Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO - EM DEFESA DE CUIDADOS DE SAÚDE DE PROXIMIDADE

Porquê esta manifestação de indignação se o presidente da Câmara tem a certeza de que as urgências de Valongo vão continuar a funcionar 24 sobre 24 horas ?

Tantas certezas que ele tem mas mesmo assim, não resistiu a uma crítica acerca da mesma, 'que pode tirar impacto a futuras que se venham a justificar no caso do fecho avançar'!

Afinal em que ficamos Dr. João Paulo - existe ou não risco?

Tem mesmo garantias escritas de que Valongo terá assegurada a sua urgência 24 horas?

Como é que vai mobilizar os valonguenses depois de os fazer acreditar nas promessas dos seus amigos do governo se isso não vier a ser cumprido?

Vai mal - muito mal mesmo - a sua 'pré-candidatura' para 2013!


 

publicado às 22:29

PRESIDENTE DA CÂMARA DE VALONGO - AGRADAR A DOIS SENHORES...

As contradições de um presidente de Câmara aflito com o incómodo de ter por um lado a necessidade de serenar os valonguenses e por outro, a preocupação de não afrontar o poder do seu Partido.

Como nós o percebemos bem Dr. João Paulo: 'agradar a dois senhores' é mesmo difícil!

 

“Não há encerramento total ou parcial do serviço de Urgência do Hospital de Valongo”, garantiu João Paulo Baltazar. Aos jornalistas, o autarca deu a conhecer, inclusive, uma carta na qual a administração do Centro Hospitalar São João, onde o Hospital Nossa Senhora da Conceição está inserido, assegura a todos os colaboradores da unidade de saúde de Valongo que o serviço de Urgência vai continuar a funcionar nos actuais moldes. “Não quero que se crie alarmismo sobre uma situação que não está a acontecer”, disse o presidente da autarquia, antes de acrescentar que tem a garantia do vice-presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte, Rui Cernadas, que a Urgência manter-se-á em funcionamento.

(...)

Por isso, João Paulo Baltazar também desvalorizou a manifestação marcada para o final da tarde desta sexta-feira pelo PS. Segundo o autarca, esta acção poderá até ter efeitos negativos, uma vez que tirará impacto a outras que possam ser organizadas se a Urgência vier a encerrar."

(in Jornal VERDADEIRO OLHAR)

 

Afinal tantas certezas, para esta relevante dúvida final!

 

E para quê a reunião que se propõe "(...) promover, na quinta-feira, uma reunião com todas as entidades ligadas à saúde do concelho de Valongo. “A ARS ainda não confirmou a presença, mas gostávamos que estivesse um seu representante”

 

publicado às 16:33

CÂMARA DE VALONGO - A 'EVOLUÇÃO' NA CONTINUIDADE, OU PIOR...

 

(A primeira página da edição de amanhã)

 

A situação que todos podemos constatar em Valongo, desgosta-nos profundamente.

'Morto e enterrado politicamente' Fernando Melo, o que se esperaria, era que o novo presidente quisesse apresentar uma nova 'imagem de marca' uma espécie de novo logótipo traduzido numa postura diferente, em opções gestionárias diferentes numa reavaliação e quando fosse o caso, nas respectivas correcções da máquina que herdou ou pelo menos de partes dela.

 

Enfim, tudo o que um novo presidente que acede ao lugar por estar a seguir na linha sucessória, mas que tem pretensões a sê-lo no futuro por sufrágio popular deveria ter feito, não o fez, por uma razão muito simples e que alguns parecem não ter visto ou pretendem escamotear:

João Paulo Baltazar nunca em momento algum foi um homem de afrontar o chefe quando ele não tinha razão - e quase nunca a tinha - como fizeram alguns dos seus companheiros do PSD num passado relativamente recente - não por falta de coragem porque se fosse por aí,  nos remeteria apenas para o seu perfil humano - e cada um tem a coragem que os seus genes lhe permitem - mas porque politicamente faz parte do seu ADN , o que é incomparavelmente mais grave!

 

João Paulo Baltazar, ao entrar como entrou, ao reconduzir quem reconduziu, ao renovar os poderes a quem renovou, ao manter inalterável o paradigma errado da relação da Câmara com os valonguenses, só veio confirmar o que os mais atentos já sabiam há muito:

Que não é um presidente em quem se possa confiar para reposicionar Valongo no lugar que lhe cabe e merece, em relação aos seus vizinhos - porque se vai limitar a ser um 'Fernando Melo' mais novo, mais bem falante, com um discurso mais fluente, mas mesmo assim, somados todos esses 'atributos', isso é muito pouco para aquilo que Valongo precisa!

 

E mesmo que consiga congregar em seu redor alguns insólitos apoios, isso não mudará nada, ou pior do que isso, até pode acrescentar razões para desconfiança e descrédito em relação à sua candidatura!


PS:

O recorte 'roubado' ao Jornal Verdadeiro Olhar, faz referência a uma situação que não 'beliscando' directamente a pessoa de João Paulo Baltazar, nem por isso deixarão muitos de o associar a ela, pois ele 'anda por ali' - pela Câmara e arredores - desde há vários anos e não pode invocar em sua defesa que estava a 'olhar para o outro lado' enquanto isto ia acontecendo!

publicado às 11:19

VALONGO DA NOSSA DESCRENÇA...

Confesso que houve um momento - logo a seguir à 'morte e ao enterro político' de Fernando Melo, em que ingenuamente ou não, eu cheguei a acreditar que veríamos na Câmara e a curto prazo alguns sinais de mudança, tal a premência em a imprimir:

O fim de algumas mordomias, a colocação em 'ON' de alguns dos protegidos de Fernando Melo instalados há tempo demais nas 'chaise long' da Casa Grande - em 'OFF', ou em 'PAUSE' o que vai dar ao mesmo - estorvando quem trabalha, uma postura mais amigável dos Serviços perante os cidadãos, uma dinâmica de abertura  face a quem por direito ou por necessidade contacta a Câmara, ou apresenta questões - nas reuniões públicas por exemplo - e para as quais tem a expectativa de obter as respostas adequadas e atempadas. Quem acreditou nisso, quem alimentou essa esperança, quem acreditou que um mau vice presidente - apesar  do passado recente de demasiado colaboracionismo com a 'gestão danosa' de Valongo - viesse numa espécie de passe de mágica a ser um bom presidente ficou certamente desiludido. Eu fiquei-o apenas relativamente.


No meio disto tudo, parece que entramos visivelmente em período de pré campanha com a definição de estratégias, com a colocação de algumas peças nos respectivos tabuleiros, mas a verdade, é que o Concelho ainda vai levar demasiados abanões para que, quer as peças quer as respectivas posições tenham garantida a respectiva estabilidade. Há até quem já ensaie em ambiente virtual alguns 'mortais à retaguarda' e chegam-nos mesmo notícias de tentativas da 'criação em viveiro' de algumas espécies híbridas de camaleões para animar o míni zoo.


Cheira-me que vamos ter o bom e o bonito quando já ninguém conseguir adiar por mais tempo as suas opções e a hora da verdade se impuser.


Na contagem das espingardas, o que se recomenda a cada um dos 'comandantes em chefe' é que verifiquem se todas estão em condições de funcionar e cumprir os objectivos que delas se esperam, porque tanto quanto sabemos, sendo a manutenção cuidada uma das preocupações a ter em conta quando se trata de 'equipamentos bélicos' pode bem acontecer que algumas não estejam já nas melhores condições - porque já não vão à 'oficina' há demasiado tempo!


Termino como comecei:

O tempo de João Paulo Baltazar conseguir provar que um mau vice presidente podia ser um bom actual e futuro presidente, já terminou! Como se costuma dizer em política, o seu 'estado de graça' virou rápido demais na continuidade da nossa desgraça! e assim sendo, é melhor que conte apenas com as 'espingardas do seu arsenal' deixando de alimentar esperanças relativamente aos arsenais de terceiros...

publicado às 11:59

ALFENA - MUSEU DO BRINQUEDO...

Na próxima reunião pública de Câmara - quinta feira dia 19 de Julho - um dos assuntos mais relevantes da Ordem do Dia, pobrezinha como já vem sendo habitual, vai ser a aprovação de um protocolo com a Junta de Freguesia de Alfena, para a cedência de um espaço destinado ao futuro Museu do Brinquedo.

 

Nada contra, como é evidente! É um projecto antigo que merece ser acarinhado e se calhar só peca por arrancar tardiamente e em tempo de 'vacas magras', ao contrário de outros, que por darem mais votos, tiveram a primazia, com a construção de garagens pelo meio - o plural é uma força de expressão.

 

Agora curioso mesmo, é na minuta do referido protocolo, não se referir nunca o lugar onde o referido Museu vai ser instalado, o que desde logo denota uma desatenção gritante por parte de quem prepara os documentos a submeter à Câmara, sabendo-se como sabem os intervenientes, que estes documentos são enviados para conhecimento, aos eleitos dos outros Órgãos. Se estes titulares não tiverem a preocupação acrescida de questionar a Câmara, só mais tarde e quando o resto dos cidadãos forem informados sobre o assunto, é que eles o serão também.

 

Pelos vistos, são estas as regras da chamada 'democracia representativa' em que os eleitos, uma vez investidos dessa importante representatividade, ficam automaticamente dispensados de entrar em detalhes com os seus eleitores.

 

Quando muito e no que ao poder local diz respeito, o possam fazer através de uma 'solução prática' do género 'debate sobre o estado da Nação' - aqui adaptado para 'estado do Concelho'...

 

Por acaso, alguns mais bem informados já nos informaram relativamente ao local em causa, mas vamos confirmá-lo primeiro, se não se importam, não vá a Câmara trocar-nos as voltas só para nos deixar ficar mal...

publicado às 22:31

SERVIÇO PÚBLICO - REUNIÃO DE CÂMARA DE 19 de Julho

19 de Julho de 2012 às 10 horas - Reunião pública de Câmara.

Como já vem sendo habitual, com um perfil tipo 'agenda zero' - isto apesar do regresso retemperado do nosso presidente.

Também não se lhe pode exigir que depois de durante tantos anos nos andarem a 'matar as galinhas' os ovos continuassem a abundar para confeccionar as ricas 'omeletas à Fernando Melo'!

Cá vai a (pobre) ementa do costume:

publicado às 22:26

DEI SANGUE - MAS SOB PROTESTO SENHOR MINISTRO!

E Pronto!

Missão cumprida - com uma visita ao Intituto Português do Sangue e da Transplantação (Centro Regional de Sangue do Porto).

Uns minutos confortáveis na 'quase horizontal' a ver a minha dádiva a ser controlada pela balança oscilante e 460 cc depois de me 'libertar' do precioso líquido (apesar de não ter a cor azul) há uma espécie de magia que nos toca, ao imaginarmos o percurso inverso que ele um dia destes fará para ajudar a manter a vida a alguém que nunca nos conhecerá nem nós chegaremos a conhecer.

Vale a pena pensarmos todos - os que o possam fazer - neste gesto.

Hoje fi-lo mentalmente sob protesto - que o ministro da saúde até merecia que o tivesse expressado sob a forma escrita!

É uma 'estalada de luva branca' esta que hoje quero que registe senhor ministro:

Os dadores de sangue e os bombeiros, são pessoas em princípio saudáveis e portanto, o resultado do corte das taxas moderadoras é puramente simbólico - simbólico no pior sentido, mesmo ofensivo, diria eu!

Mas pronto, não sei se entre as suas preocupações se conta também a de ser dador de sangue - que ministro também pode fazê-lo - mas se um dia precisar de o receber, pode ser que se  'cruze' com o meu.

Se for o caso, 'encontrará nele' este voto de protesto que não terá no entanto, qualquer efeito nocivo sobre a sua saúde!


PS: e-mail de protesto enviado ao ministro da saúde sobre este mesmo assunto - que não sou de 'levar desaforo para casa':

 

Boa tarde,
Para conhecimento - e também para um formal protesto - junto a ligação para uma publicação de hoje no meu blogue pessoal.
Numa altura em que, em boa verdade e como hoje mais uma vez pude constatar, os Serviços ligados ao Instituto Português do Sangue e da Transplantação fazem tudo o que é humanamente possível, inexcedíveis na competência e na simpatia, para aumentarem o número de dádivas de sangue, o nosso governo e o senhor ministro, fazem o 'favor de remar contra a maré' com a questão das taxas moderadoras (dadores e bombeiros).
Não vai ser seguramente por isso que os dadores e os bombeiros deixarão de corresponder ao apelo, não do senhor ministro, mas de todos os que precisam de nós, mas também não iremos calar o nosso grito de revolta perante o insensato e injustificado gesto!


(segue-se o link para este post e o habitual 'com os melhores cumprimentos'...)

publicado às 13:03

A FORÇA DAS PALAVRAS...


Mão amiga fez-me chagar este exemplo concreto da imensa força das palavras.

E este exemplo vale para todas as áreas da nossa intervenção - cívica, profissional, social ou outra.

publicado às 18:24

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D