Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO: PELA BOCA MORRE O PEIXE - E NÃO SÓ...

A grave situação financeira da Câmara não constitui para nós uma novidade. Não, e em tempo oportuno denunciamo-la. Ela tem como causas o descontrolo orçamental, a completa ausência de planeamento económico-financeiro e investimentos muito superiores às reais capacidades da Câmara.

Acontece que acreditamos que as sugestões, propostas e alertas feitas nomeadamente, aquando da aprovação da nova tabela de taxas, das contas de gerência e em outras intervenções que ao longo do ano aqui fomos deixando, no sentido de moralizar e alterar a situação caíram em saco roto, o mesmo é dizer, não foram tidas em conta.

Viabilizamos, com a nossa abstenção um orçamento que era o 1ºdeste mandato. Sim é verdade, mas basta olhar e reler a nossa declaração de voto e as recomendações que ali são deixadas, para se perceber a nossa desconfiança em relação às virtualidades de tal documento.

Ora passado um ano nada foi feito, e apesar, dos autarcas do Partido que hoje é responsável pela gestão da Câmara ter sido dotado dos instrumentos necessários (competências e vereadores a tempo inteiro), para um bom desempenho, a verdade é que a situação não se alterou, antes se agravou, e hoje, a Câmara Municipal de Valongo está na falência, incapaz de solver compromissos, de cumprir as promessas eleitorais e colocando em risco postos de trabalho dos colaboradores da própria Câmara.

Ao fim de um ano a grande novidade que a gestão do PSD nos apresenta é um desequilíbrio financeiro conjuntural GRAVE, não tendo a Câmara condições para pagar as suas dívidas de curto prazo que atingem o montante de 30 milhões de Euros.

"Não contem connosco para dar assentimento a este tipo de gestão. Não contem connosco para aumentar o IMI e outras taxas camarárias, que vão penalizar ainda mais, os cidadãos, as famílias e as empresas do concelho, por razões que têm a ver e só, com a falta de planeamento e o descontrolo orçamental da exclusiva responsabilidade de quem gere os destinos de Valongo há muitos anos.

Não contem connosco para viabilizar propostas que a serem levadas à prática reduzirão a qualidade de vida dos nossos concidadãos sejam elas crianças, jovens ou idosos. A Câmara Municipal não pode, não deve contribuir para acentuar as dificuldades de quem já hoje vive situações de grave carência.

O País vive uma situação difícil e os cortes orçamentais, são altamente penalizadores para todos. As transferências da Administração Central para as autarquias locais, Valongo incluído, serão diminuídas, o que vai tornar ainda mais difícil recuperar dos erros cometidos num passado recente.

O referido descontrolo das contas, já hipotecou as futuras receitas da Câmara por muitos e muitos anos.

Os Vereadores do PS na Câmara continuarão a apostar numa postura séria e responsável, mas que será de tolerância zero em relação à negligência, à má utilização dos dinheiros públicos, aos actos de má gestão e à falta de iniciativa da actual maioria que governa a nossa câmara que, por este andar verá os empresários do concelho apreensivos e o movimento associativo desmotivado." (...)


 

Pois é...

Pela boca morre o peixe - e pelos vistos, também outras espécies, incluindo alguns "seres falantes" do nosso burgo!

O texto reproduzido acima, consta da intervenção produzida por Afonso Lobão na reunião de Câmara em 10 de Novembro de 2010 e se nos contentássemos com a retórica vazia dos discursos de alguns políticos, até podia ser subscrito sem dificuldade pela outra força da Oposição, a Coragem de Mudar.

Mas não! Nós não nos contentamos com a produção de discursos. Preferimos acima de tudo, ser consequentes com o seu conteúdo! Sabemos aliás, que no que concerne à representação do PS, quer na Câmara quer na Assembleia Municipal, é tal a importância que atribuem ao "conteúdo" que basta um mês dois para se esquecerem do que disseram...

Pelos vistos, o actual contexto em que a nossa Câmara se encontra, terá mudado radicalmente (?) de outra forma não se entenderá como é que o PS encontrou suporte para o acordo celebrado com o Executivo em relação ao Plano de Saneamento Financeiro!

Há no entanto um número cada vez maior de Valonguenses que desconfiam que o "negócio" se fez a troco de um simples e modesto "prato de lentilhas".

A ver vamos...

 

publicado às 18:13

"CO-INCINEREMO-LOS" - CADEIRA E TUDO...

Esta é (apenas) uma das muitas imagens que ilustram hoje as páginas de muitos Jornais, que desassossegam muitas consciências que alarmam muitos governantes e que - embora a estes não lhes convenha reconhecê-lo - incomodam também muitos dos que se perfilam na linha de sucessão para aceder sem grandes pressas ao "pote".

Pelas ruas deste País adiado, desfilaram "licenciados" em caixas de supermercado (e os pais deles), "licenciados em call center (e os pais deles), "licenciados" em filas dos centros de emprego (e os pais deles) "licenciados" em estágios profissionais não remunerados (e ainda e mais uma vez, os pais deles também).

Do outro lado, assistindo da tribuna refastelados na cadeira do poder - uma gigantesca estrutura "multiplataformas" de "engorda", ligada ao Povo através de uma complicada ramificação de cateteres por onde flui o "alimento" para esta cambada de sangessugas vorazes que nunca está saciada e que mesmo na véspera do protesto, reclamou mais uma transfusão reforçada do mesmo.

Também estes, "licenciados", "doutorados" e "pós graduados" - em exames "via fax", em diplomas assinados ao domingo, em "freeportes" em "faces ocultas" e noutras tantas malfeitorias...

E porque isso lhes convinha, ouvimo-los em todos os canais de televisão e também na rádio a fazerem apelos (!)  estranhos  aos Partidos da esquerda, para que soubessem controlar as possíveis infiltrações de "provocadores" no seio dos manifestantes - não fossem os protestos ganharem demasiada força e descambarem para situações semelhantes às do Egipto, da Líbia e de outros Países onde o Povo começa (finalmente) a acordar...

Já se aperceberam, é que nesta nova era da Internet e das redes sociais, as manifestações já não são como aquelas que eles se habituaram a promover ou a enfrentar até há pouco: Os "facebook", os "twitter" e outros meios alternativos, permitem saltar etapas, encurtar distâncias, contornar burocracias, baralhar ou surpreender os "SIS" - e apanhá-los literalmente "com as calças na mão"...

 

 

publicado às 14:15

CÂMARA DE VALONGO - TANGO E "RAPIDINHAS"...

 

Contrastando com a geração que amanhã se propõe desfilar nas ruas de várias cidades do País e que se encontra literalmente "à rasca", o Executivo da Câmara de Valongo parece que deixou de o estar - "à rasca"...

Depois de terem andado ao longo dos últimos meses a cortejar a metade séria da Oposição (a Coragem de Mudar) e a tentar copiar a estratégia  do "tango"usada por Sócrates para tentar seduzir Passos Coelho - perante a inexplicável resistência desta às suas investidas e aos seus galanteios de mau gosto e quase "obscenos", os marialvas decidiram-se finalmente a fazer aquilo que já todos adivinhávamos que viria a acontecer, face ao "registo histórico" de relacionamentos anteriores: Na impossibilidade de uma relação estável e segura, baseada num contrato "pré nupcial" assente em regras bem definidas, optaram pela solução mais fácil e afinal a de sempre, que para isso é que o PS de Valongo tem servido nos últimos tempos, isto é, uma "relação descomprometida" (será?) que permita a cada um dos "parceiros" a obtenção de um nível de auto satisfação que não seja demasiado exigente.

Vendo bem as coisas, se os dois se sentem felizes com este tipo de relação deixá-los lá ter o seu pequenino "orgasmo"...

Já não concordo, é que tenham de ser os Valonguenses a pagar a "rapidinha"!


 

PS: Nesta altura do campeonato isso deixou de ter assim tanta importância, mas obviamente que subjacente a qualquer versão do tal  "contrato pré nupcial" teria de estar sempre o "divórcio do consorte meio morto".

Pelos vistos, o novo parceiro não foi tão exigente, tendo-se posto a jeito - há quem diga até que já se apresentou na cerimónia com o cinto desapertado - para aceitar esta relação bígama.

publicado às 21:35

ALFENA JÁ RESPIRA SAÚDE...

Se não tivesse sido o alfenense que fez a denúncia junto da Câmara de Valongo, dos atentados ambientais (alguns já aqui denunciados e envolvendo a própria Junta de freguesia) a fazer-nos chegar o texto da resposta da Directora do Departamento de Ambiente, dificilmente acreditaríamos...

Mas porque a resposta veio mesmo de um Departamento da Câmara,  fiquem a conhecer caros cidadãos de Valongo e Alfena, a forma verdadeiramente anedótica como os Serviços da mesma tratam estes assuntos e o incentivo que isso representa para um efectivo e responsável exercício de cidadania por parte de todos!


 

Texto da resposta da Directora do Departamento de Ambiente da Câmara:

 

" (...) Serve o presente para agradecer a comunicação feita por Vª. Exª..Relativamente à qual estamos a tomar as necessárias diligências.
Em casos similares e perante a dificuldade das entidades a quem cumpre fiscalizar este tipo de comportamentos, Guarda Nacional Republicana e Fiscalização Municipal, estarem presentes aquando da prática do acto ilícito como aquele a que Vª. EXª. faz referência, solicitámos que em próximas ocasiões, e preferencialmente munido de algumas testemunhas, nos denuncie o ocorrido, precisando o dia e hora, bem como, a identificação (se possível nome e morada) do transgressor, por forma a podermos actuar em conformidade com a lei, aplicando-lhe a sentença que merece, na tentativa de eliminarmos o comportamento incorrecto que vem sendo adoptado.(*)
De qualquer forma, a Fiscalização desta Autarquia irá, na medida do possível, manter esse local sob vigilância, para tentar detectar o comportamento em causa, actuando nesse caso, em conformidade com a legislação em vigor.

Com os melhores cumprimentos, etc, etc."

 

(*) o sublinhado é meu...

 


Texto da resposta do alfenense que fez a denúncia (apenas por absoluta falta de espaço, não publico todas as fotografias):

 


"Exma. Sra. Dra. Clara C. Poças,

 

Em resposta á vossa comunicação sobre o assunto acima referenciado tenho a dizer o seguinte:


1. Ao constatar que ainda há pouco tempo houve uma campanha para limpar as entulheiras por todo o país, o que também aconteceu no concelho de Valongo;
2. Ao verificar que um espaço que tinha sido alvo de limpeza por essa campanha, estava a ser de novo utilizado para deposição de entulhos;
3. Decidi dar conhecimento aos v. Serviços para que tomassem as providencias necessárias e adequadas para que não continuassem a faze-lo;
4. Para o efeito, bastaria que efectuassem a limpeza ao local, colocassem um letreiro a proibir a deposição de entulhos e fizessem uma fiscalização periódica e aplicassem  a correspondente e exemplar multa a quem fosse apanhado;
5. Como não sou funcionário púbico não tenho obrigação de fiscalizar, muito menos arranjar testemunhas para denunciar os prevaricadores;
6. Dado que recentemente foram alvo de limpeza o Rio Leça, que os moradores foram obrigados a ligar o saneamento básico arcando com as despesas inerentes á respectiva ligação, seria bom que os serviços de ambiente da Câmara M. de Valongo, pugnassem para que os locais que possam contribuir parta a poluição dos rios se mantenham limpos.
7. Para que possam ter uma ideia mais aproximada do problema, envio em anexo fotos ilustrativas do que acabo de enunciar.


Sem outro assunto, envio os meus melhores cumprimentos (...)"

 

 

 

 

 

 

Longe vai o espírito do slogan "Alfena já respira saúde"!

 

 

publicado às 21:01

A "BERLIET" DE ALFENA...

A propósito da situação de que vou falar a seguir, ocorre-me aqui, numa engraçada associação de ideias, uma "crítica" muito em voga nos meus tempos de guerra colonial relativamente ao consumo de combustível das velhinhas Berliet saídas da Metalúrgiga Duarte Ferreira  no Tramagal.

Claro que o seu consumo era mesmo elevado, mas daí aos números vertidos nos mapas mensais elaborados pelo furriel mecânico da Companhia para cada viatura e que chegavam a referir "médias de 100 aos 10" (100 litros por 10 km) quando o inverso é que estaria mais próximo do normal...

Como sempre acontece nestas situações, havia algumas mentes "maldosas" que teimavam em afirmar existir uma relação directa entre estes "consumos" e o número de jipes para uso individual dos comandantes (de Companhia e de Pelotão e o número de vezes que algumas destas pessoas iam jantar fora no único café/restaurante da aldeia, cujo dono, como aliás todos os poucos civis locais com viatura própria, tinha alguma dificuldade em abastecer o depósito do "todo o terreno" que utilizava para as suas deslocações.

Vamos pois à tal analogia curiosa de que falei acima:

Como todos sabemos - e agora mais ainda, depois da visita da Polícia Judiciária e do recente desfile de carnaval - a nossa Junta tem uma viatura cedida à autarquia por um benemérito alfenense através de um "protocolo"(?) que pode ser (agora e depois da tal visita) consultado no sítio da Junta na Internet.

Como a própria matrícula indica (FX...) não é um modelo recente e todos sabemos que há uns anos atrás, as diversas marcas não andavam tão atentas aos "detalhes" técnicos que tinham a ver com os consumos, mas mesmo assim... ou esta Ford anda muito doente e precisa que a Junta a leve ao médico, perdão, ao mecânico, ou então tem a mesma manha das velhinhas Berliet da fábrica do Tramagal, que cá pela Metrópole se comportavam de forma razoável, mas que mal chegavam ao clima inóspito de certas localidades africanas - no meu caso, de Moçambique - viravam autênticas esponjas. Senão veja-se o documento que me foi fornecido (a meu pedido) pela nossa Junta:

 

 

 

 

 

 

 

publicado às 13:52

MULHER - MÃE, IRMÃ, COMPANHEIRA E ÀS VEZES... "ESCRAVA"!

Dia da Mulher assinala-se hoje pela centésima vez quando desigualdades persistem

O Dia Internacional da Mulher assinala-se hoje pela centésima vez, quando "em demasiados países e sociedades as mulheres continuam a ser cidadãos de segunda", segundo alerta o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU).


2011 year marks the 100th anniversary of International Women’s Day. The day was commemorated for the first time on 19 March 1911 in Austria, Denmark, Germany and Switzerland, following its establishment during the Socialist International meeting the prior year. More than one million women and men attended rallies on that first commemoration.

In 1975, during International Women's Year, the United Nations began celebrating 8 March as International Women's Day. Two years later, in December 1977, the General Assembly adopted a resolution proclaiming a United Nations Day for Women's Rights and International Peace to be observed on any day of the year by Member States, in accordance with their historical and national traditions. The Day is traditionally marked with a message from the Secretary-General.

 

publicado às 14:07

VALONGO - CIRURGIA OU CUIDADOS PALIATIVOS?

Andamos há tempo demais a girar à volta do PROBLEMA - tanto tempo, que já começamos a sentir a cabeça à roda...

O saneamento financeiro da Câmara  de Valongo é necessário? Claro que sim!

Pode ser viabilizado pela Coragem de Mudar? Claro que sim!

Mas não uma qualquer proposta de saneamento financeiro e muito menos ainda, um saneamento financeiro para ser executado (apenas) por aqueles que conduziram Valongo ao actual estado de coisas.

Em termos de simples declaração de intenções, até já se avançou alguma coisa na negociação, mas a verdade, é que por parte do Executivo e face aos actores em presença, essas intenções já não bastam e têm de ser complementadas com a exigência de um acompanhamento em permanência de todo o processo, por um Órgão de controlo tripartido.

Além do mais e perante a dimensão da crise que enfrentamos, impõe-se ainda, ou sobretudo, que se ponha fim - no sentido figurado do termo - ao PROBLEMA e este, chamando como se costuma dizer em linguagem popular "os nomes aos bois",  é Fernando Melo!

Qualquer plano de recuperação que pretenda ser digno desse nome, nunca pode ser executado sob a liderança de quem tudo fez e continua a fazer para agravar a situação.

E de mais a mais, porquê "manter o santo no altar" quando já ninguém lá vai para rezar - nem sequer os mais devotos do passado mais recente.

Portanto, aos que o acompanharam até aqui neste projecto perdedor aquilo que se exige, é que deixem de lhe fornecer "oxigénio", seja por via das múltiplas mordomias que ele se auto atribuíu, seja sob a forma de um qualquer "cartão dourado" de plafond pornográfico.

Em oncologia sabe-se desde há muito, que um certo tipo de neoplasias pode ser combatido apenas com medidas que impeçam a irrigação do tecido doente. Pois então, corte-se a irrigação para que o mal definhe de forma natural.

No actual contexto, isso é o mínimo que se pode exigir!

Sem que se cumpram todos estes pressupostos, nunca e em momento algum a Coragem de Mudar deve servir de suporte a esta gente. Já não basta que nos fiquemos pela mera referência dos princípios. Esse enunciado deve corresponder a medidas concretas e ponto final! 


publicado às 15:28

ALFENA - O "CAVALO ERRADO"...

 

Andam extremamente nervosos os nossos dinâmicos autarcas alfenenses - e também alguns dos seus fiéis acólitos que dão um ar da sua graça no "Fórum" da Voz de Ermesinde...

Alguns comentários ali plantados por ordem do hortelão-mor alfenense, deixam transparecer que a crítica não é bem-vinda por estas bandas.

Alguém que passou por aquele "fórum" antes de mim e que também se apercebeu desta hipersensibilidade aguda, citou Tácito a propósito: "Quem se irrita com as críticas está a reconhecer que as merece".

Mas esta espécie de alergia à crítica também pode ter a ver com o facto de certas personagens do nosso burgo terem descoberto (tarde demais) que "jogaram tudo no cavalo errado": Como já não podem fazer nada para reverter a situação e têm de arcar com o prejuízo - no sentido literal do termo -  e a crítica funciona como álcool puro sobre carne viva e dói que se farta, reagem desta forma pouco racional e básica.

Percebe-se. Não se desculpa nem se valida como correcta esta reacção, mas percebe-se...

Dizem que a crítica injusta dói. Pelos vistos, a justa também!

publicado às 20:14

ALFENA - SERVIÇO PÚBLICO

Cumprindo (desta vez) o calendário, o executivo da Junta reúne no local habitual e em sessão pública amanhã dia 2 de Março pelas 21,30 horas.

Pelo que se depreende do respectivo edital, não existem decisões para serem tomadas:  ponto 1 - "aprovação da acta (...)" e ponto 2 - "discussão de outros assuntos de interesse (...)".

A ver vamos...


PS: Pensando bem, hoje está imensamente frio e com uma "ementa" tão pouco "calórica" como a que nos apresentam acima, acho que os dinâmicos correm sérios riscos de ficarem sozinhos a falar sobre... coisa nenhuma!

 

Como disse James Ling, "não me digas o muito que trabalhas; fala-me antes do muito que fazes"!

 

publicado às 23:18

QUE TAL, UMA CERTA "GEMINAÇÃO" ENTRE VALONGO E ALANDROAL?

 

 

Câmara do Alandroal exige indemnização de 781 mil euros ao seu anterior presidente.


Ex-presidente e actual vereador é acusado pelo seu anterior número dois de ter lesado o município. Ministério Público acusou-o de mais de 200 crimes.


A Câmara do Alandroal (distrito de Évora) exigiu em tribunal uma indemnização global de 781 mil euros ao seu anterior presidente e actual vereador João Martins Nabais, por danos patrimoniais e morais. O autarca socialista diz-se de "consciência tranquila" e aguarda que "a justiça funcione".

O pedido de indemnização refere-se a dois processos - que, segundo a agência Lusa, se encontram em fase de instrução - instaurados pelo Ministério Público (MP) e investigados pela Polícia Judiciária.
De acordo com a informação prestada na sexta-feira, na reunião da assembleia municipal, por João Grilo, actual presidente da autarquia, o MP acusou Nabais da prática de 117 crimes de peculato e 92 de peculato de uso. Na qualidade de lesado, o município deduziu um pedido de indemnização por danos patrimoniais no valor total de 766 mil euros.
O documento apresentado pelo autarca na assembleia especifica que "384 mil euros são relativos às despesas e gastos injustificados relacionados com as viagens e demais custos efectuados às custas do município e 382 mil euros às consequências, em termos de cortes das verbas devidas ao município, pelo excesso de endividamento".
De acordo com o texto, o MP acusou Nabais, num outro processo, pela prática de 29 crimes de denegação de justiça, sendo que o município pede, nesse caso, uma indemnização cível por danos não patrimoniais e morais de 15 mil euros, o que perfaz um total de 781 mil euros.
João Grilo escusou-se a prestar declarações à Lusa, dizendo que "o executivo e a assembleia municipal já foram informados" sobre a situação. "Eu não tenho nada a declarar. Deixemos funcionar a justiça", acrescentou João Grilo
Já o antigo presidente, João Nabais, acusou o seu sucessor de "atirar pedras aos outros quando tem telhados de vidro", pedindo que este "clarifique dois processos por peculato" em que estaria implicado. João Grilo assegurou que não recai sobre si qualquer acusação.
Nabais acusou também o actual presidente de estar a "politizar um processo que está a decorrer normalmente nos tribunais", aguardando "de consciência tranquila que a justiça funcione".
O socialista João Nabais cumpriu dois mandatos à frente da Câmara Municipal do Alandroal, entre 2001 e 2009, tendo perdido a liderança do município nas últimas eleições autárquicas, em Outubro de 2009. O vencedor, João Grilo, é um antigo militante socialista que foi seu vice-presidente no mandato anterior e que concorreu pelo Movimento Unidade e Desenvolvimento de Alandroal (MUDA).

PÚBLICO (local) 1 de Março


Ora bem...

Eu acho que a conta-corrente do nosso autarca com a "maioria mais pequena do País", já terá ultrapassado há muito esse número mítico (e redondo) das tais duas centenas crimes!

Quem é que ainda não ouviu falar de um certo "cartão dourado" (que só agora começa a sofrer algumas restrições),  de reparações esquisitas em viaturas não legalizadas, de uns certos favorecimentos pessoais da preferência de certos boys and girls no preenchimento de lugares, e muitos etecéteras mais?

Parece que a nossa PJ se tem fartado de fazer pontaria, mas - pelo menos que se saiba - o alvo continua a não registar nenhum impacto...

"Das duas três": ou é demasiado difuso, ou a sua hipermobilidade o tem tornado demasiado esquivo, ou então, os caçadores não se têm aplicado a fundo na pontaria...

 

publicado às 21:59

Pág. 2/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D