Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

TRABALHEM "PORRA"!

Sessão relâmpago, ordem de trabalhos pequenina - que esta coisa das reuniões públicas é uma "chuchadeira" e eles têm mais que fazer...

Daí que houvesse apenas dois modestos pontos a "discutir":  aprovação da acta da reunião anterior e decisão sobre a abertura de uma conta no BANIF.

Se eu não morasse em Alfena, seria levado a pensar que está tudo bem e que se não há assuntos é porque não existem problemas...

O azar (deles) é que eu moro em Alfena! E assim sendo, sei o muito que há para cumprir - das mil e uma promessas feitas pelo Dr. Arnaldo - versão I e II - e no último acto eleitoral, pelo Dr. Palhau.

Depois da pompa e circunstância com que foi celebrada a maioria absoluta, o que se esperava é que - ultrapassados os tão apregoados  "boicotes" que tudo impediam e tudo travavam - começassem a trabalhar e a apresentar serviço. "Deixem-nos trabalhar" era a frase mais escutada até à obtenção da maioria. Bem ou mal, consciente ou inconscientemente, os Alfenenses resolveram "deixá-los trabalhar".

Então trabalhem, porra!

No ponto reservado ao público, fiz algumas perguntas ao Dr. Palhau, de que destaco:

- Em que ponto se encontra o projecto congelado da Zona Industrial II, que foi chumbado na Câmara e que na altura tinha também a oposição da CCDRN.

- Clarificação relativamente à informação que me foi dada na última reunião de Câmara, de que o PUCCA estará "cá fora" dentro de um mês e meio.

Respondendo, o Dr. Palhau referiu que a CCDRN não se opunha ao projecto (o que não é verdade) manifestou foi algumas dúvidas sobre o processo. Disse ainda que ao contrário do que então se fez passar para a opinião pública, o projecto não se insere em terrenos da Reserva Ecológica Nacional (o que também não é verdade). Terminou este ponto dizendo, que espera que o novo PDM que se espera saia dentro de um mês e meio, contemple de facto esta nova Zona Industrial. A Junta de Alfena, disse, está "de alma e coração" com o mesmo e quem não concordar, só tem um remédio: ir a votos e ganhar as eleições (sic).

Em relação ao PUCCA, referiu que a informação que o Dr. Fernando Melo me deu na Câmara, está errada e que ele não terá percebido a minha pergunta (apesar de eu a ter formulado por escrito, com 5 dias de antecedência, como é exigido!). A Junta irá solicitar a curto prazo uma reunião à Câmara para se informar sobre este e outros assuntos, nomeadamente àcerca  do projecto das "feiras temáticas" sob o viaduto da A41, dado que "a Junta tem necessidade urgente de gerar receitas próprias" (aqui acendeu-se uma luzinha de alerta na minha mente: receitas à volta das "feiras temáticas"? Será que estão a pensar pôr anúncios para "alugar" o espaço ao metro quadrado para os feirantes montarem a traquitana e desatarem a vender o que quiserem? Então e as limitações do Protocolo celebrado com a Estradas de Portugal?).

Como diria o ceguinho optimista, "vamos lá ver"...

 

 

 

publicado às 11:44

O ROSTO DO P.S. NO "COMBATE" À CORRUPÇÃO...

Ricardo Rodrigues é o deputado a quem os socialistas deram a pasta do combate à corrupção nos debates parlamentares.

Eis a sua história, para se avaliar o empenho do PS nesta luta.

Em 2000, Ricardo Rodrigues foi constituído arguido num processo sobre crimes de associação criminosa, infidelidade, burla qualificada e falsificação de documentos. Nesse ano, foram julgadas nove pessoas.

O processo relativo a Rodrigues foi arquivado. No despacho do MP podia ler-se que, apesar das "dúvidas" sobre a sua contribuição "nas actividades subsequentes à burla levadas a cabo pelos principais arguidos", o advogado alegou "desconhecimento da actividade delituosa".

Em 2005 houve um artigo de opinião no Açoriano Oriental. Nesse texto, o jornalista manifestava a sua perplexidade pelo facto de o ex-secretário Regional da Agricultura e Pescas encabeçar a lista de candidatos do PS pelo arquipélago.

Considerando que o Parlamento iria ter um deputado que "não deixou nunca de ser um "caso", escrevia: "Rodrigues esteve envolvido com um gang internacional na qualidade de advogado, sócio e procurador de uma sociedade offshore registada algures num paraíso fiscal; advogado/sócio de uma mulher [Débora Raposo] que está foragida no estrangeiro, acusada de "ter dado o golpe" de centenas de milhar de contos à agência da CGD de Vila Franca do Campo". Por tudo isto, "não deveria nunca ter enveredado pela actividade política".

Ricardo Rodrigues processou o jornalista.

Perdeu.

O juiz de instrução concluiu que a acusação de que Rodrigues se envolvera "com um gang internacional" tinha sustentação: "Ao mesmo tempo que [Raposo] se apresentava ao assistente na "humilde condição" de professora do Ensino Básico, e em vias de aposentação, mantinha uma suite e um escritório no hotel (...), contactos com pessoas alegadamente proeminentes na finança mundial (entre eles um tal Z, que prestava "serviços financeiros" a partir de Miami, e um Cardeal [sic] Ortodoxo, responsável de uma sociedade financeira)".

A Relação corroborou a sentença da primeira instância, notando que o artigo de opinião contribuiu para "a formação" de "juízo crítico".

Mais sobre corrupção, AQUI de onde esta notícia foi repescada...


Post-Scriptum: No actual P.S (leia-se Partido de Sócrates) o socialismo é apenas uma questão de semântica, sendo que  os valores que costumam andar sempre associados à doutrina - socialismo como impulso ético, igualdade, protecção dos mais vulneráveis, ausência de autoridade sem democracia, respeito pelas tradições sociais e pelos factores de coesão como a família - no "Partido de Sócrates" há muito que transitaram para o "arquivo morto"...

Relativamente ao Partido original, este não passa de uma pálida e deprimente imagem, apesar da resistência de alguns lutadores que quais D. Quixote, ainda  andam por lá montados em pobres e escanzeladas pilecas, a lutar contra os moinhos de vento - como João Cravinho, Manuel Alegre e mais umas quantas honrosas excepções!

Porque a maioria, aquela que produz "doutrina", essa foi moldada à imagem e semelhança do dono e está programada para responder (apenas) à sua voz de comando...

publicado às 22:58

JUNTA DE ALFENA - O "UPGRADE" LARANJA...

Àmanhã é dia da reunião pública mensal do executivo da Junta de Freguesia.

Se estou certo no meu raciocínio é a primeira reunião pública após o "óbito" do projecto independente Unidos por Alfena e portanto, a primeira dos "novos" autarcas agora regressados à configuração política original depois de "ordenados" pelo "Papa" Marco António I, o nosso querido ex vice-presidente de Câmara, antes de ter assumido igual posto em terras do "visconde" Meneses e a liderança da Distrital laranja.

Na reunião anterior, apesar do temporal que fazia, o Dr. Palhau teve à sua volta um significativo número de devotos e muito "calor humano" numa romaria aparentemente espontânea, mas com muitos SMS a ajudar: Para agradecer à Junta... agora varreu-se-me! O que é que eles foram mesmo agradecer?  Ah! já me lembro: O empenho pessoal do Dr.Palhau no desentupimento das sarjetas naquela noite mais critica das passadas cheias!

Confesso que o insólito da situação me deixou sem fala! É que eu pensava que quem andou ao longo dos meses que antecederam as inundações a facilitar no trabalho e a "varrer para debaixo do tapete", merecesse alguma crítica e não louvor, mas enfim, devoção é devoção e ponto final.

Mas pronto! São águas passadas (ou não, que lá diz o Povo  "em Abril águas mil" e o melhor é o Dr. Palhau manter as galochas a jeito, não vá o diabo tecê-las).

Vamos torcer para que àmanhã seja o primeiro dia depois da longa hibernação dos nossos autarcas e que, com mais ou menos devotos, com plateia assertiva ou alguma contestação construtiva, o executivo tenha alguma coisa para nos dizer (para além dos monólogos a que o Dr. Palhau já nos habituou).

Gostaríamos de ouvir falar por exemplo do PDM que tarda em sair, do PUCCA que a Câmara disse na ultima reunião, que sairia dentro de um mês e meio, do estado em que se encontra o atentado ambiental previsto para os terrenos de REN junto ao nó da Senhora do Amparo (Zona Industrial II), da continuação da Avenida Padre Nuno até à Rua 1º. de Maio - temos ouvido uns zunzuns por aí sobre umas conversações sussurradas entre a Câmara e o Minipreço... O Minipreço? É que eles nem sequer são os donos dos terrenos!

Como diria o ceguinho optimista, "Vamos lá ver!"






publicado às 18:43

PORTUGAL "DENEGRIDO"...

Eurodeputados PS: Rangel «denegriu a imagem» de Portugal

Diário Digital - Hoje

Paulo Rangel afirmou esta tarde, na abertura da sessão plenária do Parlamento Europeu, que existe "um plano do Governo para controlar" os meios de comunicação social que põe em causa "a liberdade de expressão", acrescentando que “Portugal já não é um Estado de direito”.


E quando pensávamos que Portugal - este Portugal de Sócrates - já tinha batido no fundo, eis que Rangel descobre que afinal ainda havia mais um degrauzito...

Pelo menos é o que os Deputados do PS pensam, quando criticam o discurso do Eurodeputado do PSD mas tal não significa que seja verdade.

De facto, é teoricamente difícil para não dizer impossível, alguém denegrir o que já há muito - há pelo menos 4 anos - se tornou negro retinto, por obra e graça do "tintureiro-mor" da Nação.

Por outro lado, não se percebe muito bem a reacção dos Deputados "rosa": Na era das comunicações à velocidade da "fibra", os nossos amigos europeus já há muito que conhecem até ao mínimo detalhe o nosso "cesto da roupa suja".

Paulo Rangel limitou-se a dizer o óbvio e isso torna-se de facto maçador, mas daí até à acusação que lhe é feita...

Chover no molhado não leva pois a lado nenhum e isso é o que fazem as duas facções dos Eurodeputados portugueses - a "laranja e a "rosa" - quando esbanjam o seu tempo à volta deste problema!


O País enfrenta actualmente um trágico dilema que pode ser explicado pelo velho e conhecido aforismo de "preso por ter cão e preso por não o ter" - sendo que neste caso, o "cão" chama-se Sócrates.

Com as agências de "rating" de luneta assestada sobre a nossa economia, o pior que nos poderia acontecer neste momento, seria que a crise latente desse o estoiro-mestre obrigando à convocação de eleições antecipadas - dizem alguns.

Por outro lado, isto de continuarmos a ter um primeiro-ministro que nos remete para os compêndios do anedotário político do velho Continente, também não nos garante nada de muito promissor em termos futuros - dizem muitos outros.

Os brasileiros também têm um aforismo para este dilema: "se correr o bicho pega, se ficar o bicho come".

Entre o nosso  aforismo e o deles, venha o diabo e escolha...

 

publicado às 21:49

VAMPIROS, URSOS EM HIBERNAÇÃO, REIS NÚS E OUTRAS HISTÓRIAS...

Faz já 3 dias que não escrevia neste espaço...

Para mim é muito tempo, até porque motivos são os que não faltam por aí - desde o agravamento da situação de crise que o País vive e que infelizmente não tem liderança à altura para a enfrentar, até à nossa própria vida local e à estranha (?) e prolongada hibernação em que se mantêm o granítico autarca de Alfena e os seus acólitos...


Comecemos então pela Lusa sequela vampírica (os vampiros estão na moda) com Sócrates no papel principal da fita,  prestes a afogar-se no pântano da própria fartura feita da privação daqueles a quem pela calada da noite como diria o Zeca, vai sugando até ao tutano - tal como diz a canção, "eles comem tudo e não deixam nada".

Das duas uma: ou pomos cobro ao doentio apetite do "morcego",  cravando-lhe a tradicional estaca no peito (o que convenhamos não vai ser nada fácil, dada a "muralha" de gorilas que sempre o rodeiam) ou então, a Nação passará rapidamente do estado de anemia galopante em que já se encontra,  para o de rigidez post mortem sem retorno possível - a não ser que o destino decida dar-nos uma ajudinha e faça com que ele se afogue no próprio vómito sanguinolento...


Já no que toca ao microclima de Alfena - a terra onde vivemos e de que muito gostamos - as coisas também não estão muito saudáveis.

O burgo parece ter sido atacado por uma estranha letargia: uma parte fazendo genuflexões à volta de uns quantos "deuses menores" semi-adormecidos a que convencionaram chamar supremos lideres - há quem diga que hibernaram a seguir às eleições - a outra, embora dando sinais de querer reanimar, não encontrou ainda a coragem e o fôlego suficientes para gritar a plenos pulmões, como na história que noutros tempos nos contavam - "olha! o Rei vai nú!".

E já que falamos em "Reis", registou-se este sábado um pequeno hiato na referida hibernação durante o qual se reuniram as "Cortes" laranja da ala situacionista de Alfena - devotos do mediático "Papa" Distrital Marco António I.

Segundo informação que um "infiltrado" amigo me fez chegar, o "ex querido líder da Junta, actual Vereador Municipal e futuro Presidente da Câmara", plantou-se de telemóvel em punho à porta da sede do PSD de Alfena, com saldo reforçado e vontade suficiente para arrancar de casa os mais distraídos e os trazer literalmente pela orelha - que ainda há muitos telemóveis que não dispõem do sistema "mãos livres" - até à mesa de voto.

Diz-me ainda o amigo "informador", que o ilustre Vereador teve como assessor - vencidas questiúnculas do passado - o ex Vereador Mário Duarte (o mesmo que há 4 anos foi o responsável pela saída da ilustre figura das hostes do PSD, dando início à saga dos Unidos)

Já agora e para a informação ficar completa, aqui vão os números do  "conclave":


275 - Eleitores inscritos

142 - Os que votaram

117 - Os que "escolheram" a Lista única

 25 - Os que votaram branco ou nulo


Parece que a saga dos Unidos chegou finalmente ao fim - Arnaldo, Palhau e Peixoto regressaram (perdoados) à casa paterna, pelo que em próximos actos eleitorais as cores vão ser seguramente outras e os "Unidos" que não gostarem do citrino sabor, comecem desde já  a pensar em dar um jeito à vida...


Post-Scriptum: Faltou apenas dizer, que a Junta de Freguesia de Alfena é agora uma "sucursal" do PSD-Alfena, sendo que o Secretário da mesma, é a partir de Sábado o líder desta força política aqui no burgo, o Sr. António Sérgio Ribeiro Pinto...

Terminado pois que está um "velho" projecto independente, aqui deixo um "Viva" aos "finados" Unidos por Alfena!

Paz à sua alma!

 



 



 

 

publicado às 18:17

VALONGO MERECE...

Coragem de Mudar elege corpos sociais

para o biénio 2010/2011

2010-02-02


Maria José Azevedo foi eleita presidente da Direcção da Associação Coragem de Mudar, encabeçando a única lista apresentada a sufrágio, na Assembleia Geral, realizada no dia 23 de Janeiro.

A Assembleia Geral foi convocada para dar início ao processo de organização interna da Coragem de Mudar, passado que está o período eleitoral e de instalação dos diferentes órgãos autárquicos do Concelho do Valongo.

 

Cerca de cem associados da Coragem de Mudar estiveram presentes na reunião magna, realizada no Auditório Dr. António Macedo, freguesia de Valongo. A Assembleia foi bastante participada, proporcionando vários momentos de troca de argumentos e de apresentação de ideias para o futuro da Associação. A maioria dos presentes rejeitou a proposta de alteração imediata dos estatutos, apresentada por um associado, entendendo que primeiro há que colocar a Coragem de Mudar em funcionamento orgânico e só depois, caso se verifique que os actuais estatutos dificultam a acção, é que se deve proceder a qualquer modificação estatutária.

 

O ponto mais relevante da Assembleia Geral foi a eleição dos órgãos sociais para os próximos dois anos. Maria José Azevedo, presidente da Direcção cessante, manifestou total disponibilidade para trabalhar para a Coragem de Mudar, independentemente de estar ou não em qualquer cargo directivo. No entanto, vários associados manifestaram a opinião de que Maria José Azevedo foi a responsável pela mobilização de tantos cidadãos em torno da Associação, pelo que deveria manter-se como principal rosto da Coragem de Mudar.

 

Maria José Azevedo respondeu afirmativamente a esse repto, apresentando a única lista candidata, que acabaria por ser eleita com cerca de dois terços dos votos, expressos em sufrágio secreto.


Direcção

Presidente: Maria José Azevedo

Pedro Panzina

Carla Caetano

José Carlos Gomes

João Ruas


Assembleia Geral

Presidente: João Loureiro Castro Neves

Odete Dias

Celestino Neves

 

Conselho Fiscal

Presidente: António Torres

Luís Azevedo

José Bandeira

publicado às 21:41

"NOT GUILTY" - O JUÍZ DECIDIU ESTÁ DECIDIDO...

O Tribunal absolveu-o e parece que essa decisão encheu de alegria "montes de gente" por estas bandas de S. Vicente de Queimadela e Vallis Longus. Acredito até, que não fora a crise que o País atravessa e que os Alfenenses sentem na pele de forma especialmente gravosa e já teríamos ouvido por aí o estralejar de alguns foguetes para assinalar o acontecimento.

O juiz  - neste caso a Juíza - decidiu, está decidido. Agora só falta organizar uma qualquer acção de desagravo - uma procissão de velas, uma novena, quiçá um busto ou  uma estátua de corpo inteiro a erigir num qualquer jardim público do burgo...

Só não sugiro a beatificação, porque esse é um corolário lógico que se espera apenas após um percurso de "milagres" que ele ainda terá de realizar...

Temos então, que a Justiça dos Tribunais o mandou em liberdade, livre de toda a culpa, o que por exclusão de partes condena a medíocre prestação da Acusadora Pública... Bem feito para ela, que durante todo o julgamento fez apenas figura de corpo presente dando a corda toda ao "ilustre causídico" Dr. Palhau. Não fossem algumas esporádicas chamadas de atenção da meritíssima Juíza e o Dr. Arnaldo teria sido beatificado mesmo ali em pleno Tribunal!

Mas subsiste uma "pequeníssima" dúvida: Será que se houver procissão, novena, busto ou estátua o Povo irá aderir?

Pelo andar da carruagem, o que me parece é que a "ilustre figura" - que agora se passeia por aí na viatura oficial - já teve mais devotos por estes lados...


Post-Scriptum: Com comportamentos cívicos como aquele que esteve em julgamento e com autarcas deste jaez, hostilizando as autoridades, ou submetendo os seus agentes a comportamentos vexatórios por parte das  respectivas claques - como aconteceu naquela célebre reunião de Junta - fácil será imaginar qual será no futuro, o empenho com que os soldados da GNR do posto de Alfena responderão a uma eventual chamada para acorrer a uma qualquer reunião da Junta que corra "menos bem" - a começar pelo militar que apresentou a queixa que deu origem ao processo.

Portanto caros Alfenenses, portem-se bem no futuro, porque provavelmente a GNR irá demorar "um pouco mais" a chegar,  se for chamada...   

publicado às 18:41

ALFENA - SERVIÇO PÚBLICO 7

1. ALFENA - Reunião pública do

executivo

Sede da Junta de Freguesia, quarta-feira 10

de Fevereiro às 21:30 horas (adiada de 3 de Fevereiro).


2. Mantém-se a reunião pública de Câmara

para o dia 4 de Fevereiro.

Das 3 questões que tencionava apresentar, foi comunicado ontem por correio electrónico, que "nos termos do Regimento, só poderá ser apresentada uma questão...", pelo que tive que prescindir de duas das alíneas da mesma questão e centrar-me numa única: Informações sobre o estado actual do PUCCA.

Lá estaremos.

publicado às 16:55

PORTUGAL MUSCULADO...

O Fim da Linha

Mário Crespo

Terça-feira dia 26 de Janeiro. Dia de Orçamento. O Primeiro-ministro José Sócrates, o Ministro de Estado Pedro Silva Pereira, o Ministro de Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão e um executivo de televisão encontraram-se à hora do almoço no restaurante de um hotel em Lisboa. Fui o epicentro da parte mais colérica de uma conversa claramente ouvida nas mesas em redor. Sem fazerem recato, fui publicamente referenciado como sendo mentalmente débil (“um louco”) a necessitar de (“ir para o manicómio”). Fui descrito como “um profissional impreparado”. Que injustiça. Eu, que dei aulas na Independente. A defunta alma mater de tanto saber em Portugal. Definiram-me como “um problema” que teria que ter “solução”. Houve, no restaurante, quem ficasse incomodado com a conversa e me tivesse feito chegar um registo. É fidedigno. Confirmei-o. Uma das minhas fontes para o aval da legitimidade do episódio comentou (por escrito): “(…) o PM tem qualidades e defeitos, entre os quais se inclui uma certa dificuldade para conviver com o jornalismo livre (…)”. É banal um jornalista cair no desagrado do poder. Há um grau de adversariedade que é essencial para fazer funcionar o sistema de colheita, retrato e análise da informação que circula num Estado. Sem essa dialéctica só há monólogos. Sem esse confronto só há Yes-Men cabeceando em redor de líderes do momento dizendo yes-coisas, seja qual for o absurdo que sejam chamados a validar. Sem contraditório os líderes ficam sem saber quem são, no meio das realidades construídas pelos bajuladores pagos. Isto é mau para qualquer sociedade. Em sociedades saudáveis os contraditórios são tidos em conta. Executivos saudáveis procuram-nos e distanciam-se dos executores acríticos venerandos e obrigados. Nas comunidades insalubres e nas lideranças decadentes os contraditórios são considerados ofensas, ultrajes e produtos de demência. Os críticos passam a ser “um problema” que exige “solução”. Portugal, com José Sócrates, Pedro Silva Pereira, Jorge Lacão e com o executivo de TV que os ouviu sem contraditar, tornou-se numa sociedade insalubre. Em 2010 o Primeiro-ministro já não tem tantos “problemas” nos media como tinha em 2009. O “problema” Manuela Moura Guedes desapareceu. O problema José Eduardo Moniz foi “solucionado”. O Jornal de Sexta da TVI passou a ser um jornal à sexta-feira e deixou de ser “um problema”. Foi-se o “problema” que era o Director do Público. Agora, que o “problema” Marcelo Rebelo de Sousa começou a ser resolvido na RTP, o Primeiro Ministro de Portugal, o Ministro de Estado e o Ministro dos Assuntos Parlamentares que tem a tutela da comunicação social abordam com um experiente executivo de TV, em dia de Orçamento, mais “um problema que tem que ser solucionado”. Eu. Que pervertido sentido de Estado. Que perigosa palhaçada.

Nota: Artigo originalmente redigido para ser publicado hoje (1/2/2010) na imprensa.


...Na imprensa, mais propriamente no JN. Mas não foi, porque quem ataca o PS (acrónimo que quer dizer "Partido de Sócrates")  leva!

Por isso, tive que o procurar AQUI

Cada dia que passa com este primeiro-ministro à frente dos destinos do País, me convenço mais de que Salazar era (apenas) um ditadorzinho de meia tigela.

Agora sim, Portugal está ao nível dos mais fortes e mas musculados regimes de governação unipessoal que se conhecem no hemisfério Ocidental!

Ao menos conseguimos estar no topo ainda que não pelas razões mais recomendáveis...

publicado às 23:13

Pág. 3/3

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D