Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

CÂMARA DE VALONGO - JOGOS DE ESTRATÉGIA...

Mantenho em 'PAUSE' o assunto PDM, para escrever sobre as atribulações da reunião de Câmara que hoje ocorreu e que vieram tornar clara - esta é uma interpretação muito pessoal que faço questão de partilhar - a gestão tacticista que o presidente já vai introduzindo neste seu final de mandato, mas com os olhos postos no eventual próximo.


Na sua preocupação de confortar a parte da oposição que menos o incomodará no seu projecto futuro - se é que podemos falar apenas em 'ausência de incómodo' - o presidente de Câmara esteve hoje prestes a dar um lamentável 'tiro no pé' que ou muito me engano, ou marcaria irremediavelmente e de forma irreversível a sua capacidade de se apresentar perante sua estrutura concelhia como um candidato ganhador.


Refiro-me á sua transigência em aceitar um pedido de agendamento para um ponto específico: 'PROPOSTA DE REVOGAÇÃO'  de uma deliberação sobre um vereador a tempo inteiro tomada em 2009 - gesto claramente interpretado como uma espécie de  'aconchego' para com os vereadores da Coragem de Mudar, Maria José Azevedo e Pedro Panzina, que na anterior reunião levantaram um incidente sobre a substituição do Dr. Arnaldo Soares, que como todos sabemos, se demitiu recentemente, pelo Dr. Sérgio Sousa.


Há pessoas com uma espécie de 'tendência congénita' para complicar o que é simples e pelo menos neste caso, o Dr. João Paulo Baltazar evidenciou indícios desse 'problema'.


Concretizemos:


Em 4 de Novembro de 2009, por proposta do Dr. Fernando Melo, foi proposto um vereador a tempo inteiro para além dos dois que a lei permite ao presidente nomear.

Na deliberação referia-se um vereador - não se indicando um nome concreto - e acrescentava-se que seria para o mandato 2009/2013.

Essa deliberação foi aprovada por maioria, apenas com a abstenção dos vereadores do Partido socialista, sendo curioso o pormenor do voto favorável da Drª Maria José Azevedo e do Dr. Pedro Panzina, quando não o sendo referido expressamente, se sabia já que esse vereador seria o Dr. Arnaldo Soares, personalidade bem conhecida em Alfena - pelos piores motivos -  quer por parte da Coragem de Mudar, quer ainda pela própria estrutura local do PSD!


O Dr. Arnaldo Soares manteve-se a tempo inteiro até o Dr. Fernando Melo lhe ter 'retirado o tapete', facto que determinou o seu posterior pedido de demissão.


Ora na reunião anterior de Câmara, o Dr. Pedro Panzina, questionando a legalidade do despacho de nomeação de um outro vereador a tempo inteiro para o substituir, até facilitou as coisas para o lado do presidente, sem que fosse evidentemente essa a sua intenção: "O senhor presidente fará o favor de colocar à votação o seu despacho de substituição do Dr. Arnaldo pelo Dr. Sérgio Sousa. Nós convivemos bem com uma eventual derrota da nossa posição".


O presidente não o fez - não tinha de o fazer, porque era lícito o seu acto de nomeação - mantendo-a tal como constava no despacho, o que motivou o seguinte comentário de Pedro Panzina: "Muito bem! Nesse caso, resta-nos recorrer aos tribunais".


Só que havia um 'pequenino' problema que não escapou à lupa de Pedro Panzina: Para além de ele saber que o acto do presidente era regular, a apreciação por parte dos tribunais iria com toda a certeza ocorrer já muito para além do próximo acto eleitoral.  Foi portanto para casa, pensou melhor e preparou esta pequena rasteira em que o presidente quase se ia estatelando.


Como dizia o outro, "não havia necessidade", porque para além de denunciar cumplicidades que o comprometem, aceitando 'agendamentos a pedido como uma espécie de contrapartida por favores futuros', podia ter originado uma situação pessoal complicada ao nomeado, uma vez que nos tempos que correm, nem sempre é possível reverter um pedido de licença sem vencimento  - e não sei se foi esse o caso do Dr. Sérgio Sousa.


Valeu na circunstância a coerência - porque não dizê-lo se isso é verdade? - do PS ter votado da mesma forma que em 2009 - o que aliás faz sentido, tendo em conta a abstenção quando era Arnaldo Soares,  o homem dos Orçamentos de mentira, da especulação imobiliária e processos afins que estava na calha e votarem hoje a favor do pedido de revogação quando a pessoa que o substitui não é de forma alguma comparável nem a situação que enquadra a sua nomeação é de forma alguma equivalente!


Vendo bem as coisas, para o Grupo Independente Coragem de Mudar, que mantém intacto o seu projecto de intervenção ao nível do nosso Concelho e continua como no passado, completamente empenhado na 'corrida', neste caso, rumo a 2013, até seria vantajoso que a 'mais valia' que Sérgio Sousa representará para João Paulo Baltazar não tivesse passado, mas mesmo em política, a ÉTICA não tem necessariamente que ser posta de lado - e hoje, na PROPOSTA DE REVOGAÇÃO que foi apresentada, ética foi coisa que não se vislumbrou.


E não nos venham caros vereadores e consócios, com considerações sobre contenção de custos, assunto que muito nos sensibiliza e certamente também, à maioria dos valonguenses, pois ainda há pouco se abespinharam com uma intervenção do líder do grupo municipal do PS na Assembleia Municipal por ter proposto a redução do número de reuniões de Câmara, como uma das formas de contribuir para essa contenção - agora que o presidente viu devolvidas as competências que tinham sido retiradas a Fernando Melo!


Tão 'preocupados' estavam os caros consócios com a contenção, que a mera hipótese levantada por um deputado poder eventualmente vir a ser acolhida, motivou da vossa parte um veemente protesto (?) que fizeram questão de que fosse aprovado em reunião de Câmara e fosse depois remetido à Assembleia Municipal!


Serenamente, o Presidente deste Órgão fez o que devia: puxou o virtual cesto dos papéis inúteis e atirou para lá a inútil e virual folha A4 que não consubstanciava protesto nenhum.

Protesto contra quem? Contra quê e porquê? Por um deputado, esse sim, ter manifestado uma clara preocupação quanto à contenção das despesas?


ÉTICA - também neste caso e mais uma vez - precisa-se!


PS: Vale a pena ver o pequeno recorte que se segue, que já serviu aos ilustres vereadores da Coragem de Mudar noutras situações, mas que agora lhes passou 'despercebido'. Afinal a decisão era recente demais, o seu pedido de revogação (na reunião anterior) tinha sido recusado há bem menos de dois anos (!) para pedirem a sua revogação e por isso não tinham interesse nenhum em se 'lembrarem' deste parecer de um ilustre entendido na matéria:

 

 

publicado às 17:12

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D