Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

O HERDEIRO DE FERNANDO MELO E O ARQUITECTO 'HONORIS CAUSA' DE ALFENA

Tão previsíveis que eles são, já se adivinhava que fossem mais tarde ou mais cedo 'juntar os trapinhos' - na política obviamente.

O engenheiro/arquitecto honoris causa de Alfena, é desde há muito e com vistas ao muito que ambiciona, um homem de muitas artes, um camaleão da política local, um verdadeiro contorcionista na habilidade (quase circense) de caminhar na 'corda bamba', um apurado 'performer' da arte de fazer presidentes (de Junta, de Câmara, de Clubes desportivos).


Mal comparado, ele tem tantos botões como um cockpit de avião, cada um deles capaz de activar uma frequência de serviço distinta e susceptível de o sintonizar com os mais díspares projectos.


Mandatário político de projectos de trânsfugas do passado recente, angariador de negócios milionários capazes de se multiplicar exponencialmente do dia para a noite, ou vice-versa, nasceram do seu traço 'criações' como a zona industrial de Alfena I no  lugar do Barreiro, o 'Alfena Trade Center' na mesma zona e outros 'mitos urbanos' em que muitos acreditaram para sua própria desgraça e que agora contemplam os engodos em que caíram, transformados em esqueletos deprimentes, ou então (ainda) na fase da maquete de esferovite pintada de cores garridas ou da fotomontagem apelativa que os atraíram como moscas gulosas  qual rolo de cola comprado na drogaria da esquina.


Começou por baixo - muito por baixo mesmo - este promotor imobiliário, construindo e vendendo apartamentos de má qualidade, sugando débeis empreendedores a quem ia vendendo os serviços do seu gabinete de arquitectura, mas rapidamente e graças a algumas ajudas e a muitos negócios tão claros como a ardósia de Valongo, ele conseguiu ascender a 'emplastro' preferencial do herdeiro de Fernando Melo e a organizador da sua campanha actualmente em curso.


Claro que esta é apenas uma breve introdução à 'biografia não autorizada' do homem de quem se falará - de quem se falaria - num futuro próximo, se João Paulo Baltazar conseguisse ganhar a Câmara de Valongo no próximo acto eleitoral.

Ele anda por aí, angariando apoios vendendo promessas a troco de contribuições solidárias para uma campanha que custa dinheiro e para isso não hesita em fazer a ponte com alguns homens abastados dos Concelhos vizinhos -  da Maia por exemplo -  mas que por acaso são também detentores de algumas 'posses rústicas' aqui em Alfena.

 

Se o paradigma da corrupção que nos tem acompanhado ao longo dos últimos 20 anos continuasse depois de Setembro, seguramente que teríamos uma 'Nova Alfena' ali para os lados do Hospital Privado, e provavelmente, mais uns quantos mamarrachos em zona REN ou de leito de cheia do Leça espaço da Quinta das Telheiras.


O  PDM não está em 'banho-maria' por mero acaso...

 

Mais episódios envolvendo esta sinistra figura alfenense e algumas empresas do regime com casos pendentes na Câmara, em que modestos cidadãos foram lesados, tratados de fora discricionária ou vítimas de denegação de Justiça por parte de uma autarquia tão corrupta como os mais corruptos do burgo - serão detalhados em próximos capítulos.

 

Se tal se justificar...

publicado às 21:41

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D