Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

"PAÍS DE ARAQUE" - EM FRENTE POR UMA NOVA RESTAURAÇÃO!

Os brasileiros têm uma expressão que neste momento conturbado que Portugal vive, nos encaixaria que nem uma luva: "País de araque"!

É verdadeiramente aquilo em que ao longo destes 37 anos, alguns de entre os piores que compõem a geração de que fazemos parte, transformaram este pequeno rectângulo com alguns apêndices atlânticos onde as asneiras da "metrópole" são replicadas ou mesmo ampliadas, que nos foi legado pelos nossos avós e onde os Palácios com História são agora versões e modernas e recondicionadas da caverna dos "quarenta ladrões do Ali Babá".

Portugal precisa, mais do que "financiamentos" que no fundo não passam do retorno parcial - muito parcial - da espoliação de que temos andado a ser vítimas:

Desmantelamos a agricultura, para comprar aquilo que produzíamos, aos países onde ela se faz de forma intensiva e sem cuidados especiais de qualidade, desmantelamos as pescas para comprar àqueles que têm autênticas "fábricas de peixe", desmantelamos a indústria de construção naval, para deixar-mos - aqui sim - de competir com vantagem com "parceiros" desta Europa selvagem, desmantelamos a indústria têxtil, porque a Europa dos "direitos" se esteve marimbando para a concorrência que a China, a Índia e outros Países onde os direitos são uma abstracção nos faziam.

A essa Europa que seria suposto ser solidária, tanto lhe dá comprar em Portugal, com qualidade e apesar de tudo, com direitos e portanto, um pouco mais caro, como comprar os produtos vindos de autênticos Países/prisão onde a mão de obra não é remunerada mas apenas mantida a um nível mínimo de subsistência para continuar a produzir de forma intensiva.

A maioria dos nossos políticos e gestores públicos, foi clonada a partir dos congéneres do que de pior a Europa e o mundo tem produzido e por isso, não é para admirar que os vejamos transformados em espécie de bonecos articulados, fazendo genuflexões ou esgares a imitar sorrisos, sempre que vão ao beija mão dos seus tutores - "santos" que não merecem ser adorados, porque eles sim, usando a expressão brasileira, são claramente "de araque"!

Portugal merece - pela sua História, pelo contributo que tem dado ao mundo e à tal Europa "de araque", libertar-se  desta geração de "Filipes" e realizar a sua nova Restauração!

E não se trata - nem de perto nem de longe, de dizer - como alguns começam já a balbuciar timidamente - "volta Salazar, estás perdoado"!

A Democracia não é perfeita, mas ainda é o menos imperfeito de todos os sistemas políticos e só fazendo uso de todos os instrumentos que ela nos proporciona, é que nós conseguiremos vencer os "Filipes" e os "Miguéis de Vasconcelos" que por aqui os apoiam.

Portugal, merece ser um País - sem "aspas" - não de fraque mas muito menos ainda, "de araque"!

publicado às 14:19

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D