Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

A TERRA COMO LIMITE...

UM ESPAÇO ONDE ESCREVEREI SOBRE TUDO, SOBRETUDO, SOBRE TUDO QUE SEJA CAPAZ DE CAPTAR A MINHA ATENÇÃO. UM ESPAÇO ONDE O LIMITE NÃO LIMITA - APENAS DELIMITA.

SEC - SOCIEDADE DE EMPREITADAS E CONSTRUÇÕES, UMA EMPRESA SOCIALMENTE IRRESPONSÁVEL (CONT.)

Regresso ao tema SEC - Sociedade de Empreitadas e Construções, SA só para acrescentar ao que escrevi no último post relacionado - AQUI - mais alguns elementos a considerar para uma apreciação mais informada sobre a inequívoca responsabilidade do presidente da Câmara de Valongo, João Paulo Baltazar, relativamente à total ausência - por negligência ou pior, por deliberada premeditação - nos procedimentos cautelares que deveriam ser tidos em conta neste tipo de pagamentos de dívidas com anos de atrazo. É que pode acontecer que aqueles a quem se deve, tenham processos de insolvência em curso, estejam envolvidos em processos de despedimento colectivo, ou tenham outras situações pendentes que justifiquem que antes de passar o cheque, se obtenham informações actualizadas e cruzadas sobre a situação... digo eu.

 

Falei em cheques, porque ao contrário do que seria expectável, parece que todos aqueles pagamentos que têm sido feitos - com excepção dos referentes a operações de 'factoring' - têm sido por cheque e não por transferência bancária!

 

Talvez isto explique a resistência de João Paulo Baltazar em responder à questão que lhe foi colocada por um deputado da Coragem de Mudar na última Assembleia Municipal, para que informasse quais os pagamentos feitos directamente à SEC (e não só) - valor, data de referência do débito, data da emissão do cheque e respectivos montantes.

 

Por outro lado, talvez isto justifique que os advogados que representam os trabalhadores despedidos ilegalmente, apresentem uma providência cautelar no sentido de que esses pagamentos só possam ser feitos via administrador de insolvência e comunicados aos autores da referida providência - isto obviamente, se a Câmara, de forma ardilosa e consertada com a empresa, não tiver já procedido ao pagamento de todas as dívidas, negociadas paralelamente ou não nos respectivosmontantes.


(Importa aqui lembrar, que foi desbloqueada há dias a 2ª e última tranche do PAEL, desconhecendo-se por enquanto o ponto da situação sobre o assunto, dado que na página da Câmara na Internet, por enquanto consta apenas a imensa lista da 1ª fase).


Talvez se justiifique ainda, que os trabalhadores, sobretudo aqueles que são de Valongo, questionem directamente a Câmara sobre este procedimento pouco amigável do seu presidente e candidato a um próximo mandato, privilegiando os patrões amigos e apoiantes da sua campanha e esquecendo que há potenciais eleitores que passam dificuldades só porque esses patrões resolveram passar por cima da lei e dos mais elementares princípios de responsabilidade social que uma empresa de bem sempre deve ter para com o seu activo mais importante - os trabalhadores!


Alguns elementos actualizados sobre a situação da SEC:







publicado às 01:09

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D