Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

EM VALONGO (JÁ) NÃO HÁ VENCEDORES ANTECIPADOS...

Claro que hipocrisia é defeito de que procuro distanciar-me e falando num projecto autárquico para Valongo - não sei porquê, mas porque será que tenho a sensação de que estamos a falar do assunto cedo demais, apesar do nervosismo que já se constata por aí? - a minha óbvia preferência vai naturalmente para um um projecto próprio, até porque faço parte da Direcção de uma Associação que se apresentou já no último acto eleitoral!

Mesmo assim, é um pouco mais tranquilizador termos a partir deste momento e como pode ser confirmado a certeza de que Valongo não correrá (tantos) riscos de se tornar numa extensão de Alfena e que mesmo que nós próprios eventualmente falhássemos uma vez mais na concretização do nosso sonho, já não será de forma automática nem de mão beijada que os valonguenses "entregarão o ouro ao bandido"!

AQUI, podemos finalmente confirmar que não existem falsos "delfins" com a garantia de preferenciais apoios institucionais - como fazem questão de alardear - e que a designação de "futuro presidente de Câmara" é uma mera abstracção - uma frase que até pode servir para o chamado "treino vocal" (ou colocação de voz) enquanto quem o faz se deixa conduzir pelo motorista de serviço - mas que apenas a realidade do processo eleitoral se encarregará de confirmar ou desmentir.

Depois, o projecto caudilhista implantado em Alfena tem corrido tão mal tão mal, que duvidamos que os valonguenses possam sentir algum tipo de apetência por experimentar a mesma desilusão que neste momento a mais nova cidade do nosso concelho sente! 

publicado às 14:01

ALFENA - "ESPECIALISTAS" PREVÊEM NOVO EPISÓDIO OVNI...

De uma vez por todas, é tempo de dizer Basta! 

Chegou a altura Dr. Rogério Palhau, de lhe dizer hic et ubique e de forma solene - posso até garantir-lhe que escrevo este texto, vestido com o rigor que a época estival me permite e na respeitosa posição de pé - que pode contar com a minha solidariedade e com o meu incondicional apoio!

Eu espero que tenha lido o despautério que abaixo transcrevo, de alguém que à primeira vista, pelo e-mail associado à publicação, parece ser um "infiltrado" nas suas hostes e que tem andado muito activo no trabalho de sapa para o apear a si do poleiro alfenense enquanto ao mesmo tempo, vai dando uma ajudinha na promoção da figura de referência do verdadeiro projecto UpA - afinal bem mais ambicioso do que à partida nos queriam fazer crer...

O texto bem como outros anteriores do mesmo género, vem publicado na secção "fórum" do Jornal "A Voz de Ermesinde":

 

"Data:26-07-2011 12:09
Assunto:Re: Dr. Arnaldo a presidente da Câmara de Valongo
Mensagem:
Já chega de laranjas, rosas e corajosos. Os vereadores laranja so atrapalham os rosas nao ajudam e os corajosos complicam.
É preciso que o Dr. Arnaldo seja candidato à Camara e em Alfena o secretário S.pinto substitua o quanto antes o actual presidente. Era bom termos um executivo da junta mais dinamico.
é bom que todas as freguesias do concelho de valongo aprendam com os unidos por Alfena pois estes é que sabem fazer as coisas bem feitas e com competência. aprendam e vamos ter em breve uma camara com vereadores muito trabalhadores e todos de alfena e dos unidos."

 

Chegou pois a altura de "tomar partido" e entre você, que apesar das promessas eleitorais, não tem feito nada por Alfena, nem de bom nem de mau - de bom, por pura incapacidade e de mau, porque a oposição mais consistente e mais consequente com aquilo que prometeu aos alfenenses, não o tem deixado - e o seu "número dois" e secretário dos "laranjas" alfenenses, coadjuvado a nível concelhio pelo futuro presidente de Câmara de Valongo eu não hesito:

Estou consigo de alma e coração, desde que obviamente, mantenha a mesma postura e não mexa muito em projectos, como aliás e de forma sábia tem conseguido "fazer" até agora: há coisas que quanto mais lhes mexemos, mais as estragamos e você neste campo, tem estado relativamente bem - ou dito de forma um pouco mais erudita,  ex nihilo nihil!

Nunca fui muito com gente cinzenta de sorrisos de plástico, que se vende por um prato de lentilhas e aqueles que trabalham na sombra para o derrubar, já estão a salivar e com tanta pressa de "ir ao pote" que nem se esforçam por o disfarçar...

Já agora, permita-me que termine desta forma entusiástica:

"Viva o Dr. Rogério Palhau, um homem cheio de projectos para o futuro!

(Sendo que no caso específico de Alfena o futuro, ao contrário do que muitos pensam, não é ainda amanhã)...

 

publicado às 21:36

ALFENA - FESTA DA SENHORA DO AMPARO E OS "EMPLASTROS"...

Na noite de sábado para domingo próximos, uma parte significativa do povo anónimo de Alfena vai ter de "dar o litro" na construção do monumental tapete de flores, que já se tornou uma tradição e faz parte integrante da festa em honra da Senhora do Amparo.

Apesar de não preencher os "requisitos mínimos" para me considerar um devoto e muito menos ainda no que toca às procissões, também não tenho nada de especialmente relevante contra as mesmas - a não ser naquela parte em que as elas servem como uma espécie de palco para o habitual desfile de vaidades e muito em especial, pela oportunidade que proporcionam aos "emplastros" do costume - que os há em todo o lado e Alfena não foge à regra -  para se colarem ao Povo e se possível para se porem à frente deste sempre que há uma qualquer recolha de imagens.

Tenho a certeza que este ano não vai ser diferente dos anteriores e se o for, será para pior, uma vez que "sua excelência o futuro presidente de Câmara" já se movimenta de forma bastante evidente na escalada a caminho do "pódio" e seguramente que não vai perder a oportunidade de aparecer por aí de sorriso de plástico afivelado no rosto e rodeado de capangas, como tem vindo a ser especialmente notado nos últimos tempos.

Dar-se-á o caso de recear algum "atentado", tipo arremesso de ovos ou coisa do género? Nesta terra de brandos costumes, não é de prever que essa ameaça exista e menos ainda, que se concretize, ao preço que está tudo...

Além do mais, os "terroristas" mais conhecidos do burgo, estão bem identificados e preferem o uso de "armas muito mais mortíferas" contra as quais ele não têm defesa possível: as palavras - as ditas e as escritas!

publicado às 16:03

APLAUSOS NÃO! - APENAS SEREMOS MAIS PARCOS NOS ASSOBIOS...



É que é preciso ter mesmo muita "cara de pau" para teorizar desta forma sobre este assunto - importante sem dúvida para todos os alfenenses - omitindo os erros passados e a promiscuidade entre o poder local (da freguesia e da Câmara) e os especuladores - os mesmos que ainda por aí rodopiam - à altura em que andávamos às voltas com o projecto da Quinta do Bandeirinha.

E nem sequer os actuais detentores do poder têm margem de manobra para alegar que isso foi noutro mandato e com outros actores, porque o cenário é o mesmo e a única "diferença" é que alguns dos verdadeiros responsáveis pelo malogro, mudaram apenas a sua posição no "tabuleiro de jogo".

É preciso pensar que os alfenenses são uns ingénuos - ou então, uns pobres de uns atrasados mentais - que podem ser manipulados desta forma!

A omissão grave que este "embandeirar em arco" pretende disfarçar, é o facto de terem "dinamitado" o projecto da Quinta do Bandeirinha - os Eusébios só forneceram os "explosivos" mas os verdadeiros "criminosos", aqueles que "construíram o engenho e carregaram no botão" a seguir continuam por aí assobiando para o ar, ou então como agora, vão ao cúmulo de desta forma quase "pornográfica", virem-nos para aqui  "arrotar postas de pescada"! 

É que convém que nenhum alfenense se esqueça e lhes lembre isso na altura certa, que a sua acção "criminosa" pode ter colocado definitivamente em causa a construção da nossa Unidade de Saúde:

De facto, ninguém desconhece o contexto em que o País vive, com imposições que nos obrigam a cortar em coisas verdadeiramente essenciais - entre as quais, pode muito bem e infelizmente incluir-se a construção da nova Unidade de Saúde de Alfena!

E já o disse anteriormente, mas acho que não ficará mal voltar a repeti-lo:

Não mandem erigir nenhuma estátua, nem sequer um modesto busto para homenagear quem quer que seja, pois o "protocolo de cedência" com que "enchem a boca", é apenas e só um negócio - vantajoso para as duas partes sem dúvida, mas não de forma igual. E não é preciso ser licenciado em qualquer das áreas que permitem estudar à lupa projectos como este, para se descobrir quem é que ganhará mais com o mesmo.

Mais isso agora não importa! Já que fizeram "porcaria" no passado recente, não deixem que esta nova oportunidade vá também por água abaixo - embora neste caso por razões de natureza extrínseca.

Arregacem as mangas, desunhem-se, ultrapassem as vossas próprias capacidades e vençam as limitações que todos vos conhecemos, mas desta vez não falhem!

E quanto aos aplausos que indirectamente nos estão a pedir, esqueçam! Seremos apenas  - e só desta vez - mais comedidos nos assobios...

 

 

publicado às 22:07

NOVA UNIDADE DE SAÚDE DE ALFENA - HORA DE "ARREGAÇAR AS MANGAS"!

E agora?

Foi finalmente desvendado o segredo do terreno destinado à construção da nova Unidade de Saúde - apenas no tempo "oportuno" para evitar os "sabotadores".

Como se alguma das versões anteriores não tivessem abortado apenas e só pela promiscuidade que existia e continua a existir entre o poder autárquico e os especuladores que por aí proliferam e prosperam.

Esse foi o verdadeiro motivo que impediu a primeira solução (a da Quinta do Bandeirinha) - talvez de entre as três que foram sendo conhecidas, a melhor - e terá também sido igualmente por razões menos transparentes que não avançou a segunda (a da Quinta das Telheiras).

Aliás e relativamente a este empreendimento, onde estaria reservada uma área para a "segunda versão"  da Unidade de Saúde, ninguém consegue vislumbrar como é que naquele espaço ainda resta alguma "capacidade construtiva" - que era a moeda de troca para a dita cedência!

Mas enfim, não adianta "bater mais na ceguinha" e vamos por agora dar uma folga aos nossos dinâmicos autarcas para que de uma vez por todas, nos provem que - finalmente - estão empenhados em ajudar a resolver o problema.

Sabemos todos que se vive em Portugal um tempo de "vacas magras" e que a ARS (o poder central) que é quem tem a obrigação de cumprir a promessa há muito feita aos alfenenses, de construir a sua nova Unidade de Saúde, vai invocar todas as dificuldades conhecidas e imaginárias para tentar "fugir com o rabo à seringa".

A Câmara tem por isso que ser célere na implementação do projecto e no cumprimento das contrapartidas garantidas ao cedente do espaço.

Exageradas ou não, isso agora já não interessa. O que verdadeiramente conta a partir deste momento é cada minuto, cada decisão, cada acção concreta, para que a parcela "A" esteja disponível e funcional no mais curto prazo possível e à disposição da ARS.

publicado às 19:07

FUTURA UNIDADE DE SAÚDE DE ALFENA - DÁDIVA OU SIMPLES NEGÓCIO?

E pronto, conforme previsto e sem grandes sobressaltos, lá foi aprovada na reunião de Câmara, a minuta da cedência de uma parcela de terreno para a construção da nova Unidade de Saúde de Alfena.

Mesmo assim e não fora a atenção com que os Vereadores da Coragem de Mudar seguem sempre a forma como os processos que a Câmara leva a votação são instruídos, também este passaria "ferido" de uma irregularidade que poderia vir a ter consequências desagradáveis no futuro.

Claro que nos apercebemos da cara de enfado com que os membros do executivo de Alfena - desta vez presente em massa na reunião, com uma única excepção - seguiram a discussão que conduziu à chamada à sala do arquitecto Vitor Sá para confirmar que havia de facto um erro que foi corrigido ainda no decorrer da sessão.

E como nós - restantes alfenenses presentes - percebemos bem o motivo do seu enfado!

É que em Alfena, porque detentores de uma absoluta maioria, não precisam de se preocupar com este tipo de "minudências": passa tudo, mesmo que errado o que não tem acontecido asim tão poucas vezes - às vezes até chegam à insanidade de colocar a Lei à votação!

Mas na Câmara não é assim. Ali a oposição tem voz e ainda bem que hoje o puderem confirmar. Aliás o Dr. Pedro Panzina fez questão de o lembrar ao Dr. Palhau e de lhe "explicar" que o facto de a oposição ter voz, só valoriza as decisões tomadas. E "explicou-lhe" também que mesmo quando a oposição fala um pouco mais alto ou coloca uma ênfase especial em relação a um determinado assunto, isso não significa que esteja a ser truculenta.

Também ficou a saber - o Dr. Palhau - que apesar do que ele pensa ou do que lhe disseram, no sentido de induzir o seu pensamento nessa direcção, há em relação ao espaço sob o viaduto da A41 apenas pedidos de informação que a Câmara se comprometeu a fornecer, mas que até ao momento, ainda não cumpriu - por isso ainda não trouxe o assunto de novo a reunião de Câmara!

Por último e regressando ao assunto mais relevante de hoje - para Alfena, obviamente - é manifestamente exagerada a catalogação do alfenense que cedeu a parcela de terreno, como benfeitor, como fez o professor Miranda vereador do PS, sendo mesmo desaconselhável - por enquanto - começar a tratar da encomenda de qualquer estátua ou busto de homenagem.

Já temos alguns não totalmente merecidos e carecemos de outros esses merecidos e nunca erigidos ou sequer programados - o que não é seguramente o caso vertente.

Aqui, ocorreu apenas um negócio, que trazendo inegáveis vantagens para a população - e isso deve ser sublinhado - beneficiará em termos financeiros, mais o futuro promotor do que a Câmara . Como um dia se confirmará...

 

publicado às 14:43

NOVA UNIDADE DE SAÚDE DE ALFENA

Afinal, mesmo antes da reunião de Câmara, já é possível avançar a informação de que o terreno do nosso conterrâneo Toninho do Cabo destinado à construção da nova Unidade de Saúde, é entre os três que se lhe conhecem em Alfena e dos quais já falei, aquele que mais se adequará - pela localização - às naturais dificuldades de acesso da maioria dos nossos utentes: o tal em frente à "casa do penteeiro".

Pronto, bola do lado da ARS - se como se prevê, não surgirem dificuldades amanhã na aprovação - projecto para a frente que já se faz tarde e "já que estamos com as mãos na massa"  viabiliza-se (na parcela "B") mais um loteamento com vistas para o Leça com excepções a um PDM que nunca mais dá lugar ao outro que continua em "bolandas".

Também, como dizia um famoso homem de leis, estas são feitas para serem violadas e se calhar é por isso que o "novo" PDM resiste em nascer: vendo o "velhinho caquéctico" a ser alvo de constantes violações, é lógico que sinta medo de que mal seja "dado à luz" lhe comecem logo a fazer o mesmo...

Bem... mas para que fique claro quero aqui dizer que não vislumbro neste caso da "cedência" da parcela "A", nada de condenável por parte dos proprietários. Limitaram-se a fazer um negócio vantajoso e aparentemente sem nada de reprovável a apontar -  fazer bons negócios não é crime - negócio esse que por acaso é com a Câmara e que por acaso também e no que a esta diz respeito, já não parece ser assim tão vantajoso.

Mas ninguém pode ser culpado pelo facto de ter a sorte de encontrar pela frente negociadores inábeis!

 

publicado às 23:38

UNIDADE DE SAÚDE DE ALFENA - DÚVIDAS (PARCIALMENTE) ESCLARECIDAS...

Informações entretanto obtidas - que nestas coisas há sempre alguém mais atento que conhece alguém, que por sua vez conhece outro alguém que nós não conhecemos - permitem-nos avançar desde já com  uma actualização:

Quem "cede" a parcela de terreno em causa (a designada como fracção"A") é um alfenense que por acaso nem mora cá, mas que não deixa de o ser por causa disso - o Toninho do Cabo.

Fica agora apenas uma dúvida para esclarecer, uma vez que este alfenense tem um terreno em frente à Quinta do Bandeirinha, um outro em frente a "casa do penteeiro de Alfena" e talvez ainda um outro lá para os lados do Lombelho...

Nada a apontar em relação ao dono do terreno, que realiza com a Câmara um negócio perfeitamente normal, agora o que não podemos deixar de registar, é de que se trata de facto de um loteamento particular encapotado a efectuar pela Câmara, não se percebendo muito bem, porque é que não foi possível avançar com o mesmo na Quinta do Bandeirinha - Eusébios à parte - uma vez que tinha a enorme vantagem de permitir no mesmo espaço, a construção da nova Unidade de Saúde e a nova sede da Junta.

Mas se for de facto em frente à "casa do penteeiro", o local até é bom para os utentes. Aquilo que já não temos tanto a certeza de que o sejam - para o erário público - são as condições a que a Câmara se vincula, mas sobretudo, a maneira como mais uma vez terá de manipular (ou dar um jeito) a um PDM que continua em bolandas, para "conciliar" interesses e limar arestas que para outros casos seriam absolutamente incontornáveis...

publicado às 21:19

SERVIÇO PÚBLICO - REUNIÃO DE CÂMARA...

Fiel ao seu perfil, o nosso homem de leis e presidente de Junta da cidade de Alfena nas horas vagas, nunca escondeu de ninguém um princípio basilar do seu estilo de governação: que considera  "o segredo como a alma de todos os negócios"...

Será por deformação profissional?  É que apesar de ter realizado há dias uma reunião pública de Junta, apesar de ter estado presente na última sessão ordinária da Assembleia de Freguesia onde apresentou uma "informação escrita", apesar de tudo isto e de estar na posse de "informação privilegiada" sobre o terreno para a nova Unidade de Saúde de Alfena, nem depois de ter vindo a ser muito instado a falar sobre o assunto sempre que se encontra formalmente com os seus fregueses, ele abriu mão dos seus "princípios".

Mais uma vez, os alfenenses - e que como é estranho que isto aconteça! - vão finalmente ficar a saber onde será o terreno que a Câmara conseguiu, através da realização de um protocolo com um casal já identificado, não no sítio onde seria de esperar que essa informação estivesse disponível - a Junta - mas na próxima Reunião pública de Câmara - 21/07/2011 às 10 horas, no salão nobre dos Paços do Concelho.

Já havia alguns entre nós, a sugerir que entrássemos em contacto com Julian Assange e com a wikileaks para "porem a boca no trombone" àcerca da autêntica "questão de estado" em que este assunto se tornou aqui por terras do "Rei-Sol".

A Câmara antecipou-se... Melhor assim! Sempre poupamos alguns euritos nos vários  e indispáveis contactos...

Será mais uma razão a motivar os alfenenses que tenham disponibilidade, para reservarem a segunda metade da manhã de quinta feira, e ficarem a saber em primeira mão onde se localizará, se as medidas de contenção da Troika o permitirem, a sua nova Unidade de Saúde - na Avenida 5 de Outubro em Valongo e não na Rua de S. Vicente s/n em Alfena  porque "sua majestade" continua a preservar a "alma do negócio"...

Até lá tshiu!!!

Por mim, e dado o contexto de "vacas magras" que vivemos, acho que ainda ouviremos falar durante muito tempo sobre o assunto, antes que se pense em lançar a "primeira pedra".


 

PS1: Existe uma frase muito usada na política que talvez - e sublinho talvez - se aplique a esta situação: "Não há almoços grátis".

Por isso, há já quem se interrogue se nestes tempos de tanta escassez de mecenas e de preocupações sociais genuínas, a "tónica" do protocolo não estará na parte sobrante do lote de terreno (a letra"B"), ao contrário da ideia que parece quererem fazer passar.

Ou então, sou eu que estou apenas a ser pessimista e teremos de novo um dia destes um novo "Comendador Matos" a fazer uma escritura de pura cedência à comunidade à qual pertence ou já pertenceu - o que seria imensamente gratificante para todos incluindo eu próprio, que seria o primeiro a "dar a mão à palmatória".

Mas recorrendo a um conhecido anglicismo tenho um feeling de que não é isso que vai acontecer...

publicado às 22:30

VALONGO - CORTEM O CORDÃO UMBILICAL E "DESLIGUEM A MÁQUINA"!

Volta de novo a falar-se na redução do número de autarquias, agora com uma premência maior, devido à "governação" da Troika - sim, que para aqueles que ainda andam distraídos, quem nos governa de facto, embora não de direito,  é sobretudo esta espécie de "governo sombra" que foneticamente até nos devia remeter para um acontecimento histórico de tipo positivo...

Ora bem...

Eu concordo e sei que existem por esse País real fora muitos autarcas a concordar também - embora no caso de alguns, apenas se o processo não lhes bater à porta.

Já sei - ou quase tenho a certeza -  de que vai ser isso que vai ocorrer:

Que vão começar pelo argumento da "dimensão, da falta de escala, da impossibilidade de assegurar uma qualidade minima de seviços aos cidadãos" e por aí adiante...

Tudo argumentos politicamente correctos - que mesmo assim não evitarão resistências e nalguns casos, a eclosão de pequenas "guerras civis" - mas o que é facto, é que se a ideia for mesmo a de potenciar sinergias, de reduzir custos, de melhorar a qualidade dos serviços que se prestam aos munícipes ou aos fregueses, então terá necessariamente que se juntar a estes argumentos um outro, eventualmente mais relevante: o da corrupção, o dos níveis de incumprimento de parâmetros de seriedade mínima por parte de alguns autarcas, a questão dos níveis de endividamento e sobretudo, das razões que conduziram em muitos casos, ao descalabro, à percentagem de "ajustes directos" no que se refere ao número global de projectos, a "saúde financeira" das empresas municipais - uma espécie de "esperteza saloia" de algumas autarquias cuja finalidade única, foi a de contornar as limitações legais ao já referido nível de  endividamento.

E pronto.

Dito tudo isto, começam aqui já a surgir alguns contornos de vários "retratos robot" que nos remetem para s"suspeitos" bem conhecidos: Valongo, Lisboa, Almada e outros e que curiosamente contrariam a tal "lógica" - ou argumento da dimensão.

Mas também é verdade, que se alguns dos autarcas de serviço quiserem, ainda terão tempo de inverter a situação e credibilizar as instituições que gerem ou ajudam a gerir, e aí sim, podíamos centrar-nos unicamente na tal componente da dimensão e do número de eleitores.

E porque será que o caso que me ocorre logo em primeiro lugar, é o de Valongo?

Há valonguenses que se interrogam como é que é possível, que pessoas inteligentes e com voz, se deixem apagar voluntariamente, permitindo que a situação do nosso Município "apodreça" cada vez mais?

Vão perdoar-me a comparação algo tétrica que vou fazer, mas é quase como se num parto em que a mãe não consegue sobreviver, os médicos decidissem manter o cadáver "ligado à máquina" sem cortar o cordão umbilical ao bebé. Como é que este conseguiria sobreviver nestas condições?

Claro que em Valongo - e nas outras onde situações semelhantes ocorrem - a decisão é bem mais "fácil" de tomar, pois de um e do outro lado do "cordão umbilical" estão adultos já capazes de manusear a tesoura evitando males maiores - para os "bebés", obviamente...

publicado às 21:04

Pág. 1/4

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D