Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

AUTARQUIA DE ALFENA - A ESTRATÉGIA DO CUCO...

Aqueles que vão seguindo de perto o que se vai escrevendo na versão electrónica de "A Voz de Ermesinde", um Jornal que vai fazendo a diferença (para melhor) entre a concorrência local - sobretudo para aqueles que "vão passando" pela secção "fórum" -  terão seguramente notado nos últimos tempos, um certo fervor inusitado na promoção do "projecto" UpA...

Ele é "UpA a Valongo já", ele são louvores e novenas aos futuros "santos" cá da terrinha, tanto o bem fazer e os milagres que lhes são atribuídos na promoção do bem comum (!)

E como "quem não está connosco é contra nós", este espaço onde escrevo regularmente desde Abril de 2006 sobre aquilo que me apetece, nem que seja - como neste caso - para dizer mal dos "falsos deuses" e dos seus incondicionais adoradores, teve honras de citação para ser comparado (em versão electrónica) ao "pasquim" criado por Vera Lagoa...

Tanta honra, sensibiliza-me! Mas ao mesmo tempo, põe-me a pensar se não estará para acontecer algum terramoto com epicentro na "casinha das bonecas" da nossa cidade e esta azáfama perfeitamente anormal dos indefectíveis não será já, uma espécie de "cerrar de fileiras" em torno do núcleo duro.

Ou então - outra hipótese possível - descobriram finalmente que de tudo o que andou a ser prometido aos alfenenses em alturas de angariação de votos, nada está cumprido.  E como nas mentes relativamente limitadas de alguns lideres ainda prevalece a ideia de que a repetição sucessiva de uma mentira a transformará em verdade, encomendaram aos mais fiéis amigos e aos amigos fiéis dos mais fiéis amigos, esta espécie de novena em torno do pseudo projecto UpA.

Não gosto de mandar palpites em relação à de ninguém e se querem mesmo acreditar que esta gente algum dia fará um milagre que seja, pois então puxem de um banquinho e esperem sentados.

E como nem sequer o "milagre" de atribuir a Alfena o título honorífico de cidade - sim, porque por enquanto, não passa disso mesmo: um mero título honorífico lhe pode ser atribuído - vai daí, pela "calada da noite" prepararam umas tarjas, uns pequenos panfletos em versão minimalista e uma inserção no site da Junta, saudando o acontecimento e dando os parabéns aos alfenenses pelo facto - que se deveu - obviamente na opinião deles - ao excelente trabalho dos UpA e deixando nas entrelinhas a ideia de que essa subida honra tinha merecido o seu parecer favorável e a repectiva aprovação.

Ora bem...

Quem me conhece, sabe que eu serei a pessoa menos qualificada para desempenhar o papel de  defensor (nem que seja oficioso) do "pai" da ideia -  o ex deputado da Nação e responsável pela Concelhia do PS de Valongo, José Manuel Ribeiro.

Mas como também nunca gostei dos métodos usados pelos cucos para assegurarem a continuação da espécie, vou transcrever na íntegra (e portanto com alguns erros de pontuação pelo meio) uma pequena parte da Acta número quatro de 2010 da Assembleia de Freguesia de Alfena, reunida em sessão ordinária no dia 29 de Setembro de 2010:

 

"(...) Seguiu-se no uso da palavra a deputada Fernanda Ferreira que leu uma Moção de apoio ao despoletar do processo de elevação da Vila de Alfena a Cidade subscrita pelos membros do Partido Socialista e cuja admissão para discussão foi aprovada por unanimidade (Anexo 6).

Inscreveu-se para intervir o deputado Joaquim Penela do Grupo Unidos por Alfena, que depois de referir que ra a primeira vez que intervinha na Assembleia como deputado, informou ser descendente  do artesão referido na Moção estando, em condições de poder afirmar não serem verdadeiras alguma datas mencionadas na mesma. Depois, manifestou a opinião de que os proponentes da Moção deviam estar mais preocupados com outras coisas que querer chegar a Cidade muito rapidamente, quando nem sequer existem zonas industriais em Alfena.

A deputada Fernanda Ferreira respondeu ao deputado Joaquim Penela, afirmando que o Partido Socialista não está no executivo da Junta desde 1989, pelo que não pode responder por aquilo que outros prometeram mas não fizeram.

Colocada à votação, a Moção foi aprovada por sete  votos a favor (três do Partido Socialista, dois da Coragem de Mudar e dois dos Unidos por Alfena) e cinco votos contra dos Unidos por Alfena e uma abstenção dos Unidos por Alfena (...)".

 

Portanto, vamos lá a pôr alguma moderação nesses parabéns efusivos aos alfenenses e sobretudo, não tentem receber o "abono de família" dos filhos que bem ou mal, em tempo oportuno ou a destempo, outros fizeram!

Eu sei que ainda há muitos alfenenses que acreditam piamente que Alfena há-de um dia chegar a "Capital do Reino" por obra e graça dos UpA - cada vez menos, é certo, mas ainda há bastantes.

Mas que desta vez o "milagre" não foi deles, fica aqui cabalmente demonstrado.

Ah! E para quem eventualmente possa partir (sempre) do princípio de que um "pasquim" pode estar a inventar ou a mentir, resta-lhe evidentemente a possibilidade de consultar a referida Acta na sua versão integral...

publicado às 00:19

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D