Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO - "O BONECO E O VENTRÍLOQUO"...

A propósito do artigo de opinião - mas desde quando é que o "boneco do ventríloquo" tem opinião? - assinado(não sabemos em rigor, se também escrito) pelo Director do Correio do Dono, perdão, Correio do Douro - assunto sobre o qual já aqui escrevi - chegou-me às mãos esta pérola de resposta do meu caro amigo José Manuel Pereira.

Quando os amigos dizem tudo o que deve ser dito, porquê acrescentar mais alguma coisa?

Talvez apenas reforçar o conselho ao cidadão-Director Óscar Queirós:

Venha até junto dos antigos donos das bouças agora "coladas" umas às outras e transformadas num "modelo à escala" do deserto do Saara.

Venha e será recebido de braços abertos pelos "contribuintes lícitos para um enriquecimento ilícito" - ou que pelo menos, permanece na imensa sombra onde a designação faz todo o sentido.

Venha daí e talvez possa até dar-se o caso de algum deles lhe oferecer uma bebida - com copo e tudo!

Venha de mente aberta e já agora, traga o "dono" consigo, porque quem oferece um copo oferece a garrafa, ou até mesmo o barril!

Ora então, cá vai o texto do Zé Manel:


 

"CORAGEM DE OPINAR 

Caro Sr. Diretor Óscar Queirós

 

A edição do Correio do Douro de 12 de Novembro último, dá, no seu artigo de Opinião, triunfal destaque à sua Coragem de Estragar. Uma virtude divinamente reconhecida quando, independentes como o meu caro, correm desesperadamente para o teclado e martirizam as teclas com (pro)fundas verdades terrenas. Parabéns. É dos nossos!

 

Na habitual pausa do sudoku, li o seu artigo, fiz as palavras cruzadas e quando dei por mim, lá estava eu ao pé de um multibanco a sacar o extracto bancário. Com largo sorriso de quem não sabe de onde vem dinheiro que sempre tem, disse cá para mim: Dinheiro em Novembro, Natal em Dezembro.

 

Voltei ao artigo e apesar das semi-mentiras que o mesmo verdadeiramente refere, fiquei baralhadamente estarrecido com a argumentação sem fundamentação que o seu referido desabafo escrito apresenta. Numa simbiose de Editorial/Opinião, - ora Óscar Queirós, ora Diretor, ora Jornalista, ora cidadão, ora opinador – apresenta-nos a custo zero, um milagroso ato de contrição sobre o que é a mentira, a falta de ética e deontologia jornalística: mostra desconhecimento do processo, leal subserviência a uma desinformação contra-informativa, rápida necessidade de, à falta de melhor jornalismo, manter o Correio ligado à máquina. Enfim, interesses que não interessam.

 

Evitando sempre falar em nomes (não vá, por distração, dizer a verdade) recorre ao genérico do infinitivo pessoal para mandar uns bitaites, verdadeiro frete a quem se presta a trabalhar à peça e por encomenda – tipo Information Just in Time. Semeia afirmações despropositadas, marimba-se nos interesses da isenção e objetividade, clama ao céu o inferno da fogueira que pretende acalentar sempre em nome dos bons negócios (não utilizei a expressão negociata para não gastar mais toner). 

 

Defende “corajosamente” – com unhas e dentes – todo o processo ocorrido, sempre considerado transparente, legítimo, honesto, cândido, desejável, legal e necessário. Entende que os meios (financeiros) justificam os fins. Logo que todos fiquem a ganhar, nada mau. Sendo assim, e mal agradecidos que somos “que podemos nós apontar ao negócio?”. 

 

Malditos tipos da Coragem de Mudar, essa gente, verdadeiros boateiros que está apostada a por a dezoito anos de concubinato e a “fortuna colossal” que mui incomoda o nosso opinante. Não vá os investidores fugirem e o investimento que tanta falta faz a Valongo e às suas gentes – quais gentes? – se transfiram para outras bandas dispostas a abrir os braços, “porque é demasiado importante o que têm para oferecer”. 

 

Os meus parabéns. Procurou prestar um excelente serviço. Sem estragar a sua coragem, tente abordar os referidos proprietários e questione-os, num mero trabalho jornalístico, com que força abrirão os braços à sua indignação. Aí, creio, vão recebê-lo de braços abertos, em nome da “boa-fé” e da “fortuna colossal”. Vai sentir-se aconchegado junto daqueles cuja reputação se encontra abalada por gente honesta.

 

José Manuel Pereira 

Um Corajoso da Coragem de Mudar" 


 

PS: Por uma questão de respeito pelos "direitos de autor" meu caro Zé Manel, mantive a tua excelente prosa na "versão acordo ortográfico". Mas só por se tratar da tua pessoa, que acordo ortográfico (em princípio) aqui não entra!

publicado às 20:49

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D