Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

AS DUAS REN DE ALFENA...

Citando-me a mim próprio no Jornal VERDADEIRO OLHAR:


 

 

 

por: Celestino Neves  
OLHAR (IM)PARCIAL
AS DUAS REN DE ALFENA
 

REN  #1
Alfena mudou muito nos últimos anos.
Da freguesia rural há cerca de duas décadas, os 21 lugares em que se divide o seu território de 15.200 habitantes (2011) foram evoluindo de forma algo assimétrica até ao presente, adquirindo o estatuto de vila em 30 de Junho de 1989 e tendo ascendido à categoria de cidade em 6 de Abril de 2011.

Periférica e encostada ao gigante Porto, não conseguiu escapar aos constrangimentos de um aglomerado dormitório, mas tal como as medalhas têm dois lados, se um deles constituiu um handicap o outro mais positivo, ajudou-a a ultrapassar carências, a melhorar acessibilidades, transportes, alguns serviços, a atrair alguma indústria, a alargar a rede de saneamento básico e de abastecimento de água e a vestir-se de forma mais citadina.

Porém, possuidora (ainda) de vastas áreas rurais protegidas - a REN (Reserva Ecológica Nacional) - representa uma tentação demasiado forte para os especuladores, que vêm aqui uma oportunidade de ganhar dinheiro fácil através do tráfico de influências junto da Câmara e de alguns autarcas corruptos com quem dividem as astronómicas mais valias geradas com a passagem de áreas REN para áreas edificáveis.

O exemplo mais mediático é o dos famosos terrenos da zona dos 5 Caminhos, comprados por 4ME  e vendidos no mesmo dia por 20ME, que está neste momento a ser investigado pelo Ministério Público - um imenso garimpo que se mantém activo e de onde sairá ainda muito ouro!

REN #2
Esteve em consulta pública (pouco divulgada, como convinha) o projecto da REN (Rede Eléctrica Nacional) de aumento da tensão da linha Recarei - Vermoim 3  que atravessa Alfena –  e também Campo e Sobrado –  de 220 para 400 KVA.

Tudo bem. A energia faz falta, as dezenas de tomadas que existem numa habitação vulgar para alimentar uns quantos aparelhos e utensílios sem os quais já não conseguimos viver não são adornos e têm de estar sob tensão.

Agora, fazê-lo da forma habitual e perfeitamente terceiro-mundista, sem preocupações de ordem  estética e/ou ambiental, recusando-se a atender às preocupações cada vez maiores  das populações com a sua saúde eventualmente afectada pelas ondas electromagnéticas, nas zonas atravessadas pelo autêntico estendal de que Alfena deve ser um dos mais flagrantes exemplos, isso já é demais!

Os lucros astronómicos que anuncia em cada ano, obrigam a REN a escolher, não a solução mais barata mas sim a melhor e a que melhor sirva os interesses dos cidadãos e essa é, regra geral, a do enterramento das linhas.

A REN habituou-se, quase sempre com a conivência do poder central e local, a tratar os portugueses de forma displicente, comportando-se como se fosse a dona do território e do espaço aéreo  até à altitude das rotas dos aviões.

Esperemos que desta vez as populações possam ter o apoio da Câmara, que aprovou há dias por unanimidade uma recomendação para que a REN a faça as coisas da forma certa. Estamos fartos de estendais onde nem sequer se pode pendurar a roupa a secar.


 
 
 
Celestino Neves 
 
Veja abaixo mais artigos de Celestino Neves
 
OLHAR (IM)PARCIAL
 
O REGEDOR DE ALFENA (*)
 
 
OLHAR (IM)PARCIAL
 
Vallis Longus (*) da longa crise
 
 
OLHAR (IM)PARCIAL
 
O PADRINHO DE VALONGO (*)
 
 
OLHAR (IM)PARCIAL 
POLÍTICA E PODER
A política, como forma de atividade ou de práxis humana, está estreitamente ligada ao poder. O poder político é o poder do homem sobre outro homem, descartados outros exercícios de poder, sobre a natureza ou os animais, por exemplo. Poder que tem sido tradicionalmente definido como "consistente nos meios adequados à obtenção de qualquer vantagem" (Hobbes) ou, como "conjunto dos meios que permitem alcançar os efeitos desejados" (Russell). (Respigado da Wikipédia)

 

publicado às 20:25

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D