Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE ERMESINDE - TÊM A PALAVRA (E O VOTO) OS HOMENS DIGNOS...

E como tantas vezes acontece em múltiplas situações da vida que não têm nada a ver com este contexto, também os 'figurantes' que preenchem os lugares que já não são deles na nobre Instituição dos Bombeiros Voluntários de Ermesinde, conseguiram descer ainda mais um pouco em relação ao padrão mínimo, a partir do qual deixam de poder ser considerados interlocutores com quem as pessoas sérias possam discutir coisas sérias.

 

- Não satisfeitos com a usurpação de cargos que já não lhes pertencem - porque os associados maioritariamente assim quiseram em Dezembro passado - usurpam-se entre eles próprios o 'cargo cimeiro' através de assinaturas que não correspondem ao cargo para distribuir cartas vis em que anunciam 'castigos' que já não podem decidir;

 

- Passam para a comunidade a ideia de que a Instituição Bombeiros é constituída por gente que não respeita a Lei - ao recusarem-se a cumprir uma ordem dos Tribunais para reintegrarem um Bombeiro injustamente despedido e pior do que isso - ou tão mau como isso - ao cerrarem fileiras em torno de um comandante que já está a mais entre o grupo que comanda e que ainda por cima, é acusado de um dos crimes socialmente mais repelentes, que é o de assédio sexual sobre uma jovem bombeira, sem sequer (ao menos) fingirem um processo de averiguações interno.

 

- Apesar da permanência no lugar, condenável a todos os títulos e só possível devido a expedientes de baixo nível e de litigância de má fé, ainda encontraram 'engenho e arte' para moverem processos contra gente de bem, só porque ousou enfrentá-los.

Eu destaco (apenas) o caso de um homem que é maior que todos eles, Serafim Barros, o único Bombeiro com crachá de ouro - para além do comandante que de bombeiro já não tem nada.

 

Segunda feira próxima - 10 de Março de 2014, pelas 20:30 horas, realiza-se uma Assembleia Geral onde serão apreciados o meu caso, o de Serafim Barros e também o de Justino Soares - ver carta abaixo que hoje mesmo recebi por correio registado.

 

Nenhum associado de bem pode deixar passar em claro esta oportunidade para uma vez mais defender a dignidade e o bom nome dos BVE - porque como sempre acontece, a Instituição Humanitária dos BVE - e a sua 'caravana' seguirão em frente apesar do 'ladrar dos cães'...

 

(A hora mencionada - 8:30 horas(!) é obviamente um lapso do presidente da Mesa, o Dr. Queijo Barbosa. Acontece aos melhores...).


 

publicado às 23:09

EM ALFENA O CARNAVAL É NA QUARESMA...


 

Sei que alguns daqueles que me conhecem melhor me vão tentar 'arrumar' com aquela pergunta característica de quem não tem melhor forma de argumentar: "e que tens tu a ver com isso"?

 

Uma abordagem simplista da coisa poderá até levar a concluir que lhes assistirá razão, uma vez que não sendo eu crente nem pessoa de romper os bancos da igreja, não terei nenhum direito a "meter a foice em seara alheia"...

 

Não sou porém pessoa que se consiga arrumar tão facilmente, pelo que nem esse handicap o conseguirá fazer. Até porque sendo cristãs e católicas as minhas origens,  sempre fui profundamente respeitador da cultura e das tradições cristãs e sobretudo, da fé genuína que testemunho à minha volta e que em Alfena pode ser comprovada pelo grau de participação dos meus conterrâneos em todas as práticas religiosas do burgo.

 

Não é portanto demagogia barata aquilo que motiva a minha mais veemente crítica à intenção da Junta de Freguesia e de Arnaldo Soares, de transferirem o carnaval de Alfena para o primeiro Domingo da Quaresma!

 

Bem podem dizer que não são os únicos e que noutros pontos do País outros também o fizeram! Nem por isso a idiotice será menor nem a ofensa aos 'bons costumes' menos grave! Porque "cada qual é que sabe onde lhe aperta a bota" e não sendo todos os pés iguais, em Alfena a bota vai apertar mesmo!

 

Choveu no carnaval? Temos pena... o clima tem destas coisas: às vezes chove e faz frio no verão e temos calor no inverno e nem por isso mãe natureza nos faculta, por exemplo, o direito de transferirmos as duas semanas de praia que 'calharam mal', para um momento mais oportuno!

publicado às 18:37

BOMBEIROS DE ERMESINDE - O 'APAGÃO' DOS JORNAIS LOCAIS...

Verdadeiramente lamentável é o 'auto-sequestro' - se é que posso usar este termo - a que se sujeitaram os jornais locais do nosso Concelho em relação ao que se passa nos Bombeiros de Ermesinde!

 

Percebo que o facto de alguns dos dirigentes derrotados em Dezembro fazerem parte de 'quase tudo' e em 'quase todas' as Instituições mais relevantes de Ermesinde, para além de integrarem também algumas ramificações partidárias locais, provoque muito incómodo a quem trata da 'navegação' difícil de jornais como A Voz de Ermesinde Jornal Novo de Valongo entre outros.

 

Passa-se aliás o mesmo e por idênticas razões, com tudo o que se relaciona com a empresa SEC-Sociedade de Empreitadas e Construções.

 

Escrever sobre amigos que se 'portam mal' é sempre desagradável e ter que dizer algumas verdades sobre Almerindo e Artur Carneiro e sobre o processo Kafkiano da insolvência daquela empresa com o despedimento selvagem da maioria dos seus trabalhadores, é-o igualmente...

 

Percebo pois, mas não aceito! 

 

Se o sequestro dos Bombeiros Voluntários de Ermesinde, com a direcção cessante 'trancada' na Instituição agarrada ao poder à custa de expedientes processuais inconsistentes ou de litigância de má fé que impede a tomada de posse dos Corpos Sociais eleitos não é NOTÍCIA, eu vou ali e já venho!

 

Se o encerramento fraudulento da SEC e o nebuloso processo de dispersão e/ou dissimulação de património actualmente em curso não são motivos suficientes para uma pequeníssima nota que seja no Jornal Novo de Valongo ou na Voz de Ermesinde, eu já não sei que outros assuntos o possam justificar!

 

Nos Bombeiros por exemplo, a acusação de assédio sexual a uma bombeira, o despedimento de um bombeiro que se atreveu a falar sobre o assunto na sua página do Facebook, ou a suspensão de sócios incómodos, como Serafim Barros que é nem mais nem menos o único Bombeiro com crachá de ouro na Instituição (o comandante, que tem a mesma condecoração, não tem 'alma' de bombeiro) e eu próprio, não são suficientes para captar o interesse de dois Jornais de que gosto e onde já escrevi por diversas vezes.

 

Lamentavelmente eu e muitos outros independentes das 'máquinas' - dos vários tipos de 'máquinas' conhecidas por estas bandas - vemo-nos forçados a criticar com toda a veemência esta postura subserviente face a lobbyies como os Rotários, ex-SEC, Centro Social de Ermesinde e também de algumas 'bolsas' de socialistas locais instalados em todos aqueles e com suficiente capacidade para protagonizarem na sombra este lamentável lobbying.

 

Enquanto esta postura persistir, os órgãos de comunicação locais vão ter de continuar a depender mais das contribuições 'em espécie' do poder local e desta gente instalada, do que da sua própria capacidade para gerarem 'audiências' mais ou menos fidelizadas a um perfil efectivamente construído.

 

 

publicado às 11:47

ALFENA - 'URBANISMO CRIATIVO' (ACTUALIZAÇÃO)...

Bem, acho que agora fica mais completa toda a informação relacionada com a construção do 'triângulo de Alfena'...

 

Com estas fotos do Bing que um amigo acaba de me enviar, fica mais nítida a dimensão do 'atentado'.

 

Da mesma forma que Arnaldo Soares fez questão de destacar a posição coerente, firme e responsável do grupo municipal do PS na Assembleia Municipal sobre este assunto, eu fico agora a aguardar uma atitude equivalente do presidente da Junta de Freguesia de Alfena em relação àqueles casos que 'correm termos' na Câmara, já do tempo de Fernando Melo e bem mais graves até do que este último assomo de 'urbanismo criativo' da Rua do Viveiro.

 

Num pequeno apontamento irónico a propósito deste caso, dizia-me há pouco um amigo que 'percebe da poda' nesta coisa de construir casas, que a Câmara talvez nem precise de demolir os muros do dito 'triângulo', pois da forma que eles foram construídos não tardarão a dar 'sinal de fraqueza'.

 

Talvez, digo eu, que disso não percebo nada...


 

O "ANTES" - versão 2:

 

 

publicado às 18:46

ALFENA - "E NINGUÉM VAI PRESO?"

São comentários como este que se segue - do meu amigo A.da Vicência - que me motivam a continuar nesta luta...


Dizem alguns, que 'estico demasiado a corda' - tanto assim, que já não é a primeira vez que um ou outro visado não hesita em partir para a ameaça.
(Como se eu fosse lá com ameaças…).

Vai-se a ver depois, chegam comentários como o seu que me dizem que eu até ande talvez num registo demasiado brando nas denúncias que faço.

Claro que eu já tenho feito questão de assinalar a contradição que se nota na postura do actual presidente da Junta de Freguesia de Alfena e as suas OMISSÕES bem notórias no passado recente.

Ao rol de atentados que enumerou no seu comentário eu acrescento ainda a bifamiliar "mais bonita de Alfena" (no dizer do próprio autor do projecto) - Rua da Várzea, sentido Norte/SUL (imediatamente antes da Serração) - projectada pelo 'arquitecto honoris causa' dono do gabinete de arquitectura mais manhoso, perdão, famoso de Alfena e onde o morador do rés do chão tem as varandas praticamente em cima do passeio - para receber de madrugada o pão fresco directamente das mãos do padeiro e sem este ter de sair da carrinha de distribuição…

 

(Só para nos situarmos, o 'honoris causa' é também autor do megaprojecto/aborto - sem "aspas" porque não chegou a nascer - da foto a seguir (Alfena Trade Center).

Vou uma vez mais introduzir o seu comentário pela 'porta da frente' do Blog (espero que não se importe):


 


A. da Vicência a 3 de Março de 2014 às 11:13

"E NINGUÉM VAI PRESO?"

Claro que não, tratando-se de amigalhaços é tudo boa gente.

Francamente, estou banzado com tanta indignação - ou será hipocrisia? - à volta deste caso.

Com a obra ilegal e clandestina da Chronopost construída sobre o ribeiro de Junceda, em área da REN, onde é absolutamente proibido construir, ou outros mastodontes, também em Transleça, ilegalmente construídos sob o faz de conta da Junta e da Câmara, fingindo que não viam, que não sabiam de nada, só porque pertencentes a compadres, será que alguém foi preso ?...

A construção do café Pinguim, estrangulando a Rua de S. Lázaro ou o edifício de escritórios e lojas, junto à BP, no início da rua de S. Vicente, construído em cima da rua, não respeitando o alinhamento há muito definido pelos edifícios construídos há alguns anos, entre eles o da Junta de Freguesia, bem como o que aí existia e que foi demolido para dar lugar ao dito, também não colocaram ninguém atrás das grades.

E porquê ?!

Porque no primeiro caso estava o arrebanhador-mor de votos, a quem a situação anterior deve a eleição, Melo, incluindo Roque e amigos, no segundo estava o grande projectista inginheiro arquitecto mandatário testa de ferro que "mandava muito na Câmara"...

Nesta republiqueta da treta, dita democrática, a lei não é igual para todos, aplica-se a regra do "Rouba mas faz" :

Tudo para os amigos, nada para os inimigos, o rigor da lei para os indiferentes.

O resto é conversa. 

Já não há pachorra...

Um abraço do A. da Vicência
publicado às 14:34

ALFENA - URBANISMO 'CRIATIVO' (ACTUALIZAÇÃO)...

Ainda sobre a moradia da Rua do Viveiro em Alfena e para que se perceba melhor o que é que está em causa e o espanto com que se olha para o processo de licenciamento da obra efectuado em Abril de 2013 pela Câmara, coloco a seguir algumas fotos do local obtidas a partir do street view do google maps - AQUI.

 

A pergunta que salta de imediato até aos menos atentos às questões do Urbanismo é:

 

- E ninguém vai preso!?

 

Obviamente que o dono da obra, sendo o menos culpado, não corre esse risco, mas alguém tem de 'ir dentro'!

 

E as questões seguintes são:

 

- E 'por alma de que santa' é que nos tentam convencer que agora não há nada a fazer?

 

- Desde quando é que se pode 'plantar' uma moradia neste espaço e não ter em conta as acessibilidades e as regras sobre os afastamentos, entre outros pormenores?

 

Tal como no 'querido mudei a casa' mostram sempre as imagens do 'ANTES ' e do 'DEPOIS', estas imagens são do 'ANTES':

 

publicado às 23:19

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE VALONGO - BOMBEIROS DE ERMESINDE E MORADIA DE ALFENA (ENTRE OUTROS ASSUNTOS)...

Hoje - ontem e hoje mais propriamente, dado o adiantado da hora - foi dia de Assembleia Municipal de Valongo.

 

Irei voltar ao tema com mais tempo, mas apesar da hora tardia já referida, não quero de deixar de referir aqui dois assuntos que seleccionei do conjunto de todos os outros, simplesmente porque me tocam de forma especial, tanto ssim, que já escrevi várias vezes sobre os mesmos:

 

Bombeiros de Ermesinde:

 

Pela primeira vez o assunto conseguiu chegar a esta tribuna que é a Assembleia Municipal. Logo no início, no ponto reservado às intervenções do Público e pela voz sofrida do pai da jovem bombeira que alega - e não apenas ela o alega mas muitos camaradas o confirmam - ter sido vítima de assédio por parte do comandante dos Bombeiros.

Mais tarde e no ponto de 'depois da Ordem do Dia' eu próprio retomei o tema em duas intervenções feitas a título pessoal e porque o meu grupo (PS) não se sentiu confortável - e eu percebi completamente as razões - para assumir uma posição formal no formato de moção.

 

As duas intervenções:

 

1.

 

Conforme é do conhecimento de pelo menos uma parte dos presentes, foi remetida por ‘um grupo de jovens bombeiros’ de Ermesinde à Mesa da AM no anterior mandato uma ‘carta anónima’ denunciando um caso grave de ‘assédio sexual’ sobre uma jovem bombeira ocorrido no seio daquela Instituição e atribuído ao seu comandante

 

Esta carta foi omitida de todo o expediente que a anterior Mesa foi trazendo às sessões transactas, por opção do seu presidente e também por alguma ‘magistratura de influência’ exercida pelo seu vice-presidente (agindo este último,  como é sabido, em causa própria).

 

Pergunto pois ao senhor Presidente se não considera oportuno incluir este documento no expediente, repescando-o dos arquivos e dado que foi aqui referido pelo menos uma vez no mandato anterior por um deputado (da Coragem de Mudar) e pelo próprio vice-presidente, para que nos possamos formalmente pronunciar sobre o mesmo.

 

Pergunto ainda se não considera útil e também defensivo em relação a este Órgão, equacionar o envio do mesmo ao Ministério Público, para que seja junto à denúncia que ali corre os seus trâmites.

 

2.

 

A declaração que vou fazer vincula-me apenas a mim próprio, não responsabilizando de qualquer forma, no seu todo ou em parte, o Grupo Municipal do Partido Socialista em que me integro.

 

Como deputado independente eleito na lista do Partido Socialista, tenho a exacta noção de que existem assuntos que politicamente estão natural vedados a qualquer força política aqui representada.

 

A situação que se vive nos BVE é um desses assuntos, por muito que isso possa desagradar a algumas pessoas, nomeadamente às que se sentem mais defraudadas com a manutenção da mesma. Uma força política não deve imiscuir-se nos assuntos do âmbito de qualquer Instituição de direito privado, como é o caso dos BVE.

Coisa diferente é a manifestação dessa preocupação em nome individual por parte de um qualquer deputado cujo mandato é, como todos sabem, individual.

 

Quero pois expressar aqui a minha profunda preocupação, não fazendo qualquer juízo valorativo de qualquer das acções em curso, relativamente ao facto de estar a decorrer junto do TAF de Penafiel uma impugnação do acto eleitoral de Dezembro nos BVE, associada a uma providência cautelar interposta junto do Tribunal de Valongo e que visou impedir a tomada de posse dos novos Corpos Sociais eleitos.

 

Porque os Bombeiros Voluntários de Ermesinde são uma Instituição prestigiada e com um histórico de muitos e relevantes serviços prestados ao Município, constituindo-se por isso mesmo como um parceiro fundamental na estrutura da nossa protecção civil concelhia,  qualquer situação menos clara e susceptível de colocar em causa o seu bom nome ou a sua estabilidade interna essenciais para a continuidade do relevante serviço que prestam à comunidade, é sempre preocupante.

 

Quero pois aproveitar esta oportunidade para apelar aos Órgãos Sociais em exercício  para que tenham na devida conta as características muito especiais da Instituição e os constrangimentos que a indefinição e a instabilidade criadas pelas acções atrás referidas estão a gerar, dificultando inclusivamente como se perceberá, a realização de alguns protocolos muito importantes para a actividade dos BVE que impliquem a transferência de dinheiros públicos.

 

Ninguém compreenderia que qualquer transferência de dinheiros públicos pudesse alguma vez ocorrer no actual quadro de instabilidade que se vive nesta Instituição!


 

Moradia em construção em Alfena (Triângulo da Rua de Baguim e Rua e Travessa do Viveiro):

 

Depois de várias tentativas por parte da Câmara em conjugação com os esforços de alguns eleitos na Assembleia de Freguesia de Alfena, da própria Junta e também dos serviços técnicos municipais, o dono da obra e os seus (maus) conselheiros preferiu 'esticar a corda', prosseguindo a toda a força com a construção, isto por um lado e respondendo finalmente a todas as propostas que lhe foram sendo feitas para - na medida do possível e já com uma boa dose de transigência em relação às determinações legais - tentar expurgar a mesma daquilo que a caracteriza como um verdadeiro atentado, com uma 'contraproposta' que é uma verdadeira 'declaração de guerra' que nem a Câmara, nem a Junta e muito menos a comunidade poderão alguma vez aceitar!

 

Eu se fosse a ele e aos seus (maus) conselheiros iria ler com muita atenção e muito espírito de genuína abertura a Moção apresentada pelo Grupo Municipal do Partido Socialista e aprovada por unanimidade nesta Assembleia!

 

Eu disse bem, por unanimidade!

 

Só para que se perceba até que ponto este cidadão está 'empenhado' em ajudar a resolver o problema - que é principalmente dele próprio - atente-se na última proposta que lhe foi feita em conjugação com os serviços municipais e naquela que ele fez chegar à Câmara, em que basicamente e em linguagem popular, aceita dar um 'chouriço' se a Câmara e o vizinho da frente que tem uma casa construída há já alguns anos, lhe derem 'um porco' inteiro.

 

Proposta da Câmara:

 

 

 

Proposta do munícipe:

 

 

 


 

 

 

MOÇÃO

 

Tendo em conta todas as dúvidas surgidas a propósito do licenciamento emitido no início de 2013 para a construção de uma moradia no triângulo das Rua e Travessa do Viveiro e Rua de Baguim em Alfena;

 

Dúvidas não apenas relativamente à conformidade deste licenciamento com as normas e bons procedimentos urbanísticos em vigor, mas também com exigências que foram colocadas - e bem - em licenciamentos anteriores para o mesmo local;

 

Tendo, ainda, em atenção o claro desrespeito pelo estipulado na Lei 163/2006, de 8 de Agosto – Lei que estabelece o regime de acessibilidades a edifícios e estabelecimentos que recebem público – nomeadamente percursos e passeios acessíveis, violando também o Regulamento Municipal de Intervenção na Via Pública no que concerne aos perfis mínimos para vias e arruamentos;

 

Sabendo que a Junta de Freguesia de Alfena diligenciou junto dos grupos municipais e Câmara e, em simultâneo, junto da CCDR-N para que se pronunciassem sobre o problema;

 

Face a esta situação, a Assembleia Municipal de Valongo, reunida em sessão Ordinária no dia 28 de Fevereiro, recomenda ao executivo:

 

1. Que encete com o proprietário da referida moradia uma negociação, visando dar ao projecto um enquadramento que o coloque o mais possível, de acordo com a legalidade;

 

2. Em simultâneo, que incumba os Serviços de Urbanismo e o Gabinete Jurídico da Câmara de procederem a um rigoroso apuramento de todos os contornos do problema, nomeadamente a possibilidade de anulação do acto administrativo com todos os riscos que tal decisão possa envolver;

 

3. Que dê sempre primazia à salvaguarda dos interesses legítimos da comunidade, nomeadamente das pessoas com mobilidade reduzida, conforme a Lei determina, em prejuízo de interesses individuais de quem quer que seja, por muito legítimos que possam ser também estes;

  

O Grupo Municipal do Partido Socialista recomenda igualmente ao executivo que, na sequência do que vier a ser apurado, desencadeie, se for caso disso, o necessário procedimento interno para atribuição de responsabilidades a quem quer que as tenha na eventual irregularidade do referido licenciamento.

 

Desta Moção deve ser dado conhecimento formal à Câmara, à Junta de Freguesia de Alfena e à CCDR-N.

 

 

 

publicado às 01:48

Pág. 2/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D