Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO - TERRA ONDE O SILÊNCIO (LEIA-SE "LEI DA ROLHA") É DE OURO...

Daqui a escassas horas, terá início uma reunião pública da Câmara de Valongo.

Trata-se de um gesto caracteristicamente reactivo à conferência de imprensa dada pela Oposição na passada sexta feira e na mesma sala, para protestar contra a escassez cada vez mais notória das ditas reuniões de Câmara e sobretudo contra a irregularidade com que são convocadas - dando toda a ideia de que aquilo que é pretendido com esta estratégia, é "desabituar" os valonguenses de participarem nas mesmas.

A de amanhã, tem tudo para ser o que parece: simples "cumprimento de calendário". Basta olhar com atenção para a respectiva Ordem de Trabalhos.

No entanto, apesar da aparente folga de tempo deixada pelos assuntos agendados, apesar da situação financeira de falência que a Câmara vive justificar um esforço de abertura acrescido em relação aos cidadãos, os nossos "Vereadores que trabalham" ainda conseguem entreter-se com "guerrinhas de alecrim e manjerona" como é o caso de recusar um pedido de intervenção do Público,  (1) com base no "clausulado" que fazia parte do plano de saneamento financeiro e onde se previa que todas as reuniões passariam a ser públicas, com intervenção do público apenas na primeira 

Ocorrem no entanto duas situações que colidem com esta visão redutora:

Primeira: como a oposição bem disse na tal conferência que causou estupefacção ao nosso vice presidente, a média está muito aquém do que se encontra regulamentado. Logo, há um deficit para com o público.

Segunda: A tal deliberação da Assembleia Municipal que o vice presidente invoca - sim porque foi dele que partiu a limitação do direito de intervenção - não está em vigor, dado que todo o processo se encontra no Tribunal de Contas. Tanto assim é, que a Câmara estava obrigada a uma série de procedimentos, que por esta mesma razão não está a cumprir.

Portanto, nesta altura de crise grave e de incertezas várias, os valonguenses continuam a ter que contar (apenas) com uma Câmara, que além de falida por via do deficit financeiro, está - continua a estar - profundamente mergulhada no (infelizmente) habitual deficit democrático.

Talvez comecemos a perceber porque é que há cada vez mais gente a "comprar" a ideia de Passos Coelho de proceder a uma redução drástica no número de autarquias, empresas municipais, vereadores e quadros dirigentes do poder local.

Amanhã ficaremos a saber se ainda resta um pingo de sensatez aos quatro "Vereadores que trabalham", não impedindo mas antes estimulando os contributos do Público, deixando-se de invocar "regras" que de tão rebuscadas que são, transformá-las em lei não lembraria nem ao diabo.


(1) Por acaso - só por acaso - o pedido de intervenção é meu. Só tomei conhecimento da convocatória da reunião ontem e por isso e pelas restantes razões invocadas, mantenho o pedido. Veremos até onde é capaz de ir a prepotência - se é que a minha análise está correcta.

Uma coisa eu garanto para tranquilizar os intranquilos Vereadores e o funcionário do apoio áudio da Câmara que não tem culpa nenhuma do que se passa: não vou "tomar de assalto" o microfone...

publicado às 22:35

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D