Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

MUNICIPALISMO VERSUS (ACTUAL) TERRORISMO DE ESTADO

«Por Municipalismo entendemos nós o conjunto de todas as organizações locais que têm como função administrar os interesses das respectivas circunscrições territoriais, mais ou menos determinadas, e segundo formas de indicação dos seus próprios habitantes. De municipalismo costuma igualmente designar-se a tendência para reconhecer ou instituir aquelas organizações.», António Lino Neto, A questão administrativa (o municipalismo em Portugal), Lisboa, 1910. p. 48.


Pois bem...


Nestes tempos de esmagador e iníquo centralismo, vale a pena revisitar Alexandre Herculano - e outros pensadores que de algum modo o influenciaram - e perceber como neste momento tudo podia ser diferente para todos nós, se o seu pensamento sobre o Municipalismo tivesse vingado.

Desde logo, não teríamos um Órgão legislativo que é considerado por muitos - por exemplo, pelo insuspeito Professor Paulo Morais, ex vice presidente da Câmara do Porto - como o centro da corrupção em Portugal.

Depois, Portugal - do Minho ao Algarve, passando pelas regiões 'autónomas' dos Açores e da Madeira - não estaria ao alcance e constantemente na mira dos 'mísseis terra-terra' do 'grupo terrorista' comandado a partir da Rua da Imprensa à Estrela em Lisboa e que tanta destruição e tanto sofrimento têm causado ao nosso Povo.

Também a despesa relacionada com o efectivo de gorilas destinados a proteger a periferia do centro do mal e os costados dos terroristas, poderia ser bem menor, dado que um poder descentralizado e de proximidade, não geraria tantos anti corpos nem daria lugar a tão violentas reacções alérgicas e de absoluta rejeição.

Por último, sendo a Democracia por definição o poder do Povo - mais ou menos directa, mais ou menos representativa - o factor mais importante mesmo e que verdadeiramente conta, é o da proximidade - "tu representas-me porque eu te conheço e confio em ti" versus "como podes representar-me se não nos conhecemos de lado nenhum"?

No actual sistema, perguntar ao deputado que ajudamos a eleger "porque não fizeste o que te pedi (ou me prometeste) na campanha eleitoral?" ou ainda, "porque te juntaste ao grupo de malfeitores ao contrário do que sabias ser o sentido do voto que eu te dei?" é tarefa impossível e teremos de esperar 4 anos por uma nova oportunidade de corrigir o mal - se entretanto já não tivermos morrido em consequência do mesmo!

Hoje o Partido Socialista anunciou um projecto de alteração da Lei eleitoral visando a redução do número de deputados da Assembleia da República.

É capaz de representar algum corte na celulite do Estado. É até capaz de agradar aos senhores da Troika (vénia). Mas não muda nada relativamente ao problema de fundo do País, o qual reside - salvo melhor opinião - no tipo de organização do seu território por um lado e por outro, num exercício do poder, completamente diferente daquele que actualmente temos!

 

publicado às 14:26

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D