Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO DOS 'TRAFICANTES DE URBANISMO'...

Foi uma boa sessão, aquela que ocorreu hoje em Ermesinde, com muito público e intervenções muito vivas - para fazer uma espécie de ponto de situação do período de discussão pública do PDM...

 

Dois entendimentos distintos (e antagónicos) ficaram patentes desde o início - incluindo a própria intevenção do orador convidado o Professor Manuel Miranda - relativamente ao processo participativo dos cidadãos:

Aqueles que defendem um processo aberto e distribuído ao longo de todo o período do processo de revisão, obviamente mais intenso na fase final, mas com a possibilidade de escrutínio e apresentação de contributos desde o início e depois o chamado 'chapa cinco' que é preferido pela esmagadora maioria dos autarcas deste País e pelas equipas técnicas envolvidas e que se traduz num mais ou menos longo período de incubação semi-secreto em que apenas se admitem os 'contributos' dos iluminados especialistas contratados e pagos a peso de ouro, dos tecnico-burocratas municipais e dos pseudo-decisores eleitos que respondem na maioria dos casos a impulsos externos induzidos pelos 'traficantes de urbanismo' que são uma variante 'menos ilegal' dos traficantes de droga, sendo que uns e outros ganham mais ou menos o mesmo.

 

Valongo optou desde o início, isto é, desde há cerca de 14 anos, por este último e a Câmara eleita em Setembro passado, podendo embora ter (ainda) mudado alguma coisa, preferiu manter o esquema corrupto herdado e num caso concreto como o do 'garimpo de Alfena' até o agravou, carreando para a fase final da discussão pública o contrato de urbanização com a Novimovest do Banco Santander e a Jerónimo Martins, sendo que esta última entidade tudo indica de que não passará de uma espécie de 'rebenta-minas' - quem esteve na guerra do 'ultramar' sabe do que falo - ao serviço da prevaricadora Novimovest/Santander.

 

De facto, se o presidente da Câmara acha que vale a pena transformar aquela área em zona industrial, logística ou o que quer que seja, então exproprie os terrenos para esse efeito - começando desde logo, pela área necessária à plataforma da Jerónimo Martins, por forma a impedir a consumação de um acto de corrupção e ao mesmo tempo arrecadar para os depauperados cofres municipais as enormes mais-valias!

 

O crime - e é de crimes que estamos a falar - tem de deixar de compensar e foi essa a tónica dominante das intervenções do público hoje - com uma única excepção. E foram bem duras e sentidas algumas das intervenções do muito público presente!

publicado às 00:09

CÂMARA DE VALONGO - 'AREIA PARA OS OLHOS' COMO DE COSTUME...

Requeri na Câmara - em 3 de Julho - os elementos que se seguem (recortes do essencial da "informação" que me foi entregue na passada segunda-feira dia 4 de Agosto).

 

Sobre os mesmos, o comentário que me ocorre é mais ou menos o seguinte:

 

Só podem estar "a gozar"!

 

Nos recortes 1/2 a Câmara (em 13/3/2009) 'constatou' a realização de 'trabalhos de remodelação de terrenos, de destruição do revestimento vegetal, relevo natural e das camadas do solo' - sem alvará de licenciamento (...).

 

Nos recortes 2/3/4 a Câmara (em 9/12/2011) numa nova visita ao local dos serviços de fiscalização, verificou a realização de trabalhos de deposição de aterros diversos com uma volumetria aproximada de 42.000 m3 (???) numa faixa de terreno interiorizada sita a nascente dos limites das instalações da Chronopost, abrangendo uma área aproximada de 35.000 m2 (???), bem como a depositar terras com uma volumetria estimada e aproximada de 8.800 m3 (???) (...).

 

De todas estas malfeitorias - reduzidas à sua ridícula 'expressão mais simples' - só quem esteja a tentar 'atirar areia para os olhos de alguém' é que pode desta forma leviana manipular metros cúbicos e metros quadrados como se quem pediu esta informação não conhecesse bem o local e não tivesse a noção aproximada deste tipo de volumetrias - a Câmara  (mandato anterior) encontrou motivos para aplicar uma coima de 1.800 Euros, acrescidos de 51 Euros devidos pela instrução do processo (em 2009).

A Novimovest não pagou e o mesmo foi enviado a tribunal (???).

 

Posteriormente, (em 2011) foi feita nova participação que deu origem a nova contraordenação (2012), tendo a Novimovest apresentado defesa escrita, encontrando-se o processo em fase de análise (!!!).

 

Portanto...

 

Este executivo, eleito em 2013 para MUDAR VALONGO, demorou desde o dia 3 de Julho até ao dia 4 de Agosto para me entregar este autêntico 'tratado de mistificação'!

 

Acresce a tudo isto, que é exactamente com o infractor (Novimovest) que a Câmara - esta Câmara - vai ser parceira no contrato de Urbanização que envolve também a Jerónimo Martins!

 

Já agora, fica aqui um desafio: Façam rapidamente uma visita ao local para constatarem de que ilegalidades e atentados ambientais é que estamos a falar. Ah! e perguntem aos vossos filhos do ensino básico quanto é um metro quadrado e um metro cúbico...

 

Recorte1:

 

 

 

Recorte 2:

 

 

Recorte 3:

 

 

Recorte 4:

 

publicado às 15:55

COM A DEVIDA VÉNIA AO JORNAL VERDADEIRO OLHAR...

Concretizou-se ruptura total com o presidente da Câmara Municipal

Celestino Neves abandona grupo do PS na Assembleia Municipal
Celestino Neves abandonou o grupo do PS na Assembleia Municipal de Valongo. Em carta enviada ao presidente da Câmara Municipal, e tornada pública, o independente que foi eleito nas listas socialistas garante que manterá o assento no principal órgão autárquico do município, mas agora sem responder a quaisquer orientações partidárias.

 

Na mesma carta, Celestino Neves critica José Manuel Ribeiro que, alega, não está a cumprir as promessas que efectuou na campanha eleitoral.

Mal-estar já era conhecido

O mal-estar entre Celestino Neves e José Manuel Ribeiro ganhou contornos públicos quando o primeiro assinou uma carta aberta, na qual não poupou nas críticas ao presidente da autarquia valonguense. Cerca de um mês depois, Celestino Neves avança para a ruptura completa.

Numa carta que enviou ao edil, Celestino Neves começa por alegar que o caminho que trilhou com José Manuel Ribeiro antes das eleições autárquicas de 2013 "se transformou rapidamente em beco sinuoso e sem retorno", sobretudo por culpa de José Manuel Ribeiro que "rapidamente o hipotecou antes do 'pim-pam-pum' que o fez optar pelo trilho de sentido único, rumo a lugar nenhum". "Mudar Valongo foi para si, portanto, uma estratégia encenada, que você obviamente nega, recorrendo ao argumento falacioso de que nunca se comprometeu com um prazo para fazer a mudança, como quem diz que 'até ao lavar dos cestos é vindima'", escreveu Celestino Neves.

 

Em seguida, o membro da Assembleia Municipal concretiza as razões do seu descontentamento, defendendo que José Manuel Ribeiro "manteve - e reforçou até num ou noutro caso - as posições de algumas figuras-chave sobejamente conhecidas – e não pelas melhores razões - dos mandatos anteriores, algumas envolvidas mesmo em processos-crime relacionados com corrupção devidamente sinalizados e num caso até, já com uma primeira sentença condenatória em tribunal".

A "completa hibernação de todos os processos referentes a ilegalidades urbanísticas" é outro dos motivos avançados por Celestino Neves. "Por outro lado, em vez do esperado reforço da transparência e de uma gestão amigável e aberta e voltada para os cidadãos, manteve a 'tradicional' opacidade, a dificuldade de sempre na consulta de processos ou na obtenção de informações", acrescentou.

Eleito nas listas do PS, o mesmo partido que sustenta o edil, Celestino Neves pergunta, por fim, o que é feito da prometida "auditoria rigorosa à Câmara", da "situação actual da concessão das águas de Valongo" e da "famosa construção da ARCA (Associação Cultural e Recreativa da Retorta). "Fica difícil manter-me no seio de um grupo que aceita ser subjugado e desrespeitado da forma que acabo de descrever e cuja posição na votação final do PDM na Assembleia Municipal você até decidiu como vai ser: voto favorável e com imposição de disciplina de voto", conclui.

O VERDADEIRO OLHAR tentou obter uma reacção do presidente da Câmara Municipal de Valongo, mas José Manuel Ribeiro não quis comentar a renúncia de Celestino Neves.

 

publicado às 13:34

ALFENA QUER FAZER PARTE DESTE PLANO - SERÁ QUE QUER? (PARTE 2)

Concluindo:

 

Aqui fica a o segundo (e último) DVD da sessão pública aberta sobre o PDM de Valongo - em Alfena no dia 12 de Julho, com o Dr. Paulo Morais.

 

Uma sessão onde se ouviram verdades incómodas e se apresentaram SOLUÇÕES para o PDM que a Câmara não está disposta a aceitar - porque se deixou enredar na velha de muitos anos, teia de corrupção que minou Valongo...

 

Aqui para nós, como é que José Manuel Ribeiro, um homem inteligente, com um passado de deputado municipal que merece ser destacado, com emprego, com vida própria que não depende da Câmara, consegue acreditar que pode chegar ao fim do mandato com o 'galinheiro' intacto mantendo a(s) raposa(s) a guardá-lo?


 

 

 

 

 

publicado às 11:16

SEC - VOLTEM VIATURAS, ESTAIS PERDOADAS (ACTUALIZ.)...

Porque o assunto continua infelizmente na berlinda - insolvência da SEC, substituição do primeiro administrador de insolvência, apreensão de património e leilão que já esteve marcado mas foi anulado - aqui fica um novo apêlo às viaturas abaixo identificadas,  que de repente decidiram passar à clandestinidade:

Voltem suas marotas, deixem de brincar às escondidas e apareçam para 'conversar'...


Excerto do post publicado aqui em 10-09-2013

 

(...)

 

Mesmo tendo recebido pagamentos da Câmara de Valongo relativos ao PAEL, alguns dos quais e tanto quanto julgamos saber, feitos em cheque e sem passarem pelo administrador (amigo) da falência, uma vez que o PER (Processo Especial de Revitalização) já estava a decorrer, os trabalhadores foram sempre esquecidos.

 

Falei num post anterior (AQUI) em máquinas com asas que tinham partido para destino incerto e sem guia de marcha - voltem suas mazinhas, porque estais perdoadas! - e hoje vou referir-me ao parque das viaturas pessoais ou de transporte, que tanto quanto se sabe, terão mudado de dono - pelo menos teoricamente - talvez da mesma forma que alguns donos mudaram de estado civil...

 

(...)

 


As viaturas dos senhores - entre outras...

 

publicado às 16:29

VALONGO, REUNIÃO PÚBLICA DE CÂMARA DE VALONGO - ONTEM SEM 'FIO DE PRUMO'...

Ontem foi dia de reunião de Câmara em em Valongo.

 

Menos valonguenses a assistir do que aqueles que têm sido habituais...

 

Terá isso a ver com o facto ontem de ser o primeiro dia de Agosto ou será já um sinal do previsível e inevitável cansaço resultante das empasteladas, excessivamente palavrosas e monocórdicas reuniões de Câmara?

 

A propósito de Agosto e das férias que neste mês 'batem mais forte' um pouco por todo o lado, até mesmo no País real, verifiquei duas substituições na representação do PS: a vereadora Luísa Oliveira e o vereador Orlando Rodrigues, substituídos por Jorge Duarte e... oops! não fixei o nome da jovem vereadora presente. As minhas desculpas...

 

Mas o que aqui me trouxe e que me deixou (relativamente) intrigado - e já vão ver porquê - foi o facto de o PSD ter ontem apenas 3 vereadores - faltou Maria Trindade do Vale que não foi substituída...

 

Os trabalhos lá prosseguiram em (não muito) bom ritmo, até ao ponto 12 e aqui de repente fez-se luz e desfez-se a minha dúvida anterior!

 

(Parêntesis)...

 

 

Alguém se lembra daquela polémica toda de há uns meses atrás com as 'IPSS/ADICE' que ganhavam aquela 'pipa de massa' (ganhava sobretudo a ADICE) para depois subcontratarem com terceiros o fornecimento deste serviço?

 

 

(E havia ainda aquele concurso 'martelado' por Fernando Melo há uns anos atrás, em que uma empresa ganhou o mesmo, mas mesmo assim perdeu a adjudicação do serviço das refeições escolares, mas que não se conformando, recorreu para os tribunais e ganhou a acção).

 

Pois é com essa empresa que a Câmara vai fazer o ajuste directo para evitar pagar a indemnização choruda a que ela teria direito...

 

Estou obviamente de acordo com a solução encontrada pela Câmara - com a empresa em causa e com as IPSS envolvidas que apesar de tudo vão ser ressarcidas de alguns investimentos que tiveram de fazer.

 

 

Só não concordo é com a falta de verticalidade do PSD!

 

Se queria votar contra mas ao mesmo tempo não queria inviabilizar a solução encontrada, então substituísse Maria Trindade - que de qualquer forma não poderia participar na votação (por ser parte na matéria) por outro vereador que se abstivesse na votação - uma vez que Adriano Ribeiro da CDU votaria obviamente contra!

Assim, o ponto acabou por ser aprovado com 4 votos contra, 4 a favor - tendo o presidente de usar o voto de qualidade...

 

publicado às 11:16

MOEDAS DE PECHISBEQUE EM TROCA DE UMA PIPA DE MASSA...

Este Passos Coelho é definitivamente um verdadeiro 'caso de estudo'!

 

Aproveitando o facto do engenheiro com nome de filósofo ter tropeçado no tamanho do nariz e largado o megafone onde fazia a promoção dos negócios do reino, vulgo 'banha da cobra', lá conseguiu saltar para o 'palco de feirar' e assumir com igual vigor promoção do 'produto que não serve para coisa nenhuma'.

Sempre ingénuos apesar das setecentas mil vezes anteriores, os portugueses deixaram-se indrominar novamente e a venda lá  prosseguiu em bom ritmo.

 

Lembro-me de uma história que se contava no tempo em que ainda havia eléctricos no Porto, onde um casal de campónios teria sido convencido a comprar uma 'casinha amarela' que estava parada no fim da zona a fazer horas para a viagem seguinte até ao Castelo do Queijo.

Eu acho que o Passos Coelho nos vendeu a Torre de Belém - 'nos' salvo seja, que eu cá não participei no negócio, embora o esteja a pagar também...

 

Mas como diz o Povo, "cesteiro que faz um cesto faz um cento" e o homem não para de nos surpreender!

 

A última dele - última antes da próxima, entenda-se - foi a partida que pregou ao amigo Jean-Claude Juncker impingindo-lhe um pote de Moedas em troca de 'uma pipa de massa' - pelo menos foi o que o Durão Barroso garantiu que Portugal irá receber de Bruxelas - quando o homem estava a contar com a carinha larocas que nos trata das Finanças...

 

Bem feito para o Juncker! "Ladrão que rouba a ladrão"... 

 

 

publicado às 23:19

Pág. 3/3

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D