Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

TEORIA DA CONSPIRAÇÃO?

Que a situação financeira da Câmara de Valongo se encontra entre o charco e o abismo, já ninguém desconhece, principalmente as empresas, que de forma mais ou menos transparente(*) - mas também, esse tipo de preocupação não era suposto ser da sua responsabilidade - foram executando as obras que lhes adjudicaram, enterraram nas mesmas o seu dinheiro e aquele que os bancos lhes foram emprestando e agora dizem-lhes com um sorriso nos lábios e umas palmadinhas nas costas "tenham um pouco mais de paciência, aguardem mais algum tempo, porque isto há-de resolver-se"?

Alguns, interrogam-se mesmo sobre se algum dia verão os seus créditos regularizados - nem que seja com o sacrifício de abdicarem de uma parte dos mesmos, como já chegou a ser sugerido por quem conduziu a autarquia a este estado.

 

Parafraseando Galileo Galilei "e no entanto, ela move-se", sendo que "ela" neste caso não é obviamente a Terra, porque essa dúvida já ninguém a tem, mas sim a máquina trituradora da Câmara.

Mesmo sem dinheiro, que escasseia até para as coisas mais comezinhas, o "diabólico maquinismo" que de tão pesado já nem os quatro(**) que trabalham conseguem controlar, lá vai seguindo em "roda livre" triturando o erário público para satisfazer o ego e a ânsia de revanchismo de uns quantos que nem sequer foram eleitos e que tendo todas as razões para preservar a imagem do chefe, fazem exactamente o inverso, não se importando de o colocar em cheque ao tomarem decisões sem o informar devidamente de todos os detalhes - e como dizia o outro, "o diabo está (quase sempre) nos detalhes" - dando início a processos judiciais que só depois lhe explicam por alto e de forma atamancada, mas que entretanto já o fizeram assinar de cruz com uma outra versão.

 

Alguns desses, acharam que este blog já os tinha incomodado que chegasse (?), que já tinha tinha repetido a palavra "corrupção" vezes demais, que começava a interferir com demasiados interesses instalados na órbita da Câmara (na sua órbita, melhor dizendo) e por isso apeteceu-lhes arranjar trabalho ao Ministério Público e eventualmente aos Tribunais - como se um e outros não tivessem coisas mais importantes para fazer do que descodificar o tipo de linguagem blogosférica usada para escrever sobre figuras públicas e como se isso fosse alterar de alguma forma a linha editorial desta espécie de diário pessoal - porque é isso que um blogue é - que iniciei em Abril de 2006!


Porém, ao chefe a quem deviam assegurar o necessário resguardo, contaram uma "parábola", levando-o a proferir aquela acusação pública perfeitamente descabida e deprimente - "vou pôr-lhe um processo,  porque na última reunião me chamou vigarista"!

Já disse em tempos idos coisas muito duras a Fernando Melo em reuniões públicas, já escrevi mais recentemente sobre ele neste blog, coisas menos agradáveis porque na minha óptica ele era até há algum tempo o verdadeiro responsável pelo total descalabro da nossa autarquia. Neste momento e com toda a sinceridade, acho que Fernando Melo já só é responsável por continuar a permitir que o usem para fins menos claros e não se coíbam de o deixar na situação caricata em que o deixaram na tal reunião.

 

Para além de ninguém que me conheça razoavelmente me imaginar a chamar-lhe "vigarista" numa reunião pública, existe uma incontornável gravação das sessões que provará o que digo e que por isso ainda não me foi entregue, apesar de a ter requisitado no dia 8 de Fevereiro. E depois, estão todos os Vereadores da oposição e quiçá alguns dos outros e também algum público, que confirmarão o disparate desta acusação.

 

Francamente, apetece-me fazer este desabafo: não sou a pessoa mais preparada para sentir pena do presidente, mas lá que esta encenação parece ter sido feita por medida para o descredibilizar ainda mais e o deixar completamente "descomposto na fotografia" parecem não restar grandes dúvidas.

 

Pré campanha eleitoral já em curso, onde "vale tudo" para marcar lugar no aparelho partidário? Interesses financeiros tentaculares tentando aliviar a pressão a fim de reconquistar algum espaço perdido?

Um dia qualquer ficaremos a saber qual destas hipóteses estará mais próxima da verdade - e porque não as duas?

Caso para dizer a Fernando Melo: "com amigos assim, quem é que precisa de inimigos?"


 

(*) Aqui talvez devesse ter escrito opaca

(**) Neste caso, impõe-se um precisão sobre a célebre frase de Fernando Melo - "cinco que estorvam e quatro que trabalham".

Neste momento e em bom rigor a situação é assim: "cinco que trabalham (estorvando eventualmente algum trabalho errado), 3 que trabalham de facto, mas à maneira deles e não da forma que os valonguenses pretenderiam e necessitam e por último um que não sei muito bem - se trabalha...

 

 

publicado às 00:20

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D