Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

INVESTIMENTOS - "INVESTIDA" Nº 1...

A "maioria absoluta" do Unidos por Alfena continua (muito) empenhada na dinamização da "ex-futura zona Industrial" do nosso burgo.

(Bem... do nosso burgo, ainda é uma dúvida a esclarecer face à indefinição das nossas fronteiras, cujo processo de negociação permanece, tanto quanto julgamos saber, mais ou menos na "estaca zero").

Claro que qualquer hipótese de sucesso, por muito remota que seja, terá sempre de contar com a Oposição - neste caso a Municipal e quanto a essa - o PS pelas suas razões e a Coragem de Mudar pelas de sempre  e que se mantêm - as coisas mudam de figura e os dados estão mais do que definidos.

A Coragem de Mudar regista no entanto o interesse dos UpA na abordagem bi-lateral do tema, não recusa essa abordagem, mas deixa bem claro que não existem factos novos que suportem qualquer hipótese de alteração da posição que os nossos eleitos tomaram na Câmara aquando da última tentativa para colocar o assunto na "agenda".

Foi isto que foi transmitido pelo nosso Vereador Pedro Panzina, no último encontro informal que tivemos com os Unidos por Alfena na passada sexta feira.

E mais: ficou claro que continuamos a considerar - e temos elementos concretos que o suportam - que a "tal lista de investidores interessados" é uma mistificação e que o número de postos de trabalho a criar, ao contrário do que tem sido avançado, nomeadamente pelo presidente da Junta de freguesia, não passará do "zero absoluto"...

Mas enfim... Temos uma mente aberta e disposta a absorver todas as provas, todos os argumentos de sentido contrário, desde que consistentes.

Como disse o Dr. Pedro Panzina, "a bola agora está do vosso lado" e até para convencer é preciso habilidade - sobretudo , se aqueles que têm de ser convencidos não são permeáveis a "argumentos de tipo financeiro".

publicado às 13:29

A "MARRECA DE PORTUGAL" - UMA DOENÇA CONGÉNITA...

Neste País macambúzio, acabrunhado pelo desânimo, às voltas com a crise e a digerir ainda a reeleição mais minimalista de todas as reeleições de um Presidente da República, não encontrei ao longo destes dias muitos motivos para escrever.

Alguns seguidores mais fiéis deste espaço, já devem ter estranhado até este meu "apagão", mas tranquilizem-se - ou desiludam-se, conforme o caso - pois estou de regresso.

No entanto, avanço desde já uma nota de tranquilidade em relação aos nossos dinâmicos autarcas de Alfena: Desta vez não é sobre eles que me apetece escrever, nem sobre o seu dinamismo, sobre os seus projectos, ou sobre o seu empenho na gestão da coisa pública. Sobre tudo isso escreverei mais tarde.

Retomando o fio à meada, salvaguardadas as devidas proporções e numa estranha associação de ideias, quando no domingo anunciaram os números finais da votação em Cavaco Silva, lembrei-me da última reeleição de Fernando Melo, também ele um Presidente com a mais pequena maioria do País...

Valeu-nos ao menos, para amenizar a aridez dos discursos escritos pelos assessores e lidos na toada monocórdica do costume pelos respectivos protagonistas, o humor de toque naive do nosso ilhéu "tiririca"!

No conjunto de engomadinhos do costume que nos entravam casa adentro a debitarem "tempos de antena" pagos com os nossos impostos e que ainda por cima tínhamos de ouvir nos vários canais de televisão e estações de rádio - a gente nem sempre está ao alcance do botão de desligar - o Coelho, justificou o nosso "investimento" forçado: embora não tenha subido ao poleiro, também não se ficou pela toca e percorreu o País de lés a lés, para gáudio de muitos e revolta contida do "rei da Madeira".

Tirando esse pequeno consolo a amenizar a revolta que sentimos perante a dimensão pressentida da factura que nos será debitada, tudo ficará como dantes: mesmo sem estarem "em Abrantes", Sócrates continuará a desgovernar, a Assembleia a arengar e a fingir que legisla (e a oposição a fingir que se opõe) e finalmente, Cavaco Silva versão dois continuará a promulgar quase sempre e a vetar quase nunca, sendo que para o caso pouca diferença fará.

E neste limbo em que se transformou este País em que vivemos, a única coisa que continuaremos a ver "florescer" será a corrupção e o compadrio e os "grandes projectos" de que provavelmente continuaremos a ter notícia, terão ainda a ver com TGV's para Lisboa, terceiras travessias do Tejo em Lisboa, novo aeroporto de Lisboa e se houver ainda desfaçatez bastante por parte de José Sócrates e algum espaço no Orçamento virtual do Estado, mais um ou outro "mega" - sendo que neste caso e para variar, a região a contemplar deverá ser obrigatoriamente... Lisboa!

publicado às 14:55

"APANHADOS" AUTÁRQUICOS...

Apesar dos prémios de qualidade com que costumam massajar o ego, apesar dos investimentos na melhoria da qualidade dos Serviços com que costumam encher a boca, nem sempre a relação entre os investimentos e os resultados são tão evidentes...

Pequenos acidentes, percalços, gralhas incómodas, sempre podem acontecer, mas quando o "palco" em que ocorrem  tem assistência,  podem"borrar toda a pintura"...

Foi o que aconteceu com estes dois pequenos "apanhados":

O recorte 1, refere-se ao Edital da última "Reunião da Câmara Ordinária" de 13 de Janeiro.

O recorte 2, foi retirado do "mapa de pessoal" anexo ao Orçamento e PPI para 2011 da Vila de Alfena - na versão submetida à Assembleia de Freguesia e entretanto já corrigida na publicação online.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado às 00:11

CÂMARA DE VALONGO - À ESPERA DO "FMI" NACIONAL...

Como previsto, foram (por enquanto) travadas as possibilidades do Dr. Fernando Melo continuar com o regabofe que tem caracterizado estes 17 anos que leva à frente da Câmara de Valongo.

Compadrio, recurso sistemático aos ajustes directos, lugares de destaque para os "boys" (and "girls") têm constituído a sua imagem de marca, mas que agora, forçado pelas circunstâncias, vai ter de alterar.

25 milhões de Euros - o valor do empréstimo que ele pretendia ver aprovado pela Câmara - em conjugação com um Plano de Saneamento Financeiro "feito à medida" para o tamanho dos seus desmandos e a ausência de medidas concretas em vez de meros propósitos abstractos - o "valor facial!" das suas promessas atingiu neste mandato mínimos históricos - foram alguns dos motivos que a Oposição mais responsável da Câmara protagonizada pelos Vereadores da Coragem de Mudar invocou para chumbar os documentos.

Arnaldo Soares ainda tentou o mais que pôde o "argumentário" da crise mundial e nacional, mas nada a fazer. O PS já tinha dito que votaria contra "porque sim" e nós votamos contra pelas razões AQUI explicadas.

Agora, resta ver qual vai ser o "jogo de cintura" do Executivo para conseguir fazer o que já deveria ter feito e evitar que os corredores da Câmara sejam "tomados de assalto" pelos homens do "FMI" nacional, isto é, pelas Finanças.

De caminho, ainda deu para assistirmos a dois momentos de "antologia":

O PS utilizou na fundamentação do seu voto contra, a questão da concessão dos parquímetros que se tem revelado ruinosa para a Câmara, esquecendo-se que votou em Junho ao lado do Executivo para chumbar uma proposta da Coragem de mudar no sentido de se proceder a uma reavaliação rigorosa das condições da mesma concessão e em que se admitia mesmo o respectivo resgate!

O Dr. Afonso Lobão quase saltou da cadeira para desafiar o nosso Vereador Pedro Panzina a provar ("na próxima reunião pública") o que tinha dito - momentos antes ele tinha denunciado o lamentável exemplo de falta de decoro por parte do PS - e o nosso Vereador a responder "não é na próxima, é já hoje!".

Trazida pelos Serviços a Acta respectiva, o Dr. Afonso Lobão lá teve que reduzir o volume dos decibeis e encolher o dedo em riste, pedindo desculpa pelo lapso.

O outro "caso" ocorreu aquando da discussão do último ponto da Ordem do Dia - constituição do Conselho de Administração dos Serviços Municipalizados de Água, Electricidade e Saneamento (SMAES):

Manifestamos as nossas reservas pelo facto da proposta não vir acompanhada dos curriculum dos dois elementos propostos para a equipe do Dr. Arnaldo (que preside ao Órgão) e o Dr. Melo defendeu a proposta da seguinte forma:

- "(...) tivemos fundamentalmente a preocupação de colocar um elemento de cada Partido" (afinal não é isto mesmo que se faz no Governo do País? - pergunto eu).

Interveio o Dr. Arnaldo Soares para completar esta "explicação" demasiado minimalista, dizendo que os curriculum podem ser importantes, mas no caso concreto das duas personalidades, o seu percurso conhecido, o seu perfil a sua dedicação, blá, blá blá, tinham sido os factores principais a influenciar a referida escolha.

Resposta pronta da Dr.ª Maria José Azevedo:

- "Agradeço ao Sr. Vereador o esforço, mas confesso que gostei mais da franqueza do Sr. Presidente!"

Caso para dizermos: Valongo no seu melhor...

publicado às 17:28

ALFENA - UMA AUTARQUIA "EM CONSTRUÇÃO"...

Não sei se nesta última reunião pública da Junta de Freguesia - aquela que teve uma Ordem do Dia verdadeiramente repleta de...nada - além da "representação" habitual da Coragem de Mudar e dos apoiantes do costume do Executivo UPA, terá estado presente mais alguém "não alinhado".

De qualquer forma, o que vou dizer corresponde ao que se passou e não é por eu pertencer ao "lado errado"(?) dos alfenenses que nesta reunião teve direito a 90% do tempo gasto pelo nosso presidente nas "indirectas" com que nos foi brindando ao longo da sessão - que alguém vai poder negar:

Disse o nosso ilustre "número dois" - erradamente tenho andado a designá-lo como número um, mas a verdade é que esse lugar do "pódio" cabe ao Presidente da Assembleia de Freguesia -  "(...)como podem verificar já se encontra publicada a primeira Acta da Assembleia de Freguesia. Quanto às da Junta, amanhã (e aqui procurou a confirmação no Funcionário da Junta presente na Mesa) estará publicada a primeira (...)".

Ora bem... a não ser que a exemplo das leis, também os dias por estes lados sejam medidos numa unidade de tempo diferente da utilizada pelo resto do País, pela "minhas contas" hoje é sexta feira e como a referida reunião já ocorreu na quarta feira passada, dei-me à curiosidade de espreitar mais uma vez a página e a única coisa que encontrei no separador referente às Actas, foi a frase do costume: "em construção"...

Sinais dos tempos: A verdade já não é o que era!

publicado às 12:14

TERÁ ALFENA UM REGIME LEGAL ESPECÍFICO?

Take 1:

Quem costuma assistir às reuniões públicas da Junta de Freguesia de Alfena, recordar-se-á das "informações" várias vezes avançadas pelo seu Presidente acerca da sua participação nas reuniões do Grupo de acompanhamento - não sei se é assim a designação - da revisão do PDM de Valongo.

Acontece que o nosso Presidente, apesar de se arvorar em especialista em Leis, não raras vezes acontece fugir-lhe o pé para o chinelo , sendo que neste caso, o chinelo o coloca ao nível do homem comum - que ele não quer ser mas é - e que normalmente percebe muito pouco - nem tem obrigação de perceber - sobre as minudências do emaranhado das nossas Leis.

Se assim não fosse, teria lido com atenção a parte que diz respeito às competências da Junta e às dele próprio, onde está claro que a participação nos trabalhos de revisão do PDM, não são delegáveis pela Junta!

Alguém o alertou para a irregularidade e então ele ontem, lá tentou reescrever tudo o que tem dito sobre o assunto, da seguinte forma - mais vírgula menos vírgula:

"A propósito das reuniões do PDM, quero aqui esclarecer que houve apenas uma em que não participei apenas eu mas sim toda a Junta. Para além disso, participei em algumas reuniões informais apenas por inerência de membro da Assembleia Municipal".

Registamos a sua  preocupação com a possibilidade de vir a ser acusado de exercício abusivo de funções que a Junta não podia delegar. Claro que também sabe que todos os trabalhos à volta do PDM ficam registados em Acta...

 

Take 2:

Por diversas vezes tem dito o nosso digníssimo presidente, que o acesso às Actas das reuniões do Executivo é um direito e que nem sequer se exige a ninguém que faça um Requerimento escrito para ter acesso às mesmas. Basta pedi-las e se estiverem aprovadas, os Funcionários só têm é que as facultar.

Numa das últimas reuniões públicas - não na de ontem, mas numa outra - até informou que "esta Acta já irá ser publicada na nossa página da Internet"...

Pois pasmem os alfenenses: Não é que requeri a Acta da reunião pública de 13 de Outubro de 2010 - após a sua aprovação na reunião de Novembro - já me desloquei à Junta por 3 vezes, já falei pessoalmente com ele, que até me mostrou a dita Acta com umas quantas frases rasuradas e que teriam que ser reformuladas - apesar de já ter sido aprovada e estar devidamente assinada! - e a única coisa que sei, é  que "logo que esteja pronta telefonamos-lhe para a vir levantar"!

E quanto à publicação das mesmas, experimentem a página da Junta e verão que o único que cumpriu com a palavra, foi o Presidente da Assembleia de Freguesia que já tem uma Acta publicada.

Parafraseando aquele anúncio engraçado, eu ainda sou do tempo em que a palavra dada tinha um valor tangível... Agora parece que já não é assim, porque caso contrário, aquilo que o Dr. Rogério Palhau me disse junto ao balcão da Junta quando me mostrou há quase dois meses atrás, numa sexta feira à tarde, a tal versão aprovada mas rasurada - "pode procurá-la na segunda feira, porque estas correcções ficarão feitas este fim de semana, nem que tenha que ser eu a fazê-lo" - teria sido cumprido!

 

Take 3:

Continuando com o tal exemplo do pé e do chinelo, o nosso Presidente continua a laborar num enorme erro de interpretação sobre as prorrogativas de uma maioria absoluta em Democracia e a esquecer-se de que existe um Estatuto do Direito da Oposição, que existe a obrigatoriedade da consulta prévia dos eleitos sobre os documentos provisionais e que para além de tudo isso, a Lei impõe prazos para a convocação das Sessões da Assembleia.

Além do mais, parece que na sua curiosa interpretação das Leis, o direito dos membros da Assembleia a solicitarem "em qualquer momento e sobre qualquer assunto" informações à Mesa passou a ser passível de votação e como a maioria o permite a ser chumbado!

Claro que já está a aperceber-se de que os vários atropelos cometidos na última Assembleia de Freguesia não vão ficar pelas simples palavras de protesto, pelo que o mais certo é que invoque a "inexperiência" do Presidente deste Órgão para "justificar" os mesmos...

Mas nós sabemos que a "assessoria técnica" foi prestada por ele, à vista de todos, em cima do palco, durante a interrupção que solcitaram para deliberar sobre o assunto!


publicado às 01:34

UNIDOS POR ALFENA E A ARTE DE "ENCHER CHOURIÇOS"...

 

Ainda a propósito da "falta de assunto" Da Ordem do Dia para a reunião pública de Junta que hoje (ontem) teve lugar...

Como disse há pouco um amigo num comentário à minha publicação no Facebook, os problemas de Alfena parecem resumir-se à distribuição de subsídios.

Mesmo assim, o ponto 3 (também um subsídio) acabou por ser retirado para um melhor esclarecimento dos contornos do respectivo pedido, mas foi "compensado" com um aditamento: o projecto de Lei do PS relativo à elevação de Alfena a Cidade.

Claro que a Ordem do Dia que normalmente costuma constituir o "prato principal", nesta reunião representou a "sobremesa", uma vez que aquilo a que o povo costuma chamar o "conduto", foi servido no lugar das "entradas" e tinha destinatários presentes na reunião:

Não é que agora a Junta, por causa de alguns alfenenses maldosos, não tem onde depositar as terras que vai recolhendo das limpezas de valetas e ainda por cima, vai ter de pagar uma multa por andar a depositá-las num terreno que é seu, por trás da metalização?

Afinal, não havia ali crime ambiental nenhum: tratava-se de uma utilização temporária por parte da Junta, Câmara e VEOLIA, que nas suas diversas actividades tinham necessidade de arrumar ali alguns materiais que depois iam ao longo do ano carregando para outros lados. O facto da "plataforma" horizontal ter vindo a crescer paulatinamente ao longo dos últimos anos sobre entulho e resíduos urbanos (e industriais), engolindo a encosta e aproximando-se da Ribeira de Tabãos, não teve mão da Junta (que até já lá mandou colocar uma corrente, mas que já foi rebentada algumas vezes).

Só não ficamos a saber, é se a Junta, verificando que alguém ali depositava o que não devia (e não apenas terra) apresentou alguma queixa no SEPNA da GNR, mas acho que não, para ter ficado tão surpreendida com a visita deste Organismo...

Depois falou-se também de uns certos alfenenses que têm especulado muito sobre a especulação imobiliária à volta da ex futura Zona Industrial...

Parece que afinal, o que o que importa, é a bendita ir para a frente, para que os investidores se fixem por cá e criem postos de trabalho.

De qualquer forma o número um da Junta, fez questão de salvaguardar que é contra um dos exemplos dessa especulação que é referido "por alguns" - numa indirecta para o autor deste Blog e para um artigo publicado há tempos - acerca da compra e venda no mesmo dia, de um terreno nessa zona, com lucros do género daqueles que o Professor Cavaco obteve com o negócio das acções do BPN. Registamos.

Por outro lado, aproveitou para dizer que até já tem a garantia dos investidores, de que se o projecto for viabilizado, serão cedidos à Junta quatro (acho que foi o número indicado) pequenos pavilhões para que ali se possam instalar em condições especiais algumas pequenas empresas familiares locais.

Como diria o outro, "dou-te um chouriço se me deres um porco"...

Foi ainda dada a informação de que foi apresentada à ARS a "planta alternativa" do terreno destinado à instalação da nova Unidade de Saúde - "por continuar a não ser conveniente" (digo eu) não foi revelado o novo local encontrado. Eu acho que já sei onde é, mas vamos esperar para ver...

Informação também sobre a aprovação do projecto final para a "feira temática" sobre o viaduto da A41, que deverá arrancar em breve (?) - esqueceram-se de avisar o Dr. Rogério de que a Câmara não vai ter dinheiro para isso nos próximos anos... Aliás, acho que nem se lembraram de lhe dizer que o "Plano de saneamento financeiro" não vai passar amanhã (hoje) na reunião de Câmara!

Enfim... vendo bem as coisas, acho que o título "sem assunto" não é completamente rigoroso: "assuntos" até existiram, não havia era grandes decisões para encher a Ordem do Dia, pelo que não restou outra solução senão o recurso àquela habilidade muito conhecida entre os jornalistas dos "directos" das TV´s e das Rádios: "encher chouriços" - eu hoje estou com uma fixação estranha em chouriços....


 

PS: "clickei" no sítio errado e apaguei um comentário que não deveria ter apagado...

Ainda bem que recebo via e-mail o aviso de comentários, com o texto respectivo e ainda consegui recuperar este. Ao António, as minhas desculpas e aqui fica neste espaço, o seu comentário - que de tão oportuno nem merece resposta:


"Seria interessante saber quantos postos de trabalho destinados a Alfenenses, são garantidos na tal «zona industrial». Quais as valências e áreas de formação que se procuram? Que formação e valências tem os nossos desempregados? A não ser que esses benditos empregos sejam para limpezas e para contínuos como os que alguém anda a garantir há alguns anos à população... num investimento que tarda a abrir. Esperemos, sinceramente, que hajam lugares para tantas promessas a bem das pessoas que legitimamente criaram expectativas, e assim talvez se minore o flagelo do desemprego nesta Freguesia. Nunca nos últimos 37 anos Alfena esteve tão parada no tempo, sem ideias, obras e sem gente capaz à frente dos seus destinos!"

publicado às 00:11

ALFENA E A "FALTA DE ASSUNTO"...

 

Será que o velho ditado popular "água mole em pedra dura..." começa a fazer sentido nesta autarquia plena de deficits legais.

Em 5 de Janeiro passado, escrevi aqui sobre "opacidades incontornáveis" - a propósito da quase total ausência de informação aos cidadãos acerca do trabalho desenvolvido (?) pela maioria UPA na Junta de Freguesia.

Parece que alguém que durante muito tempo fez questão de dizer "Urbi et Orbi" que não lia o meu Blog, afinal mudou de ideias e passou a ser visitante assíduo deste modesto espaço.

Dão-me especial satisfação essas visitas, sobretudo quando as mesmas têm "consequências", como foi o caso com a publicação  do Edital com a Ordem do Dia para a reunião de hoje...

Mas afinal, até se percebe porque é que a omitiram no primeiro Edital: tão pobrezinha, tão  despida de "atributos", compreende-se o desconforto em anunciá-la publicamente!

Veja-se então o a importância e a vastidão dos assuntos que conseguiram encaixar nesta reunião pública mensal:

 

 

 

 

publicado às 20:31

CÂMARA DE VALONGO - SANEAMENTO FINANCEIRO OU "IMPLOSÃO"?

Então é assim:

Se no próximo dia 13 de Janeiro entre as 10 e as 13 horas ouvirem um enorme "estoiro", que ninguém se assuste nem pense que se trata de alguma acção da Al-Qaeda...

O mais certo, é que tenha ocorrido a inevitável implosão da maioria PSD/CDS na Câmara de Valongo e assim sendo, embora tal ocorrência não deixe de ter consequências para todos nós, talvez isso constitua o menor dos males e tenha chegado o momento de desistirmos definitivamente de investir neste "doente" quando é o próprio que se recusa a mudar os hábitos de vida e pôr de lado os vícios que o conduziram ao actual estado.

Segue-se a Ordem do Dia para o dia 13, sendo que a primeira parte da mesma é a continuação da Reunião do dia 30 de Dezembro.

Fica-me uma dúvida: uma vez que se trata da continuação de uma Reunião não pública (a primeira parte) será que esta é aberta ao público?

Amanhã, deixarei aqui um post-scriptum a esclarecer isso.


PS: Acabei de confirmar que a Sessão será pública...


 

 

publicado às 19:01

SERVIÇO PÚBLICO...

O artigo que reproduzo abaixo - publicado no JN - tem a ver com uma das preocupações da Coragem de Mudar e que esteve para integrar uma "Recomendação" a apresentar na última Assembleia de Freguesia. Esta Recomendação só não foi apresentada, porque constando o assunto da falta de acessibilidades a vastas zonas da nossa Vila, dos documentos que foram submetidos pelo Executivo, tratar-se-ia de uma duplicação.

Esperemos pois, que ao contrário de outros compromissos, este de ajudar a levar melhores transportes às zonas mais periféricas do nosso burgo, seja cumprido pela nossa Junta - sem esquecer também todos os outros problemas que foram levantados pelo nosso conterrâneo e que já constam de inúmeros compromissos eleitorais não cumpridos até agora de forma satisfatória pelos "dinâmicos" UPA.

 

 

publicado às 16:05

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D