Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO DO NOSSO DESCONTENTAMENTO - "INVESTIMENTOS AMIGOS..."

Conforme prometido, volto à "vaca fria", que é como quem diz, ao requentado mas grave atentado ambiental cometido na zona onde actualmente se encontra instalada a CHRONOPOST mas que alastrou muito para além do perímetro desta empresa - tanto para além, que por graça, lhe costumo chamar a "zona do novo aeroporto internacional de Alfena".
Quem se der ao trabalho de "dar corda à botas" e palmilhar as léguas abrangidas por aquela vasta área, nem levando as características "palas" de couro em vez de óculos, conseguirá evitar o contacto visual com a malfeitoria: O espaço é de tal forma amplo, que ainda que se "olhe apenas para a frente", não nos conseguiremos abstrair da mesma. Só restam por isso duas razões para não terem ocorrido processos de contra-ordenação com as consequentes e seguramente avultadas coimas. A saber:
a) Ninguém passou por lá, ou se passou, foi apenas para "receber prendas" dos infractores - mas para isso nem sequer precisava de ir sujar os sapatos: bastaria dirigir-se à sede da "Corporação".
b) Se passou e fez o seu trabalho, o mesmo acabou por cair no fundo da gaveta do chefe, onde "jaz" estrategicamente até à saída do PDM revisto, não vá o diabo tecê-las"...
Ontem, na reunião pública de Câmara, coloquei a questão que se segue, para a qual o Sr. Presidente já levava uma resposta dactilografada de duas páginas - a chamada "resposta na hora":
 
- Informação sobre o "histórico" das visitas dos serviços de fiscalização camarários à área onde se insere a nova Chronopost e número de autos levantados contra incertos ou identificados, nomeadamente:
a) Relativos à imensa área arrasada e desflorestada;
b) Informação sobre o tipo de solução encontrada para os efluentes da referida empresa."

A "resposta redonda" de Fernando Melo, obviamente preparada e assinada por uma das pessoas que seguramente mais tem "sujado os sapatos e tudo o resto", calcorreando os terrenos inóspitos de Valongo e que nem por isso - por esse inexcedível "espírito de sacrifício" - deixa de estar a contas com a justiça, que alegadamente suspeita que este "sacrifício" de calcorrear terrenos inóspitos, não  tenha passado de viagens virtuais através da cartografia apresentada pelos promotores imobiliários, nos ambientes mais acolhedores dos gabinetes: O Arquitecto Vitor Sá.
Obviamente, que tratando-se de um empreendimento "amigo", nunca esperaríamos que tivessem sido aplicadas coimas. Mesmo assim, quizemos obter a informação escrita, porque será sempre útil essa forma, nas acções que se seguirão.

Seria impensável que numa autarquia onde a corrupção não fosse a regra, cidadãos iguais em direitos, fossem tratados de forma desigual. E neste caso, teriam sido aplicadas pesadas coimas e ordenada a reconstituição das linhas de água, a reposição da cobertura vegetal, quiçá mesmo, o accionamento de procedimentos criminais.

Em Valongo porém, não é assim que as coisas funcionam e por isso, é que desde há cerca de 18 anos que a atmosfera que respiramos nos remete inevitavelmente para um imparável processo de decomposição que a curto prazo, ameaça fazer "ruir" todo o "edifício" de Vallis Longus espalhando sujidade em todas as direcções. Como é óbvio - e seria seguramente expectável por quem me preparou esta "resposta redonda" - remeti já o assunto para a ARHNorte e para o SEPNA da GNR - para que "a culpa não morra solteira"
 
publicado às 14:02

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D