Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A CRISE - A ECONÓMICA E A DE VALORES...

Com muita frequência, "vemos, ouvimos e lemos" que algumas das políticas sociais que foram sendo implementadas ao longo destes últimos anos, não alcançaram (não alcançam) os resultados que se pretendiam obter quando as mesmas foram criadas.

A meu ver, há algumas razões que explicam esse insucesso:

À cabeça vem-nos logo a questão do Rendimento Social de Inserção (RSI) que desde início, serviu na esmagadora maioria dos casos - e isto, sem pôr em causa as reais necessidades de quem a ele recorria (recorre) - como "moeda de troca" para angariar votos.

O poder discricionário que sobretudo ao nível do poder local, era concedido àqueles que tinham de informar os processos por exemplo, funcionou como uma autêntica "fábrica de maiorias eleitorais". Depois, a atribuição dessa ajuda, foi sempre na base da caridadezinha e da esmola - e quem dá uma esmola não exige como é óbvio, nada em troca - quando, como o próprio nome indica, ela deveria servir para envolver as pessoas em trabalho social concreto e por via disso, ajudá-las a inserir-se de novo ou pela primeira vez, no mundo do trabalho.

Por isso é que vemos (ainda) um elevado número de cidadãos em idade adulta activa  - às vezes agregados familiares completos - que estruturaram completamente a sua vida com base neste subsídio e depois, escandalizámo-nos, porque alguém em muitos sítios do País, em muitas actividades e dos mais diversos estratos sociais, que sendo chamado para uma proposta de emprego, arranja todos os argumentos possíveis e imaginários para a recusar!

E catalogámo-los logo: preguiçosos, oportunistas, "subsídio dependentes"...

Esquecemo-nos é de que foram os políticos, os autarcas, as pessoas com alguma possibilidade de ajudar a construir uma mentalidade nova, que foram formatando - em benefício próprio - esta maneira de encarar as ajudas que o Estado vai dando a alguns, usando as contribuições de muitos. Sim porque o Estado não tem dinheiro nem uma máquina de o fazer: ele vem dos impostos de quem trabalha ou cria emprego!

Já hoje num comentário feito no Facebook a propósito deste problema e desta questão de existirem dezenas, centenas, talvez milhares de ofertas de emprego que são recusadas por centenas, milhares, talvez dezenas de milhares de subsídio dependentes - eu falei do que pelo menos até há algum tempo atrás, se passava aqui em Alfena.

Pena é que os Organismos fiscalizadores não tenham andado e continuem a não andar, atentos aos "sinais exteriores de maiorias" e ao contrário de outras buscas, não tenham preferido direccionar algumas para esta área específica.

Agora também, isso já não é muito relevante porque a contenção é tanta, que a "torneira" se fecha e raciona de forma automática o respectivo "débito" - criando porém aqui - através dos "cortes cegos" novas formas de injustiça.

publicado às 12:54

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D