Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

UNIDOS por ALFENA, MAS SEM EXAGEROS...

Nunca tal se viu na 'casinha de bonecas' de Alfena - por enquanto aquela que a nossa cidade merece, não passa de uma miragem consubstanciada na promessa de cedência por parte da Câmara de uma parcela de terreno público na urbanização Francisco Sá Carneiro.

O insólito ocorreu na última reunião pública da Junta, onde os Unidos por Alfena não conseguiram esconder mais as fissuras de já que se falava à boca pequena, mas que agora se tornaram evidentes.

 

Como todos sabemos desde a primária, o número 5 (tantos são os elementos do executivo da Junta) não é divisível por dois - quando muito, poderia dar-se o caso de ficar o 'livro' com metade das folhas para cada lado e a lombada presidencial funcionar como charneira, mas parece que as coisas não vão de feição para o lado da charneira, talvez porque já cheira a palco eleitoral e nesta matéria, as independências por estes lados, já não são aquilo que eram na versão original dos UpA.

 

Não é que ao contrário do que sempre fazia questão de nos explicar o digníssimo presidente - "toda a gente percebe que os assuntos quando chegam a estas reuniões para serem votados, já foram previamente discutidos e por isso, ninguém deve estranhar a rapidez com que essa votação é feita" - agora a maioria anda a fazer-lhe muitas perguntas, a colocar muitas objecções, a lembrar coisas que ficaram de ser feitas, mas obviamente não o foram!

 

Na última reunião, quase caíu o Carmo e a Trindade, porque a parte minoritária dos UpA (Rogério Palhau e António Peixoto) - desculpem a ilacção que eu retiro do contexto em que a reunião decorreu, mas neste caso, acho que aquilo que parece, desta vez é mesmo - está disposta a aceitar uma pequena intervenção da Câmara no espaço sob o viaduto da A41. Segundo Rogério Palhau, ela terá lugar na parte menos controvertida e aquela que menos riscos corre de ser alvo de providências cautelares por parte dos expropriados.

A maioria de 3 achou que "não podia ser assim, que a Câmara se tinha comprometido com um projecto e agora quer apenas fazer uns arranjos, que mais isto e mais aquilo e aqueloutro e - isto sim relevante! - "esta questão não foi discutida entre nós e portanto, teremos que ver exactamente os contornos do 'projecto revisto', que a Câmara se propõe executar".

 

(Abro um parêntesis para informar que questionei o presidente da Câmara na última reunião pública deste Órgão e foi-me dito que a coisa se resumiria a "um pequeno arranjo com uma pequena camada de betuminoso, na zona do lado esquerdo da Rua de S.Vicente, no sentido Alfena-Ermesinde, que desse alguma dignidade ao espaço e alguma possibilidade de utilização - foi dado o exemplo de um jogo de andebol ou pequenas actividades lúdicas semelhantes - mas nada de espaço para feiras e muito menos, construção de infraesturas", fechar parêntesis)

 

Vamos ver no que ficamos, porque aquilo ali, era a 'menina dos olhos' de Rogério Palhau e de Arnaldo Soares - que esteve presente na já referida reunião pública de Junta, mas que 'nos premiou com o ouro do seu silêncio'.

 

Curioso foi ainda o tom em que foi dado o 'puxão de orelhas' do mestre ao seu 1º. secretário: "Oh Sérgio, eu vou-te esplicar mais uma vez (...) porque é que a Câmara resolveu optar pela intervenção minimalista e eu acho que devemos aceitar". 

 

a cor das faces do n.º 2 passou de laranja a encarnado - o que no caso concreto, não condiz muito bem com o seu perfil - mas havia público a olhar e lá teve de engulir em seco  aquilo que mais tarde consta que terá dito.

 

Ouve ainda perguntas - não! mais uma vez, não foram do público, mas sim da mesa - sobre as diligências junto das Estradas de Portugal relativamente aos passeios na Rua 1º. de Maio, à colocação de passadeiras, etc.

 

Resumindo e concluindo e usando a analogia da atitude da China em relação aos ex territórios de Hong Kong e Macau: 'uma maioria e dois sistemas'...

publicado às 21:04

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D