Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

CAMARA DE VALONGO - A VERDADE SEM 'PHOTOSHOP'!

Este é o País dos estudos. Fazem-se a propósito e a despropósito de tudo e de nada e o poder justifica a sua importância com a necessidade de conhecer, caracterizar, sistematizar os problemas para os poder depois tratar 'devidamente'. É evidente que os assessores, os gabinetes externos contratados para os realizar, são quase sempre uma parte importante senão mesmo determinante, na 'formação da necessidade' dos mesmos.

Este documento da CCDR-N - Balanço Social dos Municípios da Região Norte de Portugal, deixa alguns menos mal na fotografia e outros pelo contrário, numa pose bastante comprometedora.

 

É claro que este último aspecto pode sempre ser trabalhado sofrer uns pequenos 'retoques' dos criativos assessores dos gestores municipais, no sentido de dar uma aparência menos negativa àquilo que à partida todos que seguem mais de perto estas questões, sabem que é exactamente aquilo que aparenta.

 

Falemos de Valongo, que apareceu em alguns órgãos de informação como um dos Municípios que mais reduziu o seu quadro de pessoal no período de referência:

 

 


 

Grandes dúvidas sobre este pequeno recorte e sobre a variação que ele parece retratar:

 

- Quantos são e que tipo de vínculo contratual é que possuem - com a Câmara (função pública), com a  VEOLIA, com os SMAES?

- Quem lhes paga?

(Interessante seria por exemplo, sabermos relativamente a esta questão dos 'cortes' dos subsídios dos funcionários públicos, qual foi o regime que se lhes aplicou).

- Clarificadas estas dúvidas - sem recurso a nenhum tipo de malabarismo ou engenharia gestionária - será que a variação que motivou João Paulo Baltazar a falar aos jornais e não só em relação a este 'relevante' resultado continuará a fazer sentido, isto é e para sermos mais explícitos, aqueles -154 são mesmo uma realidade ou apenas uma 'realidade virtual'?

- E será que para a 'obtenção' deste bonito número com 'sinal menos' não terá contribuído de forma significativa o fim da colaboração da Câmara com as AEC (actividades extra curriculares) - em prejuízo das Escolas e dos alunos, obviamente?

 

Aspectos do documento em causa, aos quais - por razões óbvias - o presidente não se referiu, dado que nem com o 'potoshop' do costume conseguiria dar-lhes aparência positiva:

 

 

 

Claro que este é um estudo e como todos os estudos, pode ser lido na diagonal, de cima para baixo, de baixo para cima, mas a realidade está quase sempre acima e para além de todos os estudos e essa, mais detalhada, mais próxima da foto 'não editada', talvez seja aquela que venha a resultar das auditorias do Tribunal de Contas.

Voltarei brevemente a este assunto - que o Relatório é extenso e merece ser lido com 'lentes de ver ao perto'

publicado às 23:36

TEREMOS (DE NOVO) PORTUGAL QUANDO TODOS FIZEREM A SUA PARTE!

Hoje - ontem, anteontem, já há bastante tempo por sinal - apetece-me ser um pouco inconveniente, mesmo politicamente incorrecto. Tenho feito parte daquele grupo enorme que não tem perdido uma oportunidade para zurzir na 'corja' policromática que nos últimos anos se tem revezado no processo destrutivo da nossa Pátria, conduzindo-a ao estado miserável em que se encontra - alguns ainda no poleiro, outros temporariamente afastados dele, mas à espera da primeira distracção do adversário para abocanhar o naco novamente.

 

Desde o 25 de Abril, não falhei um único acto eleitoral - posso prová-lo! - porque acho que é apenas por aí que se consegue construir o discurso crítico que muitos temos feito e continuaremos a fazer.

A partir do momento em que em muitos actos eleitorais a abstenção passou a fazer a maioria - incluo aqui também e estranhamente, as eleições autárquicas e obviamente as do Parlamento Europeu - comecei a sentir-me zangado, mas mesmo muito zangado com quem se vai lamentando com a falta de empregos, com a perda dos mesmos, com os apelos do primeiro ministro aos jovens para que deixem a 'zona de conforto' e se façam à vida por esse mundo fora.

 

Muitos desses que lamentam, são jovens, à procura do primeiro emprego, saídos às fornadas das Universidades para onde entraram com a promessa de que à saída, teriam uma oportunidade à sua espera. Muitos desses, a maioria desses, não têm votado - dizem-se 'desiludidos com os políticos'... Mas isso também eu estou e no entanto voto!

 

Quando a maioria imensa daqueles que se andam a 'baldar' à sua obrigação cívica começar a fazer o que deve, teremos a 'corja' a deixar a zona de conforto - e talvez nessa altura, comecemos a ter também a Pátria de volta!

publicado às 23:28

O CONCELHO DE VALONGO MERECE SER REABILITADO!

Não vou negar que fico contente quando constato tantos e tantos êxitos do movimento associativo do nosso Concelho.

Não vou negar que fiquei satisfeito com o mais recente - apoiado pela Câmara - o concerto de uma Banda com direito a 'MAIÚSCULAS': um concerto denominado 'Entre Lousas' e do qual a Câmara como em quase todas as iniciativas que em boa verdade são essencialmente o resultado de um trabalho associativo cada vez menos apoiado - pelas razões de todos conhecidas -  procura retirar dividendos nem sempre completamente merecidos.


Não vou negar também - e aqui em contra corrente - que me sinto envergonhado, não pelo facto de viver neste Concelho bonito e com História, mas pela forma como ele é governado, gorando as naturais expectativas daqueles que acreditavam que Fernando Melo era a origem de todos os males - e foram muitos! - e que apeado o mesmo, tudo mudaria - para melhor obviamente.


Não mudou!


Nem sequer mudou a forma de fazer oposição, ou se mudou alguma coisa, foi no pior sentido.

Porque pactuar com uma gestão amadora, com uma governação que não respeita os cidadãos, com a continuação de práticas que deveriam ter passado já à história - àquela parte da mesma que não deve orgulhar ninguém - com o desrespeito pelo cumprimento da Lei, com a falta de resposta às questões que apesar de tudo esta oposição tem vindo a levantar mas que depois deixa arrastar no tempo e às vezes até se 'esquece' que (ainda) não obteve a referida resposta às mesmas - basta uma leitura mais atenta às actas correspondentes ao actual 'reinado', curiosamente bastante atrasadas na sua publicação.


Esta é a parte do nosso Poder Local democrático que nos envergonha e é no sentido de corrigir este cancro que continua a minar a saúde do nosso Concelho que teremos de continuar a batalhar, incomodando os do costume e às vezes também aqueles de quem se esperaria que sentissem incómodo equivalente ao nosso.

Não nos move - aos muitos que em várias frentes alimentamos essa incómoda chama - nenhum desejo de protagonismo, sendo que na sua esmagadora maioria - a página da Coragem de Mudar no Facebook o site da Coragem de Mudar de Alfena, o Blog Alfena da Liberdade e modestamente, também este incómodo espaço onde escrevo, bem como algumas contribuições regulares ou esporádicas no Jornal A Voz de Ermesinde e no Jornal Verdadeiro Olhar - muitos dos seus autores não são eleitos locais, nem alimentam qualquer desejo de o virem ser.


E vamos continuar nesta senda, não adiantando virem-nos com a 'chantagenzinha' do costume de que estamos a contribuir para denegrir a imagem da nossa terra. Quem nos acusa disso, está apenas a tentar camuflar as respectivas responsabilidades pelo lugar no ranking nacional da corrupção e da gestão danosa ao qual Melo nos conduziu e do qual os seus herdeiros não sentem vontade de nos fazer sair.


A gestão de Valongo virou anedota e nós não gostamos mesmo nada de fazer parte da mesma. Desde logo por ser uma das poucas autarquias que se conheçam, a funcionar sem Orçamento já quase no final de Agosto, mas também, por manter em cargos importantes, funcionários superiores acusados de más práticas e corrupção ou mesmo já condenados - quer em processos disciplinares internos, quer nos próprios Tribunais, ainda que neste caso, as condenações só se tornem efectivas após trânsito em julgado e depois de todos os possíveis recursos.


Valongo merece ser administrado de forma diferente. Valongo merece uma máquina nova - ou pelo menos sujeita a um profundo recondicionamento. Valongo já não vai lá só com festas - e muito menos com estes 'mordomos'!

 

publicado às 01:21

CÂMARA DE VALONGO - 'DOWNGRADE' NA QUALIDADE, 'UPGRADE' NO ESBULHO...

O comunicado diz tudo e tudo dizendo, todos os comentários que possam ser feitos nada acrescentariam.

Um único detalhe para traduzir a profunda crítica aos vereadores da oposição que aprovaram mais este esbulho feito aos valonguenses.

Uma honrosa excepção já aqui referida por mim ganhou visibilidade na reunião de Câmara em que o mesmo foi aprovado: um vereador da Coragem de Mudar, que não se coibiu de criticar a medida e o caderno de encargos da concessão à SUMA com base em argumentos que valiam uma coisa e (agora) o seu contrário.

Volongo esteve 'entregue aos bichos' estes anos todos e nem sempre a totalidade da culpa foi da 'clique de Fernando Melo'!


 

Citando a VOZ DE ERMESINDE


COMUNICADO PS VALONGO

Má gestão camarária em Valongo traz surpresa de verão com aumento da factura para as famílias e empresas em 13,6 %

Foi com enorme espanto e surpresa que o Partido Socialista de Valongo e seus eleitos souberam ontem no final da tarde, e a menos de 24 horas da reunião de Câmara, que o executivo liderado pelo PSD, propunha em simultâneo alterações no Contrato de Serviços de Recolha de Resíduos Sólidos Urbanos e o aumento acentuado das tarifas de recolha, tratamento e depósito de resíduos sólidos urbanos em 13,6% para todas as famílias e empresas de Valongo.

O PS Valongo compreende a urgência em corrigir situações graves de má gestão municipal, mesmo não compreendendo como foi possível deixar passar 24 meses de um Contrato de 36 meses, mas não aceita que isso seja feito à pressa e com uma gritante falta de transparência, só porque se quer esconder algo muito incómodo para as famílias e empresas que não podem deixar de usufruir do serviço de recolha de lixos, e que é o aumento brutal das tarifas em 13,6%, fazendo-as pagar pelas más opções de quem governa o Concelho de Valongo.

O PS Valongo chamou a atenção por diversas vezes para esta situação, que é mais um exemplo do verdadeiro estado calamitoso das finanças municipais em Valongo, situação esta que leva a Câmara Municipal a finalmente propor alterações (mesmo com 2/3 do período do contrato decorrido), como a eliminição da recolha seletiva de resíduos recicláveis em empresas aderentes e edificios públicos; a eliminação da recolha seletiva de resíduos orgânicos em restaurantes aderentes, escolas e outros edifícios públicos; a diminuição da varredura urbana em 160 Km mensais; e eliminação da lavagem de arruamentos e passeios nas áreas centrais das 5 freguesias, bem como a redução de 4 a 1 campanha de sensibilização das populações.

Perante estas alterações no Contrato de Serviços de recolha dos lixos, que acabarão por ter um reflexo na qualidade da limpeza das vias públicas, o que poderá acarretar óbvios riscos para a saúde pública, e se existe a capacidade dentro do município para colmatar alguns destes serviços agora eliminados, exigimos uma resposta urgente à pergunta de sabermos todos porque razão se ignorou essa capacidade municipal no concurso para a aquisição dos serviços de recolha de resíduos sólidos urbanos em Valongo em Agosto de 2010, se ela já existia nessa altura?

Uma resposta a esta questão é imprescindível, não só para a credibilidade e seriedade da Câmara Municipal de Valongo na forma como defende os interesses municipais, mas igualmente para que os cidadãos possam compreender com clareza as consequências de más opções de gestão, que os fazem pagar agora um aumento muito expressivo nas tarifas de recolha dos Resíduos Sólidos Urbanos.

 

Comissão Política Concelhia do PS Valongo

publicado às 13:19

PASSOS COELHO 2013 - MILAGRE OU 'EFEITO PLACEBO'?

Desde a separação entre a Igreja e o Estado português, que passou a ser laico e portanto teoricamente em condições de poder representar todas as sensibilidades dos seus cidadãos, que não assistíamos a uma tão profunda e publicamente assumida manifestação de fé por parte de um primeiro ministro de Portugal. Foi no Pontal e o protagonista encarregou-se da oração de graças pelo facto de em 2013 Portugal deixar de estar em crise, ou pelo menos, de iniciar o movimento ascendente rumo ao paraíso.


É sempre comovente, até para um agnóstico como eu, assistir a orações tão profundante convictas, sobretudo quando como neste caso, o interveniente parece acreditar mesmo naquilo que diz e defende essa crença com toda a força da sua aparente convicção, mas tratando-se de alguém que terá de fazer mesmo parte integrante do milagre que anuncia para que este tenha alguma hipótese de 'ocorrer', então a nossa embrionária fé começa a sofrer o primeiro abalo. Passos Coelho subiu ao púlpito com expectativas muito baixas, com ausências incómodas entre os crentes mais mediáticos, com manifestações de fé moderadamente calorosas - algumas de simples e notória conveniência, por causa do risco dos fotojornalistas e Paparazzi do costume captarem alguma pose mais indiferente...


Não assisti à oração na totalidade - vi apenas alguns excertos  dispersos na profusa cobertura televisiva dos canais 'puxa-sacos' do costume - mas no pouco que vi e nas imagens de aproximação durante a devota prece, pareceu-me ver sobre a cabeça do orador - no sentido literal do termo - uma imperceptível auréola de santidade, o que é um caso notável, tratando-se da pessoa em causa.


Porém - mais um inevitável abalo na embrionária fé - não o ouvi pedir perdão por ter participado no maior assalto jamais praticado em Portugal em que eu fui um entre as muitas vítimas do 'arrastão',  por ter vendido todos os nossos anéis que tinha à sua guarda sem sequer nos consultar, por ter vendido a 'quota restante' da nossa soberania à ex discípula de Heinrich Honecker sem nos dizer sequer 'água vai', mas também, uma branca qualquer um pode ter e o que interessa é o milagre de 2013!


Quem é que disse que a fé move montanhas?


Estando como estamos sem alternativas, só nos resta mesmo é acreditar, por pouco que seja, no misterioso domínio do exotérico, ou então, no chamado  'efeito placebo'. Passos Coelho poderá representar assim esse 'misterioso efeito' sobre o tamanho do nosso desânimo e se pelo menos isso ele conseguir, já será alguma coisa.


O grande problema, é que numa sociedade minimamente informada como (já) é a nossa, as pessoas têm a mania de ler sempre a 'bula' que vem dentro da caixinha antes de ingerir a 'droga' e assim acontecendo, lá se vai o tal 'efeito' - a não ser que, como em tantos outros actos do governo, Passos Coelho arranje maneira de falsificar a 'bula'...

   

publicado às 21:13

... E EU ANUNCIO O 'FIM DO MUNDO' PARA UM DESTES DIAS!

Passos anuncia fim da recessão em 2013

 

O primeiro-ministro afirmou hoje que apesar de a recessão de 2012 estar a ser mais grave do que o esperado, 2013 será um ano de "inversão" e de "preparação da recuperação" económica.


Ler mais na versão online do EXPRESSO


Quando era mais jovem, houve uma altura em que dediquei alguma atenção às questões exotéricas. 

Estava então na moda a 'para ciência' do hipnotismo e até se vendiam - há alguém que se lembre disso para confirmar que não estou a inventar? - cursos por correspondência.

Começava-se a treinar com animais - as galinhas eram as mais fáceis - e depois, ia-se subindo a parada até chegar aos humanos.

Pedro Passos Coelho é mais jovem para ter aprendido a arte dessa forma, mas se é isso que está a tentar connosco, a coisa não funciona memo e a prova é que esses cursos deixaram há muito de se vender.

Talvez me atrevesse - se ele estivesse virado para 'o lado do bem' - a sugerir-lhe um outro método, esse ainda usado por muitos e lançado por Dale Carnegie através de vários livros que se tornaram autênticos best-sellers, dos quais, talvez o mais conhecido seja 'Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas'.

Mas publicou ainda 'Como Evitar Preocupações e Começar a Viver', 'Como Falar em Público e Influenciar Pessoas no Mundo dos Negócios', entre muitos outros.

Tudo isto para concluir que no 'Pontal', Passos Coelho entre um e outro dos 'métodos' referidos, aparentemente terá optado por uma terceira via - a banha da cobra. Podia ter subido um pouco de nível ficando-se no mínimo por Dale Carnegie.

Mas isso faz parte das opções pessoais que cada um faz em cada momento e pelo menos desta vez o líder do PSD e actual (mau) primeiro ministro de Portugal, optou por vender a 'pomada milagrosa' em privado e não em terreno aberto.

Como os decibéis das colunas de som levavam as anteriores iniciativas a quilómetros de distância de uma forma indiscriminada, atingindo de forma igual quem gostava e quem não gostava da charlatanice do costume, desta vez tudo ficou confinado às paredes do Hotel e à boa vontade dos jornalistas que sempre conseguem dar um jeito no sentido de transformar um 'não acontecimento' numa coisa capaz de justificar páginas e páginas de fluente prosa jornalística.

publicado às 12:09

... E EU TENHO A "AMBIÇÃO" DE GANHAR O EUROMILHÕES!

Passos Coelho tem a "ambição" de ser reeleito 

(AQUI)

 

Depois de ter dito recentemente "que se lixem as eleições", chefe de Governo aponta a novo mandato e deixa críticas à oposição. "Há ainda quem pense que o regabofe pode voltar. Enganam-se", disse na festa de rentrée do PSD, em Quarteira.


 Vamos por partes:

 

UM:

Ficamos então definitivamente assentes em que 'já não se lixam as eleições' - o que por exclusão de partes, quem vai ter de se lixar uma vez mais - será mesmo uma inevitabilidade? - vão ser os portugueses!

 

DOIS:

"Há ainda quem pense que o regabofe pode voltar".

Incómoda gralha da Renascença certamente, porque o que ele disse com toda a certeza terá sido mais ou menos isto "Há ainda quem pense que o regabofe pode acabar".

Acontece aos melhores e a Renascença irá certamente rectificar o texto - a não ser que o homem esteja a fazer dos portugueses parvos e se tenha atrevido a dizer mesmo aquilo!

 

É claro que ainda falta um tempito, mas para quem anda a enfrentar um crescendo de apupos em todas as incursões que (ainda) consegue fazer pelo país real, mas que já nem o 'Pontal' consegue fazer em 'terreno aberto', convenhamos que é prosápia a mais...


publicado às 00:36

SERÁ A P*DI?

Esta semana falou-se muito de ar condicionado - e não porque tenha feito um calor por aí além! As razões para foram bem mais insignificantes e tiveram a ver com um caso de - só pode ser isso - pura e talvez irreversível insanidade de Zita Seabra, uma 'ilustre' expulsa do PCP e que pelos vistos nunca conseguiu cicatrizar essa chaga da sua vida política.


Eu que em determinado percurso da minha vida (também) saí por ter entrado em rota de colisão com algumas práticas com as quais estava em completo desacordo - foi por alturas da 'glasnost' de Mikhail Gorbathev - ainda consigo manter o meu equilíbrio mental sem chegar ao ridículo de Zita Seabra.


No meu caso, até cheguei a passar uns bons 45 dias (em 1979) na antiga RDA de Erich Honecker - antes de 'ganhar juízo' - e posso garantir que nunca me cruzei com o 'barão vermelho' e também nunca ouvi alguém falar sobre ares condicionados com orelhas.


Mas se o caso de Zita Seabra não é um caso de insanidade - resultante talvez do avanço da PdI (*), então exige-se ao Ministério Público que saia a terreiro e lhe pergunte porque é que sabendo que a FNAC (Fábrica Nacional de Ar Condicionado) e o 'barão vermelho' andavam a 'plantar' escutas em tudo que eram gabinetes ministeriais, nunca o denunciou, incorrendo assim ela própria num crime! Porém, acho que a coisa se resumirá à habitual intervenção dos homens de branco e à conhecida camisa de forças para a conduzirem ao local apropriado afim de poder ser tratada e deixar de representar um 'perigo' para a sociedade - e para ela própria...


(*) PdI: P* da Idade...

publicado às 23:27

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D