Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

CÂMARA DE VALONGO - INCÓMODOS "RANKINGS"...

Começo por uma declaração não habitual:

Quando se fala em corrupção na Câmara de Valongo, não estamos a falar de toda a gente honesta que lá trabalha, nem sequer mesmo, de todos os vereadores - anteriores e em exercício - que por muito estranho que isso possa parecer, acredito que entre eles tenha havido e haja ainda alguns que que não se tenham deixado nem se deixem seduzir pelo brilho efémero do vil metal.

Pena é que tantos casos que continuam a vir a público e que colocam a nossa Câmara num Ranking tão desprestigiante e tão marcadamente negativo, acabem depois, numa tendência muito portuguesa, por espalhar salpicos que de forma menos justa, atingem a todos por igual. É pena - para os que se dão ao cuidado de manter as mão em "condições higiénicamente aceitáveis" e também para os valonguenses em geral, que por onde vão passando, vão ouvindo muitas vezes aquilo de que não gostam, sobre a terra onde vivem.

Esta introdução vem a propósito da notícia do JN de hoje e que talvez só surpreenda as gentes de Valongo, pelo único facto de os visados terem chegado à barra do Tribunal - eventualmente porque agora existe um maior cuidado com o transporte dos processos e este não "conseguiu" extraviar-se de forma muito conveniente...

Estamos fartos de nos debatermos com dois pesos e duas medidas por parte de quem lida na nossa Câmara com a área do Urbanismo e não somos daqueles que levam isso à conta unicamente da possibilidade que qualquer ser humano tem de poder errar.

Na nossa Câmara, normalmente o que parece é e na área referida, há muitos anos que nos "parece que é" potencialmente corrupta.

A história - negativa - dos últimos anos de gestão da autarquia de Valongo ainda está por fazer, talvez porque Fernando Melo ainda não tenha escolhido o seu biógrafo oficial.

Claro que podemos sempre partir para uma biografia "não autorizada" - dele e de outros ilustres que por ali têm passado.

Já agora e em jeito de nota final, estará para breve um outro caso envolvendo floristas, um vereador e facturas falsas de flores  - estas últimas, não sei se falsas também, se verdadeiras.

Disse que era a nota final, mas ocorre-me aqui a informação ontem prestada pelo nosso autarca local/homem de leis na reunião pública da Junta de Alfena a propósito do adiamento da inauguração do Hospital Privado de Alfena - estava prevista para 7 de Novembro e foi adiada para inicio de Janeiro, "porque ainda faltam algumas licenças e o grupo Trofa não quer correr riscos abrindo sem as mesmas" (!)

Não era este Hospital que tinha um piso a mais? Alguém sabe dizer com base em que habilidade legal é que o problema foi resolvido?

É que com tantos adiamentos e tantas dúvidas sobre o futuro daquele "mega empreendimento", a classificação de projecto PIM desde há muito que deixou de fazer sentido e neste caso, se algo não correu conforme a Lei, não estaremos seguramente a falar de  relógios ...

E agora sim, o recorte do JN de hoje:

publicado às 16:23

ALFENA - ENTRE O PREVISÍVEL E AQUILO QUE JÁ SABÍAMOS...

Foi uma reunião sem grandes novidades, a de hoje na sede do poder da nossa Cidade...

Para além de termos ficado a saber que o novo Hospital Privado já não vai ser inaugurado em 7 de Novembro - começo a ponderar seriamente dedicar-me em exclusivo à "arte da adivinhação" - fomos informados que o motivo que atira com  a "abertura" para o início de Janeiro é o de "faltarem ainda algumas licenças e o grupo Trofa não querer correr os mesmos riscos do Hospital de Braga que terá aberto não totalmente licenciado".

 

Não estou exactamente a par do que aconteceu com o novo Hospital de Braga, mas acho que aqui falta mais qualquer coisita além de umas quantas licenças. Não vou no entanto especular, porque o tempo se encarregará de o confirmar.

 

Outro assunto relevante que foi abordado - foi o facto de haver em Alfena algumas pessoas sem sentido de comunidade - os tais que só estorvam - e que são capazes de fazer tudo para tentarem impedir alguns pequenos atentados ambientais que até nem prejudicam ninguém - como foi o caso de alguém ter ido fazer queixa ao SEPNA da GNR, só porque a Junta, para facilitar o acesso dos velhinhos ou das pessoas com dificuldades locomotoras, ao terreno que comprou a sul da ponte de S. Lázaro, alteou para o nível da Rua a cota do referido terreno.

 

Eu também não sei porque é que alguém se há-de andar a preocupar com questões de "lana caprina", "leitos de cheia", alterações dos mesmos e coisas do género e até digo mais: O SEPNA no dia em que se deslocou ao local para elaborar o auto, não devia ter nada importante para fazer.

Ah! e também acho que a Administração da Região Hidrográfica do Norte, IP (ARHNorte), não vai perder tempo  a fazer o follow up do processo - sim porque esses então é que devem ter coisas mesmo muito importantes para tratar!

 

Outra coisa que ficamos a saber (aqui não estou a ser rigoroso, porque eu já sabia) é que a Junta está muito zangada com a Câmara, principalmente pela "concorrência desleal" que esta lhe anda a fazer na área social, nomeadamente trazendo para Alfena uma tal de uma  "Academia Sénior" que faz o mesmo que a nossa Escola Sénior já faz e com menores custos, pois aqui tudo é feito na base do voluntariado, enquanto na Câmara, tudo se faz a peso de ouro.

Daí que a junta desta vez tenha "feito peito" dizendo basta! Não foi à inauguração com "pompa e circunstância", nem aceitou fazer as inscrições na sede da Junta.

 

Compreende-se a revolta: A solidariedade dá imenso trabalho e se os resultados a curto prazo são aqueles que todos esperamos - minorar o sofrimento e suprir as carências mais imediatas de quem precisa, o que é louvável e já o temos dito por várias vezes, os resultados a médio e longo prazo também não devem ser desprezados: a esperança é que a gratidão venha a render alguns votos na altura certa, o que dá sempre jeito.

 

E é aqui que a concorrência da Câmara parece incomodar mais.

Falta só dizer que no local "usurpado" pela Câmara - uma escola desactivada em Cabeda - a Associação Viver Alfena (AVA) pretendia também instalar uma valência de apoio domiciliário e eventualmente, uma cantina social.

 

Nós continuamos a pensar - estaremos errados? - que existindo uma Instituição como o Centro Social e Paroquial de Alfena, faria mais sentido canalizarmos meios e esforços para ali, onde existem estruturas montadas, experiência e vontade de ajudar e onde a dificuldade maior, resulta da nunca suficiente disponibilidade de apoios financeiros e outros...

 

Não se duvida da vontade, da capacidade e do voluntarismo de quem coordena a AVA e o pelouro social da Junta. Mas as coisas são como são! É um pouco como irmos trabalhar, cada um com o seu carro ou juntarmo-nos e dividirmos as despesas!

 

 

publicado às 23:40

SERVIÇO PÚBLICO: VALONGO - REUNIÃO PÚBLICA DE CÂMARA

É óbvio para todos, que uma Câmara falida não pode apresentar uma Ordem de trabalhos recheada - sobretudo, tendo em conta o facto de ser obrigada a realizar duas reuniões por mês...

Não se estranha por isso o "cardápio" verdadeiramente espartano que nos é proposto para a reunião publica de amanhã às 10 horas no local habitual.

E que tal aproveitarem esta altura em que os assuntos escasseiam, para iniciarem uma nova prática Regimental, dando a palavra ao Público - sem as imposições da "velha lei da rolha" que impõe a inscrição com 5 dias úteis de antecedência?

Duvidamos no entanto, que apesar de mais do que nunca, o contexto exigir do executivo um esforço acrescido de abertura, ele esteja disposto a fazê-lo!

Segue-se a "ementa":

publicado às 13:16

CÂMARA DE VALONGO VS JUNTA DE ALFENA - "CONFLITO DE INTERESSES"...

Ainda o discurso "anti regime" do Presidente de Junta de Alfena na passada Assembleia de Fregueia - ver post anterior sobre oa mesmo assunto:

A gente percebeu ali - o homem nem precisava de ser tão explícito - que existe um incontornável conflito de interesses entre a Escola Sénior de Alfena e a ramificação local (em Cabeda) das Academias Séniores de Valongo.

Agora reparem na parte que tomei a liberdade de sublinhar, no texto que se segue, retirado do site da Câmara relativo ao programa "Academias Séniores":

(...)

 

"Recorde-se que já se encontram a funcionar as três primeiras Academias Seniores do concelho. Localizadas nas escolas do ensino básico de Moirais (Campo), de Campelo (Sobrado), e no Jardim de Infância de Cabeda (Alfena), as novas valências, criadas no âmbito do Programa de Acção Sénior (PAS), promoverão a Prática Coral; Expressões Artísticas; TIC (Informática); Inglês e Desporto Sénior.

As actividades, que irão abranger a população sénior das cinco freguesias, arrancaram no dia 17 Outubro, estando já definido o calendário das aulas. As inscrições na Academia Sénior são gratuitas e efectuadas nas Juntas de Freguesia de Campo, Ermesinde e Sobrado, no Centro Cultural de Alfena, bem como na secretaria do Departamento da Acção Social e Educação, da Câmara Municipal de Valongo (sito na Avenida 5 de Outubro, 306, 4440 – 503 Valongo), mediante o preenchimento de ficha de inscrição."

(...).

Percebem agora a irritação do "homem de leis"?

É que como fizeram uma "ponte" sobre ele, retirando-lhe ainda por cima, potenciais "benefícios futuros" - porque as atenções prodigalizadas nestes espaços, dos quais aquele que conhecemos melhor é o da nossa Escola Sénior, tal como os "almoços" de que os políticos costumam falar, não são de forma alguma "grátis" não senhor! E em Cabêda também não serão. Só os potenciais "benefícios futuros" é que poderão eventualmente ser aproveitados por outros!

Daí que a única Freguesia onde as inscrições não se fazem na Junta, é Alfena: Fazem-se no Centro Cultural, que é gerido pela Câmara...

Aposto que ninguém tinha reparado neste "pequenino" pormenor!

publicado às 21:36

Pág. 4/4

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D