Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

PAÍS DE ARAQUE - VONTADE DE EMIGRAR...

Começo a dar razão a Pedro Passos Coelho - no que toca aos seus recentes conselhos para que os portugueses emigrem. Não obviamente pelos mesmos motivos que ele invoca - longe disso - mas porque este País deprime-nos, revolta-nos, transforma-nos até em pessoas potencialmente violentas e eu confesso que não gosto disso.

 

Motivos não me faltam para justificar este meu desabafo, desde o direito que o governo se arroga e que nega aos outros ladrões - porventura até menos perigosos - de nos vir ao bolso e retirar o que lá está, passando pela repetitiva questão dos boys e das girls para substituírem os boys e as girls nomeados pelo governo anterior, pelo favorecimento ilícito e imoral dos privados da área das telecomunicações, com a questão da Televisão Digital Terrestre, entre outros, tudo isto é mais do que suficiente para explicar a minha revolta e "a minha perigosa caminhada para um estado de violência tal, que já quase admito poder vir a participar um destes dias numa qualquer revolução que alguém se disponha a liderar" .

 

Mas há uma questão que me deixa especialmente descontrolado e que tem a ver com o fechar de olhos por parte de quem governa, ao exercício ilegal de actividade de muitas clínicas e hospitais privados, que fazem publicidade nas Rádios, nas TV's, nos Jornais, que facturam ao Estado os serviços prestados no âmbito das convenções com a ADSE e outros, mas que ninguém conhece, ninguém sabia que estavam a funcionar - até que um dia, acontece um acidente grave e aí, vêm todos ao mesmo tempo, para vistoriar, para impôr prazos para determinar alterações de instalações, para em última instância mandar encerrar.

 

A partir de uma situação concreta - o pedido de informação sobre o licenciamento do Hospital Prvado de Alfena - foi um pouco como as cerejas, ou dito de outra forma, foi "cada cavadela sua minhoca":

O Hospital da Arrábida do grupo Espírito Santo, tem o processo de licenciamento a decorrer, na sequência de obras de ampliação e várias alterações efectuadas, depois da compra ao DMI, mas entretanto, nunca parou a sua actividade. A Clipóvoa Boavista, do mesmo grupo, também tem o licenciamento irregular.

Todos estes e seguramente muitos mais, continuam e continuarão a funcionar, sem que as Entidades Reguladoras, as Administrações Regionais de Saúde e sei lá quem mais, "saibam" disso - dizem que não podem actuar porque não têm meios suficientes para isso.

 

Isto é o Portugal de que os portugueses obviamente não se orgulham. Isto é a lei da selva, isto é laxismo do Estado, que gastando o nosso dinheiro em mordomias e criação de cargos à medida para os boys e as girls, não lhe sobra depois o necessário para assumir o papel de regulador no avanço desmedido e sem regras dos privados numa área tão sensível como é a da saúde.

 

Perante isto, o que mais nos apetecia - mesmo que não fosse apenas para ganhar dinheiro - seria emigrar e ganhar em qualidade dos serviços públicos, em seriedade política, fiabilidade por parte dos agentes reguladores.

 

Mas tínhamos de ser obviamente muito selectivos, pois muitos dos defeitos que nos atormentam, foram importados ao longo dos últimos anos, pelo "bom aluno português" que se tem revezado na governação do País! 

 

publicado às 14:34

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D