Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

O PODER LOCAL - 'QUEM CABRITOS VENDE E CABRAS NÃO TEM'...

 

As autárquicas estão aí à porta e mais uma vez - se não fizermos tudo para o evitar - os cidadãos vão votar de acordo com as cores do 'clube' e eleger em muitos casos, os corruptos do costume, os mentirosos do costume, os vendedores da banha da cobra do costume.

 

Tem sido assim um pouco por todo o lado ao longo dos últimos anos do Poder Local e foi também assim em Valongo com Fernando Melo durante quase 20 anos em que nos tornamos a anedota preferida dos autarcas dos Concelhos vizinhos.

 

Mas foi o contrário disto que aqueles supostos independentes prometerem aos alfenenses em 2005!

 

E qual é o balanço que à escala  de Alfena podemos fazer?

 

Autarcas que 'engordaram' as suas contas bancárias, que multiplicaram o seu património imobiliário, que se tornaram senhorios de muitos alfenenses - a nível particular e dos pequenos negócios - que constroem em contra ciclo com a crise, que apresentam no fundo aquela suspeita prosperidade de quem 'vende cabritos, sem cabras ter'!

E tudo isto se faz sem que às nossas Finanças lhes cheire a nada nem ocorra a quem tem obrigação de combater a corrupção - Inspecção Geral de Finanças por exemplo - averiguar sobre hipotéticas 'heranças' de onde possa emergir tanto  'fulgor financeiro'.

 

Prosperam pois os corruptos e propõem-se continuar a fazê-lo, imersos na impunidade do costume que arruinou este País e nos tornou reféns para as próximas décadas, do verdadeiro sistema de governação mundial, que é o capital financeiro e de que os políticos (os nossos locais incluídos obviamente) são apenas, criminosos e colaboracionistas  'testas de ferro', a face visível do enorme iceberg.

 

Por isso, também os eleitores de Alfena, desprezados ao longo de 20 anos pela Câmara corrupta onde os 'criminosos' - falando (apenas) de crimes urbanísticos - de que temos por aqui alguns 'edificantes' exemplos, tudo têm podido fazer contra todos, conseguindo engordar até à obesidade enquanto a maioria do Povo emagreceu de forma preocupante, devem lembra-se no momento do voto, daquele conhecido aforismo: "diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és"!

 

Como tudo seria diferente, se os candidatos a cargos políticos - também no Poder Local - tivessem que apresentar sempre à 'entrada' uma relação dos seus bens próprios, dos respectivos cônjuges e do respectivo agregado familiar, para ser comparada com a situação existente 'à saída'!

 

(Se os virmos à entrada de braços nus, sem nada na manga e vestidos como pessoas honestas e à saída vierem, como o contrabandista da caricatura, com os braços cobertos até aos ombros, de relógios de marca ou de bermudas molhadas pelo mergulho na piscina com que apenas sonhavam ao serem eleitos, isso será obviamente um 'sinal exterior' de... corrupção!).

 

Claro que isto deverá incluir os mandatários políticos e alguns membros das pomposas comissões de honra que os assessoram e suportam na ascensão ao pódio e alguma vigilância também, em relação a situações de 'engorda' inusitada em membros da família alargada durante o período dos respectivos mandatos...

 

publicado às 13:50

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D