Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

SERVICO PÚBLICO...

 

Nesta terra onde (quase) nada acontece de relevante - em termos de trabalho autárquico, obviamente -  (quase) só se dá pela existência de um Executivo maioritário na Junta de Freguesia, no dia em que se realiza a sua reunião pública mensal.

Vamos lá então a participar  - não que a agenda costume ser por regra, muito apelativa, mas enfim, sempre é uma oportunidade para constatarmos que (afinal) passado mais de um ano da sua tomada de posse, os eleitos pelos UPA ainda "vivem"...

 

Hoje, cumprindo o que se encontra estabelecido, tem lugar mais uma REUNIÃO PÚBLICA DA JUNTA, às 21,30 horas, no local habitual (sede da Junta).

 


publicado às 13:54

VALONGO E O ETERNO "RIVAL" - MAIA...

 

Tenho andado a escrever menos (neste espaço)? Sim tenho. Tem esse facto algo a ver com desinteresse da minha parte relativamente à coisa pública do nosso burgo? Obviamente que não! Existe alguma relação, ainda que remota entre este pequeno interregno e a "pública ameaça" do nosso homem de leis de que me iria processar por ofensas(!) à sua pessoa e/ou família? Nem de perto nem de longe! E por duas razões a saber:

Primeira: Nunca me deixo condicionar por ameaças.

Segunda (mas nem por isso menos importante que a primeira): Nunca ofendi quem quer que fosse neste espaço e não seria com ele que iria abrir uma excepção. Por maioria de razão, muito menos o faria com a sua família que me merece tanto respeito como a minha própria.

Acontece que às vezes, "valores mais altos se alevantam" e foi apenas isso e só isso que motivou este breve "apagão"...

Mas agora que apanhei uma pequena "aberta" volto aqui ao terreno para escrever estas breves linhas e dar conta de que parece que andam para aí umas "alminhas" com tempo a mais e trabalho a menos, ou vice-versa - daquelas que costumam ser encontradas à saída da cabeleireira, à entrada do supermercado, à porta do Banco e sítios similares - a barafustar contra a "insensatez" da oposição (leia-se Coragem de Mudar e Partido Socialista) que chumbou na reunião de Câmara a tentativa de dar suporte legal através do PDM à denominada "zona industrial de Alfena".

Diz concretamente uma dessas "alminhas" (a quinta Dama ao que parece...) que assim, "vai acontecer de novo o que sucedeu com o Maia Shoping, que era para ser em Valongo, mas ficou do lado da Maia" e que montes de empresas interessadas(!) - a "quinta Dama" fala concretamente no Grupo Zara - vão uma vez mais de armas e bagagens para a Maia, onde a oposição tem mais juízo e blá-blá-blá...

Pois é... Mesmo admitindo que fosse verdade e não balela para enganar meninos esse possível interesse da Zara e outras "aras", resta um facto incontornável: a ilegalidade do tal empreendimento! Mas não seja por isso que a Zara deixe de vir para junto de nós: Basta escolher entre os muitos sítios (ainda) disponíveis no actual Parque Industrial - Projecto emblemático do gabinete de arquitectura mais mediático do nosso Burgo e actualmente "às moscas"!

Agora, se me dissessem que a tal "futura zona industrial", em vez de se resumir a um mero esquema de especulação imobiliária cavalgado por privados e destinado a transformar um investimento inicial de tostões num resultado final de milhões em favor de interesses que podem ser muito respeitáveis mas não têm nada a ver com o interesse público, se destinava em vez disso à criação de um "ninho de empresas" - ou algo do género -  liderado pela Câmara, com regras bem definidas que privilegiassem acima de tudo o interesse público - sobretudo, que integrasse a favor desse interesse público a enorme margem que no caso dos privados é conseguida com a valorização dos terrenos - então a conversa já poderia ser diferente.

Até lá, vamos assistindo de tribuna a estas naturais manifestações de "azia" das alminhas do costume.

publicado às 18:00

Pág. 3/3

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D