Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

OS "TALIBANS" DO FUTEBOL

O árbitro Bruno Paixão e a família estavam a ser alvo de ameaças, sendo obrigados a abandonar a residência, escreve hoje o "Diário de Notícias".

Segundo a PSP, era fundamental a família deixar o domicílio, uma vez que as ameaças faziam clara alusão à rotina da filha, colocando em causa a sua segurança. 

As ameaças surgem na sequência da divulgação dos dados de 25 árbitros das ligas profissionais de futebol, que deixaram os próprios alarmados, após receberem chamadas anónimas e e-mails.  Em causa deverá estar a violação do sistema informático da APAF (Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol).

Tal como o "Expresso" noticiou esta semana os investigadores da Polícia Judiciária (PJ) já pediram "informalmente" ajuda ao FBI neste caso.

Recorde-se que na derrota do Sporting frente ao Gil Vicente, na passada segunda-feira, o árbitro foi fortemente criticado pelo presidente dos 'leões' e pelos adeptos, que de acordo com o jornal, pediram em fóruns os contactos de Bruno Paixão.


Ler mais: http://expresso.sapo.pt/bruno-paixao-sai-de-casa-apos-ameacas=f714351#ixzz1q7jF9ifg


Normalmente não utilizo este espaço nem gasto o meu tempo para falar sobre futebol.

Que me desculpem os adeptos mentalmente saudáveis, que eu acredito que, em maior ou menor número conforme a dimensão dos respectivos clubes, (ainda) existem, tenho para mim que em abstracto, o "fenómeno" futebol é uma doença, um mal silencioso que se vai desenvolvendo e que em muitos casos, atingida a fase terminal, transforma seres aparentemente normais em verdadeiros monstros em autênticas máquinas de destruição maciça.

Mas o que mais me revolta, é que ao contrário das drogas que também o fazem, esta transformação das pessoas noutra coisa que não são, conduzindo-as de forma inexorável ao estado terminal de decadência moral e física que inúmeras vezes constatamos, o futebol é apoiado, recebe dinheiro dos impostos, recebe benesses várias do poder político  e consegue ser uma ilha de favorecimentos dentro do Estado de direito - dos vários Estados de direito, que o fenómeno não é apenas português.

O que li AQUI, devia fazer-nos pensar melhor no assunto e colocarmos a nós próprios a questão de saber se não terá chegado o momento de impor às SAD's e aos clubes em geral a Lei que vigora para todos os cidadãos - e da mesma maneira, aos jogadores de futebol os sacrifícios que são exigidos aos outros cidadãos - falo aqui obviamente no caso português.

Permitir que estes "talibans" dos novos tempos se passeiem por aí promovendo a violência e o ódio à custa dos meus impostos, mesmo que me digam que são a excepção dentro de uma regra que é diferente, não me convence. É que são uma excepção demasiado volumosa para passar despercebida e pior do que isso, são uma excepção multicolor e transversal às várias classes, o que a torna ainda mais preocupante.

publicado às 10:59

MARCO ANTÓNIO COSTA - EM PRÉ CAMPANHA AUTÁRQUICA...

O homem está mesmo convencido que é uma estrela! A dar autógrafos? Nem sei se hei-de rir com o ar compenetrado e convencido como o faz, se com a bacoquice de quem lhos pede...

O ex vice-rei de Gaya e actual distribuidor da caridadezinha nacional anda por aqui a cirandar, mas não o faz seguramente por uma boa causa - ou pelo menos não o faz só por isso!

Bom seria que nos recordássemos da pulhice que ajudou a concretizar em Alfena nas últimas autárquicas, onde impôs que o seu(?) PSD local desistisse, já com a campanha em marcha, para levar um OVNI até Valongo transportando os votos de alguns alfenenses que aceitaram embarcar no embuste.

Continua pequenote - no enquadramento fotográfico - e tememos que na realidade também não tenha crescido...


PS:

Estive a dar uma olhadela à galeria de fotografias relacionadas com a ilustre visita a Valongo do homem de estatura pequena na página da Câmara  AQUI e - até fui buscar os óculos de ver ao perto - não vislumbrei Fernando Melo! Fiquei preocupado, porque não acreditando que esteja de "candeias às avessas" com o seu ex vice, temo que esteja novamente com algum dos seus achaques e com isso eu não rejubilo de forma alguma!

 

publicado às 13:19

A PARQUE ESCOLAR EM VALONGO - VENHA DE LÁ ESSA LUPA!

 

(Artigo completo AQUI)


A propósito da arrasadora apreciação do TC e no que a Valongo diz respeito, apetece-me gritar "ó da guarda"!

Aqui, Fernando Melo elevou ao estado de sublimação absoluta o paradigma dos ajustes directos - afinal Sócrates ter-lhe-ia dito num encontro sobre o assunto "que não ia faltar dinheiro" - e porque haveria ele de se preocupar com "peanuts" quando o primeiro do País o põe assim à vontade?

Em Valongo, é só olharmos para os números envolvidos - basta ir à BASE (AQUI) e olhar para os números referentes às escolas abrangidas pelo programa, para concluir como se agiu interpretando à letra as palavras se Sócrates! Dito de outra forma, "gastou-se à tipa forra"!

Claro que tudo justificado, tudo seguramente suportado por facturação regular, tudo no estrito cumprimento das boas práticas na gestão da Administração pública.

Porém - e na corrupção há sempre muitos poréns - tudo executado na base da escolha dirigida em que muitos seriam os interessados, mas muito poucos foram os eleitos.

Em Valongo, talvez valha a pena fazer passar a investigação por uma malha mais fina, a qual apanhará seguramente uma "ampliação" significativa do disparate nacional em que se transformou a Parque Escolar. É que em Valongo já vivíamos no paradigma dos ajustes directos e as escolas só lhe vieram dar novo fôlego, em prejuízo dos portugueses em geral e dos valonguenses em particular, que vêm a sua Câmara - quase no início do mês de Abril - a navegar ainda sem Orçamento aprovado e com uma dívida astronómica que (também ainda) não sabe como vai pagar.

Responsabilidade política e criminal por gestão danosa, é o que se espera para todos os políticos do País (incluindo Valongo, obviamente).

 

publicado às 10:01

VALONGO - AS PRIMÁRIAS DO PSD CONCELHIO OU AS PRÉ-AUTÁRQUICAS? ...

 

(Para quem não conheça o ex vice-Rei de Gaia, é o mais pequenino da fotografia...)


SECRETÁRIO DE ESTADO INAUGUROU TAMBÉM A LOJA SOCIAL DE ERMESINDE

Visita de Marco António Costa a Valongo terminou com entrega de diplomas de formação profissional no Centro Social de Ermesinde

Marco António Costa, secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social, efetuou ao longo da tarde de hoje (22 de março) uma deambulação pelas cidades de Valongo e de Ermesinde, onde presidiu a inaugurações e apadrinhou a entrega de diplomas no âmbito da formação profissional inserida no programa das Novas Oportunidades (...).

A Voz de Ermesinde


Então o Vice-Rei esteve na nossa terra e não nos avisaram?

Nesta nau a afundar-se, razões acrescidas deveriam implicar a presença constante de alguém de vigia no cesto da gávea para gritar, não "terra à vista" como era habitual, mas sim "foge que vem aí o homem da pasta!".

Não estava lá ninguém pelos vistos e por isso não fomos avisados...

O povo costuma dizer na sua imensa sabedoria, que quando os lobos descem ao povoado...

Há no entanto, sempre uma possibilidade de ocorrer a excepção que apenas confirma a regra e foi o que (felizmente) aconteceu: desta vez sua excelência veio entregar diplomas no âmbito da formação profissional inserida no programa das Novas Oportunidades e ainda presidir à inauguração da 2ª edição da Feira “Quem é Quem”, uma iniciativa do pelouro social da Câmara Municipal de Valongo (CMV) e da ADICE (Associação para o Desenvolvimento Integrado da Cidade de Ermesinde), cujo objectivo passa por promover um encontro de partilha de informação, conhecimentos produzidos e actividades desenvolvidas pelas entidades parceiras – foram várias as instituições valonguenses que se associaram ao evento, entre as quais é de destacar o Centro Social de Ermesinde – no Conselho Local de Acção Social de Valongo - citei A Voz de Ermesinde.

Claro que como sempre acontece neste tipo de visitas e iniciativas, sobretudo quando envolvem um secretário de Estado, a parte mais importante é a que é tratada nos bastidores e no intervalo do almoço ou do jantar.

Um dia saberemos mais pormenores sobre esta ilustre visita tão pouco divulgada...

 

 

 

publicado às 23:55

VALONGO - UMA CABINE E UM CONFLITO DIPLOMÁTICO EMINENTE...

 

Uma rua em Ermesinde, com apenas alguns meses, tem uma cabine de eletricidade em plena estrada. A coisa no mínimo insólita...

Quando a rua foi feita, a cabine de electricidade já existia no local.

As pessoas que circulam na faixa da direita chegam ao cruzamento e têm de parar devido ao obstáculo no meio.

Mas ainda dá mais vontade de rir, porque quem vem na rua perpendicular tem stop, tanto quem desce como quem vai a subir.

Os partidos políticos aqui andam todos a cabeçada com coisas parvas e não conseguem ver uma coisa tão fácil e lógica.

 

JN-Hoje


 

Numa reportagem do Jornal da noite da TVI de hoje, João Paulo Baltazar, vice presidente da Câmara de Valongo, informou que perante o diferendo que se arrasta há meses, entre o empreiteiro e a EDP, a Câmara resolveu fazer um ultimato:

"Ou a EDP resolve o problema mandando colocar rodas e um sistema de sensores na cabine para que se possa desviar sempre que se aproxima uma viatura ou o empreiteiro terá de proceder ao enterramento daquele troço de via, transformando-o numa passagem desnivelada. Se não se entenderem, a Câmara reserva-se o direito de confiscar as duas - cabine e rua - transformando o perímetro numa circuito pedonal e garantindo por outro lado o transbordo aos ocupantes das viaturas, entre uma parte e a outra do troço, debitando os respectivos custos em partes iguais, aos dois litigantes ".

Segundo alguns populares que não quiseram ser identificados devido à elevada tensão presente no local, a cabine tem direitos adquiridos que deveriam preceder sobre os do enpreiteiro, pois além de ter chegado primeiro, ainda forneceu energia para executar a obra.

Consta-se que o assunto já passou as fronteiras de Valongo e terá chegado mesmo à sede do governo português em Angola que prometeu tomar uma posição sobre o assunto, nomeadamente a apresentação de um protesto diplomático na embaixada da China em Luanda.

(Para aqueles menos actualizados que possam não entender muito bem esta última parte, sugiro que leiam a notícia divulgada hoje pela IMPRENSA FALSA sobre a mudança do nosso governo para Angola - "para não estar a ir lá todos os dias").

 

 

publicado às 22:35

O GASPAR É PORREIRO PÁ...

Polémica

Teixeira dos Santos na PT gera guerra no Governo

DN - Hoje

 

Vítor Gaspar quer nomear o ex-ministro das Finanças de José Sócrates, Teixeira dos Santos, para administrador não-executivo da Portugal Telecom, mas metade do Governo está contra.

De acordo com a TV24, este assunto provovou grande discussão no Conselho de Ministros de ontem que acabou sem consenso.


Confesso que não percebo a polémica no seio do governo...

Não é verdade que existe um acordo de cavalheiros entre governantes e ex-governantes - incluindo os de governos  de cor diferente - no sentido de garantir que os ex possam transitar - dentro de limites razoáveis que não prejudiquem os da cor - para as empresas onde possam continuar a governar (-se) à nossa custa?

 

Bem sei que nesta sociedade cada vez mais podre em que navega a nossa desgraça, o cavalheirismo já teve maior importância e em boa verdade, não estamos a falar de cavalheiros no sentido rigoroso do termo, mas bolas, isso vale para os dois lados!

 

Portanto, não acho que um homem como Teixeira dos Santos que se esforçou tanto para dar notoriedade (os motivos não interessam) a um pequeno País como é Portugal, que ninguém conhecia e que agora todos sabem que faz fronteira com a ilha da Madeira essa sim já conhecida há mais tempo, por pertencer a Commonwealth e que mal se levantou depois da queda do governo do ex-engenheiro e futuro doutor em filosofia José Sócrates, passou a desdobrar-se conferências, onde não poupou elogios à política de Passos Coelho, mereça a polémica que se está a gerar à volta desta questão.

 

A partir de hoje, o Gaspar subiu uns quantos pontos na minha consideração. Não pelo acerto da escolha, que sobre isso prefiro nem falar, mas pelo seu respeito pela "quase norma" instituída de partilhar os tachos sobrantes - sobretudo tratando-se de um antecessor no cargo, o que pode ter sempre alguma utilidade.

 

Além do mais, não deveremos deixar de ter em conta aquela célebre frase de Michael Corleone/Al Pacino, no filme 'O Padrinho II', de Francis Ford Coppola (1974):

"Mantém os teus amigos perto de ti e os teus inimigos mais perto ainda."


PS:
Chegaram-me notícias de que alguns milhares de seguidores deste blog se preparavam para me inundar o território com comentários irónicos acerca da minha afirmação de que Portugal faz fronteira com o membro da Commonwealth  ilha da Madeira. Vejo-me por isso  obrigado a colocar esta nota de rodapé para precisar melhor dois pormenores que resultam desta afirmação:
O primeiro, para explicar que Portugal faz (de facto) fronteira com a ilha da Madeira, através de uma faixa sólida (de tipo celuloso) constituída por uma sobreposição de notas de euro, devidamente compactadas e sobre as quais é possível caminhar em fila de pirilau até ao ex-colonizador e vice versa.
O segundo, é que ao contrário do que muito boa gente continua (ainda) a supor, a Madeira nunca fez parte da designada CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) e pese embora a subordinação de juri mercê da tal faixa celulósica que a liga ao Contenante, a subordinação de facto é a sua majestade a Rainha Isabel II e terá sido formalizada secretamente mais ou menos por alturas em que o ex-engenheiro Sócrates pretendeu - dizem as más línguas que com o apoio do Sr. Silva - afogar a Ilha na dívida pública portuguesa.
Dizem outros, que tudo não terá passado de uma confusão provocada por uma manifestação irritação de Jardim em resultado da tal tentativa de afogamento atrás referida e que terá soltado de forma demasiado audível um "Libra!". A palavra foi escutada por um súbdito da soberana que ia a passar no momento e que a entendeu como um pedido de adesão. Quando Jardim mais tarde tentou explicar que "não, o que eu disse foi livra!", devido a dificuldades de comunicação a rectificação não foi entendida, mas ele também não esteve "para se chatear" a tentar explicá-la...
publicado às 18:36

O "BRAÇO ARMADO" DO GOVERNO

Greve Geral

PSP diz que jornalistas têm que andar identificados

por LusaHoje

A PSP vai averiguar os incidentes entre as forças policiais e os jornalistas que hoje ficaram feridos, para "verificar a legalidade dos actos que as fotos demonstram", apelando à sua "correcta identificação" durante as manifestações.


A imagem dá para ver o elevado risco que a jornalista representava para os polícias. Começa aliás por não estar devidamente identificada - a PSP parece que vai pedir ao governo que obrigue os jornalistas e foto-jornalistas a trazerem uma tatuagem gigante na testa e a pintarem as faces com cores adequadas para serem identificados à distância - e depois, repare-se na máquina fotográfica ameaçadora que ela empunha!

Um foto-jornalista a cobrir uma manifestação, constitui sempre um enorme risco para os agentes da polícia, sobretudo para os infiltrados à civil, porque constituirão sempre a prova ocular no sentido integral do termo, dos desmandos dos agentes.

Hoje numa reportagem que passou num dos canais de TV, ouvimos uma (acho que) comissária da PSP com ar de teenager - deve ter subido na carreira mais à custa do palminho de cara do que à competência profissional - armada em porta-voz da corporação e a dizer que os agentes terão respondido ao arremesso de petardos e chávenas, a partir de uma esplanada.

Já tínhamos ouvido falar de uma nova técnica de terrorismo urbano - uma espécie de intifada à portuguesa - que consiste na transformação das câmaras fotográficas numa espécie de lança-rockets (neste caso, lança petardos e chávenas).

E também já tínhamos ouvido falar em polícias que se esquecem de tomar os comprimidos à hora certa e depois têm alucinações enquanto trabalham.

Registamos no entanto com agrado, que a polícia além de aconselhar os jornalistas a andarem devidamente identificados - imaginamos nós que para não correrem o risco (os polícias) de agredirem um pacífico cidadão anónimo que apenas pretende gritar a plenos pulmões "gatuno, gatuno, gatuno" - palavra de ordem que deixou de constituir novidade, a partir do momento em que os próprios polícias passaram a usá-la nas suas manifestações contra o governo -  também defendem que estes (os jornalistas) se coloquem sempre do lado da barreira das forças da ordem.

Percebe-se: São mais fáceis de controlar, é mais fácil bloquear-lhes o campo de visão dos "olhos digitais" e se for necessário malhar, não precisam (os polícias) de andarem para ali em corridas desenfreadas atrás dos terroristas.

Haja paciência para ir aguentando isto! Mas acho que a população terá um dia que se mobilizar para fazer uma contra-manifestação quando os polícias vierem para a rua protestar mais uma vez contra o governo por falta disto, daquilo e daqueloutro. Quem se coloca do lado do inimigo e se assume como braço armado do ladrão e do criminoso, não merece solidariedade nem comportamentos neutrais quando vier reclamar desse mesmo ladrão e criminoso!

publicado às 13:17

AS DUAS REN DE ALFENA...

Citando-me a mim próprio no Jornal VERDADEIRO OLHAR:


 

 

 

por: Celestino Neves  
OLHAR (IM)PARCIAL
AS DUAS REN DE ALFENA
 

REN  #1
Alfena mudou muito nos últimos anos.
Da freguesia rural há cerca de duas décadas, os 21 lugares em que se divide o seu território de 15.200 habitantes (2011) foram evoluindo de forma algo assimétrica até ao presente, adquirindo o estatuto de vila em 30 de Junho de 1989 e tendo ascendido à categoria de cidade em 6 de Abril de 2011.

Periférica e encostada ao gigante Porto, não conseguiu escapar aos constrangimentos de um aglomerado dormitório, mas tal como as medalhas têm dois lados, se um deles constituiu um handicap o outro mais positivo, ajudou-a a ultrapassar carências, a melhorar acessibilidades, transportes, alguns serviços, a atrair alguma indústria, a alargar a rede de saneamento básico e de abastecimento de água e a vestir-se de forma mais citadina.

Porém, possuidora (ainda) de vastas áreas rurais protegidas - a REN (Reserva Ecológica Nacional) - representa uma tentação demasiado forte para os especuladores, que vêm aqui uma oportunidade de ganhar dinheiro fácil através do tráfico de influências junto da Câmara e de alguns autarcas corruptos com quem dividem as astronómicas mais valias geradas com a passagem de áreas REN para áreas edificáveis.

O exemplo mais mediático é o dos famosos terrenos da zona dos 5 Caminhos, comprados por 4ME  e vendidos no mesmo dia por 20ME, que está neste momento a ser investigado pelo Ministério Público - um imenso garimpo que se mantém activo e de onde sairá ainda muito ouro!

REN #2
Esteve em consulta pública (pouco divulgada, como convinha) o projecto da REN (Rede Eléctrica Nacional) de aumento da tensão da linha Recarei - Vermoim 3  que atravessa Alfena –  e também Campo e Sobrado –  de 220 para 400 KVA.

Tudo bem. A energia faz falta, as dezenas de tomadas que existem numa habitação vulgar para alimentar uns quantos aparelhos e utensílios sem os quais já não conseguimos viver não são adornos e têm de estar sob tensão.

Agora, fazê-lo da forma habitual e perfeitamente terceiro-mundista, sem preocupações de ordem  estética e/ou ambiental, recusando-se a atender às preocupações cada vez maiores  das populações com a sua saúde eventualmente afectada pelas ondas electromagnéticas, nas zonas atravessadas pelo autêntico estendal de que Alfena deve ser um dos mais flagrantes exemplos, isso já é demais!

Os lucros astronómicos que anuncia em cada ano, obrigam a REN a escolher, não a solução mais barata mas sim a melhor e a que melhor sirva os interesses dos cidadãos e essa é, regra geral, a do enterramento das linhas.

A REN habituou-se, quase sempre com a conivência do poder central e local, a tratar os portugueses de forma displicente, comportando-se como se fosse a dona do território e do espaço aéreo  até à altitude das rotas dos aviões.

Esperemos que desta vez as populações possam ter o apoio da Câmara, que aprovou há dias por unanimidade uma recomendação para que a REN a faça as coisas da forma certa. Estamos fartos de estendais onde nem sequer se pode pendurar a roupa a secar.


 
 
 
Celestino Neves 
 
Veja abaixo mais artigos de Celestino Neves
 
OLHAR (IM)PARCIAL
 
O REGEDOR DE ALFENA (*)
 
 
OLHAR (IM)PARCIAL
 
Vallis Longus (*) da longa crise
 
 
OLHAR (IM)PARCIAL
 
O PADRINHO DE VALONGO (*)
 
 
OLHAR (IM)PARCIAL 
POLÍTICA E PODER
A política, como forma de atividade ou de práxis humana, está estreitamente ligada ao poder. O poder político é o poder do homem sobre outro homem, descartados outros exercícios de poder, sobre a natureza ou os animais, por exemplo. Poder que tem sido tradicionalmente definido como "consistente nos meios adequados à obtenção de qualquer vantagem" (Hobbes) ou, como "conjunto dos meios que permitem alcançar os efeitos desejados" (Russell). (Respigado da Wikipédia)

 

publicado às 20:25

VALONGO - POR FALTA DE AGENDA (OU DE VONTADE) NÃO HÁ REUNIÃO DE CÂMARA...

Numa semana normal e com uma Câmara a funcionar como devia ser, por esta altura eu já teria prestado o meu "Serviço público" anunciando a reunião de Câmara que deveria ocorrer daqui a umas horas.

Porém não é isso que acontecerá, porque Valongo "fechou para obras" e ou reúne com uma agenda minimalista rondando a indigência, ou simplesmente - como é o caso desta semana - não reúne e ponto final.

E apesar do estado de falência, há tanta coisa que mesmo assim podia ser decidida, tanto debate que podia ser feito, tanta informação que podia ser prestada, tanta prestação de contas entre pares que deveria ocorrer e que tem a ver com deliberações anteriores às quais nunca se deu andamento ou se se deu, nunca mais se anunciaram resultados!

Um dia destes, teremos de perguntar - a oposição em conjunto tem de perguntar - aos Vereadores com pelouro se se sentem confortáveis com esta total ausência de actividade e se a resposta for sim, então será talvez o caso de a oposição passar - como já fez uma vez - a convocar ela própria as reuniões e a definir a agenda da Câmara.

Os valonguenses começam a ficar com a sensação de que já não é só o presidente que não gosta de o ser e é pena, porque Valongo parece estar a querer pôr-se a jeito para uma eventual futura fusão de Municípios, juntando-se talvez a um dos seus parceiros da periferia que ainda têm vontade de trabalhar.

Tenho esperança que a fama deste modesto blog ainda não seja conhecida do super ministro Miguel Relvas, porque senão ainda me vão acusar de estar a promover a extinção de Valongo, mas que os nossos autarcas estão a pôr-se a jeito, lá isso estão...

publicado às 00:26

NÃO AO FIO NORTE CONTRAFEITO!

Segundo a edição do Jornal SOL de hoje,  cinco volumes e um conjunto indeterminado de cassetes com a gravação  das sessões de julgamento de uma acção cível contra as empresas Caminhos de Ferro (CP) e Rede Ferroviária Nacional (Refer) desapareceram do Tribunal da Relação de Lisboa.

(...)

Trata-se de uma acção cível contra a CP e a Refer que foi interposta pelo desembargador Eurico Reis e por duas familiares.

(...)

«O desaparecimento de um processo de um tribunal é raro e estranho», garante fonte da Relação».

(...)


Não é não, cara "fonte da Relação"!

Pelos vistos aí pela Capital andam bastante atrasados no que toca a processos judiciais com locomoção autónoma que de repente resolvem ir dar uma volta.

Seja porque se cansem de estar para ali nas prateleiras sem mexer uma palha – nem um trabalhador que se preze gosta de ser posto na prateleira – seja por qualquer outro motivo que não vem ao caso, aqui na província, que é como se sabe, toda a vasta região à volta da Capital -  estas fugas já não constituem propriamente uma novidade.

Os valonguenses por exemplo, tiveram o privilégio de poderem beneficiar de alguma visibilidade proporcionada por um destes mediáticos  casos noticiado AQUI, em que um conhecido autarca - o presidente da Câmara Municipal de Valongo Dr. Fernando Melo, se viu de repente libertado da maçada de uma provável acusação por parte do Ministério Público, graças a uma destas fugas.

É que, ao contrário das protagonizadas por presos das cadeias que de vez em quando resolvem tentar a sua sorte pulando a cerca enquanto os guardas assistem ao Porto/Benfica ou às novelas da noite da TVI, estas, por envolverem objectos aparentemente sem vida própria e ainda por cima, quase sempre manietados por uma ou duas laçadas de fio norte, tem sempre um impacto maior junto da opinião pública e também da publicada.

Neste último caso relatado pelo SOL, ficamos sem saber se os inertes foragidos – processo e cassetes – estariam ou não atados com fio norte genuíno. É que este pormenor aparentemente sem importância, pode fazer toda a diferença, dado que nas lojas dos chineses já se vendem uns novelos de cordel com aparência semelhante, mas que não garantem nem de perto nem de longe os parâmetros de segurança do verdadeiro, que até tem Norte no nome.

Mas claro que até mesmo os mais elevados padrões de qualidade do dito fio podem não servir para grande coisa, se quem faz o atado, seja por falta de jeito ou por deliberada negligência,  resolver dar a laçada com nó simples, ou lasso quanto baste, para facilmente se desatar.

Obviamente que o inerte, sabendo que está a sair de uma prateleira a caminho de outra e mais outra e quem sabe, mais outra ainda, num ciclo interminável que à vezes pode  chegar mesmo às frias e espartanas prateleiras do Tribunal Constitucional, não hesitará em aproveitar a porta entreaberta, perdão o nó mal atado, para tentar a sua sorte na fuga! 

Aqui em Valongo, essa fuga teve pelos vistos êxito absoluto e a famigerada Certidão - porque era disso que tratava - nunca mais foi vista por estas bandas.

Apesar de tudo, um foragido, sobretudo quando se encontre na posse de provas comprometedoras, é sempre um risco para aqueles a quem pode comprometer se vier a ser recapturado e mesmo que tenha sido alvo daquele tratamento radical a que os brasileiros costumam chamar "queima de arquivo", há sempre uma possibilidade de alguém o ter clonado (nos inertes à base de celulose, vulgo papel, costuma atribuir-se à clonagem a designação de fotocópias).

Por isso é que se consta que Fernando Melo ainda hoje sofre de episódios esporádicos de terrores nocturnos imaginando-se a ser asfixiado por uma laçada de fio norte com vida própria com cerca de dois metros, a mesma que atava (mal) a certidão em causa e a respectiva pasta acondicionadora.

publicado às 19:37

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D