão de contas, o estimado/a cliente é confrontado com a informação de que, para continuar a usufruir da isenção da comissão de despesas de manutenção, terá de ter em cada trimestre um saldo médio superior a EUR1000, ter crédito de vencimento ou ter aplicações
financeiras associadas à respectiva conta.
Ora sucede que muitas contas da CGD,designadamente de pensionistas e reformados, são abertas por imposição legal.
É o caso de um reformado por invalidez e quase septuagenário, que sobrevive com uma pensão de EUR243,45 - que para ter direito ao piedoso subsídio diário de EUR 7,57 (sete euros e cinquenta e sete
cêntimos!) foi forçado a abrir conta na CGD por determinação expressa da Segurança Social para receber a reforma.
Como se compreende, casos como este - e muitos são os portugueses que vivem abaixo ou no limiar da pobreza - não podem, de todo, preencher os requisitos impostos pela CGD e tão pouco dar-se ao luxo de pagar despesas de manutenção de uma conta que foram constrangidos a abrir para acolher a sua miséria.
O mais escandaloso é que seja justamente uma instituição bancária que ano após ano apresenta lucros fabulosos e que aposenta os seus administradores, mesmo quando efémeros, com «obscenas» pensões (para citar Bagão Félix), a vir exigir a quem mal consegue sobreviver que contribua para engordar os seus lautos proventos.
É sem dúvida uma situação ridícula e vergonhosa, como lhe chama o nosso leitor, mas as palavras sabem a pouco quando se trata de denunciar tamanha indignidade.Esta é a face brutal do capitalismo selvagem que nos servem sob a capa da democracia, em que até a esmola paga taxa.
Sem respeito pela dignidade humana e sem qualquer resquício de decência, com o único objectivo de acumular mais e mais lucros, eis os administradores de sucesso.

 

Medita e divulga... Mas divulga mesmo por favor...Cidadania é fazê-lo, é demonstrar esta pouca vergonha que nos atira para o miserabilismo social.
Este tipo de comentário não aparece nos jornais, tv's e rádios...
Porque será?

publicado às 14:15

ESPAÇO SOLIDÁRIO - 2

 

CONSULTÓRIO DN/SEFIN

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Despesas de manutenção na CGD

07 Novembro 2009O avô e o pai de Alfredo Reis decidiram abrir uma conta conjunta, no balcão do Fundão da Caixa Geral de Depósitos (CGD), no montante de 500 euros, destinada aos seus filhos, ou seja, bisnetos dos depositantes. No momento da abertura da conta, o cliente deixou bem vincado que o depósito se destinava aos seus bisnetos, pelo que queria a garantia de que esse valor bem como o destino dos recursos assim depositados não seriam nunca alterados. Essa garantia foi dada e o depósito, portanto, foi concretizado. Durante alguns anos, sem que tal fosse, por qualquer modo, comunicado ao titular, no caso o bisavô ou à sua esposa, que se deslocavam à CGD com frequência sempre que iam levantar a reforma, a CGD foi retirando da conta sucessivos montantes a título de comissões de gestão. Quando os titulares, ao fim de algum tempo, se lembraram de perguntar qual o saldo da conta, descobriram então que ele estava consideravelmente abatido, por sucessivas liquidações de comissões de manutenção de conta, sem que esses débitos tenham sido comunicados aos titulares ou sem que tivessem sido enviados, com regularidade, extractos da conta.

consultório

A Sefin considera este caso exemplar de má qualidade de serviço, de falta de informação e de transparência e de abuso de confiança da parte da CGD. Isto devido à prática de comissões de manutenção e gestão de conta não previstas no contrato inicial de abertura e à ausência do envio de documentos, retratando a liquidação de comissões de manutenção de conta ou de extractos contendo informação sobre a evolução do saldo da conta. Por outro lado, a falta de consideração por quem se situou nos princípios do serviço bancário mínimo e do direito à não exclusão é igualmente criticável. Mas, sobretudo, é inaceitável que a CGD aceite uma conta em determinadas condições, de garantia do capital para os bisnetos do depositante e titular da conta e não avise que a conta seria sujeita a custos com comissões de manutenção e gestão. Ao actuar deste modo, a CGD claramente abusou da confiança que o cliente nela depositou, com a agravante que resulta das caracteristicas do depósito - de um bisavô para os seus bisnetos - e de se tratar de um banco que é público.

Contactada pelo DN, recebemos da CGD a seguinte resposta: "Nas aberturas de conta posteriores a 2000, os clientes assinam as Condições Gerais de Abertura de Conta, onde este tipo de despesas se encontra previsto. Para os clientes com contas anteriores, a Caixa envia uma carta-aviso, a primeira vez que a conta apresenta condições para cobrança destas despesas, cobrando as despesas no trimestre seguinte (existem condições de isenção destas despesas). As contas enquadradas em serviços mínimos bancários, que se regem por legislação específica e às quais a Caixa aderiu, estão isentas deste tipo de despesas. A Caixa emite extracto DO, salvo se a conta for caderneta, em que cabe ao cliente efectuar a actualização dos movimentos respectivos." 


Em parceria com a Sefin, o DN procura dar voz a quem tem razões de queixa

Envie-nos o seu caso, para a Associação Portuguesa de Defesa dos Consumidores de Produtos e Serviços Financeiros (Sefin) - sefin.mail@gmail.com - ou contacte o 213860981. Pode ainda contactar o DN, através do endereço electrónico economia@dn.pt .


 

 

publicado às 14:07

ESPAÇO SOLIDÁRIO...

Anjo dos animais é diabo da Igreja

 

JN 00h56m

AUGUSTO CORREIA

Joanna Krupa, católica praticante, virou um anjo despido a favor da adopção de animais. A Igreja Católica norte-americana vê o diabo no corpo nu da modelo.

 
foto WWW.PETA.ORG
Anjo dos animais é diabo da Igreja
 
 

A jovem modelo Joanna Krupa, que já tirou as roupas para a capa da revista "Playboy", despiu-se, agora, em favor dos animais abandonados. Apenas com uma cruz religiosamente colocada, ganhou asas de anjo e uma auréola de santa para o novo anúncio da PETA. "Be an angel for animals. Don't buy. Adopt".

Ao ser "um anjo para os animais", na campanha a favor da adopção e em detrimento da compra de animais em lojas, Joanna Krupa virou um diabrete para a Igreja Católica. "É totalmente inapropriado", disse Deal Hudson, editor do sítio da net InsideCatholic.com, ao comentar o anúncio.

"É mais um caso de desrespeito para com a Igreja Católica e outro exemplo do tipo de abuso que nunca seria cometido contra outra das religiões mais importantes, dado que as reacções seriam tão ásperas que as pessoas não tardariam a retractar-se", argumentou Deal Hudson.

Joanna Krupa considerou "ridícula" a preocupação da Igreja Católica com a nudez de uma filme ou uma foto. "A verdade é que o Papa João Paulo disse que, dado como nascemos nus, é arte, e trata-se apenas de mostrar um bonito corpo que Deus criou", acrescentou, em declarações à televisão norte-americana Fox News."

A verdade é que os animais estão mais seguros nas lojas ou nos abrigos que nas mãos de funcionários da PETA", argumentou o presidente da Liga Católica, Bill Donohue, em resposta ao tema da campanha. A Associação dos Direitos dos Animais manifestou-se em lojas de venda de animais, considerando que as pessoas, ao comprarem bichos de estimação, estão a deixar muitos animais abandonados em abrigos, até à morte.

"PETA é uma fraude", diz Bill Donohue. O presidente da Liga Católica faz do acrónimo de People for Ethical Treatment of Animals uma expressão popular em português: uma peta! "Quem apoia esta associação precisa de voltar à realidade. Precisam, também, de um curso de ética", acrescentou.

"Como católica praticante, estou chocada por saber que a Liga Católica está a dizer mal dos meus anúncios para a PETA", disse Joanna Krupa. "Estou a fazer o que a Igreja Católica deveria fazer, a trabalhar para acabar com o sofrimento sem sentido dos animais, as mais indefesas criaturas de Deus", argumentou.

É a segunda vez que Joanna Krupa dá o corpo ao manifesto da PETA. Em 2007 já tinha participado na que é, talvez, a mais falada campanha da Associação, a "Naked against furs", que despiu várias figuras, umas mais públicas que outras, contra o uso de peles de animais. Um antes nua que de peles de animal vestida, que cativou a atenção mundial nos últimos anos.

 

publicado às 13:39

JUNTA DE ALFENA - AS REUNIÕES A JACTO...

No cumprimento do meu "programa", lá fui assistir à reunião pública da Junta de Freguesia...

Como vêm, são estas horas e eu já estou em casa a escrever estas notas: É que agora, com o sistema do "quero, posso e mando" a coisa (a reunião) avança que nem o TGV (quando estiver construído...) No caso de hoje, a reunião propriamente dita, nem meia hora demorou. O resto dos minutos, foram repartidos entre duas intervenções do Público - eu fiz uma delas, mas já falamos sobre isso...

Voltando à frugalidade dos nossos autarcas que parece que vai ser uma prática deste mandato por contraponto ao primeiro, em que tinham que "interagir" com a oposição, é caso para perguntar - e eu comentava isso com uns amigos no final da reunião - qual é a vantagem do Público em assistir às mesmas, uma vez que nem sequer existe  a preocupação de detalhar os pontos submetidos a aprovação em atenção a quem abdica de outros afazeres ou de uma parte do lazer para ali estar presente.

Ora bem... Respeitando o "espartilho" colocado logo no início deste período pelo Dr.Palhau relativamente ao tipo de assuntos  a apresentar e ao tempo disponível, formulei três questões:

1 - Informação sobre o estado actual do projecto da Feira temática sob a A 41 e saber se existe ou surgiu entretanto algum percalço relacionado com os terrenos.

Resposta: O projecto está em execução nos Serviços Camarários - especialidades - e conta-se que em breve possa ser lançado o concurso público respectivo.

Quanto a eventuais percalços... - e aqui o Dr. Palhau pareceu hesitar ligeiramente - receberam uma notificação do Tribunal, para juntarem todos os detalhes do protocolo celebrado entre a Câmara, a Junta as Estradas de Portugal e outras Entidades envolvidas. Terá havido uma reclamação de dois dos expropriados dos terrenos que consideram que a expropriação foi feita para um determinado fim e agora se pretende dar-lhe outro diferente.

Cheira-me que vamos ainda ouvir falar bastante sobre este assunto...

2 - Saber se já existe o "tal do Regulamento" para que o miniautocarro passe a ter "aquela" utilização que durante a campanha eleitoral os Unidos anunciaram: Ajudar a resolver alguns problemas de mobilidade e isolamento dos mais desfavorecidos.

Resposta: Já está em parte - ao serviço da Escola Sénior, de algumas associações desportivas, etc. mas a "tal" utilização mais intensiva que foi anunciada, está de facto dependente da aprovação de Regulamento, que está (ainda) a ser elaborado... 

3 - Explicação para o "estado letárgico" em que se encontra a Página da Junta na Internet: Sem actualização, com conteúdos indisponíveis ou em "construção e/ou actualização". Exemplos: convite aos Alfenenses para assistir ao Acto de Posse dos eleitos (!) , mensagem do Presidente, etc.

Resposta: Reconhece-se essa lacuna, mas neste início de mandato tem havido coisas mais urgentes para resolver e o quadro de pessoal é limitado para acorrer a tudo.

E agora pergunto - porque lá, terminou o tempo e já não pude - então e os grupos de juventude para ajudarem a dinamizar. Será que nesta nova versão dos Unidos, a militância ficou de repente toda em casa e agora tudo passa a depender do "Quadro de Pessoal"?

O mínimo que se pode dizer deste pífio começo de mandato, é que é lamentável!

 

 

publicado às 22:33

A "AUTO-FLAGELAÇÃO" DE FERNANDO MELO...

 

 

ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE VALONGO REALIZADA NO DIA QUATRO DE NOVEMBRO DO ANO DOIS MIL E NOVE

 

 

“Ao abrigo do estabelecido n.o n.o 1 do artigo 65.o da Lei n.o 169/99, de 18 de Setembro, com as alterações que lhe foram introduzidas pela Lei n.o 5-A/2002, de 11 de Janeiro e tendo em vista uma maior celeridade e eficácia da Administração Municipal, foi apresentada deliberação de delegação de competências n.o Senhor Presidente da Câmara para:

(...)

 

16 – Proceder à captura, alojamento e abate de canídeos e gatídeos, nos termos da legislação aplicável;

 

(...)

 

Aprovado por unanimidade.


Vejamos... Se bem que se reconheça que o Dr. Fernando Melo merece "provar do próprio veneno"  - agora que o Povo lhe deu apenas a "maioria" mais pequena do País - também não havia necessidade de o aviltarem assim desta maneira... 

De qualquer forma, fica por esclarecer - porque se tratou de uma aprovação por unanimidade - se da parte da maioria o voto a favor se traduz numa atitude de auto-flagelação circunstancialmente coincidente com o voto de punição dos Vereadores da oposição ou se não se tratará de uma mera distração...

Agora relevante, relevante mesmo, é a análise que deve ser feita à votação dos eleitos pelo Partido Socialista em todos os pontos da Ordem do Dia constantes desta Acta

Uma leitura atenta, permitirá constatar sem sombra de dúvidas, quem é que é "muleta" de quem - o que torna ainda mais estranha a aparente liderança da oposição dos Deputados do PS na Assembleia Municipal do passado Sábado. Pura encenação

publicado às 14:18

SERVIÇO PÚBLICO - 2

ALFENA - REUNIÃO PÚBLICA DE JUNTA

Sede - dia 2 de Dezembro às 21,30 horas

 

Obs.: 1 - As reuniões públicas ordinárias do Executivo, têm lugar nas primeiras quartas-feiras de cada mês (salvo aviso em contrário) 

Obs.: 2 - Vai ser interessante (se tiver oportunidade para o fazer) questionar o Dr. Palhau sobre:

- Situação actual do Projecto da "Feira Temática"

- Ponto da situação do apoio à mobilidade dos Alfenenses mais desfavorecidos, através da utilização do miniautocarro..

- Actual situação do assunto "Nova Unidade de Saúde" em PIDDAC 2009" e para cuja construção existia já (antes das Eleições) terreno disponível.


Obrigado pela visita e voltem sempre...

publicado às 10:28

SERVIÇO PÚBLICO...

Há dias um dos muitos amigos que me entram por aqui adentro - e que me dão muito prazer nisso - deu-me a ideia para este novo "serviço" a que hoje dou início - não precisam de sair de fininho, porque não vou fazer nenhum discurso!

É isso mesmo. Considerem aberto o estaminé - que dá pelo nome pouco original mas muito sugestivo de SERVIÇO PÚBLICO.

Ora bem... Para hoje temos um cardápio modesto: Foi feriado e não houve tempo de tratar dos aprovisionamentos. Temos por isso uma opção única:


REUNIÃO PÚBLICA DE CÂMARA

Salão Nobre - dia 3 de Dezembro, pelas 10 horas

Obs. 1: Estas reuniões públicas têm lugar na primeira quinta-feira de cada mês - salvo motivo de força maior ou mal-estar inultrapassável do Dr. Fernando Melo.

Nestas reuniões o respectivo Regimento prevê um (curto) período destinado ao Público, cujas regras - até que ocorra a alteração que se impõe e que já foi admitida pelo próprio Presidente na última que teve lugar há dias - são as seguintes:

Pedido por escrito (formulário a fornecer no Gabinete do Munícipe) com a antecedência de 5 dias úteis, indicação detalhada do assunto - apenas um por pedido. Podem-se inscrever por sessão, apenas 3 Munícipes,  com o tempo máximo  de 5 minutos cada um (!).

Conclusão: Para esta reunião, não vale a pena inscreverem-se!

Obs. 2: Não temos sobremesas (aqui no Serviço Público...).



Obrigado pela visita e voltem sempre...


 

publicado às 22:44

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D