Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

VALONGO E O 'PRINCÍPIO DE PETER'

Toda a gente já percebeu, eu já escrevi, os jornais regionais e alguns nacionais também  eo  próprio o confirmou, que João Paulo Baltazar será 'o candidato' à presidência da Câmara de Valongo em 2013. Entende-se que assim seja, percebe-se que o PSD local e Nacional não possam nem queiram ser inovadores, atrevendo-se a contrariar pela primeira vez, o conhecido 'Princípio de Peter' (Laurence Johnston Peter) - "Num sistema hierárquico, todo o funcionário tende a ser promovido até ao seu nível de incompetência" - Wikipédia.


João Paulo Baltazar começou por baixo aprendeu a 'arte' num percurso feito à moda antiga, como 'aprendiz, oficial de terceira, segunda, primeira' e foi por ali acima até chegar à 'gerência', já moldado, formatado, igual ao mestre, isto é, incompetente como ele - e aqui, 'incompetente' não não envolve obviamente qualquer tipo apreciação pessoal, mas apenas funcional...


(Um parênteses para dizer, que na fase imediatamente anterior à abdicação de Melo, 'criador e criatura' já se confundiam sendo que neste caso, não foi seguido um outro princípio também muito conhecido, segundo o qual, o criador tende a matar a dita').


Funcionando de acordo com a matriz 'meritocrática' atrás referida que regra geral, não admite a despromoção (uma excepção recente apenas para Arnaldo Soares) é uma espécie de pirâmide invertida com escadinhas em que cá, como noutros municípios que que aplicam o mesmo princípio, a 'solução' é alargar cada vez mais o imenso topo e preencher os degraus que vão vagando, a partir do vértice/base,  não por saída de ocupantes, mas pela subida dos mesmos, num ciclo infernal interminável em que um dia a pirâmide, com tão desconforme topo, acaba por entrar em inevitável desequilíbrio - estrutural, conjuntural ou o que se lhe queira chamar e ou é escorada de forma robusta, ou acabará por ruir sobre si mesma numa espécie de implosão sem necessidade de explosivos.


Na fase do 'equilíbrio' relativo, a analogia mais fiel será a do pião da nossa meninice, bojudo, mais ou menos pesado, mas que lá se vai movendo sobre o bico metálico, enquanto a energia gerada pelo lançamento não descer abaixo de um determinado limite.


Na (invertida) pirâmide/pião de Valongo, estaremos prestes a ultrapassar o referido limite com o inevitável risco de desabamento  - se entretanto o 'senhor dos Passos' continuar a dizer e a agir em conformidade: 'que se lixem as eleições'...

publicado às 10:40

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D