Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

O CENTRO DA CORRUPÇÃO EM PORTUGAL


 

"O Porto e tudo à volta" devem ter-se, perdoem-me o vernáculo, borrado de medo ao ouvir falar no nome de Paulo Morais para a vice presidência da CCDR-N.

(Refiro-me obviamente à parte podre do Grande Porto - e de Valongo em especial, por ser o Concelho que conheço melhor - que vive dos rendimentos do submundo da especulação imobiliária, dos crimes ambientais que lhe estão geralmente associados e do jogo com as regras à medida e as excepções pontuais nos instrumentos de Ordenamento do Território) para rentabilizarem devidamente os seus investimentos.

Afinal, a máquina da corrupção lá conseguiu conter os danos e limitar as perdas, convencendo Passos Coelho a quedar-se por uma versão menos ameaçadora, tendo em conta os interesses instalados.

Imaginamos as longas maratonas negociais que terão ocorrido, o tráfego de telefonemas, a circulação de e-mails, os apelos à memória feitos por alguns dos principais investidores nas campanhas eleitorais e no financiamento dos Partidos - "financiamento partidário" é como sabemos, o sobrenome da CORRUPÇÃO - para que Paulo Morais ficasse de fora.

Paulo Morais constituiria uma ameaça demasiado preocupante, uma espécie de "cavalo de Tróia" dentro da CCDR-N, a complicar o rotineiro funcionamento dos negócios do costume. No fim de tudo, pelo menos os financiadores conseguiram evitar o mal maior.

Um homem (Paulo Morais) que diz  que "o Parlamento tem sido 'centro de corrupção' em Portugal" seria uma espécie de míssil apontado ao coração do monstro...

publicado às 10:20

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D