Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

ALFENA E O PERÍODO PALEOLÍTICO...

 

Depois da última Assembleia de Freguesia e daquela tirada verdadeiramente néscia do nosso paleolítico autarca em que declarou "Urbi et Orbi" que não coloca - como é sua obrigação - as Actas das reuniões do Executivo e da Assembleia na página da autarquia na Internet, "para não me dar esse prazer", tenho andado a pensar, a pensar, a pensar e depois de tanto sobrecarregar os meus neurónios - sim porque ao contrário do que acontece com algumas figuras gradas da nossa terra, ainda me restam alguns - e acho que finalmente encontrei uma posição de consenso entre mim próprio e a minha consciência mais profunda... Passo a explicar:

Se o paleolítico autarca não cede na sua intransigência e se para que os alfenenses tenham direito a uma informação substancialmente diferente daquela a que têm tido acesso no sítio da Junta na Internet é necessário o sacrifício de alguém, só vislumbro a solução que se segue:

" (...) Declaração:

O signatário abaixo identificado, vem por este meio declarar solenemente que se compromete a não aceder em definitivo à página da Junta de Freguesia na Internet, nomeadamente à opção "ACTAS" no menu de topo da mesma página, a partir do momento em que esta opção passe a estar activa para todos os restantes alfenenses.

Mais declara o signatário, que se for caso disso e tal for considerado importante, aceita mesmo abdicar em definitivo do direito a usar computador ou telemóvel com acesso à Internet, aceitando mesmo ser açoitado em público se em algum momento da sua vida futura enquanto alfenense, deixar de cumprir esta auto-limitação. (...) "

E pronto, caros conterrâneos... Agora chegou a vossa vez de usarem esta declaração em vosso proveito. Sugiro que a imprimam e a juntem a uma petição - individual ou colectiva, conforme acharem melhor - dirigida ao paleolítico/intransigente autarca, apelando à sua universalmente reconhecida magnanimidade, para que - anulado que foi o "motivo" impeditivo - coloque as ACTAS das reuniões dos Órgãos da Autarquia no sítio da Junta.

Noblesse Oblige...

publicado às 21:02

SERVIÇO PÚBLICO - ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE VALONGO

Assembleia Municipal de Valongo - 19-04-2010 às 21:00 horas no Salão Nobre da Câmara.

 

Ordem do dia:

- Regulamento de taxas - Operações Urbanísticas

- Regulamento de taxas Municipais

- Contas SMAES 2009

- Acta nº. 5 de 6 de Abril de 2010

- Relatório de actividades

- Relatório da auditoria às contas

 

DEMOCRACIA PARTICIPATIVA - UM DIREITO E UM DEVER!


Com pena minha, desta vez não vou poder estar presente. Amanhã vou "estar noutra": "Relações Pedagógicas e Animação de Grupos" e não posso faltar...

Espero que os companheiros do costume me façam depois um resumo. Gosto de estar informado.

 

publicado às 17:03

HAPPY BARTHAY... PARA ESTE BLOG!

 

 

Foi em 17 de Abril de 2006 que nasceu - de parto normal, sem complicações, saudável.

Palmada no rabo da praxe, primeiros mimos, primeiro banho, primeiras fraldas, primeiro dente, primeiros passos e tudo o mais que é suposto um bebé ir fazendo desde que nasce.

Completa portanto, quatro anos de traquinice e irreverência pontuada por razoáveis períodos de militância em torno de causas com "C" grande, no dizer pleno de bondade de alguns dos seus mais fiéis acompanhantes de sempre - pela despenalização do aborto, contra os contentores em Alcântara, contra a discriminação dos animais de companhia nos centros de férias no Inatel, contra a corrupção, contra a pedofilia no seio da Igreja Católica e tantas outras. É só procurar no Baú que deixo sempre aberto e à disposição para quem quiser bisbilhotar.

E pronto, assinalada a efeméride, sopradas as quatro velas, comida a fatia de bolo e entornada a taça de champanhe da praxe - que um dia não são dias - passemos ao trabalho porque o mundo lá fora continua um caos e todos nunca seremos demais para ajudar na "arrumação"

publicado às 22:35

ALFENENSES "PERIGOSOS" SOB VIGILÂNCIA APERTADA DA GNR...

Ouvimos todos os dias notícias sobre crimes violentos,episódios de "carjacking",  mortes "por dá cá aquela palha" e quase sempre à mistura com estas notícias, chegam-nos os ecos dos protestos das forças da ordem, contra a escassez de meios - humanos e materiais - contra as condições degradantes de algumas esquadras, contra a falta de treino para poderem enfrentar com êxito as situações cada vez mais complexas com que se deparam todos os dias.Inevitavelmente e quase sem darmos por isso, aderimos às queixas dos polícias e dos militares da GNR e colocamo-nos do seu lado nas reclamações que fazem. Afinal, quanto mais e melhores meios tiverem, mais protegidos estaremos...

Até que um dia, por azar deles e nosso, deparamos com a parte menos boa do seu trabalho: a prepotência, a perseguição gratuita a caça à multa a actuação anti-social e tudo isto regra geral, praticado contra pacatos cidadãos e não contra os prevaricadores e os criminosos.

Foi o que aconteceu hoje com as nossas forças da ordem em Alfena - a nossa GNR.

Ao contrário da lentidão com que por vezes respondem a situações de emergência para que são solicitados, hoje estiveram muito activos no "desimpedimento" da rotunda da A41 por volta das 14:30, altura em que começavam a surgir as primeiras viaturas para a marcha lenta contra as portagens nas SCUT.

Carro que tentasse parar na berma, era quase instantaneamente abordado por uma das pelo menos três viaturas da GNR que mantinham o perímetro sob vigilância apertada e intimado a abandonar a rotunda. Afinal, que vigiavam eles? A segurança da "caótica" circulação de um automóvel por minuto, ou a tranquilidade do nosso primeiro ministro a centenas de kilómetros de distância?

Tão diligentes hoje os nossos GNR e "invisíveis" quase todos os dias da semana, em que em plena hora de ponta, não vemos por ali paradas pelo menos meia dúzia de viaturas a fazer não sei o quê, à espera não sei de quê ou de quem!

É nestas alturas, que inevitavelmente e quase sem darmos por isso, deixamos de aderir às queixas dos polícias e dos militares da GNR e nos tornamos menos solidários em relação às suas reivindicações...

E isto não é bom - nem para eles nem para nós.

 

 


publicado às 21:33

SCUT - MARCHA LENTA HOJE ÀS 14:30 HORAS - VALE A PENA LUTAR!

 

Um governo que trata os cidadãos de forma desigual, não é um governo justo - mas isso até já entrou (infelizmente) nos nosso hábitos...

Agora, o que este governo está a fazer (agora?) é ainda mais grave: é tratar também as Regiões como trata os cidadãos individuais: de forma discriminatória desviando fundos comunitários destinados ao Distrito do Porto para a Capital, por exemplo, congelando as grandes obras públicas apenas a Norte e no caso que agora nos deve mobilizar, impondo o fim das SCUT quase exclusivamente a Norte também.

Faz por isso todo o sentido aderirmos logo à marcha lenta contra este atentado, concentrando-nos (os alfenenses) junto à rotunda da A41, por volta das 14:30 horas, para aguardarmos as caravanas vindas de outros Municípios, a fim de marcharmos até à Avenida dos Aliados.

Como já noutras ocasiões se provou, vale sempre a pena lutar pelos nossos direitos - e Alfena teria muito a perder se este atentado fosse avante!

publicado às 10:57

ALFENA JÁ TEM TAXAS...

 

Terminou já tarde a Assembleia de Freguesia de Alfena  - e não com os melhores resultados para a nossa Terra.

Refiro-me sobretudo, ao facto de terem sido aprovadas taxas extremamente gravosas para os alfenenses e de uma forma absolutamente injusta e destituída de um mínimo de sensibilidade social por parte do nosso Executivo.

Todos sabemos que há taxas a que, por muito que nos custe, não poderemos fugir, mas nesta altura de crise para tanta gente, a nossa autarquia que nem (felizmente) pode invocar a existência de qualquer situação aflitiva nas finanças, bem poderia, se abdicasse do complexo do poder absoluto, ter aceite algumas das propostas que resultaram do processo de consulta pública - no mínimo, aquela que foi apresentada pelos Deputados da "coragem de Mudar" que previa um escalonamento no tempo, dos aumentos agora decididos.

Não quiz isso a nossa Junta, porque acha que tem votos suficientes para impor a sua vontade... Foi pena!

Depois, assistimos mais uma vez à habitual falta de cuidado na forma como os Deputados da oposição - porque obviamente, só esses é que se queixaram - receberam a versão final de parte dos documentos que iriam ser votados.

Destaque - pela negativa evidentemente - na postura algo hostil por parte do Presidente do Executivo, em relação a alguns cidadãos que no pleno exercício de um direito de elementar cidadania, são capazes de sacrificar horas do seu descanso após um dia de trabalho, para estarem presentes intervindo activamente, colocando questões, criticando, mas sempre com um fim em mente: o bem de Alfena!

Um breve excerto do diálogo vivo entre o cidadão que escreve isto e o nosso Presidente (já no final da Assembleia) ilustra de forma clara o que acabo de dizer (falava-se no direito à informação e no acesso a documentos arquivados que estão disponíveis para consulta, mas quem os quiser noutro suporte, tem de os pagar segundo os critérios "desincentivadores" do Executivo:

"pois é senhor Presidente, mas para além da segunda hipótese também ser um direito e existir enquadramento legal relativamente aos custos dos documentos reproduzidos que não é respeitado pela Junta, há uma terceira hipótese: o sítio da Junta na Internet. Porque não são colocadas online as Actas da Junta e da Assembleia (só para dar um exemplo)? Por má vontade?" - isto fui eu a perguntar, mais vírgula menos vírgula.

"Olhe... precisamente por sua causa e para não lhe dar esse prazer!" - isto quem disse, foi o Dr. Rogério Palhau. Perante algum sururu de protesto e de alguns Deputados que se manifestaram exigindo do Presidente da Assembleia que esta afirmação constasse de forma clara da Acta que vai ser elaborada, ele tentou corrigir(!) "Eventualmente por sua causa!"

É lamentável que, perante uma questão pessoal que o senhor Presidente parece que tem comigo (mas eu não tenho com ele) ele não hesite em prejudicar todos os outros alfenenses que podiam beneficiar com um nível de informação online bem diferente do actual.

Um dia talvez eu pense em emigrar para que os alfenenses deixem de ser prejudicados por minha causa - se entretanto o nosso Presidente não tiver deixado de o ser...

É pena que as coisas funcionem assim - desta forma pouco amigável...

E quando um Presidente se comporta desta forma truculenta e agressiva - rondando por vezes o ofensivo - não nos podemos admirar que episódios lamentáveis como o que se passou já depois dos trabalhos, com um funcionário da Autarquia a insultar um Deputado e a tentar agredir o autor deste post e a chamar-lhe palhaço - quanto ao palhaço, eu pessoalmente não considero um insulto - só por eu lhe ter perguntado, porque estava próximo e me apercebi do "você é um mentiroso" - num registo por sinal até bastante calmo e comedido, apesar da forma como a Assembleia tinha terminado minutos antes - "acha correcto, sendo um funcionário da Autarquia, chamar mentiroso a um Deputado?".

Não valorizo no entanto em excesso este episódio, nem sequer a tentativa de agressão de que fui alvo por causa desse reparo. Louvo até a intervenção apaziguadora dos restantes membros do Executivo que estavam próximos, bem como de muitos outros valonguenses ainda presentes que agiram no mesmo sentido apaziguador.

E até sou capaz de encontrar razões próximas para o estado de nervosismo do dito funcionário, devido à carga de trabalho suplementar que teve a seu cargo e de que todos nos pudemos aperceber, em consequência da forma amadora e apressada como esta Assembleia foi preparada, com resmas de documentos a terem de ser reproduzidos à última hora para serem entregues aos Deputados minutos antes de serem votados. E isso não foi seguramente culpa dele...

Depois, existe uma outra razão não tão próxima para eu não valorizar em excesso esta lamentável ocorrência: Quando o exemplo não vem de cima, não se pode exigir da "base" da pirâmide que seja a excepção!

Foi lamentável, mas apesar de tudo, ainda acredito que não tenha passado de um caso isolado.

E não! Os alfenenses não fazem "peixeiradas", como às vezes se diz para aí e ontem uma vez mais se provou: Toda a gente procurou ser a solução e não o problema!

publicado às 02:28

PENITÊNCIAS - PARA QUEM AS MERECE!

Papa apela à penitência perante pecados da Igreja
O Papa Bento XVI admitiu esta quinta-feira que perante "os ataques do mundo", os cristãos devem fazer penitência pelos seus pecados.


Mau!

Mas quais cristãos e quais pecados, ou o "diabo a quatro"!

Eu cá, não vou fazer penitência nenhuma e também não concordo com penitências dessas cá em casa!

Por aqui, somos todos gente com mentes saudáveis e nunca deturpamos o verdadeiro sentido das palavras de Cristo quando disse "deixai vir a mim as criancinhas".

A nossa forma de gostar de criancinhas - e gostamos de facto muito - não é social nem legalmente condenável e mesmo que metêssemos Cristo no assunto Ele não teria nada a apontar-nos - nesse campo, obviamente, que em tudo o resto, pecamos como toda a gente!

Por isso, acho muito bem que façam penitência, mas para que "não pague o justo pelo pecador" convém "chamar os bois pelos nomes"!

publicado às 16:26

ALFENA - "SERVIÇO PÚBLICO"

Amanhã, há Assembleia de Freguesia!

A questão (relevante) que se pode colocar, é: Mas qual delas? A de 16-04-2010 ou a de 21-12-2009 (continuação)?

Como é que se pode dar início a uma Assembleia de Freguesia Ordinária, com uma Ordem do Dia em que no primeiro ponto se prevê a "aprovação da Acta da sessão Ordinária de 21-12-2009" se esta não foi concluída, apesar de ter ficado decidido aquando da sua interrupção devido ao corte de energia em consequência do temporal, dar-lhe continuidade logo após as festas de Natal e Ano Novo?

Faltava, como todos se lembrarão, a intervenção do Público e havia (quando faltou a luz) já várias pessoas "com o dedo no ar" para se inscreverem.

Não pode pois formalmente, dar-se início à Sessão de 16-04-2010, sem concluir a de 21-12-2009!

Hoje mesmo entreguei na Secretaria da Junta e dirigido ao Presidente da Assembleia, o seguinte Requerimento:


(...)

 

Requerimento

 

Ao tomar conhecimento da Ordem do Dia referente à Assembleia Ordinária que terá lugar amanhã dia 16 de Abril conforme convocatória publicada, constatei desde logo uma irregularidade formal grave, que a não ser corrigida, pode pôr em causa a legalidade das decisões tomadas na referida Assembleia:

Aquando da interrupção dos trabalhos da última Assembleia Ordinária realizada em Dezembro, em consequência do corte geral de energia devido ao forte temporal que se abateu sobre Alfena, ficou decidido – foi Vexa. que o disse – que a conclusão dos trabalhos - faltava o período destinado às intervenções do Público, com pessoas para intervir (eu era uma delas) -  seria anunciada oportunamente, passadas as festas de Natal e Ano Novo.

Em várias conversas particulares com vários alfenenses, referiu Vexa. uma hipótese: Em vez de convocar uma segunda sessão para concluir os trabalhos, faria uma consulta aos vários eleitos sobre a possibilidade de atribuir na próxima Assembleia (a de amanhã) um período suplementar de tempo visando suprir a lacuna.

Desconhece o requerente se os referidos contactos tiveram ou não lugar e se tiveram, qual foi a posição assumida, mas ao constatar a já referida Ordem do Dia para a Assembleia de amanhã, não vejo um período prévio destinado ao público referindo expressamente a sua justificação.

E pouco importará o facto de Vexa. poder até garantir que no período Regimental no fim dos trabalhos, haverá alguma benevolência em relação ao tempo. De facto, os assuntos que alguns alfenenses pretendiam discutir na última Assembleia, têm implicações nos trabalhos desta e nas posições a adoptar pelos eleitos e se não forem colocadas, a legalidade das decisões podem, como já foi dito, ficar em causa.

Nesse sentido, venho por este meio requerer a Vexa. que, após audição dos vários Deputados, determine um período de tempo de 30 minutos eventualmente prorrogável, para as intervenções do Público referentes à Assembleia de Dezembro e só depois disso, inicie formalmente a referente ao mês de Abril.


As formalidades às vezes incomodam, mas quando os nossos autarcas pensam que a gestão da coisa pública ainda se pode fazer sem regras - ou com uma versão minimalista das mesmas porque isso lhes convém mais -  só existe uma solução: "Rapar" da Lei e lembrar-lhes que uma Autarquia não está ao mesmo nível de exigência de um qualquer clube de bairro ou associação dos amigos da sueca!

publicado às 15:02

GOVERNO DE "PUXA-SACOS"!

Li AQUI que vai haver tolerância de ponto no próximo dia 13 de Maio... Não! Não é por ser o primeiro dia da primeira das "aparições" de Fátima! Tampouco tem a ver com qualquer tradição de honrar as visitas de Chefes de Estado mais ou menos ilustres, com a concessão de um dia de descanso aos funcionários públicos - ainda que neste caso, o visitante ilustre seja o Chefe da toda poderosa Igreja Católica! Aliás, se nos cingirmos a este enquadramento específico - a visita de Ratzinger - vislumbro por parte deste governo de pseudo-laicos, um tratamento estilo "puxa-sacos" verdadeiramente deplorável e ainda por cima, de injustificado privilégio relativamente a outros Papas que nos honraram com a sua visita.

Esperemos ao menos que a contribuição que o governo em bicos de pé anuncia "à Cidade e ao Mundo", sirva - por linhas travessas - para engrossar o número de vozes críticas que seguramente se farão ouvir à passagem deste Papa que assiste a uma das maiores crises que a sua Igreja alguma vez já viveu num silêncio pusilânime - ou pior, lamentavelmente cúmplice.

Como aconteceu com Pedro - "(Mt 26:74-75) Então começou ele a praguejar e a jurar, dizendo: Não conheço esse homem. E imediatamente o galo cantou. Então Pedro lembrou-se das palavras que Jesus lhe dissera: Antes que o galo cante, três vezes me negarás." - também este Papa, sempre que se recusa a ouvir os gritos das vitimas da pedofilia no seio da Igreja, sempre que, ainda que por simples omissão contribui para aumentar a revolta que ameaça a solidez dos seculares alicerces da igreja de Cristo que jurou defender, está a negar esse mesmo Cristo...

Pode ser que no próximo dia 13 de Maio, interrompendo os discursos de circunstância que o Papa irá proferir e que seguramente irão omitir o PROBLEMA do momento da sua Igreja, ouçamos - límpido, provocador, desalinhado do contexto - o canto estridente de um qualquer galo do nosso burgo

publicado às 20:53

PELA SUA SAÚDE!

 

 

Li AQUI que existem formas de promover a saúde que me agradam mais - bastante mais - que aquelas que todos conhecemos: consultar periódicamente o nosso Médico de família (mesmo sem estarmos doentes) fazer um  check-up anual (no mínimo) e cuidado q.b. com a boca...

Bem, esta última parte (o cuidado com a boca) tem de ser vista num contexto menos limitativo, como se perceberá lendo a notícia para que nos remete  a hiperligação!

Fiquei ainda a saber que hoje é o dia mundial do beijo e também, que o assunto motiva muitos especialistas, desde psicólogos, nutricionistas, urologistas, sexologistas e outros "ólogos" e "istas" entendidos na matéria!

Quando pensávamos que já sabíamos tudo sobre o "assunto", descobrimos afinal como o tudo é muito relativo e como a frase de  V. I. Lenine  ("aprender, aprender, aprender sempre") continua a fazer sentido...

publicado às 17:17

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D