Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

O GRANDE POETA ANTÓNIO ALEIXO EXPLICA...

Ora vamos lá à "vaca fria" prometida - a votação hoje em reunião de Câmara, do Relatório de Ponderação da consulta pública à excepção ao PDM pedida pelos regressado "grupo dos Dalton" - oficialmente apresentada porém, como um pedido do grupo Jerónimo Martins.


Vou tentar ser civilizado na maneira de escrever, que há momentos em que o que nos apetece mesmo, é recorrer ao vernáculo para classificar algumas atitudes e um certo tipo de pessoas com que vamos por enquanto ter de continuar a conviver em espaços públicos e portanto de todos, incluindo eles.


Começo por dizer que não tem grande relevância o que hoje foi votado, nem a maioria grantida pelo bloco central servirá de grande conforto aos trafulhas que estão enterrados até aos olhos na mega-fraude "lá de cima" - estou a escrever isto obviamente na parte baixa da cidade de Alfena - envolvendo o Banco Santander, a NOVIMOVEST e mais uns quantos autarcas - por enquanto sem rosto (?) - mais os respectivos apêndices paus mandados.


O que foi de facto relevante, foi a cambalhota dada pelos três Vereadores do PS - e desta vez, segundo o Dr. Afonso Lobão - decidida por unanimidade no seio do Partido! Desde o último chumbo deste Relatório, ficamos sem saber o que terá ocorrido de relevante que os tenha obrigado a transformarem-se em "cãezinhos de circo" amestrados para obedecerem à voz do dono.


E aqui, a curiosidade maior vai ser assistirmos à fundamentação do Dr. José Manuel Ribeiro na Assembleia Municipal, quando tiver de dar também a sua cambalhota na altura em que este assunto lá chegar - se chegar... Sim, porque - e por isso é que o que hoje se decidiu tem a importância que tem, isto é quase nenhuma - agora o Relatório será enviado à CCDR-N, onde já existem várias reclamações, e várias queixas sobre a forma como tratou a questão na nova Carta REN de Valongo, a qual terá que decidir: Ou aprova, ou retém o assunto até à saída da versão final do PDM, o que faria todo o sentido.


Veremos o que a Drª Célia Ramos irá decidir, nesta fase de ebulição em que se encontra a CCDR-N...


A fase seguinte, será a aprovação em reunião de Câmara e se isso vier também a ter lugar, as orelhas do Dr. José Manuel Ribeiro já andarão tão massacradas, que não sei se vai aguentar mais sofrimento - sobretudo numa altura em que pelos vistos anda à procura de consensos na periferia para a sua candidatura a presidente de Câmara. Será que nessa fase ele vai acatar como agora acatou a ordem do Partido?


Porque as palavras do Dr. Afonso Lobão e do Dr. José Luis Catarino à entrada para a reunião, não permitem outra interpretação "temos ordens do Partido para viavilizarmos este Relatório" - e viabilizaram, não com uma simples abstenção, mas com o seu voto favorável!


Mas a etapa mais problemática para os corruptos, vai ser portanto a barreira (ou não) da CCDR-N: Além da excepção pontual não ser a favor da Jerónimo Martins que teria apenas a concessão durante um certo número de anos e que aliás não tem na Câmara nenhum projecto de investimento - ou melhor, acho que tem mas em "versão promessa" e apenas nas cabeças dos "quatro poderosos" (?)- mas sim da NOVIMOVEST e do lodaçal que a rodeia, a CCDR-N tem que considerar que sobre aqueles terrenos impende uma medida preventiva: Foram percorridos por incêndios há menos de 10 anos e neste caso, o DL nº 34/99 de 5 de Fevereiro, conjugado com o DL nº 55/2007 de 12 de Março, não deixam margem para dúvidas sobre a impossibilidade de qualquer operação urbanística naquela área. E para quem diga que ali não ardeu nada, ou que ardeu mas foi ao lado, o Google com os seus fotogramas pode dar uma ajudinha...


E porque prometi inspirar-me no Grande António Aleixo, aqui vai uma direitinha para o ex vereador - mas creio que não eis corrupto - José Luis Pinto e para os que lhe sucederam na gestão do empreendimento - simbolicamente representados pela figura do mau merceeiro:

 

"O meu merceeiro é um santo
e há quem diga que ele é mau!
Digo-lhe só: - dou mais tanto,
já me arranja bacalhau."

 

E foi assim que o Banco Santander, a NOVIMOVEST e o respectivo testa de ferro e ex sobrinho do vice Rey de Matosinhos conseguiram paletes e paletes de "bacalhau"...


PS: Ou como, citando o grande Sá de Miranda, o meu amigo R.R me deixou num comentário no Facebook:

«Que eu vejo nos povoados / muitos dos salteadores / com nome e rosto d'honrados / vão quentes, andam forrados / com peles de lavradores» e «Per minas trazem suas azes / encobertos seus assanhos / falsas guerras, falsas pazes / per fora são mansos anhos / per dentro lobos robazes».

 

 

 

 

 

publicado às 17:17

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D